Ceará goleia a Chapecoense e se aproxima do G6 do Brasileirão

Neste sábado (10), o Ceará conseguiu um excelente resultado e conseguiu dar mais um grande passo para terminar a temporada de 2019 em alta. Isso porque a equipe comandada pelo técnico Enderson Moreira venceu a Chapecoense pelo placar de 4 a 1 -três de Thiago Galhardo e um Felippe Cardoso-, e garantiu mais três pontos na classificação do Campeonato Brasileiro. Os visitantes diminuíram no final, com Renato Kayzer.

Com o resultado, o clube cearense chegou aos 20 pontos conquistados e subiu para a sétima posição, se afastando da zona de rebaixamento e se aproximando do G-6. Já a Chapecoense se complica ainda mais e terminará esta rodada na zona de rebaixamento, pois no momento tem apenas 10 pontos e ocupa a 18° colocação.

Na próxima rodada, o Ceará não terá vida fácil e terá que superar as expectativas para conseguir somar pontos na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, já que a equipe enfrentará o São Paulo, fora de casa, no dia 18, às 16 horas, no próximo domingo. No mesmo dia, só que três horas mais tarde, a Chapecoense enfrentará o lanterna Avaí, porém não deverá um confronto fácil já que é um dos clássicos do estado de Santa Catarina.

Com o objetivo de ganhar os três pontos em casa, a equipe comandada pelo técnico Enderson Moreira tomou conta das ações ofensivas durante boa parte do jogo, encontrando espaço na defesa do time catarinense. No entanto, a falta de pontaria e de criatividade “emperravam” os donos da casa, que tinham as melhores chances em jogadas de bola parada como escanteios e faltas próximas da área do goleiro Tiepo.

A insistência na bola parada era tanta que o gol saiu na última tentativa do primeiro tempo, quando Thiago Galhardo conseguiu aproveitar a bola alçada para cabecear sem chances para o arqueiro adversário.

No segundo tempo, os donos da casa tiveram todo o controle da partida e ampliaram o marcador com mais belas aparições de Felippe Cardoso e Thiago Galhardo, destaques da partida deste sábado.

A proposta da Chapecoense, desde o início, era defender bem para tentar abrir o placar caso acontecesse algum erro da equipe cearense. Com isso, o time catarinense permitia que os donos da casa tivessem a posse de bola e usavam a velocidade dos laterais e do bom passe de Camilo para chegar na meta defendida pelo goleiro Diogo Silva.

Porém, a estratégia não deu certa, já que o time catarinense falhou no final do primeiro tempo e voltou do intervalo precisando se abrir, situação que deu espaço para o Ceará ampliar o marcador e garantir o triunfo.

Grêmio e Chapecoense empatam em jogo com seis gols

Grêmio e Chapecoense fizeram jogo emocionante nesta segunda-feira (5), em Porto Alegre, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho saiu na frente, levou empate duas vezes e ainda tomou a virada antes de arrancar um novo empate. Nos minutos finais, apesar da pressão gremista, a equipe catarinense resistiu e o placar ficou em 3 a 3.

Nos acréscimos do segundo tempo, a arbitragem marcou pênalti em cima de Kannemann com auxílio do auxiliar. Na revisão do VAR, o árbitro voltou atrás e anulou a penalidade.

Pedro Geromel, Everton e Diego Tardelli fizeram os gols do Grêmio. Everaldo, Gustavo Campanharo e Arthur Gomes marcaram para a Chape.

O resultado deixa o Grêmio com 17 pontos e a Chape chega aos 10. O time gaúcho termina a rodada em décimo terceiro lugar a equipe catarinense segue na zona de rebaixamento, na décima sétima posição.

Na próxima rodada, a Chapecoense visita o Ceará e o Grêmio vai ao Rio de Janeiro encarar o Flamengo. As duas partidas serão no sábado (10), às 17h e 19h, respectivamente.

O cabeceio logo aos 8min de jogo parecia prelúdio de um jogo tranquilo do Grêmio. Não foi. Restou a Pedro Geromel o fato de ter, enfim, marcado o primeiro gol em 2019. Ídolo, o zagueiro chegou ao décimo segundo gol como jogador do clube gaúcho.

O Grêmio teve mais posse, acertou quase 90% dos passes que tentou e mostrou repertório ofensivo. O problema da atuação contra a Chapecoense esteve na defesa. Com o setor exposto, o time gremista sofreu nos pés de Camilo e Everaldo. A fragilidade impediu que a equipe de Renato Gaúcho sustentasse vantagem no placar por longo tempo.

A Chapecoense se estruturou para dar liberdade a Camilo, Arthur Gomes e Everaldo. O trio foi sustentado por um empenho coletivo, liderado por Gustavo Campanharo. Mesmo com problemas na defesa, o time catarinense soube explorar as falhas do Grêmio.

