Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Governo Federal usará forças policiais para liberar estradas e Paraná fecha acordo com movimento

 O presidente Michel Temer resolveu colocar ordem na casa e disse, em rede nacional, que o “governo teve cor..

Pedro Ribeiro - 25 de maio de 2018, 15:06

Secretário chefe da Casa Militar, coronel Mauricio Tortato, se reúne com lideranças do movimento grevista dos caminhoneiros.
Curitiba, 24/05/2018
Foto: Ricardo Almeida / ANPr
Secretário chefe da Casa Militar, coronel Mauricio Tortato, se reúne com lideranças do movimento grevista dos caminhoneiros. Curitiba, 24/05/2018 Foto: Ricardo Almeida / ANPr

 

O presidente Michel Temer resolveu colocar ordem na casa e disse, em rede nacional, que o “governo teve coragem de dialogar e terá coragem agora de exercer sua autoridade diante do povo”. Antes tarde do que ver o país mergulhado no caos. O governo monta um plano de segurança para superar os efeitos do desabastecimento causado pela paralisação dos caminhoneiros.

Na televisão, Temer disse: “comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e solicito que os governadores façam o mesmo. Não vamos permitir que população fique sem itens de primeira necessidade, que consumidores fiquem sem produto, que hospitais não funcionem”, afirmou.

O Governo do Estado e lideranças do movimento dos caminhoneiros fecharam um acordo para possibilitar o trânsito de cargas especiais nas estradas do Paraná. A partir desta sexta (25), caminhões com a adesivo de identificação da Defesa Civil poderão circular pelas rodovias transportando insumos hospitalares, produtos químicos, ração animal, alimentos para hospitais e penitenciárias, combustível para os serviços de segurança e de urgência e emergência, além de cargas vivas.

O acordo seguiu a orientação da governadora Cida Borghetti, que solicitou ao chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato, que criasse um grupo de trabalho e realizasse a negociação com os representantes do caminhoneiros. O encontro foi na sede da Defesa Civil, em Curitiba, e contou com a presença de integrantes do poder público, do setor produtivo e da sociedade civil organizada.

Chegamos a um acordo que permitirá suprir áreas essenciais de produtos necessários para a manutenção dos serviços”, comentou a governadora Cida Borghetti ao saber do resultado da reunião. Ela também elogiou a postura dos líderes do movimento pela compreensão em relação à necessidade de trânsito de cargas prioritárias.

Temer faz um alerta: quem continuar bloqueando as estradas será responsabilizado e punido. “Vamos garantir o abastecimento. O acordo está assinado e cumpri-lo é a melhor alternativa. O governo espera e confia que cada caminhoneiro cumpra o seu papel”, acrescentou.

Desde o início da semana o Brasil e os brasileiros vem sofrendo com a paralisação dos caminhoneiros. Começamos a tomar previdências ainda no domingo para atender as suas demandas e ontem chegamos a um acordo com as lideranças nacionais dos caminhoneiros”, afirmou.

Temer alegou que o governo atendeu as 12 reivindicações prioritárias dos caminhoneiros, que teriam se comprometido a encerrar a paralisação imediatamente. “Esse foi o compromisso conjunto e deveria ter sido o resultado do diálogo. Muitos caminhoneiros têm feto a sua parte, mas infelizmente uma minoria radical continua bloqueado as estradas”, relatou.