cães situação de maus-tratos curitiba

Cães em situação de maus-tratos são resgatados em Curitiba

A PCPR (Polícia Civil do Paraná)  resgatou quatro cães em situações de maus-tratos, na segunda-feira (13).

Durante a ação um homem de 50 anos foi autuado em flagrante pelo crime de maus-tratos.

Os animais foram resgatados em duas situações distintas, em Curitiba.

A primeira ação ocorreu no bairro Sítio Cercado, onde três cachorros sem raça definida foram encontrados em local sujo com fezes e urina. Além disso, não estavam recebendo água e alimentação adequada. Os animais ainda estavam presos em corrente curta, com feridas e sarna por todo o corpo.

Neste caso, a PCPR contou com o apoio do Instituto Fica Comigo para recolher os animais e encaminhar para um lar temporário.

Os cães estavam sob tutela de um homem, de 50 anos, o qual foi autuado em flagrante pelo crime de maus-tratos. Se condenado poderá pegar seis meses há um ano de prisão, além de multa

Já na segunda ação, no bairro Cajuru, um cão da raça São Bernardo foi resgatado. Ele também encontrava-se em ambiente prejudicial à saúde, enfestado por fezes e urina. Além disso, o animal estava sem alimentação e água adequada. O tutor do animal estava viajando e será ouvido na delegacia da PCPR posteriormente.

ca~es em situação de maus-tratos curitiba
Divulgação/PCPR

Neste resgate a PCPR contou com o apoio da Organização Não Governamental “Somos Amigos dos Animais” e da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba.

*Com informações da PCPR

sanepar, companhia de saneamento, paraná, obras, desabastecimento, água, sem água, bairros, curitiba, telefone da sanepar

Quatro bairros de Curitiba ficam sem abastecimento de água após falha em equipamento

Uma falha eletromecânica em equipamentos da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), fez com que quatro bairros de Curitiba estejam sem abastecimento de água neste sábado (11).

Cajuru, Guabirotuba, Jardim das Américas e Uberaba devem ficar até o final da noite deste sábado sem o abastecimento de água, segundo a Sanepar.

A Sanepar recomenda que qualquer problema pode ser comunicado pelo telefone 0800 200 0115, sendo que a Companhia afirma que consumidores que tenham caixa d’água com pelo menos 500 litros não devem ficar sem água encanada.

bebês - paraná - registro civil - cartórios - nome mais registrado

Bebê nasce dentro de viatura da Guarda Municipal em Curitiba

Dois guardas municipais que estavam de plantão, nesta sexta-feira (13), no bairro Cajuru, foram surpreendidos com o nascimento repentino de uma menina, dentro da viatura, a caminho da Unidade de Pronto Atendimento.

O pai da criança buscou a ajuda dos guardas, no Núcleo Regional da Defesa Social Cajuru, no Parque Peladeiro, às 19h25.

A mulher, que aguardava em casa, já estava em processo bastante adiantado de parto. Os guardas municipais César Ramos e Eliel Chineider, a colocaram na viatura para levá-la até a Upa, porém, às 19h31, no percurso, precisaram parar e auxiliar no parto.

O pai, que seguia a viatura em uma moto, acompanhou o procedimento.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Curitiba (Samu) foi acionado e atendeu prontamente, a mãe e o bebê, já em frente a UPA.

As duas receberam os primeiros atendimentos em frente ao local e foram encaminhadas pelo Samu à Maternidade Mater Dei, no Centro.

“A criança já estava nascendo, então demos todo o apoio necessário para mãe e bebê”, conta o guarda César Ramos, que tem 28 anos serviço na guarda. “Nunca havia atendido uma ocorrência assim, foi uma grande emoção”, disse César.

Para Eliel Chineider, guarda municipal há 13 anos, a experiência também ficará marcada em sua vida profissional. “Foi muito gratificante ver que mãe e filha ficaram bem” diz Chineider.

A menina, terceira filha do casal, ainda não tem nome. Os pais esperavam o nascimento de um menino

Campanha apadrinhada por estrelas internacionais da música possibilita ajudar crianças de instituição curitibana

A data limite para participação na campanha promovida pela fundação Playing for Change está próxima. Mas a solidariedade pode fazer a diferença através de doações a partir de R$ 1,00.

