Fluminense sai perdendo de 3 e consegue virada incrível sobre o Grêmio no Sul

Com 20 minutos, o placar do encontro entre Grêmio e Fluminense, na Arena, era 3 a 0 para o time da casa. O cenário era de vitória encaminhada. Mas foi exatamente o contrário que aconteceu. Na noite de deste domingo (5), o Flu mostrou um poder de reação impressionante para descontar, empatar e virar o jogo, que terminou 5 a 4, pela terceira rodada do Brasileirão.

Pedro, Matheus Ferraz, Luciano e González duas vezes marcaram para o time visitante, que somou os primeiros três pontos campeonato e pulou para 13º na classificação. Jean Pyerre, Everton, Kannemann e André fizeram para a equipe de Renato Gaúcho, que segue sem vencer e está em 18º com um ponto.

Na quarta-feira, o Grêmio decide vaga nas oitavas de final da Libertadores contra o Universidad Católica, em casa. Basta um empate para avançar. Pelo Brasileiro, a equipe gaúcha jogará no sábado contra o Corinthians. Já o Fluminense só volta a campo no sábado, para encarar o Botafogo.

JOGO
Bastaram 20 minutos para o Grêmio abrir uma larga vantagem. Foram três gols, sendo o último ao fim de uma linda troca de passes. E a superioridade avassaladora se deu pelo choque de posturas que deu ao time gaúcho exatamente o que ele mais quer num jogo. Um adversário com as linhas adiantadas e que tenta sair jogando curto. A equipe de Renato Gaúcho lembrou seus melhores momentos com o eficiente sistema de pressão e nos pés de Jean Pyerre e Maicon encontrou espaços generosos nas costas da defesa adversária. Só que parou, logo em seguida, de jogar. Depois de estar perdendo, conseguiu empatar graças a um gol de Kannemann, mas sofreu outro gol nos acréscimos.

Depois de abrir três de diferença, o Grêmio teve um “apagão”. Diminuiu o ritmo, tentou trocar passes e perdeu muitas jogadas. Sofreu um gol já perto do fim da etapa inicial e em seguida o goleiro Julio César foi protagonista de um lance bizarro em que uma falha acabou no segundo. Os lances animaram o Fluminense, que até ensaiou uma pressão antes da conclusão da primeira etapa e veio com tudo no segundo tempo. Após empilhar chances na etapa final, o Flu conseguiu empate no início, com Matheus Ferraz e passou a tentar a virada, que a esta altura já não parecia impossível. E conseguiu. Aos 26 com pênalti convertido por Pedro. Só que pouco antes do fim do jogo, o empate aconteceu. Mas já nos descontos, Yony González definiu a vitória.

Pato sai machucado e São Paulo empata com reservas do Flamengo

Em partida muito movimentada, o São Paulo ficou no empate com o time reserva do Flamengo por 1 a 1, neste domingo (5).

A tônica do jogo foi de São Paulo no ataque e Flamengo apostando em contra-ataques, com exceção dos momentos em que Diego conseguia controlar a partida no meio de campo. Foi assim que nasceu o lance do primeiro gol flamenguista, logo no início da partida, quando o camisa 10 acionou Berrío, que em boa jogada com Hugo Moura, abriu o placar.

Na primeira etapa, o São Paulo perdeu Alexandre Pato, que sofreu falta forte de Thuler. No lance, o zagueiro acertou a nuca do atacante, que tentou ficar em campo, mas não teve condições de jogar, saiu de maca e, no intervalo, foi para o hospital para fazer exames.

Também na etapa inicial, Cuca também colocou Hernanes em campo. O time da casa ficou bastante ofensivo, mas sentindo falta de um atacante de referência, apostou bastante nos chutes de fora da área, obrigando César a fazer diversas defesas.

Só aos 38, após diversas tentativas, conseguiu empatar a partida com Tchê Tchê, que aproveitou o rebote em grande defesa do goleiro flamenguista após cabeçada de Hernanes.

