carreta, caminhão, batatas, campos gerais, paraná, palmeira, tombou, tombamento, interdição, br-277, prf, polícia rodoviária federal

Carreta tomba e interdita BR-277 nos Campos Gerais do Paraná

Uma carreta carregada com batatas congeladas tombou na BR-277 na manhã desta quinta-feira (10). O acidente aconteceu na altura do km 167, em Palmeira, no Campos Gerais do Paraná. Apesar da gravidade do acidente, ninguém se feriu.

Por consequência do tombamento, o trânsito ficou completamente interrompido até o início da tarde. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), guinchos foram usados para arrastar a carreta e liberar parcialmente a pista.

Desde 12h15, os carros de passeio se revezam no sistema pare-e-siga. Os caminhões aguardam a liberação completa do trecho. Há cerca de cinco quilômetros de filas em cada um dos sentidos.

O transbordo da carga de batatas será feito às margens da rodovia, e só depois disso é que a carreta que tombou será removida. A concessionária Caminhos do Paraná, responsável pelo trecho dos Campos Gerais, realiza a limpeza da pista para viabilizar a liberação da rodovia.

carreta, caminhão, batatas, campos gerais, paraná, palmeira, tombou, tombamento, interdição, br-277, prf, polícia rodoviária federal 2
Divulgação/PRF

Petrobras recusa abastecer navios iranianos em Paranaguá por medo de represália americana

Maiores compradores de milho e um dos principais importadores de soja e carne bovina do Brasil, o Irã está com dois navios cargueiros fundeados a 20 quilômetros do Porto de Paranaguá, no Paraná, há mais de 30 dias. Outros dois navios de bandeira iraniana estão na mesma situação em Imbituba (SC). A Petrobras teme represálias dos Estados Unidos caso forneça combustível aos navios devido às sanções comerciais impostas pelos americanos contra o Irã. O caso foi parar na Justiça e tramita em segredo a pedido da estatal brasileira.

Um dos navios é o MV Bavand que está parado desde 8 de junho com mais de R$ 45 milhões em carga de milho. Já o MV Termeh aguarda o combustível para seguir até o Porto de Imbituba e carregar aproximadamente 60 mil toneladas de milho a granel, com valor aproximado de R$ 60 milhões. O destino dos dois navios é o Porto Bandar Imam Khomeini, no golfo pérsico.

PF apura ligação de membros de máfia italiana com aprensão de toneladas de cocaína em Paranaguá
Porto de Paranaguá tem movimentação mensal histórica

Segundo a revista especializada Portos e Navios, a empresa dona das embarcações solicitou 1.200 toneladas de combustível HFO 380 para o navio MV Bavand e 500t para o navio MVTermeh e recebeu a negativa poucos dias antes da chegada de ambos no território marítimo paranaense.

Além do risco à carga, que pode estragar, ser condenada e recusada no país de destino, a empresa exportadora apontou o risco ao meio ambiente marinho e aos tripulantes dos navios. O caso está na Justiça e em um dos autos, a empresa apontou uma decisão da Corte Internacional de Justiça determinou que os Estados Unidos deveriam remover todos os embargos quanto à exportação de alimentos e commodities agrícolas ao Irã.

Em nota, nesta quinta-feira, a Petrobras informou que os navios sancionados pelos Estados Unidos, por conta do programa nuclear iraniano, não vão receber o combustível solicitado porque há a possibilidade de a petroleira ser punida pelo governo norte-americano.

“Os navios contratados pela empresa importadora encontram-se sancionados pelos Estados Unidos e listados na Specially Designated Nationals and Blocked Persons List (SDN), da Office of Foreign Assets Control (OFAC). Além disso, há notícia de que esses navios vieram do Irã carregados com ureia, produto também sujeito a sanções norte-americanas. Caso a Petrobras venha a abastecer esses navios, ficará sujeita ao risco de ser incluída na mesma lista, sofrendo graves prejuízos decorrentes dessa sanção. Vale ressaltar que existem outras empresas capazes de atender à demanda por combustível”, diz a nota.

