Copa América evidências

Sob olhos de Bolsonaro, festa de abertura da Copa América é simples e agradável

Pode se dizer que a festa de abertura da Copa América foi um sucesso. Sob os olhos do presidente Jair Bolsonaro, que marcou presença no Morumbi, a performance foi protocolar: sem muita enrolação e eficiente.

Crianças vestiram a camisa de cada um dos países participantes e estenderam bandeiras das nações. A narração contou a história dos países da América Latina.

Bolsonaro acompanha a abertura da Copa América. Foto: Marcos Corrêa/PR

Depois, o cantor baiano Léo Santana e a colombiana Karol G interpretaram a música oficial do torneio, intitulada “Vibra Continente”. A obra é mais uma que não cria competição para Waka Waka, consagrada por Shakira no Mundial de 2010, mas também não é de todo o ruim.

Na performance dos artistas, quem ganhou destaque foi o Zizito. A simpática capivara teve bastante espaço no palco e cumpriu seu papel.

No final, o show pirotécnico acabou não sendo tão impressionante assim, mas criou um ambiente de espetáculo ao estádio. A torcida acabou interagindo poucas vezes, mas pareceu ter aprovado o espetáculo.

Copa América

Abertura da Copa América terá Bolsonaro e Léo Santana, mas sem cerveja

A Copa América começa nesta sexta-feira (14) com o duelo entre Brasil e Bolívia. O evento de abertura está marcado para às 21h10 e existe a expectativa pela presença do presidente Jair Bolsonaro e pela apresentação musical de Léo Santana e Karol G, mas os torcedores não poderão consumir cerveja no Morumbi.

Pelo menos por enquanto, os jogos que forem realizados na capital paulista não terão venda de cerveja. A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou o Projeto de Lei 1.363/2015 nesta quinta-feira (13). A medida libera a venda de cerveja, mas só entra em vigor quando for sancionada pelo governador João Dória.

Porto Alegre, com a mesma regra, também não terá o comércio da bebida alcoólica. Ou seja, os torcedores poderão tomar cerveja apenas nas partidas que forem realizadas em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Salvador.

FÃ DE FUTEBOL

Depois de ter ido ao amistoso da seleção contra o Catar e ao jogo do Flamengo pelo Brasileirão ao lado do ministro da Justiça, Sergio Moro, Bolsonaro pretende marcar presença na abertura da Copa América. Além dele, não há confirmações de outros chefes de estado.

APRESENTAÇÃO

A performance cultural terá 10 minutos de duração, com participação 400 pessoas efeitos de LED para contar a história dos países da América Latina. O destaque será a presença do cantor Léo Santana ao lado da cantora colombiana Karol G, interpretes da canção oficial do torneio chamada “Vibra Continente”.

Segundo informação da Agência Brasil, mais de 67 mil ingressos já foram vendidos. A expectativa é que a procura por ingressos aumente a partir da estreia da competição.

Veja o clipe da música “Vibra Continente”:

CICLO FECHADO

A Copa América encerra uma época de grandes eventos esportivos no Brasil. Só no futebol, o país recebeu a Copa das Confederações em 2013 e a Copa do Mundo em 2014. Além disso, também foram realizados os Jogos Olímpicos e Paralímpicos em 2016.

Rússia atropela Arábia Saudita em goleada na abertura da Copa

Aberturas de Copa do Mundo costumam reservar surpresas para os favoritos. A Argentina derrotada por Camarões em 1990 foi um exemplo. Houve também a campeã França, batida por Senegal em 2002. O Brasil contou com a ajuda da arbitragem para virar a partida diante da Croácia em 2014. A Rússia não teve o mesmo problema em 2018.

Apenas para ficar em alguns casos.

