Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Romanelli critica acordos com o pedágio no Paraná

Romanelli credita a Deltan Dallagnol os acordos de leniência com as pedageiras que resultaram na recuperação de R$ 1 bilhão, mas muitas obras não foram realizadas;

Redação - 28 de maio de 2022, 18:53

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação



O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD) disse nesta quinta-feira, 26, que a pergunta sobre os acordos do Ministério Público Federal que atenderam as concessionárias do pedágio do Paraná deve ser feita ao ex-procurador Deltan Dallagnol. "Essa pergunta você deveria fazer ao ex-procurador da República, Deltan Dallagnol, pois ele que fez o acordo de leniência com as concessionárias. O Ministério Público Federal reduziu por um ano as tarifas, mas depois as tarifas voltaram ainda mais caras", respondeu Romanelli à jornalista Mareli Martins da Rádio Clube de Ponta Grossa.

"Deltan livrou a cara das pedageiras", segundo Romanelli, com os acordos de leniência. Os grupos e empresas que controlam as concessionárias, além da chancela do MPF para participar dos novos leilões do pedágio, não fizeram pelo menos 15 obras previstas nos contratos de concessão e um dos casos faturaram R$ 10 bilhões a mais em degraus tarifários por duplicação de rodovias que não foi feita.

Em entrevista à Rádio Clube em abril, Dallagnol disse que com o acordo de leniência foi recuperado mais de R$ 1 bilhão que resultaram em tarifas menores e obras. “O acordo recuperou mais de R$ 1 bilhão e não impedimos o governo do Estado de ir atrás dos outros valores".

"A verdade é que o sistema de justiça não é feito para condenar os poderosos. Com uma caneta, o ministro Gilmar Mendes derrubou a Operação Integração inteira, quando ele disse que  operação deveria ter tramitado na Justiça Eleitoral desde o inicio”, acusou Dallagnol.