Os navios chegaram a receber uma liminar favorável do desembargador relator do processo na 2ª vara cível do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) no início de julho. A liminar obrigava a Transpetro a fornecer o combustível em caráter de urgência aos navios em quantidade suficiente para que pudessem retornar ao Irã. No entanto, logo depois, a liminar foi derrubada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, após recurso impetrado pela Petrobras. O processo tramita em segredo de Justiça e ainda cabe recurso ao colegiado do Supremo.

Caminhão carregado com 36 toneladas de açúcar tomba na BR-277

Um caminhão carregado de açúcar capotou na BR-277, em Morretes, no Litoral, na manhã deste sábado (18). Segundo informações da PRF, o motorista perdeu o controle no quilômetro 27, no sentido Paranaguá.

A carreta estava carregada com 36 toneladas de carga e tombou ao lado da rodovia.

O motorista foi socorrido com ferimentos leves e encaminhado ao Hospital Regional de Paranaguá. A pista não foi bloqueada para o atendimento da ocorrência.

Denarc apreende carga de crack avaliada em R$ 6 milhões

Um homem foi preso transportando mais de 210 quilos de crack na PR-580 em Umuarama, no norte do Paraná, na tarde de domingo (11).

De acordo com a Divisão Estadual de Narcóticos, a droga estava sendo transportada em um compartimento na cabine de um caminhão bitrem com placas de Cascavel, no oeste do estado.

Na delegacia, o motorista que já possui antecedentes criminais pelo mesmo crime, alegou que carregou o entorpecente na cidade de Ponta Porã (MS) e transportaria até Santos (SP). Ele receberia  R$ 15 mil pelo transporte.

Os policiais  receberam uma denúncia de que um veículo com as mesmas características estaria se deslocando do Mato Grosso do Sul com destino a cidade de Maringá, no noroeste, e que teria como rota a cidade de Umuarama.

De acordo com a delegada responsável pela ação, Ana Cristina Ferreira Silva, a ação contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal. “Com o apoio da PRF conseguimos tirar de circulação uma boa quantidade de droga do mercado ilícito, dando um prejuízo ao narcotráfico de mais de R$ 6 milhões”, falou.

O motorista foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e aguarda preso à disposição da Justiça.

Homem é preso com carga avaliada em R$ 80 mil

Um homem, de 48 anos, foi preso em flagrante nesta terça-feira (2), suspeito pelo crime de receptação. De acordo com a Polícia Civil, ele é proprietário de um barracão em Campo Magro, onde uma carga roubada de acessórios para caminhões foi encontrada. O material é avaliado em R$ 80 mil.

Conforme a polícia, o caminhão que transportava a mercadoria teria sido roubado em Curitiba no dia 13 de setembro. O motorista do caminhão teria sido abordado por três suspeitos portando arma de fogo. Após uso de violência e ameaças eles teriam roubado o veículo e subtraído a carga. A vítima foi mantida em cárcere por cerca de duas horas.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Tito Livio Barichello, o caminhão também foi recuperado posteriormente e a equipe continua com as buscas para prender os outros suspeitos. “Após diligências investigativas, encontramos ontem as mercadorias roubadas em um barracão, em Campo Magro. Agora mantemos os trabalhos policiais a fim de identificar os autores do roubo”, disse.

O proprietário do local foi preso em flagrante, mas não foi reconhecido pela vítima como autor do roubo. Ele responderá pelo crime de receptação.

Movimento de cargas por trens no Porto de Paranaguá aumenta 21%

No primeiro semestre, o Porto de Paranaguá movimentou mais de quatro milhões e oitocentas mil toneladas de cargas por meio de trens. Segundo o governo do estado, é a maior quantidade de produtos transportados por ferrovias no cais paranaense, no acumulado de janeiro a maio.

Nos últimos seis anos, a utilização de ferrovias aumentou 21% no Porto de Paranaguá. Em 2018, maio registrou a marca mais expressiva desde janeiro de 2011. Cerca de 28% da movimentação total ocorreu por ferrovia e o montante passou de um milhão e dez mil toneladas de produtos descarregados. Açúcar (40%) e soja (23%) foram as mercadorias mais transportadas via férrea em Paranaguá.

Um vagão consegue transportar 45 toneladas de produtos, cinco toneladas a mais do que o modal rodoviário. Para carregar um navio, são necessários 1.500 vagões; se forem usados caminhões, essa quantidade chega a 1.800 veículos.

