Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Vereador Eder volta, Francischini volta e só falta perdoar Renato Freitas

Delegado Francischini retorna à Assembleia Legislativa após determinação do ministro Nunes Marques, do STF.

Pedro Ribeiro - 02 de junho de 2022, 18:36

Foto/Divulgação
Foto/Divulgação

 

O ex-deputado Delegado Francischini vai reassumir sua cadeira na Assembleia Legislativa. Ele foi cassado por causa de um processo por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação. O ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubou, nesta quinta-feira (2), decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e lhe devolveu o mandato.

Quando perdeu o mandato Francischini, que foi um dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro no Paraná, teve a solidariedade do presidente que escreveu: “a cassação de Francischini foi um estupro”.

Nunes Marques, ministro indicado por Bolsonaro, determina, em seu despacho, “a restauração da validade dos mandatos requerentes e das prerrogativas da sua bancada”. A decisão beneficia também os ex-deputados Do Carmo, Cassiano Caron e Emerson Bacil, todos do União Brasil, que também haviam sido cassados.

Na Câmara de Vereadores de Curitiba, depois de cassado, o vereador Eder Borges voltou. Agora Francischini também volta. Só falta perdoar o vereador Renato Freitas.