Com o resultado, o São Paulo não alcança a almejada terceira vitória seguida no torneio e deixa escapar a liderança. Na quarta rodada, o time de Cuca viaja para enfrentar o Fortaleza, domingo (12), às 19h.
Já o Flamengo se recuperou da derrota para o Internacional, poupou titulares para a aprtida do meio de semana contra o Peñarol, pela Libertadores, e pelo Brasileiro voltará a campo às 11h de domingo, no Maracanã, onde enfrenta a Chapecoense.

Santos domina, mas não consegue marcar e empata com o CSA

No estádio Rei Pelé, o CSA conseguiu segurar o empate em 0 a 0 contra o Santos pelo Campeonato Brasileiro, neste domingo (5).

A equipe de Jorge Sampaoli entrou em campo para buscar a terceira vitória seguida no torneio, mas parou na boa marcação montada por Marcelo Cabo.

Com os santistas dominando a bola e as ações de jogo, coube aos alagoanos apostar nos contra-ataques. E foi assim durante toda a partida, com grandes chances dos dois lados.

A melhor para o Santos veio com Jorge, que chegou a acertar a trave, ainda no primeiro tempo, após rebote do goleiro Jordi.

Já no segundo tempo, o Victor Paraíba chegou a driblar o goleiro Vanderlei, mas chutou para fora, para tristeza da torcida da casa.

Com o resultado o CSA chega a dois pontos e apenas uma derrota no Brasileiro. O próximo compromisso da equipe alagoana é contra o Avaí, às 19h do domingo (12), fora de casa.

No mesmo dia, mas às 16h, o Santos (agora com sete pontos) volta a campo no Pacaembu, em São Paulo, para receber o Vasco, time que ainda não venceu no Nacional.

Cruzeiro joga para o gasto, mas vence o Goiás e chega aos seis pontos

Depois de vencer o Ceará no meio de semana, o Cruzeiro conseguiu fazer seu dever de casa mais uma vez e triunfou por 2 a 1 contra o Goiás, na tarde deste domingo (5), no Mineirão. O time celeste não fez uma partida para encher os olhos e ainda esbarrou na competência do sistema defensivo esmeraldino, mas conseguiu construir a vitória no segundo tempo.

Todos os gols saíram na etapa final. Dedé abriu o placar para os mineiros, mas Michael empatou minutos mais tarde. Insatisfeito com o resultado, o Cruzeiro continuou em cima e foi coroado com o gol de Rodriguinho a menos de dez minutos para o fim. Com o resultado, a equipe celeste foi aos seis pontos e dá um salto na tabela do Brasileirão. Já o time esmeraldino termina sua segunda partida sem pontuar, e permanece com três.

Apesar de movimentado, com alguns lances e boas trocas de passes, a primeira etapa não empolgou. Mesmo com algumas peças novas, o Cruzeiro mostrou entrosamento, explorando muito os lados, mas criando bem menos do que pode, e entrando pouco na área. A bicicleta de Fred na entrada da área foi o que aconteceu de mais bonito. Parte dessa ineficiência aconteceu porque o Goiás teve méritos ao defender.

Os visitantes não deixaram de agredir, mas também não conseguiram encaixar um contra-ataque suficientemente capaz de ser letal à meta de Fábio. No melhor deles, o chute de Michael levou muito perigo, mas o atacante já estava em posição de impedimento.

Aconteceu contra o Ceará e se repetiu hoje, diante do Goiás. Depois de uma primeira etapa sem emoções, o Cruzeiro voltou com uma pegada diferente e novamente abriu o placar antes dos primeiros cinco minutos. Aos três, Pedro Rocha encontrou Dedé, que subiu mais alto que a zaga e foi fatal na cabeçada.

Vaiado em alguns momentos devido ao passado no rival Atlético-MG, o meia Giovanni Augusto foi o responsável pela criação do Goiás. E foi dele a jogada que originou o gol do time goiano. O meia passou por três jogadores e cruzou na área. Fábio fez ótima defesa na batida de Leandro Barcia, mas Michael não desistiu da jogada e conseguiu mandar para as redes no rebote. Tudo igual no Mineirão.

Dessa vez, Rodriguinho permaneceu centralizado, enquanto Thiago caiu pelo lado direito, auxiliando mais na marcação. Mas foi da esquerda que Egídio achou um bom cruzamento para Rodriguinho testar com veneno e superar Tadeu, marcando o gol da vitória celeste. 2 a 1 placar final.

