Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Salário de R$ 264 mil do general incomoda Bolsonaro

Aos poucos o presidente Jair Bolsonaro vai descobrindo o que se passa em sua volta quando se trata de privilegiar militares, em especial generais do Exército, com cargos e salários fora da realidade brasileira.

Pedro Ribeiro - 26 de fevereiro de 2022, 09:51

Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

 

Aos poucos o presidente Jair Bolsonaro vai descobrindo o que se passa em sua volta quando se trata de privilegiar militares, em especial generais do Exército, com cargos e salários fora da realidade brasileira. 

Ao se manifestar, nesta sexta-feira, incômodo com a alta dos combustíveis e os impactos disso em sua popularidade, deu uma checada no holerite do presidente da Petrobras, General Joaquim Silva e Luna: R$ 264 mil por mês de salário.

Silva e Luna foi indicado por Bolsonaro para mudar a política de preços da estatal e reduzir os preços dos combustíveis. Nada fez para que isso acontecesse. Passou a ser criticado também por militares por receber salário milionário e não reduzir preço da gasolina e diesel.


Dados levantados pela Central Única dos Trabalhadores, entre janeiro a setembro de 2021, o preço da gasolina subiu nas refinarias 52% e para o consumidor, 39%. Já o diesel nas refinarias subiu 29% e nas bombas o reajuste chegou a 25%.

O general Luna ganha R$ 32,2 mil brutos como militar da reserva e na Petrobras sua remuneração média mensal é de até R$ 228,2 mil, levando em conta ganhos fixos e variáveis referentes ao ano de 2020.