Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Se tudo der certo, Renan será o próximo a visitar Curitiba

 Começa a fechar o cerco contra o “cangaceiro” do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB). O ministro Marco A..

Pedro Ribeiro - 05 de dezembro de 2016, 20:20

 

Começa a fechar o cerco contra o “cangaceiro” do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB). O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu ao pedido da Rede Sustentabilidade e concedeu uma medida liminar (provisória) afastando o senador da presidência do Senado. A decisão foi tomada no âmbito de uma ação ajuizada pela Rede que pede que réus não possam estar na linha sucessória da Presidência da República. “Defiro a liminar pleiteada. Faço-o para afastar não do exercício do mandato de Senador, outorgado pelo povo alagoano, mas do cargo de presidente do Senado o senador Renan Calheiros. Com a urgência que o caso requer, deem cumprimento, por mandado, sob as penas da Lei, a esta decisão. Publiquem.”, diz decisão do ministro divulgada no início desta noite no site do STF.

 

Renan virou réu quinta-feira passada (1), quando o STF decidiu, por 8 votos a 3, receber a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o senador pelo crime de peculato. A Rede alega que, com o recebimento da denúncia, “passou a existir impedimento incontornável para a permanência do referido Senador na Presidência do Senado Federal, de acordo com a orientação já externada pela maioria dos ministros do STF”.

O partido pedia urgência na avaliação da matéria porque, se não houvesse uma análise rápida, o Supremo poderia decidir sobre a questão depois do fim do mandato de Renan, que se encerra no dia 1º de fevereirpedro.ribeiro