Com final agitado, Athletico empata com a Chapecoense fora de casa

O Athletico empatou com a Chapecoense, em 1 a 1, na manhã deste domingo (5), na Arena Condá, em Chapecó. O duelo foi válido pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Furacão soma quatro pontos na quinta posição, com uma vitória, uma derrota e um empate nesse início de competição.

Na próxima rodada, o rubro-negro encara o Bahia, no domingo (12), às 19h (de Brasília), na Arena da Baixada.

O JOGO

O Athletico iniciou a partida estudando o inimigo, apostando em uma postura mais defensiva e avançando aos poucos. Com mais posse de bola, o rubro-negro foi cauteloso durante boa parte da etapa inicial.

Aos 25, Marcelo Cirino recebeu a bola na direita, pedalou na frente de Douglas e arriscou, mas a bola parou na defesa catarinense.

Mais solto, aos 33, o Furacão assustou novamente com Léo Pereira. O jogador arriscou uma bomba de longa distância.

Na volta do intervalo, o rubro-negro cresceu um pouco mais no duelo. Tentou com Braian Romero e com Marcelo Cirino, mas nenhum dos dois acertou o alvo.

Até que aos 30 saiu o gol. Rony dançou pela marcação e bateu forte da entrada da área. A bola fes um desvio e encobriu o goleiro Tiepo.

Depois disso, a partida ficou eletrizante. A Chape partiu para cima e deixou tudo igual aos 43. Diego Torres tentou de fora da área e Santos deu o rebote. Everaldo aproveitou e finalizou para o fundo das redes.

Aos 39, o Furacão ainda teve uma nova chance com Rony. Mas Tiepo foi melhor na jogada e não deixou passar.

Atlético-MG vence Ceará nos acréscimos, passa o Palmeiras e dorme líder

O Atlético-MG foi ao Castelão enfrentar o Ceará, neste sábado (4), e conseguiu mais uma excelente vitória no Brasileirão, por 2 a 1, permanecendo com os 100% de aproveitamento e indo aos nove pontos no Brasileirão. O time mineiro saiu atrás, mas virou o jogo já nos acréscimos da partida.
Ricardo Bueno abriu o placar par ao Vozão, mas Nathan empatou praticamente no lance seguinte.

No final do segundo tempo, Jair colocou o Galo na frente. Com o resultado, o Ceará fica com três pontos, enquanto o Galo soma nove, passa o Palmeiras e dorme na ponta da tabela.

O Ceará começou o jogo com mais vontade, ameaçando no cruzamento de Ricardo Bueno, que ninguém apareceu para completar. O Galo respondeu no contra-ataque rápido que Chará chutou forte e rasteiro, mas viu Diogo Silva encaixar bem sem dar rebote. Quando os visitantes passavam a liderar as ações, o Vozão achou seu gol com dois ex-atleticanos. Na jogada mais característica da equipe, Samuel Xavier cruzou para Ricardo Bueno, que subiu sozinho e contou com a falha de Réver para enganar Victor e abrir o marcador.

Com dois bonitos gols na partida passada contra o Vasco, o Atlético ganhou mais confiança, e seus jogadores buscaram muitas finalizações de fora e entrada da área. Era só a defesa abrir os espaços que Elias, Ricardo Oliveira e Geuvânio arriscavam à meta do Vozão. Assim que levou seu gol, o time mineiro respondeu rápido com Guga, que encontrou Nathan dentro da área. Com muita liberdade, o meia não teve outra alternativa a não ser soltar a bomba, que ainda tocou o travessão antes de tocar as redes.

Assim como no primeiro tempo, o Ceará recomeçou o jogo com mais apetite, roubando bolas com facilidade enquanto o Atlético cochilava. Novamente de cabeça, Ricardo Bueno chegou a marcar outro gol, mas nem precisou de VAR para ser anulado por impedimento. Aos poucos, o Galo melhorou, e Ricardo Oliveira também balançou as redes pelo alto, mas o tento não foi validado pelo mesmo motivo. Nos acréscimos, Jair subiu no capricho e fez o gol da vitória. 2 a 1 placar final.

