Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Ratinho Junior descarta aposentadoria de governador, João Arruda investirá na polícia científica e cida em transporte coletivo

 Para Ratinho Junior, “o Paraná tem que fazer um encontro com a verdade”.  Ele entende que isto significa te..

Pedro Ribeiro - 25 de setembro de 2018, 16:34

 

Para Ratinho Junior, “o Paraná tem que fazer um encontro com a verdade”.  Ele entende que isto significa ter planejamento e uma gestão pública austera, eliminando os desperdícios e garantindo os investimentos em áreas prioritárias como saúde, educação, segurança e infraestrutura. O eleitor, cansado de tanto ouvir promessas de candidatos que, na maioria, não cumpre após ser eleito, espera que Ratinho Junior, caso seja eleito, realmente cumpra o que diz, uma vez que, como deputado estadual por duas gestões, sempre votou ao lado dos governos que, como podemos ver, nada cumpriram do que prometeram e ainda acabaram se envolvendo em escândalos de corrupção, no caso de Beto Richa e seu grupo político.

Em entrevista a uma rádio de Curitiba, Ratinho Júnior observou que o cidadão, que paga impostos não pode arcar com mordomias (referia-se aos gastos absurdos da máquina administrativa, a qual pretende enxugar). Mais uma vez lembrou das aposentadorias de ex-governadores, afirmando que “não é mais possível quem assume o governo por seis ou oito meses ir pra casa com um salário de R$ 35 mil pago pelos paranaenses”. Aí a batida serviu para Roberto Requião e o próprio Beto Richa, cujo pai foi governador e se aposentou com quatro anos de mandato.

Plano de João Arruda para a segurança pública

Aumentar o efetivo, fornecer equipamentos e criar mais unidades para descentralizar o atendimento estão entre as propostas de João Arruda (MDB) para a Polícia Científica do Paraná, em seu Plano de Governo. A criação de mais seções visa agilizar o trabalho dos peritos criminais e diminuir o tempo de espera para a elucidação dos crimes.  O plano específico para a categoria segue, em linhas gerais, a plataforma do candidato do MDB para toda a segurança pública do Paraná.

“É preciso resgatar as condições de trabalho dos agentes da Polícia Científica, que dependem de bom material e infraestrutura para essa tarefa fundamental que é a análise técnica para a solução dos crimes. Da mesma forma, o policiamento ostensivo e investigativo sobre com falta de material, como coletes à prova de bala, e viaturas sem manutenção. Queremos policiais e viaturas de novo nas ruas, recuperando o que foi desestruturado pela gestão de Beto Richa e seu secretário mais próximo, Ratinho Júnior”, afirmou Arruda.

A Polícia Científica do Paraná, que engloba o Instituto de Criminalística e o Instituto Médico Legal (IML), passou a ser um órgão independente depois de se desvincular da Polícia Civil, a partir de 2001. É uma unidade administrativa, técnica e financeira autônoma da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp). A Polícia Científica, através dos peritos criminais, é especializada em produzir a prova técnica, ou pericial, por meio da análise científica de vestígios deixados durante a prática de delitos.

O Instituto de Criminalística conta com 10 seções técnicas no Paraná: Curitiba, Londrina, Maringá, Cascavel, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Paranaguá, Umuarama e Francisco Beltrão. Muitas unidades da Polícia Científica, porém, têm sofrido com a falta de infraestrutura, herança da gestão Beto Richa e Ratinho Júnior. O IML de Ponta Grossa é um dos exemplos: está colocando cadáveres em contêineres no Hospital Regional porque o muro da

Cida quer melhorar transporte coletivo

A governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti, garantiu, nesta terça-feira (25) o fortalecimento das regiões metropolitanas do Paraná para melhorar o transporte público entre os municípios, a execução de obras e o atendimento de saúde. “Garantir a extensão dos serviços das cidades polos às regiões metropolitanas é essencial para o desenvolvimento de todos os municípios”, disse Cida durante caminhada em Apucarana.

A candidata ressaltou que é de sua autoria a lei que regulamentou as regiões metropolitanas e que possibilitou a criação das regiões de Maringá, Londrina e Apucarana por exemplo. “Sou municipalista e durante toda minha trajetória política defendi o crescimento das cidades. O Paraná e as Regiões metropolitanas podem contar comigo”, garantiu. Cida também fez caminhada pela manhã em Arapongas, concedeu entrevista em Londrina e visitou as obras do Hospital Universitário da UEL.