Em casa, no estádio Lujniki, em Moscou, a equipe da casa goleou por 5 a 0 nesta quinta (14) diante dos olhos do presidente Vladimir Putin. Mais do que isso, controlou a partida contra a Arábia Saudita e teve como único contratempo a lesão ainda no primeiro tempo de seu astro, o atacante Dzagoev. Seu substituto, Tcherisev, brilhou e anotou dois gol que já são candidatos a serem os mais bonitos do Mundial.

Os russos tiveram a presença do zagueiro e lateral brasileiro Mario Fernandes. Ele participou pouco do jogo, até porque o adversário não atacou.

Apesar da fragilidade do adversário, a Rússia começou a partida de forma cautelosa. Sem a bola, toda a equipe recuava, menos o atacante Smolov. Era um receio infundado. Quando começou a trocar passes curtos e explorar as laterais do campo, a seleção deu motivos para seus torcedores festejarem. Os zagueiros árabes mal saíam do chão para tentar cortar os cruzamentos.

Por isso que Gazinski, com apenas seis jogos pela Rússia, todos em amistosos, fez o gol mais importante do país na competição desde que a geração de 1986, quando o elenco liderado pelo goleiro Dasaiev e pelo atacante Blokhin levaram a então União Soviética às oitavas de final na Copa do México. Convocado para o lugar do ex-capitão Glushakov, ele abriu o placar de cabeça aos 11 minutos.

Dirigida chileno Juan Antonio Pizzi, a Arábia Saudita teve uma chance para marcar, o que já foi uma façanha para equipe que não tem meio-campo, não consegue armar jogadas e não possui sequer um atacante de referência para incomodar os zagueiros rivais.

Os desafios reais da Rússia estarão nas duas rodadas seguintes. Se puder escalar o ainda lesionado atacante Salah, o Egito será a ameaça. O Uruguai, rival na última partida da fase de grupos, tem conjunto, entrosamento e os gols de Luis Suárez.

Mas havia o temor pelo que poderia acontecer na estreia. Entre as 32 seleções do torneio, a Rússia é a de pior posição no ranking da Fifa (70o). A Arábia Saudita é a 67a. A estreia na Copa do Mundo foi a primeira vitória da seleção em 2018.

A facilidade com que o resultado aconteceu tornou o ambiente morno, a não ser por breves coros de “Rússia!” de parte do público. Alguns mexicanos até ensaiaram o canto da tradicional canção “Cielito lindo” (ceuzinho lindo, em espanhol). Os russos ao redor olharam, com expressão de estranhamento, sem entender o que era aquilo.

O clima era de relaxamento porque quando o intervalo chegou, estava claro pelo placar de 2 a 0 que confronto estava decidido. A cabeçada certeira do atacante Dzyuba, que entrou no segundo tempo, que representou o terceiro gol dos donos da casa foi apenas a confirmação do que ficou claro desde o primeiro minuto do jogo de abertura da Copa.

A Rússia pode brigar para se classificar. A Arábia Saudita não tem a menor ideia de como se defender, ainda mais bolas aéreas. Só faltava o goleiro Almuaiouf falhar. Isso aconteceu no quinto gol, em cobrança de falta de Golovin nos acréscimos.

Copa começa com pontapé simbólico de Ronaldo e Putin aplaudido

A 21ª Copa do Mundo da história começou com um brasileiro dando o pontapé inicial simbólico no estádio Lujniki, em Moscou, na Rússia, nesta quinta-feira (14).
Ronaldo, campeão em 1994 e 2002, foi o escolhido pela Fifa para abrir oficialmente o torneio ao lado da mascote Zabivaka e de um garoto russo. A bola chutada por eles é a mesma que viajou ao espaço em março e voltou à terra em junho.

Outro campeão mundial que participou da cerimônia foi o espanhol Iker Casillas. O goleiro do Porto (POR), vencedor da Copa de 2010 na África do Sul, levou a taça para o gramado.
Com duração de apenas 15 minutos e participação de cerca de 800 pessoas, a festa foi produzida pelo Pervi Canal (Canal 1) da Rússia e teve astros locais como as modelos Natalia Vodianova, Victoria Lopriova e a soprano Aida Garifullina.

