Polícia Civil prende suspeitos da morte de PM no final de semana

Dois homens foram presos na manhã desta quarta-feira (30), suspeitos do assassinato do sargento da PM, Antônio Carlos Pires, no último final de semana.

Emerson dos Santos Cunha Fernandes e Mikkael Benedito Moura confessaram o crime. Há outros três suspeitos que permanecem foragidos.

Na tarde de ontem, a Polícia Civil informou que havia sido apreendido o carro usados no crime, na manhã de segunda (28).

O carro tem placas de Belo Horizonte, estava alugado por um motorista de aplicativo e foi roubado dois dias antes do crime. O carro foi encontrado no domingo pela manhã, no bairro Tatuquara, próximo ao local do crime.

Antônio Carlos Pires, o Sargento Pires do  23º Batalhão da PM-PR (Polícia Militar do Paraná), foi morto na noite de sábado (26), quando voltava para a casa, na Cidade Industrial de Curitiba.

O sargento estava de folga e dirigia seu carro particular quando foi abordado por um atirador. O bandido disparou dois tiros e o Sargento Pires morreu na hora.

Segundo informações da Polícia Civil, o sargento carregava a arma da corporação, mas não teve chance de defesa.

O caso está sendo investigado pela DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Polícia apreende o carro usado em crime que vitimou sargento da PM

A Polícia Civil informou, no final da manhã desta segunda-feira (28), que foi apreendido um carro suspeito de ter sido usado no crime que vitimou o sargento da PM, Antônio Carlos Pires, na noite de sábado (27).

O carro tem placas de Belo Horizonte, estava alugado por um motorista de aplicativo e foi roubado dois dias antes do crime. O carro foi encontrado no domingo pela manhã, no bairro Tatuquara, próximo ao local do crime.

Antônio Carlos Pires, o Sargento Pires do  23º Batalhão da PM-PR (Polícia Militar do Paraná), foi morto na noite deste sábado (27), quando voltava para a casa, na Cidade Industrial de Curitiba.

O sargento estava de folga e dirigia seu carro particular quando foi abordado por um atirador. O bandido disparou dois tiros e o Sargento Pires morreu na hora.

Segundo informações da Polícia Civil, o sargento carregava a arma da corporação, mas não teve chance de defesa.

O caso está sendo investigado pela DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa).