Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Um ano político movimentado no Paraná

Cesar Silvestre Filho (PSDB) bagunçou o tabuleiro do xadrez da política paranaense ao sair do Podemos. Deixou Sergio Moro e Alvaro Dias na mão e não saiu do lugar como candidato tucano ao Governo do Estado.

Pedro Ribeiro - 28 de fevereiro de 2022, 19:03

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

Cesar Silvestre Filho (PSDB) bagunçou o tabuleiro do xadrez da política paranaense ao sair do Podemos. Deixou Sergio Moro e Alvaro Dias na mão e não saiu do lugar como candidato tucano ao Governo do Estado. 

Esta sacudida serviu para colocar na área o esperto Ricardo Barros (PP) que se aproveitou da fragilidade do Podemos, das bravatas de Requião, do próprio Silvestre Filho e foi desenhando o futuro do Paraná para os próximos oito anos.

Barros anunciou apoio a Ratinho Junior (PSD) e, com isso, obterá apoio à futuras negociações no Palácio Iguaçu e seu entorno. Um de seus maiores trunfos é o deputado Guto Silva que provavelmente passará para o PP e embaralhará ainda mais as cartas.

Mesmo Ratinho Junior pedindo para que Guto Silva não deixe o partido, parece que a decisão já foi tomada e isso deverá se concretizar a partir do dia três de março quando se início a janela partidária, ou seja, políticos ainda podem trocar de partido antes do pleito de outubro.

Também a partir de março, o governador Ratinho colocará seu bloco de apoio para a campanha à reeleição com o apoio do presidente Jair Bolsonaro. 

Teremos um ano político bastante movimentado no Paraná.