Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Cambalacho na casa do povo

 Estamos longe ser sermos uma nação efetivamente livre, sem a interferência de poderosos em detrimento do de..

Pedro Ribeiro - 02 de fevereiro de 2019, 11:41

Foto: Dorivan Marinho/SCO/STF
Foto: Dorivan Marinho/SCO/STF

 

Estamos longe ser sermos uma nação efetivamente livre, sem a interferência de poderosos em detrimento do desejo de toda uma nação. O Brasil acordou neste sábado com mais um golpe, um ato vergonhoso de arbitrariedade do Supremo Tribunal Federal, onde seu presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu  que a eleição para presidente do Senado será realizada por meio de votação secreta, não mais aberta como estava definido. Interferiu diretamente no Poder Legislativo, ignorando a vontade popular.

Se Renan Calheiros for eleito presidente do Senado, mesmo pesando sob seus ombros uma dezena de processos por envolvimento em corrupção, a culpa será do Supremo Tribunal Federal, instituição que deveria ser a guardiã dos direitos do povo e que, nos últimos anos vem se prestando a devolver os favores de quem os indicou ao cargo. Uma vergonha que desestimula a população que vem clamando por mudanças e um país melhor.

Quando o povo vai às ruas, pedindo mudanças, elegendo um capitão aposentado do Exército, não pela sua competência e qualidade para gerir a Nação, mas em protesto ao grupo que tomou de assalto o país nos últimos 15 anos, praticando barbáries, principalmente em relação à corrupção, com enriquecimentos ilícitos de pessoas e empresas às custas dos cofres públicos, do trabalhador brasileiro.

Na Câmara Federal, Rodrigo Maia passou como um trator por cima de todos, se reelegendo presidente da casa. Agora estamos a um passo de termos, também, como presidente do Senado, um facínora como Renan Calheiros. Como o Supremo Tribunal Federal pode ser tão míope que não vê que Calheiros é réu, nocivo à Nação¿ As negociatas continuarão, o toma lá da cá continuará e ao povo só resta o esperneio. Mais nada.