Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

De Álvaro para Bonilha: áulico. De Bonilha para Álvaro: senador está nu. Briga de gente grande

Esta semana assistimos a mais uma peça de horror, envolvendo duas figuras públicas paranaenses: o senador Alvaro Dias e ..

Pedro Ribeiro - 17 de dezembro de 2016, 14:34

Esta semana assistimos a mais uma peça de horror, envolvendo duas figuras públicas paranaenses: o senador Alvaro Dias e o então presidente do Tribunal de Contas do Estado, Ivan Bonilha. Neste caso, não podemos dizer que foi uma briga de pias pançudos, mas um conflito entre um senador da República e um membro da corte de contas do Estado do Paraná, com dimensões políticas ainda não mensuradas, o que poderá ter resultado nas eleições de 2018.

Alvaro Dias, ao sair em defesa do jornalista da Gazeta do Povo, Celso Nascimento, condenado a 9 meses e 10 dias de prisão por denunciar um parecer do Tribunal de Contas sobre o edital para a construção do Metrô de Curitiba, exagerou na dose ao corroborar com afirmações de Nascimento que chamou Bonilha de pupilo do governador Beto Richa, Dias foi mais longe: “Mais do que pupilo, ele me parece ser uma figura rastejante, a imagem do áulico, que agrada para obter vantagens”, disse.

Bonilha recorreu aos manuais e leis jurídicas com direito a jurisprudência e fez um longo e tenebroso discurso contra o senador Alvaro Dias dizendo, entre tantas palavras e chavões de dicionários jurídicos, que o senador  mostrou-se despido de qualquer conhecimento sobre o que falava. “Custei a acreditar no que vi e ouvi, não reconheci a fisionomia do parlamentar de outrora. O senador estava nu”. E sugeriu que Álvaro tomasse conhecimento, pelo menos, das observações do escritor José Ingenieros: "Ser digno é não ter que pedir o que se merece, nem aceitar o imerecido" (O Homem Medíocre)”.

Bonilha caneteia o jornalista bem no meio do calor da discussão do abuso de poder, ao que Dias achou prudente questionar tal atitude. Em resposta, o togado explica e justifica;  Qual o motivo declarado para tal destemperada covardia? Que falta grave cometi aos olhos do Senador? O de ingressar em Juízo buscando proteção da minha honra, vejam que crime imperdoável : obtive uma sentença judicial de procedência!!! É bem verdade, que trata-se de uma bem fundamentada e estruturada sentença, que analisa e enaltece a liberdade de expressão e de informação, como pilares do Estado Democrático de Direito; mas, reconheceu na conduta de determinado jornalista abuso, e cometimento de crime. Mas, isso parece ter contrariado o parlamentar...

O que o ex-presidente (deixou o cargo na mesma semana) do Tribunal de Contas deveria questionar, isto, sim, é como todas as denúncias foram parar nas mãos do afiado jornalista? O excelentíssimo sabe muito bem que tudo parte de um colega que senta ao seu lado. Direito ou esquerdo, não importa.pedro.ribeiro