A construção da Refinaria da Petrobrás em Araucária

Este vídeo mostra a história da cidade de  Araucária, e da construção da Refinaria da Petrobrás. Clique aqui para encontrar o grupo de memória da cidade, criado por esta coluna no Facebook. E aqui está o grupo “Memória Paranaense”. Ao abrir as páginas, clique em “participar do grupo”.

 

 

 

Clique aqui para encontrar outras publicações desta coluna

 

Contato com José Wille

 

 

 

araucária, árvore, árvore símbolo, perigo de extinção, extinção, araucaria angustifolia, risco, perigo de extinção, araucaria+, pesquisa, estudo, universidade de reading, reino unido, conservação, paraná, serra, sul, sudeste, são paulo

Exploração e mudanças climáticas podem levar Araucária à extinção até 2070

A ausência de estratégias de conservação, a intensa exploração comercial da madeira e as mudanças climáticas podem levar a Araucária à extinção até 2070. Essa é a conclusão de um estudo da Universidade de Reading, no Reino Unido. A espécie é a árvore-símbolo do Paraná.

Atualmente, restam apenas de 1% a 3% da extensão original da Floresta das Araucárias, que cobria um território estimado em 20 milhões de hectares. E o prognóstico não é favorável.

O estudo da Universidade de Reading foi publicado na Wiley Online Library e elenca a exploração madeireira predatória como a razão fundamental para a possível extinção da espécia Araucaria angustifolia, a Araucária, ou o pinheiro-do-paraná.

Outros fatores a serem considerados, de acordo com a pesquisa, estão relacionados às mudanças climáticas. O aumento contínuo da temperatura média do planeta Terra interfere no ecossistema e traz desequilíbrio à natureza.

A ARAUCÁRIA

Também conhecida como pinheiro-do-paraná, a árvore está presente em boa parte da região sul do Brasil, mas também pode ser encontrada no estado de São Paulo e em regiões serranas do sudeste.

Componente importante da Mata Atlântica, a Araucária pode atingir os 50 metros de altura.

Na fase adulta, a árvore produz o pinhão. A semente é um fundamental complemento de renda para pequenos e médios agricultores que mantém a espécie em suas propriedades.

A colheita da erva-mate, que nasce às sombras das Araucárias, também é uma importante fonte de renda para os proprietários de terras.

araucária, perigo de extinção, extinção, araucaria angustifolia, risco, perigo de extinção, araucaria+, pesquisa, estudo, universidade de reading, reino unido
Árvore é o símbolo do Paraná. (Cesar Wegler/Divulgação)

AÇÕES DE PRESERVAÇÃO E CONSERVAÇÃO

Algumas ações tentam aliar o desenvolvimento econômico com a conservação da espécie. Eles elas estão a iniciativa Araucária+, que desde 2013 tenta reduzir a tendência do desmatamento e degradação do ecossistema.

Nesta ação, por exemplo, mais de 50 organizações parceiras estimulam a conservação da biodiversidade.

“Nós formamos uma rede de atores que estão envolvidos das mais variadas formas com as cadeias produtivas não-madeireiras desta floresta e que, por falta de incentivos ou conhecimento, acabam trabalhando de forma isolada. Ao conectarmos esses atores, potencializamos os impactos de suas iniciativas. Com isso, geramos renda e conservamos a Floresta com Araucárias”, destaca Guilherme Karam, coordenador de Negócios e Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário, que mantém a iniciativa Araucária+.

A Araucaria angustifolia vive um drama ambiental e é considerada, hoje, como espécie em risco extremo de extinção, segundo a classificação da IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza).

policia=militar-araucaria

No PR, homem é preso após matar esposa e sogra

Um homem de 39 anos foi preso na noite de sexta-feira (11), suspeito de esfaquear a esposa, a sogra e o sogro, com golpes de faca, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba.

De acordo com a PMPR (Polícia Militar do Paraná), as duas mulheres não resistiram aos ferimentos e morreram no local. Já o homem, de 74 anos, foi levado ao hospital, em estado grave.