Aida foi responsável pela parte musical ao lado do cantor britânico Robbie Williams, que cantou quatro canções: “Let Me Entretain You”, “Feel”, “Angels” e “Rock DJ”.
O público, que lotou o Lujniki, também pôde interagir com o que acontecia no gramado, agitando estrelas douradas distribuídas pela organização.
A festa teve um caráter mais internacional, sem explorar tanto símbolos da cultura russa. A menção ao país-sede foi no vídeo de abertura com a exibição de cartões postais das 11 cidades que receberão jogos.

Perto do fim da cerimônia com as seleções de Rússia e Arábia Saudita já perfiladas em campo, o presidente da Fifa, Gianni Infanitno, e o da Rússia, Vladimir Putin, fizeram seus discursos.
“Os russos amam futebol e desde que fomos escolhidos como sede, trabalhamos duro para realizar este evento”, disse Putin, que foi ovacionado pelo público.
Há quatro anos, no Brasil, a presidente Dilma Rousseff, que viria a sofrer impeachment em 2016, não falou na abertura. Em 2013, ela havia sido vaiada na cerimônia inaugural da Copa das Confederações.

Joseph Blatter, então presidente da Fifa, também foi muito vaiado na ocasião. Desta vez, Infantino foi muito aplaudido.
Uma ausência na cerimônia foi Pelé. Com dores por causa das duas cirurgias no quadril, o ex-jogador optou por não viajar à Rússia. Ainda não está confirmado se ele virá para a sequência da competição.

Por outro lado, o argentino Diego Maradona esteve no estádio Lujniki, assim como outros diversos ex-jogadores e treinadores considerados lendas, como José Mourinho e Luiz Felipe Scolari.

Shows musicais e Ronaldo abrem a Copa do Mundo de 2018

A cerimônia abertura da Copa do Mundo de 2018 terá mudanças em relação às edições passadas do torneio. Ela acontece nesta quinta-feira (14), às 11h30 (horário de Brasília), apenas meia hora antes da partida inaugural, no Estádio Lujniki, em Moscou.

Nos Mundiais passados, era comum se dar um bom destaque às apresentações artísticas. Mas, dessa vez, a Fifa optou por encurtar a cerimônia e priorizar os shows musicais sob a apresentação de Ronaldo, bicampeão mundial com a seleção brasileira.

“A partida de abertura sempre é muito simbólica. É quando você percebe o grande momento pelo qual, jogador ou torcedor, espera há quatro anos e que finalmente chegou”, comentou Ronaldo.
Antes do jogo de abertura, entre a anfitriã Rússia e a Arábia Saudita, o goleiro Casillas, campeão mundial com a seleção da Espanha em 2010, levará o troféu da Copa ao campo ao lado da modelo russa Natalia Vodianova.

A principal atração musical será Robbie Williams. O inglês, que é ex-vocalista da banda “Take That”, vai se apresentar com aproximadamente 500 dançarinos. “Estou muito feliz e empolgado por voltar à Rússia para uma apresentação histórica. Eu já fiz muita coisa na minha carreira, e participar da abertura de uma Copa do Mundo para 80 mil fãs de futebol e milhões em todo o mundo era um sonho de infância”, comentou.

Outra artista confirmada na cerimônia é a soprano russa Aida Garifullina. Pelé também participaria da festa, mas teve de desistir da viagem por causa de problemas de saúde.

Logo após a cerimônia, terá início a partida entre Rússia e Arábia Saudita, às 12h, pelo Grupo A do torneio. O outro jogo dessa chave será disputado na sexta-feira (15), entre Uruguai e Egito.
Ao todo, a Copa do Mundo terá 64 partidas, sendo 32 válidas pela primeira fase. A final acontecerá no dia 15 de julho no estádio Lujniki, o mesmo em que será disputado o jogo inaugural.