Criada para transformar realidades e provocar uma mudança positiva no mundo através da música e da educação artística, a organização internacional visa arrecadar fundos até o próximo dia 23 de junho para dar continuidade no atendimento a crianças e famílias de regiões carentes do mundo.

O objetivo é fazer com que crianças das comunidades onde a Playing for Change atua se desenvolvam em harmonia, crescendo num ambiente que inspire paz, música e aprendizado.

Os artistas e bandas Bono Vox (U2), Keith Richards (The Rolling Stones), Maroon 5, Jason Mraz, Chad Smith (Red Hot Chilli Peppers), Keb’Mo’ e Jack Johnson, entre outros, apoiam a fundação, que tem projetos na África do Sul, Argentina, Bangladesh, Brasil, Gana, Mali, Marrocos, México, Ruanda e Tailândia.

 

Brasil

No Brasil, a sede da fundação está localizada no bairro Cajuru, em Curitiba, no Paraná. São aproximadamente 60 crianças atendidas, com idades de 7 a 14 anos, em contraturno escolar. Elas participam de aulas que visam desenvolver cidadania, disciplina, técnica e conhecimento em instrumentos diversificados, expressões corporais e voz.

A metodologia adotada pela escola está focada em atender individualmente cada criança, respeitando sua história pessoal. São cursos de musicalização, percussão, canto, teatro musical, noções de educação ambiental, dança, violão, inglês e futebol. O custo mensal para a manutenção do projeto é de aproximadamente R$ 15.000,00, entre a administração e professores.

A startup curitibana BIGHUG é parceira da fundação Playing for Change no Brasil. Seu diretor, o empresário Felipe Rigoni, afirma que “o potencial exponencial desse projeto pode proporcionar um futuro melhor para muito mais crianças em situação de vulnerabilidade social. Mas é necessária a participação efetiva de pessoas que se engajem com a causa”.

A conexão da BIGHUG com a Playing for Change neste ano aconteceu com a campanha “Colors Are Just Colors”, que consistiu numa ação desenvolvida com as crianças atendidas pelo programa da instituição no Cajuru. Pintada com a participação de todos os alunos do projeto, uma tela foi transformada em quadro. Este será entregue a quem for sorteado(a) através da campanha de doação.

Solicita-se doações a partir de R$ 1,00, que são feitas através do website www.bighug.life/playing-for-change ou do aplicativo BIGHUG.

Além disso, o participante concorre a uma viagem com passagens e hospedagem pagas, a sua escolha, para qualquer lugar do mundo em que esteja ocorrendo o evento Playing for Change Day 2019, que acontece simultaneamente no dia 21 de setembro em diversos lugares do mundo. O evento PFC Day ocorre em cidades como Nova York, Rio de Janeiro, Mumbai, Metz e Madrid.

Felipe completa: “Nós investimos muito trabalho e dedicação na criação dessa campanha para que se torne mundial e possa realizar o sonho de mais crianças e famílias, além de proporcionar a realização desse sonho a um grande sortudo”. As doações são feitas pela internet e pelo aplicativo da BIGHUG.

Para conhecer e acompanhar as atividades desenvolvidas com as crianças na instituição brasileira, o doador pode acessar as redes sociais da Playing for Change Brasil e também pelo website e aplicativo BIGHUG.

 

Site oficial da campanha: www.bighug.life/playing-for-change

 

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=3TSStCbnziE&t=47s

 

https://www.facebook.com/BigHug.life/

Prefeitura apreende cavalos e cabritos em Curitiba

Uma ação de fiscalização da Secretaria Municipal do Meio Ambiente resultou na apreensão de sete cavalos e três cabritos em situação irregular na manhã desta quarta-feira (23), na região do Parque Linear do Cajuru. Construções irregulares que abrigavam os animais foram desmontadas.

A situação, denunciada pela população pela Central 156, foi constatada por fiscais da Rede de Proteção Animal e do Departamento de Parques e Praças, com apoio da Guarda Municipal e da Regional Cajuru.

Foram lavrados quatro autos de infração no valor de R$ 1 mil para os quatro cidadãos que se apresentaram como responsáveis pelos animais, que no momento da apreensão estavam soltos e se espalhavam por ruas da região. Uma charrete também foi apreendida.

