Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Romanelli, Arilson e Fruet querem um basta sobre o pedágio

Romanelli e Fruet criticam alta na tarifa antes mesmo da licitação e Arilson quer que rodovias voltem ao Paraná.

Pedro Ribeiro - 19 de maio de 2022, 08:33

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

Romanelli e Fruet criticam alta na tarifa antes mesmo da licitação e Arilson quer que rodovias voltem ao Paraná.

Deputado Luiz Clláudio Romanelli

Preocupados com o que pode acontecer com o pedágio no Paraná, deputados ligados à Frente Parlamentar sobre o Pedágio, vêm discutindo à exaustão esse tema que, nos parece, não tem preocupado o governador Ratinho Junior que, até o momento, não se pronunciou sobre o assunto.

Nesta quarta-feira, 18, o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD) voltou a criticar a postura do Governo Federal em relação ao novo pedágio e classificou de “matemágica” o aumento de quase 30% das tarifas de pedágio da nova concessão, antes mesmo do leilão.

O deputado se referia a uma nota técnica da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) encaminhada ao TCU (Tribunal de Contas da União) apontou a possibilidade do reajuste dos preços do pedágio elaborado pelo Governo Federal.

“É a ‘matemágica’ funcionando a favor das empreiteiras e das concessionárias de pedágio”, disse Romanelli durante a sessão desta quarta na Assembleia Legislativa do Paraná. Para o deputado, o reajuste é abusivo e está “muito acima de qualquer processo inflacionário”.

“O Governo do Estado tem os instrumentos legais e tem que começar rediscutir essa questão com o governo federal, sob o risco de nós termos um pedágio com preços abusivos”, disse. “Ou nós vamos ter uma mudança de rumo ou de fato, o paranaense será lesado por 30 anos com uma concessão de pedágio injusta no Estado”, acrescentou.

Deputado Arlson Chiorato

Já o deputado Arilson Chiorato (PT) protocolou, também nesta quarta-feira (18), um projeto de lei (PL) na Assembleia Legislativa do Paraná pedindo a revogação da cessão das rodovias paranaenses ao Governo Federal, responsável por implantar o novo pedágio no Paraná.

Segundo o deputado que preside a Frente Parlamentar, um dos principais motivos é a alta dos preços, que chega a 30%, antes mesmo do leilão, aliada à falta de transparência e acesso à informação, segundo o parlamentar. O valor do aumento consta em nota técnica divulgada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) no dia 12 de maio.

A cessão das rodovias paranaenses para integrar o novo projeto do pedágio aconteceu em agosto do ano passado com a aprovação da Lei n° 20.668, de 19 de agosto de 2021, que cedeu à União, por um prazo de até 30 anos, a administração das rodovias e a exploração de trechos ou obras rodoviárias estaduais.

“Não temos acesso às informações necessárias para acompanhar esse processo, que vai impactar a vida de todos que moram e trabalham no Paraná. A última novidade, que acompanhamos pela imprensa, é uma alta de 30% no valor da tarifa, o que vai deixar o pedágio mais caro de imediato”, alerta o deputado Arilson.

Deputado soldado FruetTambém na sessão plenária desta quarta-feira o deputado estadual Soldado Fruet (PROS) criticou a postura do governador Carlos Massa Ratinho Junior após a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) oficializar ao Tribunal de Contas da União (TCU) o reajuste de até 30% nos preços dos novos pedágios do Paraná antes mesmo do lançamento do edital.

(Com Agência Alep e Assessorias)