Palmeiras bate Inter com gol de Deyverson e iguala marca de invencibilidade

O Palmeiras venceu o Internacional por 1 a 0 neste sábado (4), no Allianz Parque, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Deyverson, aproveitando cobrança de escanteio de Dudu, fez o gol do triunfo, que fez a equipe de Felipão igualar seu recorde histórico de invencibilidade na competição.

Agora, o Palmeiras está há 26 jogos sem perder no Brasileirão, contando, obviamente, a campanha do título do ano passado. A marca é a mesma que foi alcançada entre 1972 e 1973, quando o clube foi bicampeão brasileiro.

O jogo foi fraco tecnicamente, com muita disputa, marcação e até um princípio de confusão no primeiro tempo. O Palmeiras teve a volta dos titulares, fez o gol cedo na bola parada e depois deixou o Internacional com a bola, mas o time gaúcho mostrou muita dificuldade de criar.

O resultado levou o Palmeiras aos sete pontos no Brasileirão, enquanto o Inter estacionou nos três pontos. O Palmeiras volta a campo na quarta-feira (8), novamente no Allianz, para enfrentar o San Lorenzo na Libertadores. Já o Colorado entra em campo um dia antes, na terça (7), para visitar o River Plate em Buenos Aires, também pela competição nacional.

Empurrado pela torcida, o Palmeiras começou a partida tentando imprimir seu ritmo e partindo para cima do Inter. Não conseguiu criar chances claras com bola rolando, mas foi assustando na bola parada. Aos 4 minutos, Deyverson desviou com perigo após cobrança de escanteio e a zaga colorada afastou; no minuto seguinte, foi Dudu quem subiu sozinho e cabeceou para fora após batida de lateral de Marcos Rocha. A zaga do Inter só olhou.

De tanto insistir, o gol do Palmeiras saiu em uma jogada de bola parada. Aos 13 minutos, Dudu bateu escanteio da direita e Deyverson subiu com muito espaço na primeira trave para desviar de cabeça e vencer Marcelo Lomba. Mais uma vez, a defesa do Internacional “marcou com os olhos”.

Depois do 1 a 0, o Palmeiras recuou imediatamente e passou a esperar o Inter, tentando explorar os contra-ataques.

Pouco depois do gol do Palmeiras, Guerrero começou uma confusão ao empurrar Dudu depois de uma disputa de bola. Um bolo de jogadores das duas equipes se formou, e Felipe Melo foi um dos mais exaltados, partindo para cima do peruano. Depois de separado o empurra-empurra, sobrou um cartão amarelo para Guerrero e outro para o volante do Palmeiras.

O Internacional construiu pouco no primeiro tempo quando precisou ficar com a bola, mas Nico López assustou Weverton com alguns chutes perigosos. Na melhor oportunidade, aos 30 minutos, Iago cruzou mal da esquerda, mas o uruguaio consertou o lance no domínio e bateu girando. O goleiro palmeirense se esticou todo para fazer uma boa defesa.

O panorama do jogo não se alterou no segundo tempo: Palmeiras esperando, Inter tendo dificuldades para criar com a bola.

Em partida em Manaus, Corinthians e Vasco ficam no empate em 1 a 1

Na Arena Amazônia, em Manaus, neste sábado (4), Vasco e Corinthians terminaram a partida empatados em 1 a 1. Os dois gols foram feitos no primeiro tempo.

O Corinthians saiu em vantagem, com jogada individual de Mateus Vital que resultou em gol aos 16 minutos.

Perto do final da primeira etapa, Carlos Augusto e Rossi disputaram uma bola na área e caíram no gramado. O árbitro iria dar escanteio, mas decidiu consultar o VAR, que optou pelo pênalti a favor do Vasco. Maxi López converteu a cobrança.

Foi o primeiro ponto conquistado pelo Vasco, que era lanterna do campeonato e somava duas derrotas nos dois jogos que havia disputado até então.

Já o Corinthians começou a rodada na 10º colocação, com três pontos, e agora chega a quatro.
Na quarta rodada do Brasileiro, o Corinthians recebe o Grêmio, no próximo sábado (11), no Itaquerão, às 19h. O Vasco busca mais pontos no campeonato contra Santos, na domingo, às 16h, no Pacaembu, em São Paulo.