Segundo a Administração dos Portos, em Paranaguá, a capacidade para descarga férrea passa de 89 mil toneladas por dia, o que equivale a 1.785 vagões que podem ser movimentados diariamente. O porto soma 70 quilômetros de linhas férreas, mais de sete quilômetros e meio no Corredor de Exportação.

PRF liberta dois motoristas, recupera carga e quatro veículos roubados

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) recuperou na manhã de sábado (15) quatro veículos roubados e recuperou uma carga de cerveja e energéticos na BR-116, em Campina Grande do Sul.

No início da manhã de sábado (15), por volta das 5h30, agentes da PRF receberam informação de um usuário que visualizou um assalto a um caminhão, próximo ao km 12 da Régis Bittencourt, em Campina Grande do Sul.

De posse das informações, a equipe passou a realizar rondas para verificar a situação. No km 30, em uma estrada vicinal os agentes visualizaram uma carreta, uma van e um Fiesta no local. Quando os ladrões avistaram a equipe de PRFs chegando no local, fugiram, abandonando uma pessoa, que foi identificado como um dos motoristas sequestrados.

Quando os policiais chegaram na Unidade Operacional da PRF para a o registro da ocorrência, uma equipe da concessionária que administra o trecho chegou com o outro motorista sequestrado, o motorista da van.

Foto: Divulgação PRF
Foto: Divulgação PRF

Segundo o relato deste motorista, seu roubo e sequestro ocorreu por volta das 2h, quando os sequestradores o abordaram próximo ao primeiro pedágio em São Paulo, em Barra do Turvo, na BR-116. Ela estava carregada com peças automotivas.

Os ladrões utilizaram essa van e um Ford Fiesta para assaltarem e sequestrarem o motorista da carreta.

No momento da chegada da PRF os ladrões faziam o transbordo da mercadoria da carreta para a van, mas ao perceberem a chegada da equipe policial, fugiram. Possivelmente se comunicaram e o outro bando libertou o motorista da van em outro local, até ser localizado pela equipe da concessionária.

Diante dos fatos, os dois motoristas sequestrados, que ficaram em poder de sequestradores durante toda a madrugada foram libertados e a cargas de cerveja e energéticos foi recuperada. A carga de peças já havia sido escoada pelo bando e não foi encontrada.

Quatro veículos foram recuperados, a saber: uma van, um cavalo-trator, uma carreta e o Fiesta utilizado no assalto, que em vistoria, os agentes verificaram que havia sido roubado no dia 10 de julho, em Curitiba.

Porto de Paranaguá bate novo recorde de movimentação de cargas

Andreza Rossini com informações da Agência Estadual de Notícias

O Porto de Paranaguá teve, em 2017, o melhor mês de fevereiro da sua história. Foram 4,29 milhões de toneladas movimentadas, o que representa um aumento de 20% em relação ao recorde anterior para o mesmo período, alcançado em 2014, quando 3,58 milhões de toneladas foram operadas pelo porto paranaense.

A marca histórica foi alcançada devido ao aumento na movimentação de vários produtos. As operações de soja em grão e farelo, fertilizantes, açúcar e granéis líquidos cresceram no período.

“O Porto de Paranaguá tem mostrado um dinamismo cada vez maior. Realizamos o maior pacote de investimentos da história do porto para capacitá-lo para todos seus usuários, sejam os exportadores do agronegócio e da indústria, seja para os importadores. Isso fica evidente quando batemos um recorde incrementando a movimentação de vários produtos diferentes”, afirma o secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

Corredor de Exportação

O Corredor de Exportação, complexo de escoamento de grãos do Porto de Paranaguá, também registrou o melhor mês de fevereiro da sua história. Foram exportadas 1,69 milhão de toneladas, 11% a mais do antigo recorde de 1,51 milhão de toneladas exportadas no ano passado.

