Balé Teatro Guaíra celebra 50 anos com Mostra de Repertório

O Balé Teatro Guaíra completa 50 anos em 2019 com uma programação especial e apresenta uma mostra de repertório com grandes sucessos da companhia, incluindo O Grande Circo Místico e O Segundo Sopro. O BTG é a terceira companhia mais antiga do país e uma referência em dança contemporânea. Em cinco décadas, marcou a vida de bailarinos e bailarinas que fizeram parte do corpo artístico e transformou a história da dança nacional.

Ana Botafogo, hoje o grande nome do balé no Brasil, fez sua estreia como primeira-bailarina no palco do Guairão com o BTG em 1977. Ela havia voltado de uma temporada na Europa e ainda não tinha se apresentado profissionalmente no país. “Para mim, era um sonho dançar Giselle. Foi muito emocionante esse balé ter sido meu primeiro papel como solista. Também foi com o BTG a primeira vez que me apresentei profissionalmente no Rio de Janeiro e isso projetou meu nome nacionalmente”, diz.

Para Wanderley Lopes, o balé foi um divisor de águas. Foi na dança que ele encontrou, literalmente, uma casa e uma família. Lopes passou a infância em instituições de acolhimento e chegou a morar nas ruas. Na Casa do Pequeno Jornaleiro em Curitiba, um abrigo para órfãos, era chamado pelo número “36” ao invés do nome. Foi pela televisão que viu pela primeira vez um bailarino, o russo Mikhail Baryshnikov, e se apaixonou pela dança. O garoto prodígio entrou no Balé Teatro Guaíra aos 17 anos, em 1981, pouco depois de a companhia começar a aceitar garotos. Em 1984, Lopes se casou com Eleonora Greca, primeira-bailarina do BTG, e juntos foram solistas de dezenas de espetáculos.

A bailarina Karin Chaves, que faz parte da atual composição da companhia, também teve sua vida marcada pelo Balé Teatro Guaíra. A primeira vez em que ela dançou no Guairão tinha três anos. Aos oito entrou na Escola de Dança Teatro Guaíra e no dia da inscrição teve certeza de que estava predestinada a ser bailarina.

Após passar em uma seleção da São Paulo Companhia de Dança com mais de mil concorrentes, Karin desistiu da carreira artística e estudou gestão financeira. “Depois de um ano, voltei a Curitiba e vi um espetáculo do BTG por acaso. Ali algo se acendeu novamente dentro de mim, meus olhos brilharam e eu soube que o meu lugar era o Guaíra”.

Nas comemorações dos 50 anos, Karin será a solista de três espetáculos: Beatriz, de O Circo Místico; a eleita, de A Sagração da Primavera, e Aurora em O Segundo Sopro. São três coreografias com estilos diferentes, do clássico ao jazz, o que exige muito do corpo. “Quando voltei ao BTG queria

ser tudo – de bailarina a atriz – e sentir toda a versatilidade do artista”.

Para Rodrigo Leopoldo, o balé é sinônimo de romper paradigmas. O jovem negro da periferia de São Paulo se tornou um dos bailarinos mais completos tecnicamente do BTG hoje.

Ele iniciou os primeiros passos na dança escondido, após sair da aula de capoeira. “Não queria que os colegas da escola soubessem porque havia o preconceito de que meninos não fazem balé”, diz.

Durante as aulas na Escola do Theatro Municipal de São Paulo, onde entrou após vencer 300 concorrentes, as meninas não queriam dançar com ele porque não imaginavam um bailarino negro. “Eu mesmo, quando fui escolhido para dançar O Lago dos Cisnes ano passado, demorei para acreditar que o príncipe seria negro. Para mim, hoje a dança é o universo simulado nos sentimentos”.