Ainda segundo a PM, o suspeito chegou em casa embriagado e com a faca na mão. Quando os policiais militares chegaram na residência, prenderam o homem em flagrante.

A PMPR também confirmou que a esposa do suspeito já havia registrado três boletins de ocorrência contra o marido, um deles por ameaça. O homem foi levado à Delegacia de Araucária, onde permanece detido

Dengue Mortes Aedes aegypti Paraná Ciclo Epidemiológico 2018 2019 Foto Marcos Santos Divulgação USP Imagens

Dengue: Paraná confirma primeira epidemia do novo ciclo da doença

O município de Inajá, na região noroeste, é o primeiro do Paraná a confirmar epidemia de dengue desde 28 de julho, quando teve início do novo ciclo da doença. Outras oito cidades estão em estado de alerta. Os dados atualizados foram divulgados nesta quarta-feira (24) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde).

Os municípios em alerta para a dengue são: Uraí, Santa Izabel do Ivaí, Florestópolis, Jesuítas, São Carlos do Ivaí, Floraí, Indianópolis, e Flórida.

Além disso, os dados atualizados apontam para dois casos confirmados de febre chikungunya, em Araucária e Maringá. No entanto, são dois registros importados de estados da região nordeste do Brasil.

Em uma semana, os casos confirmados de dengue avançaram 28%. Segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira, o Paraná tem 454 registros da doença, contra os 354 da semana anterior.

São mais de 4 mil notificações em 22 regiões de saúde. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, os dados são referentes ao período entre 28 de julho e 23 de setembro.

Combate à dengue

combate à dengue epidemia alerta foto sesa
Divulgação/Sesa

O levantamento das autoridades de vigilância sanitária alerta que 77,5% dos criadouros estão em imóveis residenciais e comerciais. São considerados potenciais criadouro do mosquito Aedes aegypti todos os recipientes e objetos que possam acumular água parada, como por exemplo pneus e garrafas plásticas.

O mosquito é o responsável pela transmissão da dengue e de outras doenças, como zika e febre chikungunya.

“A primavera indica dias quentes e chuvosos. Esse é um clima propício para o aumento do número de criadouros e, consequentemente, de pessoas contaminadas”, destacou a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Belmonte.

O secretário estadual da saúde faz um alerta à população para evitar novos municípios em epidemia. Ele reforça que o combate à doença deve ser uma missão diária, destruindo focos de proliferação do mosquito Aedes aegypyti.

“Precisamos deixar os quintais e terrenos livres de recipientes que acumulam água e lixo”, reforçou o secretário Beto Preto.

Parte de viaduto desaba e deixa um ciclista ferido em Curitiba

Uma parte do muro que sustenta o viaduto que fica na Avenida Deputado Anibal Khury, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), desabou na madrugada desta sexta (20), em Curitiba.

Boa parte do concreto da construção veio abaixo e as fortes chuvas dos últimos dias podem ter sido a causa do acidente.

A Setran (Superintendência de Trânsito) interditou a pista do lado direito do viaduto e o local está sinalizado com cones e cavaletes.

Ainda segundo a Setran, um motociclista que passava pelo local não conseguiu desviar dos entulhos e caiu. Ele teve ferimentos leves.

O viaduto é uma alça de acesso a cidade de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba.

raio atinge árvore em Curitiba

Raio atinge árvore em Curitiba e assusta moradores; veja as fotos

Moradores de um bairro residencial em Curitiba levaram um susto na manhã desta sexta-feira (06), ao ouvirem um estrondo muito alto na região.

Um raio atingiu uma araucária, árvore nativa do Paraná, e com o impacto o tronco da árvore foi partido ao meio. Ainda assim a araucária se manteve em pé!

Felizmente a descarga elétrica não atingiu a rede de eletricidade e o fornecimento não foi comprometido na região.

Técnicos da COPEL (Companhia Paranaense de Energia) isolaram o local e estão acompanhando a situação no momento.

Não há prejuízo às casas do bairro e ninguém ficou ferido.

