Exposição virtual permite visitar casa de Anne Frank

Muito mais do que as anotações de uma menina, “O Diário de Anne Frank” tornou-se um dos documentos mais importantes sobre a perseguição nazista a judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

O Google Arts & Culture, em parceria com a Fundação Anne Frank, lançou nesta quarta-feira (12) uma exposição online que permite visitar a casa da autora do diário mais famoso do século 20, em Amsterdã, na Holanda.

A data de lançamento coincide com o seu aniversário. Se viva, Anne completaria 90 anos.

A tecnologia Street View permite conhecer todos os cômodos do imóvel, inclusive o quarto que Anne dividia com a irmã Margot. É possível acessar o conteúdo com o aplicativo da Google –disponível gratuitamente para iOS e Android– ou pelo site.

A exposição conta ainda com informações e documentos, como o único vídeo conhecido de Anne, filmado em uma festa de casamento, e a única fotografia da menina ao lado dos pais e da irmã.

A antiga casa da família Frank está alugada para a Fundação Holandesa de Literatura e funciona como abrigo para escritores estrangeiros que não têm liberdade para trabalhar em seus países de origem. O imóvel foi restaurado para o estilo original dos anos 1930.

Peça revive Anne Frank e os pesadelos da perseguição nazista

Fotos: Divulgação

“… Sua Anne” revive a história de Anne Frank, a garota judia que se escondeu com sua família da perseguição nazista e foi morta em um campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial. As apresentações acontecem nesta sexta e sábado (30 e 31), às 21 horas, e no domingo (1º), às 20 horas, no palco do Teatro Fernanda Montenegro. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15.

De acordo com o grupo de Teatro da FAE, a obra é uma homenagem a garota que virou símbolo de um mundo onde a intolerância impera, e aos milhares de judeus mortos durante o Holocausto. A peça foi sucesso de público em sua estréia e reapresentações realizadas em 2016.

Durante a Segunda Guerra Mundial Anne Frank escondeu-se juntamente com mais sete outras pessoas no Anexo Secreto, espaço montado no sótão do escritório de seu pai Otto Frank. Depois de
pouco mais de 2 anos escondidos, eles são descobertos e enviados para campos de concentração. O pai de Anne, Otto Frank, é o único das oito pessoas que sobrevive. Após sua morte, Anne torna-
se famosa no mundo inteiro em razão do diário que escreveu no período que esteve escondida, publicado por seu pai em 25 de junho de 1947.