brasil alemanha 7 a 1 copa do mundo

Cinco anos depois, Brasil dá ‘troco’ e goleia a Alemanha por 7 a 1

O Brasil meteu 7 a 1 na Alemanha em uma Copa do Mundo de Futebol de 7, competição organizada pela Federação Internacional de Futebol para Pessoas com Paralisia Cerebral. A única diferença é que a modalidade é paralímpica, ou seja, para jogadores com paralisia cerebral e distúrbios neurológicos.

O resultado pode ser visto como um troco ao 7 a 1 de 2014, que completou 5 anos na última segunda-feira (8). A tragédia naquela semifinal de Copa do Mundo foi o pior resultado da história da seleção brasileira.

O jogo, realizado em Sevilha, na Espanha, aconteceu nesta quarta-feira (10). Cesar Augusto foi o principal destaque brasileiro, anotando quatro gols só no primeiro tempo. Na etapa final, Jan da Costa, Hebert Tenorio e João Batista completaram os gols brasileiros, enquanto Pascal Odrich descontou pelos alemães.

SITUAÇÃO DO GRUPO

A amarelinha é líder do Grupo A com seis pontos e segue 100% no torneio. Na estreia, os brasileiros golearam o Japão por 5 a 0.

Com o resultado sobre os alemães, a seleção canarinho também garantiu vaga nas quartas de final do Mundial.

A última rodada acontece nesta sexta-feira (12), quando o Brasil encara a Inglaterra. Os ingleses também somam seis pontos, mas tem um saldo de gols menor (9 contra 11 do Brasil). Ou seja, o empate garante a seleção brasileira na primeira posição da chave.

Bolsonaro

Bolsonaro diz que Macron e Merkel não têm autoridade para discutir questão ambiental

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (4) que nem o presidente francês, Emmanuel Macron, nem a chanceler alemã, Angela Merkel, têm autoridade para discutir políticas de meio ambiente para o Brasil.

Em café da manhã com a bancada ruralista, disse que os presidentes brasileiros anteriores a ele criaram uma imagem negativa do país no exterior e que tem tentado alterar a maneira como o Brasil se posiciona diante do mundo.

“Eles não têm autoridade para vir discutir essa questão conosco. Mudou a maneira do Brasil se portar perante o mundo”, disse. “Com a conivência de chefes de Estado, foi feito com que o Brasil tivesse um péssimo conceito de meio ambiente lá fora.”

O desmatamento na Amazônia no mês de junho foi cerca de 57% maior do que no mesmo mês do ano passado, segundo dados do Deter, sistema de alertas de desmatamento do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Os dados do mês passado, por enquanto, só vão até o dia 28 -o que ainda pode causar alterações no crescimento da taxa de desmate. No mês de junho, foram desmatados cerca de 769 km², segundo o Deter. Em 2018, o valor era de aproximadamente 488 km².

Bolsonaro disse ainda que, ao procurá-lo durante o encontro do G20, Macron e Merkel acreditavam estar tratando com governos anteriores e que políticas de demarcação de terras indígenas e ampliação de áreas ambientais dificultavam o progresso da economia brasileira.

“Esses dois em especial [Macron e Merkel] achavam que estavam tratando com governos anteriores, que, após reuniões como essa, vinham para cá, demarcavam dezenas de áreas indígenas e quilombolas, ampliavam área de proteção. Ou seja, dificultavam cada vez mais nosso progresso aqui no Brasil”, disse.

O presidente também afirmou que deu um “rotundo não” ao presidente francês, que o teria procurado, junto ao líder indígena brasileiro Raoni Metuktire, para que o Brasil anunciasse medidas ambientais durante a reunião no Japão.

“Não reconheço o Raoni como autoridade, uma autoridade aqui no Brasil. Ele é um cidadão, como outro qualquer que nós devemos respeito e consideração. Mas ele não é autoridade”, disse.

Antes do início da cúpula do G20, que reúne as 20 maiores economias do mundo, Bolsonaro foi criticado por Macron e Merkel, que expressaram preocupação sobre o desmatamento na Amazônia e o risco de o Brasil deixar o Acordo de Paris.

O presidente francês chegou a dizer que não assinaria nenhum pacto com o Brasil caso o país deixasse o acordo que trata do combate a mudanças climáticas.

Depois de vaivéns na agenda dos mandatários, Bolsonaro se encontrou tanto com o líder francês quanto com a chanceler alemã, a quem o presidente brasileiro teria falado sobre a existência de uma “psicose ambientalista” contra o país.

O presidente se queixou de que os europeus sempre trataram o Brasil de “forma colonialista” em gestões anteriores, querendo ditar regras.

