Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Qual a estratégia de Osmar Dias?

 Ou o ex-senador e candidato ao Governo do Estado, Osmar Dias (PDT), tem algum plano diferenciado, que foge ..

Pedro Ribeiro - 09 de abril de 2018, 12:24

Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado
Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

 

Ou o ex-senador e candidato ao Governo do Estado, Osmar Dias (PDT), tem algum plano diferenciado, que foge aos tradicionais, para vencer as eleições de outubro, ou está confiante demais, ao ponto de não se importar com as ações de seus adversários, ou ainda está temporariamente candidato, ou seja, até as convenções partidárias.

Pelo que se sabe e se conhece, um candidato a um cargo majoritário, por exemplo, deve ir ao legislativo estadual para conversar com deputados, fazer alianças partidárias, ou apenas para tomar cafezinho. Ratinho Junior e Ricardo Barros fazem plantões na Assembleia Legislativa do Estado em busca de apoio e alianças. A Alep é a casa política e é ali que tudo acontece.

Ratinho Junior deixou, inclusive, o cargo de secretário de Desenvolvimento Urbano (poderia ter saído no dia sete de abril) para fazer plantão na Assembleia Legislativa e costurar novos aliados, o que tem feito muito bem, pois ampliou de 14 para 18 sua base na casa. O mesmo acontece com o articulador da campanha de Cida Borghetti, Ricardo Barros. Já Osmar Dias evita a Alep como o diabo a cruz.

Estaria, portanto, o candidato Osmar Dias com uma carta na manga? Uma aliança com o PMDB de Roberto Requião para ampliar sua base no Estado e seu tempo de campanha na televisão? Ou será que o dono do PDT e do Podemos está satisfeito com as pesquisas que faz em algumas cidades que o colocam em uma situação confortável ao ponto de, hoje, estar na disputa no segundo turno?

Pois é. Osmar Dias, um político respeitado no Estado, toca o barco à sua moda (antiga), sem se preocupar com alianças, pois chegou até a recusar o PSB, partido que poderia ampliar sua base na Alep e nos municípios. Como todos sabem e conhecem, ele decide, sempre, na última hora. Vamos, portanto, tentar aprender com ele.