Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Ratinho Junior cobra conta pelo apoio a Bolsonaro

O governador Ratinho Junior começa a cobrar a conta pelo apoio ao presidente Jair Bolsonaro quando se recusou a assinar ..

Pedro Ribeiro - 15 de maio de 2020, 10:11

O governador Carlos Massa Ratinho Junior defendeu nesta quarta-feira (16) que o Brasil deve retomar o projeto do corredor bioceânico ligando o Porto de Paranaguá ao porto de Antofagasta, no Chile, com passagem por Paraguai e Argentina. O assunto foi tratado com o presidente Jair Bolsonaro durante recepção ao presidente argentino Maurício Macri, no Palácio do Planalto, em Brasília.  -  Brasília, 16/01/2019  -  Foto: Dvulgação ANPr
O governador Carlos Massa Ratinho Junior defendeu nesta quarta-feira (16) que o Brasil deve retomar o projeto do corredor bioceânico ligando o Porto de Paranaguá ao porto de Antofagasta, no Chile, com passagem por Paraguai e Argentina. O assunto foi tratado com o presidente Jair Bolsonaro durante recepção ao presidente argentino Maurício Macri, no Palácio do Planalto, em Brasília. - Brasília, 16/01/2019 - Foto: Dvulgação ANPr

O governador Ratinho Junior começa a cobrar a conta pelo apoio ao presidente Jair Bolsonaro quando se recusou a assinar o manifesto dos governadores. A época disse que sua preocupação era com a saúde dos paranaenses e que não iria se envolver em discussão política diante da pandemia do coronavírus.

Ratinho Junior foi bastante criticado, principalmente pelos seus colegas governadores, mas se manteve firme à sua posição de parceiro de primeira hora do Presidente da República.

Agora o governador paranaense vai a Brasília cobrar essa conta. Em reunião com Jair Bolsonaro e e com Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogerio Marinho, Ratinho Junior pedirá ao governo federal a liberação de aval para um empréstimo de R$ 1,6 bilhão.

Essa bilionária quantia seria destinada ao plano Renova Paraná que está sendo desenhado pelo governo paranaense para a retomada da economia e do emprego após a pandemia do coronavírus.

Os recursos serão investidos em obras de infraestrutura e injeção de novos recursos no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e Fomento Paraná.