Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Reforma da Previdência mantém regras atuais a professores, trabalhadores rurais e idosos

Na Câmara dos Deputados, olhos e ouvidos estão voltados para a reforma da Previdência. Pelo que se observa, a maioria da..

Pedro Ribeiro - 24 de fevereiro de 2017, 11:31

Na Câmara dos Deputados, olhos e ouvidos estão voltados para a reforma da Previdência. Pelo que se observa, a maioria das emendas apresentadas por parlamentares buscam manter as regras atuais ou reduzir as exigências para professores, trabalhadores rurais, idosos e deficientes pobres, e mineradores.

Oma outra emenda, apresentada por 20 deputados de sete partidos faz uma mudança significativa nas regras propostas pelo governo em relação aos trabalhadores em geral.

Esta emenda reduz a idade mínima da proposta de 65 anos para ambos os sexos, para 60 anos para homens e 58 para mulheres. O aumento de 15 para 25 anos de contribuição seria válido apenas para quem começar a contribuir após a promulgação da emenda.

Texto do governo

O relator da reforma, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), comentou a proposta: "Eu fico feliz que a emenda já contempla a ideia de que tem que ter uma idade mínima. Isso já é um avanço. Agora, eu ainda tenho como referência a idade contemplada no texto do governo."

Cada emenda precisa de 171 assinaturas de apoiamento para ser formalizada. Mas a emenda sobre o regime geral, segundo o deputado Paulo Pereira da Silva, teria mais de 250 assinaturas.

Outras duas emendas buscam suprimir as mudanças nos benefícios assistenciais (BPC) para idosos e deficientes carentes.

A deputada Rosinha da Adefal (PTdoB-AL) é autora de uma delas e critica o aumento da idade de 65 para 70 anos, além da desvinculação do benefício do salário mínimo:

"Se o governo quiser fazer uma intervenção, ele faça em outro momento e por outro mecanismo. Mas não pela reforma previdenciária. Porque ele não é um benefício previdenciário, mas assistencial", ressalta a parlamentar.pedro.ribeiro