Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Campanha ao Governo do Estado será bruta, com troca de acusações

Teremos uma campanha recheada de trocas de acusações ao Governo do Estado este ano. O primeiro a metralhar Ratinho Junior foi o candidato petista, Roberto Requião.

Pedro Ribeiro - 16 de junho de 2022, 14:56

Foto/Casa Militar/AEN
Foto/Casa Militar/AEN

 

A campanha política ao Governo do Paraná já da mostras de que será bruta. Depois de provocar e ofender o governador Ratinho Junior (PSD), com acusações de privilégios e linguagem chula em referência à um “rato, camundongo”, o candidato ao Palácio Iguaçu, Roberto Requião (PT), está tendo sua vida como ex-governador e senador vasculhada por integrantes de grupos solidários ao atual gestor do Executivo estadual e suas medidas, nada republicanas, espalhadas à imprensa, em especial nas redes sociais.

A aparição recente de Requião ao lado de diretores da APP Sindicato que lhes manifestaram apoio ao seu possível retorno ao Palácio Iguaçu, está sendo um dos principais motivos do foco de ataque. Notícias publicadas à época em que Requião governou o Estado, mostram um governador rancoroso, a exemplo de hoje, em relação às atitudes do próprio sindicato como escreveu, à época a Gazeta do Povo: “Eu não aceito mais esse sindicato. Enquanto eu for governador o diálogo com os professores está aberto, mas a APP, para o Governo do Estado, não existe”, afirmou.

O mesmo jornal, em 2006, afirmava, entre aspas: “Requião desqualifica APP como entidade docente”. A declaração foi feita durante paralisação dos professores que buscavam reposição salarial. Em 2008, a Gazeta do Povo também afirmava em manchete na página Vida Pública: “Requião vai a Brasília fazer lobby contra o piso”. Hoje, Requião é só elogios à APP Sindicato, pois está em plena campanha para retornar ao Palácio Iguaçu.

Requião terá que entender que se agredir, haverá respostas pois, pelo que podemos observar, o outro lado está preparado para responder às acusações. Na redação do Paraná Portal chegam diariamente e-mails que lembram das ações do ex-governador em relação, também, ao agronegócio e principalmente sobre a passagem de seu irmão, Eduardo Requião, pelo Porto de Paranaguá. Quem conhece o histórico político de Requião sabe que ele não mudará seu estilo agressivo e manterá seu discurso.

Até o momento, o governador Ratinho Junior não respondeu a nenhuma ataque de Requião, tanto em referência ao seu governo, como pessoal. Tentamos falar com o governador se ele vai reagir aos discursos do seu adversário político, mas não obtivemos respostas. Ou Ratinho Junior está aguardando para reagir, ou vai deixar Requião falar sozinho.

É o que veremos na frente.