Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Depois do coronavírus, a epidemia da Dengue já assusta alguns municípios

Alto Paraná, município localizado no Noroeste do Estado está intensificando campanha contra a Dengue que já registrou 50 casos na cidade.

Pedro Ribeiro - 17 de abril de 2022, 10:43

Reprodução Internet
Reprodução Internet

 

Depois da pandemia do coronavírus, a Dengue assombra o país. Todos anos são a mesma coisa. As autoridades estaduais e municipais da área da saúde alertando a população para o risco e o perigo do mosquito que mata.

O que me chamou a atenção foi um nota divulgada pela Secretaria de Saúde do Município de Alto Paraná, Noroeste do Estado e a 470 km de Curitiba. O boletim epidemiológico registrava, no dia oito de abril de 2022 99 casos notificados com suspeita da Sengue. Desses, 46 positivos.

O número é muito alto para uma cidade que possui pouco mais de cinco mil habitantes na zona urbana. Também assisti a dois vídeos do município alertando sobre a doença um, inclusive, bem raíz, com uma carroça circulando pela cidade alertando sobre a doença.

Katia Soares, coordenadora da Vigilância Sanitária está á frente de campanhas na cidade e na zona rural para que as pessoas não joguem lixo nas ruas, mantenham seus quintal limpo para evitar a proliferação do mosquito.

Segundo os números do último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde houve um aumento de 85,6% nas infecções por Dengue em relação ao mesmo período de 2021.

Em alguns locais do país, a situação é pior: no Centro-Oeste, o crescimento em comparação com o ano passado foi de 242%. Até o momento, a região registrou 648 casos por 100 mil habitantes — em segundo lugar aparece o Sul, com 198 casos por 100 mil.

Entre as cinco cidades mais atingidas, três estão no Centro-Oeste: Goiânia (25,1 mil casos), Brasília (19,2 mil) e Aparecida de Goiânia (4,6 mil). Completam a lista Palmas (7,5 mil), no Tocantins, e Votuporanga (4,7 mil), em São Paulo.