Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Vem aí mais uma CPI que pode se transformar no “Petrolão 2”

Vem aí mais uma CPI. Presidente Jair Bolsonaro articula, com líderes do Congresso Nacional, uma investigação na Petrobras.

Pedro Ribeiro - 21 de junho de 2022, 11:26

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

O presidente Jair Bolsonaro luta, desesperadamente, com os inimigos que ele mesmo criou. Agora, caindo a ficha, próximo das eleições, amplia seus ataques que não atingem ninguém, a não ser ele mesmo, que tem alta rejeição perante a opinião pública em relação à sua gestão frente à Presidência da República.

Depois de trocar quatro presidentes da Petrobras, achando que conseguiria dominar o corporativismo, resolve dar um tiro no pé – mais um – e sugerir ao Congresso Nacional, onde ainda tem fortes aliados, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar sua própria empresa, a Petrobras.

Já imaginaram, perto das eleições, descobrirem falcatruas dentro da Petrobras, a exemplo do Petrolão de Luiz Inácio Lula da Silva? De quem seria a culpa, se não do próprio Bolsonaro, pois quem comanda a Nação, hoje, infelizmente, é ele.

Esta CPI, que também pode dar em nada a exemplo da CPI da Covid, tem cheiro de mais uma provocação, ou seja, de colocar a responsabilidade pela sua incapacidade de gerir o Estado, no colo de alguém.

Todos sabem que grande parte desta rejeição de Bolsonaro perante a opinião pública – as pesquisas mostram isso – são derivados de medidas errôneas, principalmente na área da economia. Basta ver o quadro inflacionário.

Além da guerra contra a Petrobras, Bolsonaro também tentará inflar os bolsonaristas a alimentar o ódio contra o Supremo Tribunal Federal e as urnas eletrônicas.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, será o capitão da ofensiva para que a CPI da Petrobras aconteça a toque de caixa. Deverá levar com ele o agente duplo Rodrigo Pacheco, presidente do Senado. Até mesmo os partidos de oposição, como o PT, querem esta investigação para mostrar que não era apenas Lula o mal intencionado em relação à petroleira.

"Os partidos estão cada um com seu convencimento. Os líderes vão conversar com seus deputados para dar respaldo ou não a esse pedido", disse Lira, em pronunciamento após uma reunião com líderes partidários da base governista e alguns da oposição sobre o aumento nos preços dos combustíveis e a Petrobras. 

“Estou acertando uma CPI na Petrobras. 'Ah, você que indicou o presidente'. Sim, mas quero CPI, por que não? Investiga o cara, pô. Se der em nada, tudo bem. Mas os preços da Petrobras são um abuso", declarou o presidente na chegada ao Palácio da Alvorada. As declarações foram feitas no final da tarde, e divulgadas por um canal bolsonarista no YouTube à noite.

Bolsonaro também voltou a atacar a Petrobras e disse que a gasolina no Brasil poderia estar “bem abaixo de R$ 8” não fosse “a maldade” da estatal.

O presidente também destacou o apoio enorme, nas suas palavras, que tem de Lira e do Centrão para apoiar seus projetos e citou uma interlocução do governo com os caminhoneiros via Ministério da Infraestrutura. “Pelo que estou vendo querem se reunir na próxima segunda-feira dando prazo para a Petrobras se definir”, afirmou Bolsonaro sobre o grupo.

Tem razão o pré-candidato do PDT ao Palácio do Planalto, Ciro Gomes, quando diz que falta coragem a Bolsonaro. É só destituir o Conselho Administrativo e a direção da Petrobras para resolver o problema.