SESC da Esquina recebe o espetáculo de dança “Quando se Calam os Anjos”

Na próxima quarta-feira (10), às 20h, a Curitiba Companhia de Dança, uma das mais respeitadas escolas de dança do Brasil, se apresenta no SESC da Esquina, no centro de Curitiba, com o espetáculo “Quando se Calam os Anjos”.

A obra, que conta com a direção geral de Nicole Vanoni e coreografia de Airton Rodrigues, leva para o palco questões cênicas e dramatúrgica, realçando um universo pós-moderno virtual, em que os encontros são marcados pelo descaso com o outro e pela falência do ser humano.

As cenas, criadas com jogos de luz, sons e movientos, ajudam a construir a dramaturgia, que por sua vez aposta na ironia, inquietude e na sensualidade, utilizando a fisicalidade dos corpos como poesia.

Curitiba Companhia de Dança convida Balé Teatro Guaíra

Na data, a Curitiba Companhia de Dança também convida o Balé Teatro Guaíra para se apresentar com o espetáculo “Super Natural”, que conta com a direção de Cintia Napoli.

A mostra, que é um fruto de um intercâmbrio entre o Balé e o sul coreano Jae Duk Kim, permeio o sentido das palavras foco, concentração e alma. A coreografia, que traz uma breve amostra da linguagem artística do líder do renomado grupo de dança contemporânea Modern Table, revela características singulares, com uma dança ritualística e contemporânea, sempre em consoância com a trilha sonora composta pelo próprio coreógrafo, e resultando em uma experiência estética ímpar e uma hibridização de corpos brasileiros com a influência da cultura oriental.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do SESC da Esquina e saem por R$20.

Serviço:
Curitiba Companhia de Dança “Quando os Anjos se Calam”

Local: Sesc da Esquina (Rua Visconde do Rio Branco, 969 – Centro)
Data e horário: Quarta-feira (10) – 20h
Entrada: R$20

Facebook: facebook.com/curitibaciadedanca/
Instagram: @curitibaciadedanca

Balé Teatro Guaíra vai apresentar “O Lago dos Cisnes”

O Balé Teatro Guaíra (BTG) deu início às atividades de 2018 no dia 2 de fevereiro, com os ensaios para o novo espetáculo da companhia. Desta vez a equipe do BTG está trabalhando em uma releitura de O Lago dos Cisnes, considerada uma das peças mais marcantes do balé clássico mundial, que será apresentada com a Orquestra Sinfônica do Paraná de 27 a 30 de junho.

A estreia do espetáculo foi em 1877, no Teatro Bolshoi, em Moscou (Rússia), com coreografia elaborada por Julius Reisinger a partir de uma composição encomendada a Tchaikovsky, autor de outras obras, como o balé O Quebra Nozes (1892).

Uma das razões do sucesso é a capacidade da montagem em articular a fantástica melodia elaborada pelo autor com dança e interpretação dos bailarinos em um nível de excelência excepcional.

Para o coreógrafo Luiz Fernando Bongiovanni, a ideia de revisitar essa obra é presentear a plateia que comparece às apresentações. “Eu acho fabuloso que o público da cidade de Curitiba tenha a oportunidade de ver em cena o Balé Teatro Guaíra apresentando um clássico do balé mundial numa versão contemporânea acompanhado pela orquestra, o que é inédito no Brasil”.

É a terceira vez que essa parceria entre o BTG e o coreógrafo se repete. A primeira foi com o espetáculo Romeu e Julieta e a segunda, no ano passado, com o balé Carmen. Bongiovanni garante que a marca característica da coreografia dele estará impressa neste novo trabalho. “É muito importante revisitar o balé tradicional. Estas obras lidam com arquétipos que fazem parte do inconsciente coletivo e esse diálogo da tradição com o clássico precisa existir”.

Desde que Cíntia Napoli assumiu o BTG em 2012, uma de suas linhas de direção é a formação de plateia para o trabalho contemporâneo. “Todo trabalho de releitura do clássico aproxima o público de uma linguagem nova, na qual todos os elementos cênicos fazem parte”, diz Cíntia. “O clássico muitas vezes é visto como perfeito, inalcançável e inatingível, e a releitura não dispensa os códigos tradicionais, mas traz com ela o humano, alma dentro do corpo do bailarino”, acrescenta.

