Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Na disputa pela vacina deveremos ficar em último lugar

Para o engenheiro Antonio José Correia Ribas, o governo brasileiro está dando um show de incompetência com as vac..

Pedro Ribeiro - 12 de dezembro de 2020, 07:40

SÃO PAULO, SP, 09.12.2020 - CORONAVÍRUS-VACINA: Imagem criativa usando fundo azul com frasco de vacina ao lado de insumos, em alusão à vacina contra o novo coronavírus (Covid-19). (Foto: Adriana Toffeti/A7 Press/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 09.12.2020 - CORONAVÍRUS-VACINA: Imagem criativa usando fundo azul com frasco de vacina ao lado de insumos, em alusão à vacina contra o novo coronavírus (Covid-19). (Foto: Adriana Toffeti/A7 Press/Folhapress)

Para o engenheiro Antonio José Correia Ribas, o governo brasileiro está dando um show de incompetência com as vacinas da Covid 19. Correndo atrás da solução e chegando em último lugar, como no caso da vacina da Pfizer.

Agora teremos apenas, na melhor das hipóteses, 8,5 milhões de doses dessa vacinas para serem aplicadas no primeiro semestre de 2021. Quantidade suficiente para imunizar o equivalente a 1/3 dos paranaenses.

É momento de acordar e começar correr na frente na negociação de intenções de compra de vacinas que já estão na fase adiantada de pesquisa, como a da Johnson & Johnson, Sinopharm, Moderna, CanSino Biological, Novavac e até mesmo da indiana Barhat Biotech e da russa Sputnick V.

Não adianta novamente ficar esperando o "registro da Anvisa".

É lógico que as vacinas só serão aplicadas com autorização ativa ou passiva da Anvisa, mas o governo precisa sair na frente, pois a população brasileira precisará de 400 milhões de doses para sairmos da pandemia e precisamos de todas as vacinas disponíveis no mundo.

Estamos disputando com 7 bilhões de outros humanos. Mas com toda a incompetência do Ministério da Saúde, talvez seremos os últimos a vencer o Coronavirus.