Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

O custo Lula na cadeia

 O pedido de transferência do preso mais bajulado do país, Luiz Inácio Lula da Silva, que está na cadeia por..

Pedro Ribeiro - 25 de abril de 2018, 14:35

 

O pedido de transferência do preso mais bajulado do país, Luiz Inácio Lula da Silva, que está na cadeia por ser condenado por corrupção e formação de quadrilha, teve cenas hilárias nesta semana em frente a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. A primeira protagonista foi a senadora Gleisi Hoffmann que luta, com unhas e dentes, para ver seu herói fora da prisão e candidato ao Palácio do Planalto. Gleisi, como todos sabem, também é réu por corrupção e poderá, em breve, fazer parte do seleto time de Lula, só que em prisão feminina, segundo fontes jurídicas.

Além de Gleisi, também a ex-presidente Dilma Rousseff e o senador Roberto Requião estiveram na Polícia Federal pedindo para visitar Lula e, é claro, reivindicarem sua soltura, o que poderá acontecer por determinação do Supremo Tribunal Federal. Por enquanto, Lula continua preso.

O jornalista Cláudio Humberto, em sua coluna no Diários do Poder, desta quarta-feira, faz algumas contas que achei interessante e publico: “Causou espanto o custo diário de cerca de R$ 10 mil, para a Policia Federal, na manutenção do ex-presidente Lula.

Esse gasto é 125 vezes maior que o custo médio nacional para manter qualquer outro preso. Segundo dados do Ministério da Justiça, o gasto médio por preso no País é de R$ 2,4 mil mensais, quatro vezes menor que o custo diário do detento Lula: em apenas duas semanas já foram gastos R$150 mil.

Além do aparato de segurança custar caro, Lula tem regalias negadas a qualquer outro preso, como banho quente, TV e banheiro privativo. Mesmo quando comparado ao Amazonas, Estado com o maior gasto médio do país (R$ 4,1 mil), o “custo Lula” é 72,6 vezes superior.

São Paulo tem a maior população carcerária e um dos menores gastos: R$1.450 mensais por preso. Lula custa 207 vezes mais. O “custo Lula” é bem maior: só a Petrobras perdeu R$12 bilhões no maior esquema de corrupção da História, que, para o MPF, ele chefiou.