Veja as fotos:

            raio atinge árvore no juveve

Fotos: Divulgação Copel

Comec anuncia mudanças em linhas de ônibus de Araucária e Pinhais

A partir desta semana, duas importantes mudanças acontecerão em linhas de ônibus que atendem Curitiba e Região Metropolitana. A primeira delas ocorrerá já nesta segunda-feira (29), e será a extensão da linha 690 – V. Juliana, operada pela URBS, até o bairro Campina da Barra, em Araucária. Com a mudança, moradores do bairro poderão ir até o Terminal do Pinheirinho, sem precisar ir até o Terminal da Vila Angélica, em Araucária, como ocorre atualmente.

O nome da linha será alterado, passando a se chamar 672 -Tupy/Juliana e seu ponto final passará a ser na Rua Lotus, no bairro Campina da Barra. O atendimento, que havia sido descontinuado em 2017, acabou se tornando uma importante demanda da população local e foi amplamente debatido entre as prefeituras de Curitiba, Araucária e Governo do Estado.

O presidente da Comec, Gilson Santos, destacou a importância da linha e seu significado na relação do Governo do Estado com o Transporte Coletivo. Segundo ele, esta linha atende regiões muito carentes, tanto de Curitiba quanto de Araucária. São pessoas que dependem do transporte coletivo e que agora terão uma opção muito mais rápida e cômoda para se deslocar.

“É importante lembrar também que foi uma promessa de campanha do governador Carlos Massa Ratinho Junior e que agora será uma realidade”, disse. Ainda segundo o presidente, cerca de 1,5 mil usuários deverão se beneficiar com a nova extensão.

A segunda mudança, que passará a operar nesta terça-feira (30), será o lançamento da linha C36 – Pinhais/Centenário, que fará a conexão direta do Terminal de Pinhais com o Terminal do Centenário, em Curitiba. Atualmente, usuários que pretendem fazer este trajeto precisam ir até o terminal do Capão da Imbuia, um trajeto que é praticamente o dobro do que a nova linha irá realizar. Estudos iniciais apontam que o tempo para o trajeto deverá cair de cerca de 35 minutos para apenas 20 minutos.

A demanda, segundo Gilson Santos, é antiga. “Esse pedido é histórico e solicitado na Comec em diversas ocasiões e épocas. Significará um ganho de tempo expressivo para os usuários destas linhas e trará novas possibilidades de conexões entre os terminais”. As passagens custarão R$ 4,50 – mesmo preço da Rede Integrada de Transporte (RIT).

araucária apreendida lapa curitiba foto divulgação prf

Toras ilegais de Araucária são apreendidas na Grande Curitiba

Uma carga de madeira ilegal foi apreendida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR-476, na Lapa, região metropolitana de Curitiba. Cerca de 20 metros cúbicos de toras de Araucária eram transportados sem nota fiscal.

O caminhão foi abordado na altura do quilômetro 231 da rodovia. O motorista, de 42, foi liberado após assinar um termo de compromisso e agendar a participação em uma audiência preliminar.
Transportar madeira sem licença válida é crime. A punição varia de seis meses a um ano de prisão.

A apreensão aconteceu nesta semana e foi divulgada nesta quinta-feira (13) pela Polícia Rodoviária Federal.

Araucária

Também conhecida como Pinheiro-do-Paraná, a árvore é o principal símbolo do estado. A espécie está ameaçada de extinção.

As araucárias, originalmente, ocupavam uma área de aproximadamente 200 mil quilômetros quadrados no Brasil. Mais de 97% do total foi desmatado.

Pesquisadores criam ‘mini-araucária’ para quem quiser plantar um pomar de pinhão

Você já pensou em comer pinhão durante o ano inteiro? Ou colher a semente no quintal da sua casa, em uma árvore tão baixa quanto uma goiabeira? É nessa ideia que pesquisadores da Embrapa Florestas estão se debruçando há cerca de dez anos. Eles criaram uma muda de araucária precoce, que dá pinhão a partir de seis anos de idade. É bem antes do que o ciclo normal da árvore, que leva entre 12 e 15 anos para produzir. Além disso, essa araucária é mais baixa, e pode ter até mesmo dois metros de altura. A ideia é que produtores e amantes do pinhão que tenham um espacinho no quintal possam ter um pomar de araucárias em sua propriedade.