Agora, os responsáveis têm o prazo de 20 dias úteis para apresentação de recursos administrativos. Os animais apreendidos ficarão sob a guarda da Rede de Proteção Animal até serem encaminhados para a adoção responsável.

Mulher suspeita de matar ex-chefe de 72 anos é presa no PR

A Polícia Civil prendeu uma mulher, de 28 anos, suspeita de matar e roubar o ex-patrão, Antônio Delani, de 72 anos, no último mês, em Curitiba. A prisão aconteceu em Guaratuba, no Litoral do Paraná, na última sexta-feira (30), pela Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), através da 2º Delegacia de Homicídios.

Segundo a polícia, a vítima morreu com uma estocada nas costas e depois foi asfixiada. Um dos golpes atingiu o coração da vítima que ficou caído dentro de seu estabelecimento comercial. A suspeita pelo crime, ex-funcionária da vítima, não tinha passagem polícia. “No momento da abordagem a mulher estava dentro de um comércio no litoral no estado. Ela foi encaminhada à delegacia onde alegou que a arma levada era de brinquedo”, afirmou o delegado responsável pelas investigações, Cássio Conceição.

Imagens de uma câmera de segurança flagraram a ação da suspeita. Veja:

Ela será autuada pelo pelo crime de latrocínio – roubo seguido de morte -, se condenada poderá apegar até 30 anos de reclusão. Ela aguarda à disposição da Justiça. A ação da Policia Civil contou com o apoio das polícias Civil e Militar de Garuva (SC)e Itapoá (SC), além dos policiais civis e militares de Guaratuba (PR).

Com informações da Polícia Civil

PM confirma afastamento de policiais envolvidos na morte de Ruhan

O Coronel Antônio Zanatta, chefe de Estado Maior da Polícia Militar, confirmou o afastamento dos policiais militares envolvidos na abordagem que terminou com a morte do estudante Ruhan Luiz Machado, de 20 anos, na última segunda-feira (22), no bairro Cajuru, em Curitiba.

Em coletiva, Zanatta explicou que um Inquérito Policial Militar (IPM) foi aberto paralelamente às investigações da Polícia Civil e que a PM não compactua com desvios de conduta de policiais.

“Nós não compactuamos com desvios de conduta da nossa tropa. Estamos agindo de forma muito firme e transparente, abrindo um inquérito policial militar para ouvir todas as partes envolvidas e no fim desse inquérito poderemos saber quais foram as atitudes dos policiais militares e das testemunhas. Eles estão afastados do serviço operacional”, explica o coronel. Além do afastamento, os policiais serão submetidos a exames psicológicos, como já é de praxe nessas situações.

A família do jovem defende a tese de que a vítima foi executada pelos policiais com, pelo menos, cinco tiros na cabeça na casa de um primo e que ele não teria envolvimento com drogas e armas. Na versão da PM, os policiais estariam em diligência pela região em que um corpo foi encontrado, abordaram jovens em uma casa e afirmam que ele chegou a atirar contra a equipe.

Segundo a mãe de Ruhan, Suzete Zaira dos Santos, os policiais não deixaram que familiares reconhecessem o corpo da vítima e que a cena foi forjada pelos policiais.

“Entraram atirando. Acertaram meu filho no primeiro tiro. Eles precisaram forjar para explicar o porque entraram atirando. Foi ai que começou a criação desse cenário… drogas e arma que não foram apresentadas para imprensa e que segundo eles foram encontradas na casa. Não permitiram que a família entrasse no local nem para reconhecer o corpo do meu filho”, diz a mãe.

‘Polícia forjou uma cena e o executou com cinco tiros na cabeça’, diz familiar de jovem morto em Curitiba
Familiares de jovem morto pela PM queimam ônibus e voltam a fechar ruas
> Polícia Civil instaura inquérito para investigar caso de jovem morto pela PM

A tia de Ruhan, Jucelene Zoara, afirma que o sobrinho gritou por socorro. Ela afirma que a família se mobilizou rapidamente para saber o que estava acontecendo. “Eles deram um tiro na perna do Ruhan e deixaram ele agonizando e depois deram mais cinco tiros na cabeça. Não chamaram socorro. Não permitiram que a família entrasse para socorrer. No primeiro tiro, o pai e a irmã que moram ali do lado, colados praticamente, ouviram os gritos do Ruhan. Ele disse ‘meu CPF é tal, meu RG é tal, a minha tia mora aqui do lado’ e a polícia o executou. Não houve abordagem. Não houve confronto”, afirma.

