Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Ratinho Júnior afirma que não foi responsável pelo aumento da tarifa do ônibus e sim a Urbs

Em relação à nota “João Arruda responsabiliza Ratinho Júnior pela alta taxa da tarifa de ônibus”, publicada no Paraná Po..

Pedro Ribeiro - 18 de setembro de 2018, 12:40

Em relação à nota “João Arruda responsabiliza Ratinho Júnior pela alta taxa da tarifa de ônibus”, publicada no Paraná Portal em 18 de setembro de 2018 às 09:38, a coligação Paraná Inovador, do candidato Ratinho Júnior, esclarece e solicita a devida correção.

A decisão de romper a integração do sistema de transporte coletivo municipal de Curitiba com o sistema de transporte metropolitano foi iniciativa do sr. Roberto Gregório da Silva Júnior, então presidente da URBS em 26/01/2015, conforme documento em anexo.

Diferente do que alguns tentam fazer parecer, a análise do sistema e a busca por equilíbrio é uma ação técnica e não política. A COMEC realizou uma pesquisa origem/destino, em 2014, para analisar o impacto de cada uma das partes integrantes do sistema. Antes desse estudo, havia uma “percepção” de que o maior custo do sistema era o transporte metropolitano. A pesquisa, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE/USP) revelou o contrário. O custo operacional do transporte coletivo municipal de Curitiba tem um peso maior no sistema.

Esse levantamento, em anexo, está disponível no site da COMEC para consulta pública.

Além disso, a COMEC, para fins de controle inclusive legais, exigiu o acesso às informações de bilhetagem do sistema de Curitiba, o que não foi disponibilizado. Já o sistema de transporte metropolitano, com a orientação técnica da COMEC, implantou um sistema que permite a auditagem instantânea, em tempo real, a qualquer momento. Ganho reconhecido pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas do Estado.

Ratinho Júnior quando for governador, vai tratar esse tema com a mesma seriedade que pautou as suas ações quando estava na SEDU.

Ratinho Júnior não foi o responsável pela desintegração do sistema, mas irá retomar a integração, a partir de decisões técnicas e sustentadas com base no equilíbrio financeiro e na justa prestação do serviço com a qualidade que a população exige e merece.