No encontro no Palácio do Planalto, Bolsonaro afirmou ainda que o governo brasileiro é da bancada ruralista. Ele ressaltou que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, foi escolhida pela frente parlamentar e que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é “casado” com ela.

 

Embaixada brasileira em Berlim amanhece com pichação contra o ‘fascismo no Brasil’

A embaixada do Brasil em Berlim, capital da Alemanha, amanheceu pichada neste sábado (5) com a frase “Lutaremos contra o fascismo no Brasil”.

A fachada da embaixada, em vidro, foi pichada em letras garrafais, em branco, e também com listras vermelhas. O prédio fica no bairro de Mitte, na região central da cidade. Fotos do local vandalizado circularam nas redes sociais e em grupos de WhatsApp.

A reportagem entrou em contato com a embaixada por meio do telefone de plantão, mas o funcionário que atendeu não quis confirmar o ocorrido. Ainda não há informações sobre quem seria o responsável pela pichação.

Não foi o primeiro caso de vandalismo no local. Em maio de 2014, um grupo de encapuzados tentou apedrejar o prédio.

Segundo testemunhas, quatro pessoas participaram da ação e jogaram cerca de 80 pedras, quebrando parte do vidro da fachada.

Na ocasião, um grupo de esquerda assumiu a autoria do ataque e disse que ele era um protesto contra a Fifa e contra os gastos do governo para a realização da Copa do Mundo de 2014.

Internet

Ataque cibernético atinge centenas de políticos alemães

Com Deutsche Welle

Documentos internos de partidos e detalhes pessoais de centenas de políticos alemães foram publicados no Twitter, informou hoje (4) a emissora pública RBB. O ataque cibernético atingiu todas as legendas representadas no Parlamento, exceto a populista Alternativa para a Alemanha (AfD).

Foram vazados dados confidenciais de celulares, conversas privadas, endereços de políticos e outros dados particulares, assim como documentos internos de partidos. As legendas atingidas são a União Democrata Cristã (CDU), o Partido Social-Democrata (SPD), a União Social Cristã (CSU), o Partido Verde, a Esquerda e o Partido Liberal Democrático (FDP).

O vazamento de documentos foi descoberto nessa quinta-feira (3), segundo a emissora alemã. No entanto, aparentemente, os documentos foram publicados em dezembro por meio de uma conta no Twitter baseada em Hamburgo – os dados foram vazados como num calendário, com informações novas a cada dia.

A maioria das informações vazadas consistia de detalhes de contatos, como endereços e números de telefone celular. No entanto, em certos casos, também foram vazados documentos pessoais, incluindo detalhes bancários e financeiros, cartões de identificação e conversas privadas.

Nenhum dos documentos partidários continha informações altamente secretas. Os dados incluíam pedidos de emprego, memorandos partidários e listas de membros do partido. Alguns documentos tinham mais de um ano.

O ataque parece ter sido feito de forma arbitrária, pois nenhum padrão pôde ser detectado, embora nenhum partidário da AfD tenha sido vítima. Políticos estaduais e alguns artistas também foram afetados. Não está claro ainda quem foi o responsável pelo ataque cibernético e com qual a intenção os dados foram colocados na internet.

A conta no Twitter usada para os vazamentos tem em sua descrição os termos “pesquisa de segurança”, “artistas”, “sátira” e “ironia”. Desde meados de 2017, dados privados de pessoas com algum destaque são publicados na conta – supostamente com mais de 16 mil seguidores. A conta pertence a uma plataforma de internet, e o operador está sediado em Hamburgo.

Alemanha confirma permanência de Joachim Löw como técnico

A DFB (Federação Alemã de Futebol, na sigla em alemão) confirmou, nesta terça-feira (3), que o treinador Joachim Löw continua no comando da equipe de futebol do país, mesmo após a eliminação ainda na fase de grupos da Copa do Mundo. A entidade fez o anúncio oficial nos seus perfis nas redes sociais.

A permanência do técnico, campeão do Mundial do Brasil-2014, no cargo se tornou duvida depois que a seleção alemã deixou a Rússia sem obter a vaga para as oitavas de final.

O time terminou na última colocação do Grupo F, com apenas uma vitória -2 a 1 contra a Suécia- e duas derrotas -1 a 0 contra o México, na estreia, e 2 a 0 contra a Coreia do Sul, na última rodada.

Os alemães se tornaram a terceira seleção seguida a ser eliminada ainda na fase de grupos da Copa do Mundo, após vencer a edição anterior do torneio. Antes dela, a Espanha, em 2014, e a Itália, em 2010, caíram sem ir ao mata-mata.

