Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Desempenho pífio em relação ao combate à pandemia. Bem, “e daí?”.

Enquanto seguidores de Bolsonaro ampliam suas paixões nas redes sociais, aprovando todos os tipos de ações e reações que..

Pedro Ribeiro - 30 de maio de 2020, 08:43

(Isac Nóbrega/PR)
(Isac Nóbrega/PR)

Enquanto seguidores de Bolsonaro ampliam suas paixões nas redes sociais, aprovando todos os tipos de ações e reações que o “mito” promove, embalado por discursos de ódio em frente ao Palácio do Alvorada com recados ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal e principalmente à imprensa, o Brasil vive suas piores crises na área da saúde e da economia.

As trocas de ministros da na área da saúde, brigas com governadores, prefeitos e mesmo com o Congresso Nacional, só tem levado o presidente da República a uma avaliação de desempenho negativo em relação à pandemia, com reflexos diretos à pessoa do senhor Jair Bolsonaro.

Segundo última pesquisa do Datafolha, realizada de 22 a 25 de maio, metade dos brasileiros (50%) avalia como ruim ou péssimo o desempenho de Bolsonaro na pandemia. As pessoas que o consideram ótimo ou bom são 27%; e regular, 22%.

Em relação a isso, são significativas as quedas na avaliação positiva do Ministério da Saúde nos últimos dois meses, após as demissões de Luiz Henrique Mandetta e de Nelson Teich.

O presidente Bolsonaro pode achar que faz impunemente o que bem entender, mas a população não viu com bons olhos a atuação presidencial na Saúde. Pelo menos para grande parte da população, excluindo os que idolatram o “mito”.

Para a maioria dos brasileiros (53%), o presidente da República tem responsabilidade, em alguma medida, pelo avanço da pandemia. Para 33% dos entrevistados, Bolsonaro é muito responsável pelo atual quadro; e para 20%, “um pouco responsável”. Vê-se que a maioria da população não acha nenhuma graça com o “e, daí?” de Bolsonaro, em relação ao número de mortes pela covid-19. (jornal Estadão deste sábado mostra mais detalhes em seu editorial).