Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Com o fim da contribuição sindical, o que acontecerá com 12 mil sindicatos no país?

 A contribuição sindical obrigatória está com os dias contados e, com ela, a principal fonte de financiament..

Pedro Ribeiro - 02 de agosto de 2017, 10:24

 

A contribuição sindical obrigatória está com os dias contados e, com ela, a principal fonte de financiamento para muitas das entidades que representam tanto empresas quanto trabalhadores. É questão de dois meses, caso o texto aprovado em 11 de julho pelo Senado não seja alterado por Medida Provisória. A pergunta que se faz: o que vai acontecer com a maioria dos 12 mil sindicatos que existem no país e que empregam mais de 153 mil pessoas?

De acordo com levantamento feito pela Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pela BBC Brasil, essas organizações empregam atualmente 153,5 mil pessoas com carteira assinada no país. Dos R$ 2,6 bilhões arrecadados em 2016 com o desconto de um dia de trabalho de todos os funcionários com carteira assinada do país, respondem por 76,5% do total de vagas, 117,6 mil.

As entidades patronais, que receberam R$ 1,3 bilhão da contribuição recolhida diretamente das empresas, somam 35,9 mil funcionários. A extinção do imposto terá maior impacto sobre cerca de 7 mil dos quase 12 mil sindicatos de trabalhadores do país.

Especialistas afirmam que os sindicatos mais ativos, que têm uma tradição de luta, não terão vida fácil. O sindicalismo é um movimento vital para organizar e representar os interesses dos trabalhadores. O Brasil possui sindicatos importantes em categorias como bancários, petroleiros, metalúrgicos, químicos, professores e diversas carreiras na função pública.pedro.ribeiro