O técnico assumiu o posto na seleção alemã em 2006, depois de ser o assistente de Jürgen Klinsmann, que comandou a campanha na Copa do Mundo daquele ano.

O trabalho de Löw foi melhor do que o seu ex-chefe e antecessor. Ele conduziu a equipe do país ao quarto título de Mundial e promoveu uma renovação no elenco e maneira estilo de jogo.

Alemanha termina a Copa em 21º. Veja a classificação final dos eliminados

Com o encerramento da primeira fase da Copa do Mundo, metade das seleções participantes já se despedem do torneio. Entre elas, duas cabeças de chave: a Polônia, que terminou em último lugar do Grupo H e a atual campeã Alemanha, a lanterninha do Grupo F. Com três pontos somados (uma vitória e duas derrotas) e saldo negativo de dois gols, os alemães deixam a Rússia na melancólica 21ª posição. Com a mesma pontuação, mas saldo ainda pior (-3) a Polônia foi a 25ª.

Tetracampeã e quatro vezes finalista da Copa e quatro vezes terceiro lugar, a Alemanha teve, na Rússia seu pior desempenho na história das Copas. Antes desta edição a pior posição dos alemães era o 10º lugar em 1938.

Melhores entre os eliminados, Senegal e Irã despedem-se da Copa com 4 pontos e saldo zero, campanha melhor do que a classificada Argentina, que foi segunda colocada do Grupo D com os mesmos quatro pontos, mas saldo negativo de dois gols.

Confira a classificação final dos eliminados da Copa

17º Senegal – 4 pontos, saldo 0, 4 gols marcados

18º Irã – 4 pontos, saldo 0, 2 gols marcados

19º Coreia do Sul – 3 pontos, saldo 0, 3 gols marcados

20º Peru – 3 pontos, saldo 0, 2 gols marcados

21º Alemanha 3 pontos, saldo -2, 2 gols marcados, 6 pontos negativos por cartões

22º Sérvia – 3 pontos, saldo -2, 2 marcados, 7 pontos negativos por cartões

23º Tunísia – 3 pontos, saldo -3, 5 gols marcados

24º Nigéria – 3 pontos, saldo – 3, 3 gols marcados

25º Polônia – 3 pontos, saldo -3, 2 gols marcados

26º Arábia Saudita – 3 pontos, saldo -5

27º Marrocos – 1 ponto, saldo -2

28º Islândia – 1 ponto, saldo -3, 2 gols marcados, 3 pontos negativos por cartões

29º Costa Rica – 1 ponto, saldo -3, 2 gols marcados, 6 pontos negativos por cartões

30º Austrália – 1 ponto, saldo -3, 2 gols marcados, 7 pontos negativos por cartões

31º Egito – 0 ponto, saldo -4

32º Panamá – 0 ponto, saldo -9

Alemanha toma 2 a 0 da Coreia e está fora da Copa

Pela terceira vez seguida e pela quarta vez nas últimas cinco Copas do Mundo, o atual campeão é eliminado na primeira fase. O vexame, desta vez foi da Alemanha, que deu adeus ao mundial ao perder por 2 a 0 para a Coreia do Sul, na rodada de fechamento do Grupo F. Com a vitória da Suécia por 3 a 0 na outra partida do grupo, Suécia e México garantiram vaga nas oitavas de final.

Precisando de uma vitória simples, por conta do placar do outro jogo, a Alemanha dominou toda a partida, controlou a posse de bola e criou as principais chances, mas não conseguiu furar a defesa coreana, que, com a vitória da Suécia, já estava matematicamente eliminada. Nos contra-ataques agudos, a Coreia levou perigo ao gol de Neuer desde o primeiro tempo.

Sabendo do placar da outra partida do grupo a Alemanha precisava apenas de um gol, pressionou nos minutos finais, mas sem aquele ímpeto mostrado pela seleção argentina na terça-feira, por exemplo. Para piorar, já nos acréscimos, após bate-rebate na área, Kim Young-Gwon colocou a bola na rede, em posição duvidosa. O gol foi confirmado pelo árbitro de vídeo. Logo depois, já com o goleiro Neuer no ataque, a alemanha perdeu a bola que sobrou para Son Heung-Min arrancar e definir o placar com o gol vazio.

A derrota desta quarta deixou a Alemanha com apenas três pontos, na última posição do grupo. Suécia e México terminaram a primeira fase com seis, se classificaram e vão enfrentar quem passar do grupo E, do Brasil. Já a Coreia do Sul, também com três pontos, ficou em terceiro, na frente da Alemanha pelo saldo de gols.