“Temos muito orgulho do nosso Balé Teatro Guaíra e estamos muito felizes em poder apresentar o Lago dos Cisnes!”, afirma a diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, Monica Rischbieter.

“A produção desse espetáculo vai trazer novas perspectivas sobre o clássico”, argumenta Bongiovanni. Além dele, fazem parte da produção Edson Bueno como diretor cênico e roteirista, William Pereira na direção de arte e Luís Gustavo Petri como maestro convidado.

Serviço

O Lagos dos Cisnes.

Data: 27 a 30 de junho.

Balé Teatro Guaíra e Orquestra Sinfônica do Paraná – no Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto.

Balé Teatro Guaíra embarca para turnê de apresentações na Alemanha

O Balé Teatro Guaíra segue para apresentações em uma circulação inédita por nove cidades da Alemanha, a partir deste domingo (26).  A viagem internacional dá sequência a uma série de projetos que a companhia tem colocado em prática. Os 11 bailarinos participam da turnê.

De acordo com Cintia Napoli, diretora do grupo, a companhia encontra-se em um momento de importante representatividade no cenário nacional e há muito o que se comemorar com a viagem deste domingo: “estamos prestes a levar um pouco da nossa história para lugares distantes e retornar com ricas impressões da cultura europeia. Trata-se de um intercâmbio cultural de grande valor, tanto para o Balé Teatro Guaíra, que artisticamente se fortalecerá com esta intensa troca cultural, como para o espectador de forma geral”.

Em outubro, o Balé apresentou o espetáculo Carmen pelo Nordeste do Brasil. A montagem foi aclamada na Bienal de Dança do Ceará (em Fortaleza) e no Festival Cena Cumplicidades (no Recife) após estreia em Curitiba com o acompanhamento da Orquestra Sinfônica do Paraná.

Em novembro, os bailarinos lotaram o Guairão com a apresentação de “Balé Teatro Guaíra dança Wachter, Winkler e Scafati”, espetáculo decorrente do trabalho de três coreógrafos internacionais junto aos bailarinos da companhia por meio do projeto BTG X Alemanha.

A montagem abriu as portas para a companhia seguir em turnê por terras germânicas com embarque previsto para este domingo (26). A companhia só havia se apresentado na Europa uma única vez, em 1984, na cidade de Lisboa, com O Grande Circo Místico.

Teatro e Orquestra 

No mesmo mês em que o tradicional Teatro de Comédia do Paraná retorna à ativa com direção de Gabriel Vilela em “Hoje é Dia de Rock” e a  Orquestra Sinfônica do Paraná estreia com nova formação dando a largada para uma série de concertos sob a regência do maestro titular Stefan Geige.

Turnê pela Alemanha

Balé Teatro Guaíra dança Wachter, Winkler e Scafati

  • Cidade: Karlsruhe.

Data: 28/11. Local: TANZ Karlsruhe – Staatstheater – Kleines Haus

  • Cidade: Stuttgart.

Data: 29/11. Local: TREFFPUNKT Rotebühlplatz

  • Cidade: Regensburg

Data: 01/12. Local: Regensburger Tanztage –Theater Universität

  • Cidade: Ulm

Data: 02/12. Local: Theater Ulm – Podium

  • Cidade: Lindau

Data: 03/12. Local: Theater Lindau

  • Cidade: München

Data: 5 e 6/12. Local: Schwere Reiter

  • Cidade: Braunschweig

Data: 08/12. Local: Staatstheater Kleines Haus

  • Cidade: Heidelberg

Data: 10/12. Local: Hebelhalle

  • Cidade: Augsburg

Data: 11 e 12/12. Local: Brechtbühne