Homem que matou amante grávida é condenado a 30 anos de prisão

O Tribunal do Júri de Guaraniaçu, no oeste do Paraná, condenou um homem por homicídio, com agravante de emprego de fogo e motivo torpe.

Ele matou a mulher com quem mantinha um relacionamento extraconjugal após ela engravidar e cobrar pensão alimentícia.

Temendo que ela revelasse a relação, ele ateou fogo onde a gestante de oito meses morava.

O réu já estava preso há quase um ano e meio e recebeu pena de 30 anos de prisão em regime fechado.

estupros brasil

Homem é condenado a 23 anos por feminicídio de amante no Paraná

Um homem, de 25 anos, foi condenado a 23 anos de prisão pela morte da mulher com quem tinha um relacionamento extraconjugal. A condenação foi determinada pelo Tribunal do Júri de Pérola, no noroeste do Paraná. O crime aconteceu em março deste ano.

De acordo com a denúncia apresentada pela Promotoria de Justiça da cidade, o rapaz utilizou de meio cruel para assassinar a vítima. Ele teria a espancado e desferido golpes de faca quando ela ameaçou revelar ao marido que estava mantendo um relacionamento fora do casamento com o acusado.

O Ministério Público do Paraná pediu a condenação por homicídio triplamente qualificado – por feminicídio, uso de meio cruel e motivo torpe.

O réu está preso na Delegacia de Pérola e deverá cumprir a pena em regime fechado.

**Com informações do MPPR**

 

Mulher descobre que era amante e é jogada de penhasco, diz polícia

A Polícia Civil de Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), prendeu um homem, de 41 anos, suspeito de tentar matar uma mulher, de 51 anos, com quem tinha um relacionamento extraconjugal há aproximadamente um ano. De acordo com as investigações, a mulher descobriu que o homem era casado e foi empurrada de um penhasco para que não procurasse a esposa do suspeito. Ela sobreviveu à queda e procurou a polícia.

Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo

O caso aconteceu no mês de junho deste ano em razão de um desentendimento do casal em que a mulher discordou do suspeito, que queria armar contra o próprio tio – proprietário da empresa em que trabalhava. Durante a discussão, a vítima descobriu que ele era casado e ameaçou entrar em contato com a esposa para contar sobre a relação dos dois que já durava um ano.

Em uma tentativa de reconciliação, ele levou a namorada para conhecer a Estrada da Graciosa. No local, ele simulou que faria algumas fotos e pediu para que a vítima sentasse próximo de um penhasco. Nesse momento, segundo as investigações, ele empurrou a mulher. “Ela caiu de uma altura superior a cinco metros de altura”, conta o delegado responsável pelo caso, Luiz Carlos de Oliveira.

Segundo a polícia, a vítima fingiu estar morta para despistar o homem, que ficou rodeando o seu corpo e iluminando com a lanterna do celular, já que era noite e estava escuro. Sem notar sinais de vitalidade, o suspeito fugiu do local e deixou a vítima no chão.

Embora tenha fraturado diversos membros na queda, a mulher resistiu aos ferimentos e conseguiu procurar ajuda logo após o ocorrido e foi encaminhada para um hospital, onde ficou internada por cerca de três meses.

Delegado Luiz Carlos de Oliveira | Foto: Divulgação / PC
Delegado Luiz Carlos de Oliveira | Foto: Divulgação / PC

“Ele vai responder por tentativa de homicídio. Obviamente ele premeditou o crime porque já sabia daquela localidade. Ele deve ter ido anteriormente naquele local. Além da vítima ter sofrido uma incapacidade para o trabalho, ela está de muletas. Ele praticou um feminicídio”, diz o delegado.

O delegado informa que, no início de novembro, dias após a vítima receber alta hospitalar, ela procurou pela polícia. “A mulher veio até a delegacia relatar o fato e contou em detalhes como tudo ocorreu. Instauramos um inquérito para apurar o fato e após uma série de diligências solicitamos um mandado de prisão contra o homem por tentativa de feminicídio – razão pela qual foi possível prendê-lo”, afirma o delegado.

Mulher tem 40% do corpo queimado e ex-companheiro vai preso por feminicídio
Acusado de matar namorada com taco de beisebol será denunciado por feminicídio

Na delegacia o suspeito negou o crime e alegou que vítima se desequilibrou e caiu sozinha. O homem será indiciado por tentativa de feminicídio e permanece preso no Setor de Carceragem Temporária da Delegacia de Quatro Barras, onde aguarda à disposição da Justiça.