O crescimento é fruto da alta no escoamento da soja em grão e em farelo. Somados, os dois produtos movimentaram 1,56 milhão de toneladas, um aumento de 56% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino, o aumento é natural, já que o momento está propício para o mercado exportador de commodities e o Porto de Paranaguá se capacitou para atender as demandas nestes períodos. “Estamos nos mostrando preparados para não só bater este recorde como também para receber um volume ainda maior de cargas nos próximos meses de escoamento da safra, com a mesma agilidade que se tornou uma marca dos Portos do Paraná”, afirma Dividino.

Safra

A perspectiva é que, aliando aumento da capacidade de movimentação e o momento do mercado, estes números realmente aumentem nos próximos meses. De acordo com os dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, os volumes de grãos colhidos devem ser superiores aos registrados nas safras anteriores.

A previsão é que a colheita de verão do Paraná chegue a 23,3 milhões de toneladas e, no Brasil, a safra toda deve alcançar a marca de 215 milhões de toneladas. Hoje, o Porto de Paranaguá atende o escoamento dos grãos dos principais estados produtores brasileiros, como Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás, além do próprio Paraná.

Segundo a estimativa de movimentação dos terminais que operam pelo Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá, cerca de cinco milhões de toneladas de grãos estão devem ser exportadas pelo porto ao longo dos meses de março, abril e maio, quando o escoamento da safra atinge seu pico.

Além da exportação da soja, o escoamento de açúcar também teve forte crescimento. Foram 177 mil toneladas exportadas ao longo do mês, o que representa um aumento de 41% em relação a fevereiro do ano passado.

Nas importações, os fertilizantes também bateram recorde. A marca de 852 mil toneladas descarregadas no mês foi a melhor da história para o produto, superando o recorde anterior de 747 mil toneladas em fevereiro de 2014.

Carga de eletrônicos avaliada em R$ 155 mil é apreendida na capital

Uma carga de produtos eletrônicos foi recuperada por policiais civis da Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas (DFRC) de Curitiba, na noite da última quarta-feira (20). A mercadoria, avaliada em R$ 155 mil, foi localizada em uma casa abandonada situada no bairro Ganchinho, em Curitiba.

O roubo da carga aconteceu no próprio bairro Ganchinho, na madrugada de quarta-feira. A equipe apreendeu 97 notebooks, 84 smartphones, 73 painéis LDC, 64 painéis led e 42 unidades de fones de ouvidos. Todos os produtos estavam embalados em caixas originais, prontos para serem comercializados a receptadores.
O motorista que transportava a carga foi abordado por três homens armados, que estavam em um veículo vermelho. Os suspeitos transferiram a carga para outro carro.

“Após a recuperação de parte da carga roubada, nós conseguimos minimizar o prejuízo da empresa. Agora a equipe da especializada segue as investigações para a identificação e prisão dos envolvidos, bem como o responsável pelo imóvel em que foram encontradas as mercadorias”, disse o delegado-titular da unidade, Marcelo Lemos de Oliveira.

Carga de R$ 30 mil em cervejas roubadas é recuperada em Colombo

Uma carga de cervejas roubada – avaliada em torno de R$ 30 mil – foi recuperada na tarde de segunda-feira (11), por policiais civis da Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas (DFRC) de Curitiba. Um homem de 31 anos que estava cuidando da mercadoria, foi preso em flagrante.

A carga foi encontrada e o suspeito foi preso em um galpão comercial no centro de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, após investigações de uma equipe que realizou campana no local após receber informações sobre a carga roubada.

Ao ser questionado o suspeito preferiu se manter calado e só falar em juízo. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de receptação qualificada, com pena prevista de três a oito anos de reclusão.

De acordo com informações levantadas pela polícia, a carga foi roubada na madrugada do último sábado (09), em um posto de combustível no quilômetro 52 da BR – 116, em Campina Grande do Sul (RMC), quando alguns homens abordaram o motorista que levava a carga de cervejas em uma carreta.

Após abordagem, a vítima só foi liberada pelos ladrões na cidade de Registro, Estado de São Paulo (SP). A mercadoria foi apreendida e já restituída a empresa.

“A polícia iniciou as investigações assim que foi notificada sobre o crime, nós conseguimos localizar parte da carga e prender o receptador. Agora as diligências vão prosseguir para identificarmos os autores do roubo”, disse o delegado-titular da DFRC, Marcelo Lemos de Oliveira.

O suspeito permanece detido à disposição da Justiça.