Nunca os alemães haviam caído na fase de grupos da Copa. A pior campanha até então tinha ocorrido em 1938, quando a competição era disputada em formato de mata-mata desde o começo e eles foram eliminados pela Suíça no segundo jogo.

Alemanha encara Coréia para quebrar sina das campeãs; acompanhe

França em 2002, Itália em 2010, Espanha em 2014. Em três das quatro últimas Copas, a atual campeã deu vexame e acabou eliminada já na primeira fase. Para não entrar para este grupo, a Alemanha tem que vencer a Coréia do Sul, às 11h, pela última rodada do Grupo F. Com 3 pontos em duas partidas, os alemães ainda podem depender do saldo de gols para se classificar. Assim, para se garantir nas oitavas sem ter que secar a Suécia, que enfrenta o México no mesmo horário, os atuais campeões do mundo precisam de uma vitória por, pelo menos, dois gols de vantagem.

A situação alemã, no entanto, é bem melhor do que poderia ser. Até os 47 minutos do segundo tempo contra a Suécia, na partida da segunda rodada, a seleção estava praticamente eliminada, já que estava somando apenas um ponto e vendo os suecos chegarem a quatro. O golaço de Toni Kroos nos acréscimos colocou a Alemanha de volta na briga e, agora, dependendo apenas de seu futebol. Em uma crescente, depois da surpreendente derrota para o México na estreia, os tetracampeões querem vencer e convencer, para embalar nas oitavas (que pode ter o Brasil pelo caminho).

Já a Coréia se apega à matemática. Ainda sem pontuar, mas vendo Alemanha e Suécia com 3 pontos, os asiáticos mantêm chances remotas de classificação. Precisam vencer a Alemanha por dois gols e torcer para o México na partida paralela do grupo.

Acompanhe Alemanha x Coreia em tempo real no Placar Paraná Portal / UOL.

De virada nos acréscimos, Alemanha vence a Suécia e segue viva na Copa

Na superação, a Alemanha venceu a Suécia neste sábado (23), por 2 a 1, de virada nos acréscimos, pela segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo. A atual campeã pressionou e encontrou os suecos mais retrancados. A vitória, deu uma sobrevida para os alemães, que ainda têm chance de se classificar na rodada final.

Os alemães iniciaram a partida pressionando. Werner, Draxler e Reus deram trabalho para o goleiro Olsen, que foi acionado diversas vezes.

Mas foi a Suécia quem saiu na frente. Aos 31 minutos, Kroos errou o passe pelo meio, Toivonen recebeu dentro da área e encobriu o goleiro Neuer.

Com o drama, a Alemanha não teve outra alternativa senão ir para cima. E foi isso que os germânicos fizeram e, aos dois minutos do segundo tempo, conseguiram o empate. Mario Gómez foi até a linha de fundo e cruzou. A bola ficou com Reus, que mandou para o fundo do gol.

Após o empate, a equipe alemã tomou gosto pelo jogo e ligou o 220. Kroos, Müller, Hector e Mario Gómez ficaram bem próximos de virar o placar.

Aos 36, a Alemanha ficou com um a menos após Boateng ser expulso. O zagueiro alemão já tinha cartão amarelo e cometeu falta em Berg.

Em desvantagem numérica, os alemães foram para o tudo ou nada. Aos 42, Mario Gómez cabeceou à queima roupa e Olsen espalmou, fazendo belíssima defesa.

Aos 46, chegou novamente. Brandt, da entrada da área, chutou e a bola explodiu no travessão. No rebote, o bandeira marcou impedimento de Werner.

E, no último minuto da partida, em cobrança de falta com dois toques. Reus ajeitou para Kroos, que mandou no ângulo para garantir a vitória.

COMO FICA

Com o resultado, a Alemanha soma três pontos e ocupa a segunda posição. Já a Suécia tem três pontos e fica na terceira colocação pelo saldo de gols.

Na última e decisiva rodada do Grupo F, a Alemanha enfrenta a Coreia do Sul, na quarta-feira (27), às 11h (de Brasília). No mesmo dia e horário, a Suécia enfrenta o México.

Ameaçada, Alemanha encara a Suécia; acompanhe em tempo real

Ameaçada após perder para o México na estreia, a Alemanha enfrenta a Suécia neste sábado (23), às 15h (de Brasília), em Sochi, pela segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo. A atual campeã busca a reabilitação na competição para ter chances de classificação para as oitavas da competição. Já a Suécia vem confiante, depois de vencer a Coreia do Sul no primeiro compromisso no mundial.

Acompanhe em tempo real.