Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Na guerra entre candidatos, a Sanepar vira a bola da vez

A Sanepar passou a ser a bola da vez nos debates e ataques de bastidores da campanha ao Governo do Paraná.

Pedro Ribeiro - 04 de junho de 2022, 16:38

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

A Sanepar passou a ser a bola da vez nos debates e ataques de bastidores da campanha ao Governo do Paraná. De um lado, um grupo ligado ao governador Ratinho Junior e, do outro, lideranças do PT que defendem o candidato ao Palácio Iguaçu, Roberto Requião.

Nesta guerra, um soldado de linha de frente, com assento na Assembleia Legislativa: deputado Arilson Chiorato (PT), coordenador no Paraná da campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato ao Palácio do Planalto.,

O grupo ligado ao Palácio Iguaçu acusa o ex-governador Roberto Requião (PT) pelo congelamento das rifas de água e esgoto durante seu governo, o que teria resultado, hoje, nos aumentos de preços que a Sanepar vem impondo aos usuários, com anuência do Governo do Estado, através da Agência Reguladora de Tarifas (Agepar).

Chiarote, em artigo distribuído à imprensa neste final de semana acusa o governador Ratinho Junior, ao afirmar que o reajuste de 4,96% na conta da Sanepar anunciado pelo Governo do Paraná, é mais um ataque aos paranaenses, pois, representa a escolha política em ampliar os lucros aos acionistas da empresa.

“Essa semana, uma nota na imprensa sobre o aumento da tarifa buscou escolher o ex-governador e pré-candidato ao Governo, Roberto Requião, como bode expiatório. A grande imprensa tem alinhamento político com o Governo, até porque, o Governo não poupa gastos em publicidade”, disse Chiarote.

A nota que foi amplamente divulgada por veículos de comunicação, principalmente blogs políticos, sustenta que o principal responsável pelo atual reajuste da tarifa da água e esgoto é Roberto Requião que, ao posar de paladino da justiça, deixou a conta no colo de governos sucessivos.