Segundo o pesquisador da Embrapa Florestas, Ivar Wendling, essa araucária precoce pode se assemelhar a uma araucária normal em miniatura, com oito a dez metros de altura, ou ficar parecida com um arbusto, feita só de galhos da árvore. Isso vai depender do tipo de enxerto e da poda. “É possível fazer uma araucária de 2 a 3 metros, que produza pinha. Isto é interessante para quintal. O que varia é o local para enxertar. É preciso pegar um broto do galho.” conta o pesquisador.

Wendling diz que o objetivo da Embrapa não é apenas oferecer um pomar de araucárias para quem quiser comer pinhão no próprio quintal. A ideia é também estimular o pequeno proprietário rural a ter mais renda com a semente.”O pinhão é uma fonte de renda, principalmente para famílias de baixa renda. Hoje as pessoas que vendem na beira da estrada, por exemplo, precisam ir até o meio da mata para pegar o pinhão. Com a nossa proposta de um pomar na casa das pessoas, fica muito mais rentável.” afirma.

O pomar de araucárias ainda pode ajudar a preservar a espécie, que corre risco de extinção. A equipe da Embrapa também está trabalhando no desenvolvimento de uma araucária que dê pinhão o ano inteiro. Segundo o pesquisador, a ideia é estimular a criação e venda de outros produtos a partir do pinhão, como a farinha de pinhão e receitas doces e salgadas.

Viveiros do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul já estão vendendo as mudas da araucária precoce, que custam cerca de R$ 40. Mas a procura é tão grande que há fila de espera. A Embrapa não vende as plantas. Mas a empresa colocou em seu site um folder sobre o pomar de araucárias, que dá orientações para quem quiser fazer a própria muda a partir de um enxerto. O documento está disponível aqui.

Filha de ex-prefeito de Araucária é presa após condenação por peculato

A filha do ex-prefeito de Araucária, Rui Alves de Souza, foi presa nesta quinta-feira (23), após ser condenada a mais de 12 anos de prisão pela prática de crimes de peculato e concussão.

A condenação de Fernanda Buffon Alves de Souza, é o resultado da Operação Fim de Feira, do Ministério Publico do Paraná (MPPR)que apurou irregularidades na prefeitura de Araucária no período em que o pai dela foi prefeito.

O mandado de prisão foi expedido nesta quarta-feira (22) pelo Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, em consonância com o atual entendimento do Supremo Tribunal Federal, que admite a execução da pena após a condenação em segunda instância.

Já o genro do ex-prefeito foi condenado por 3 anos, 2 meses e 12 dias de reclusão em regime aberto, com substituição da pena de prisão por pena restritiva de direitos.

Ele havia sido preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no dia 20 de dezembro de 2016, determinando o afastamento do cargo público pelo envolvimento na Operação Fim de Feira.

O Ministério Público do Paraná (MPPR) tomou conhecimento e apurou que o ex-prefeito nomeou o genro, por pedido da sua filha, como “assessor de secretário municipal I” na prefeitura de Araucária para que o casal pudesse financiar um apartamento e colocar suas rendas em dia. Além disso, o ex-prefeito também nomeou a amiga de sua filha a um cargo similar, recebendo salário de R$ 9.175,14, sendo que 70% do valor eram repassados ao ex-prefeito e sua filha.

Operação Fim de Feira

De acordo com as investigações, o ex-prefeito, o lobista e alguns secretários municipais utilizaram a estrutura da Prefeitura de Araucária para obter ilicitamente dinheiro de fornecedores. A operação foi deflagrada em dezembro de 2016 e prendeu o Rui Alves de Souza que ainda cumpria o mandato como prefeito. Na época, o prédio da prefeitura foi fechado para que agentes do Gaeco realizassem a fiscalização de documentos e computadores. Servidores do município ficaram para o lado de fora. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na prefeitura e na casa de integrantes da administração.