Ruhan não tem antecedentes criminais. De acordo com a família, ele trabalhava com o pai em uma construtora, havia passado no vestibular para o curso de Direito, mas não tinha como pagar, mesmo tendo conseguido bolsa de 50% desconto. Tinha planos para tentar a bolsa de 100% a partir do próximo Enem. A tia conta que o rapaz tinha acabado de passar em casa antes de morrer.

Sobre os disparos na cabeça, o Coronel Antônio Zanatta afirmou que não vai se manifestar para não prejudicar a realização do inquérito policial militar.

Familiares de jovem morto pela PM queimam ônibus e voltam a fechar ruas

Familiares e amigos do jovem Ruhan Machado, de 20 anos, voltaram a protestar, na noite desta quarta-feira (24), após a morte do rapaz na última segunda-feira (22). Os familiares alegam que o jovem foi executado pela Polícia Militar durante uma abordagem policial.

Os manifestantes bloquearam a Rua Trindade e o início da Avenida Presidente Affonso Camargo, no bairro Cajuru. Com cartazes pedindo por justiça, os familiares de Ruhan atearam fogo em pneus. Além disso, um carro teve os vidros quebrados.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), dois ônibus da linha Vila Autódromo foram incendiados. A linha foi suspensa conforme o Setransp.

Por meio de nota, o Setransp informou que, nesta terça-feira (23), um ônibus já tinha sido depredado e sofrido uma tentativa de incêndio. Mas a polícia evitou e o dano foi parcial. Porém, nesta quarta-feira (24), um dos veículos que teve fogo ateado foi totalmente consumido pelas chamas.

“O Setransp lamenta e condena esses ataques, que deixam a população desassistida de transporte e causam prejuízo ao sistema. O sindicato já alertou a Urbs sobre o problema e está em contato com os órgãos de segurança, pois há rumores de que os ataques podem continuar”, diz a nota.

 

Familiares e amigos protestam contra morte de jovem pela PM

Amigos e familiares do jovem Ruhan Machado, de 20 anos, fecharam uma rua do bairro Cajuru, entre a tarde e a noite desta terça-feira (23). Eles queimaram pneus e protestaram após a morte do jovem na última segunda-feira (22). De acordo com os policiais militares, o rapaz morreu em um confronto depois de reagir a abordagem policial. Os familiares contestam essa versão.

Durante o protesto, os moradores impediram a passagem de moradores entre a rua dos Ferroviários coma rua Trindade. Um ônibus foi apedrejado. A ação causou um tumulto e teve confronto com o Batalhão de Choque, mas ninguém ficou ferido. Por volta das 19h a via tinha sido liberada.

O CASO

Conforme a PM, durante um patrulhamento os policiais do 20º Batalhão avistaram alguns jovens em atitude suspeita. Ao abordarem o grupo, Ruhan teria atirado. Por isso, os policiais revidaram e acabaram acertando fatalmente o jovem.

Segundo a família, o rapaz não tinha envolvimento com a criminalidade e não andava armado. Os familiares dizem que ele trabalhava com o pai pavimentando ruas e frequentava a escola com a intenção de cursar uma faculdade ano que vem.

Em nota, a PM disse que será instaurado um procedimento interno para verificar as circunstâncias e a responsabilidade dos envolvidos. Só após isso será possível dar a versão oficial do fato.

A nota esclarece que a família da vítima pode formalizar as reclamações junto a Corregedoria-Geral da Polícia Militar.

Jovem encontrada morta no Cajuru é identificada

A mulher de 23 anos encontrada morta neste domingo (05) foi identificada como Kimberly Natali Cordeiro.

O corpo de jovem foi encontrado no terreno de uma empresa no bairro Cajuru, em Curitiba. Conforme a Guarda Municipal, o corpo foi achado por um homem, que acionou as autoridades.

Segundo a Guarda, ela estava seminua e tinha sinais de violência feitos recentemente.

Moradores da região relataram ter ouvido cachorros latindo no terreno por volta das 4 horas da manhã. O que, de acordo com a Guarda, pode indicar o horário aproximado do crime.

De acordo com as investigações, ela já tinha passagem pela polícia por porte e tráfico de drogas.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa deve investigar o caso.