Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Campanha ao Senado pode embolar e surpreender na reta final

 As armadilhas das quais foi vítima nos últimos 15 dias, com denúncias no Ministério Público e prisão, fizer..

Pedro Ribeiro - 18 de setembro de 2018, 19:31

 

As armadilhas das quais foi vítima nos últimos 15 dias, com denúncias no Ministério Público e prisão, fizeram com que o ex-governador Beto Richa acusasse o golpe. De repente, o herdeiro político de um dos mais destacados homens públicos do país, o ex-governador e senador José Richa, começou a descer ladeira sem, contudo, perder a pose e insitir em sua inocência, a exemplo do condenado e preso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Como rasteira final, o grupo político da governadora Cida Borghetti também o descartou, colocando ainda mais em risco sua candidatura ao Senado Federal onde, quem sabe, poderia ter oxigênio para respirar por mais alguns anos usufruindo-se da imunidade parlamentar. Por enquanto, nada está perdido, pois Richa não desistiu e mantém-se firme em sua jornada rumo ao Senado, embora sua musculatura vem perdendo força no interior, onde ele apostou todas suas fichas.

Tony Garcia, seu amigo, responsável pela pancada mortal, ainda promete mais cereja neste bolo imundo. Ele, logo ele, que também tem pendência com a justiça, promete, como paladino da moralidade, colocar, literalmente, o último prego no caixão, avisando que tem 23 quilos de papéis - documentos - que podem coloca, definitivamente, Beto Richa e grande parte de seu grupo politico na cadeia. "É um caminhão descendo a ladeira com 50 quilos de dinamite", alerta.

Se Richa está fora ou nao do páreo para o Senado Federal, só iremos saber quando as urnas forem abertas e até, pelo que tudo indica, ele manterá sua candidatura.

A definhez política de Richa também acendeu luz amarela no comite de seu principal adversário político, o também ex-governador, senador e candidato à reeleição, Roberto Requião. Com Richa montado em pangaré (ainda não sabemos dos números da pesquisa pós desastre) dois outros nomes surgem com chances de disputarem vaga no Senado Federal: o ex-senador Flávio Arns e o professor Oriovisto Guimarães. Corre na paralela, Alex Canzian, já que Newton Friedrich está colado a Requião.

Na batalha pelo Palácio Iguaçu, Ratinho Junior ainda lidera mas já se verifica, pelo menos em pesquisas internas (tracking) divulgadas pelos comitês, que há tendência de crescimento de Cida Borghetti e João Arruda. Agora, todos lutam para que as eleições no Paraná tenham segundo turno pois, caso contrário, todos morrem afogados no dia seguinte do sete de outubro ou, quem sabe, no mesmo dia.