Renato Gaúcho jogou o Grêmio ao ataque depois de levar o 3 a 2. Com sangue novo à frente, o time gaúcho passou a pressionar muito a Chape. A saída de Bruno Cortez para entrada de Luan foi vital para o novo cenário. Além do empate, com a nova formação os gremistas criaram várias chances e até acertaram o travessão.

GRÊMIO
Paulo Victor; Leonardo Gomes, Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez (Luan); Maicon, Matheus Henrique, Alisson (Pepê), Jean Pyerre (Diego Tardelli) e Éverton; André
T.: Renato Gaúcho

CHAPECOENSE
Tiepo; Eduardo, Gum, Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Augusto (Amaral), Gustavo Campanharo (Tharlis) e Camilo; Arthur Gomes (Renato Kayzer) e Everaldo
T.: Emerson Cris

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre
Juiz: Felipe Fernandes de Lima (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo e Sidmar dos Santos Meurer (ambos de MG)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Alisson, Kannemann, Geromel (GRE); Everaldo, Arthur Gomes (CHA)
Gols: Pedro Geromel, aos 8min do 1º tempo (GRE); Everaldo, aos 11min do 1º tempo (CHA); Everton, aos 26min do 1º tempo (GRE); Gustavo Campanharo, aos 34min do 1º tempo (CHA); Arthur Gomes, aos 14min do 2º tempo (CHA); Diego Tardelli, aos 34min do 2º tempo (GRE)

Grêmio x Chapecoense Brasileirão

Grêmio x Chapecoense: equipes se enfrentam para tentar subir na tabela

O Grêmio recebe em casa a Chapecoense nesta segunda-feira (5), às 20h, buscando a parte de cima da tabela do Campeonato Brasileiro. A equipe gaúcha anota 16 pontos na classificação geral e está na 13ª posição, quatro acima da zona de rebaixamento.

A Chapecoense, por outro lado, tem apenas 9 pontos, está na 18ª colocação e precisa de três pontos para pôr fim a uma longa sequência sem vitórias. Desde a sexta rodada, o time de Chapecó não vence e vem de quatro derrotas e dois empates, sendo que na décima primeira levou uma goleada de 4 a 0 do São Paulo.

Para o confronto, a equipe Catarinense não poderá contar com Douglas, lesionado, e Henrique Almeida, que está emprestado e pertence ao Grêmio. Os atletas serão substituídos por Maurício Ramos e Arthur Gomes.

Grêmio x Chapecoense Brasileirão
Treinamento da Chapecoense em Porto Alegre. Foto: Márcio Cunha/ACF

A equipe de Renato Gaúcho deve entrar com força máxima, mas também tem alguns desfalques. Marcello Oliveira, Felipe Vizeu e Michel ainda se recuperam de lesões e não devem entrar em campo.

A partida contra a Chape é o último do Grêmio antes de uma maratona pela Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil. O time terá sua última semana livre antes do desafio de nove jogos em 30 dias.

GRÊMIO

Paulo Victor; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon, Matheus Henrique, Alisson, Jean Pyerre e Everton; André
T.: Renato Gaúcho

CHAPECOENSE

Tiepo; Eduardo, Gum, Maurício Ramos e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Gustavo Campanharo, Augusto e Camilo; Arthur Gomes e Everaldo.
T.: Emerson Cris

Estádio: Arena do Grêmio
Horário: 20h desta segunda (5)
Juiz: Felipe Fernandes de Lima (MG)

Confira todos os resultados da 13.ª rodada do Brasileirão:

Com VAR acionado, Chapecoense e Bahia empatam e mantêm jejum no Brasileiro

Chapecoense e Bahia empataram em 0 a 0 hoje (28), pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena Condá, em Chapecó. Em uma partida com poucas chances claras e um gol do time da casa, marcado pelo estreante Henrique Almeida, anulado pela arbitragem de vídeo ainda no primeiro tempo, as equipes mantiveram longos jejuns de vitórias e situações incômodas na tabela de classificação.

A Chape não vence desde 26 de maio, é a sexta rodada consecutiva sem somar três pontos. Hoje, tinha a chance de deixar a zona de rebaixamento caso vencesse em casa, pois os concorrentes Fluminense e Cruzeiro perderam no sábado. Não conseguiu, segue em 18º. Já o Bahia, que ganhou um jogo pela última vez há cinco rodadas, sobe uma posição e vai para 11º, ainda distante das aspirações de Copa Libertadores.

Chapecoense e Bahia terão tempo de descanso até a próxima rodada do Brasileirão. Os catarinenses enfrentam o Grêmio na segunda-feira (5), às 20h, fora de casa, enquanto os baianos jogam na Arena Fonte Nova contra o Flamengo, no dia anterior, às 16h.

O Bahia realizou uma série de ações em homenagem a Adherbal Amaral, mais conhecido como “Seu Adherbal”, que era torcedor-símbolo, funcionário do clube há mais de 40 anos e que morreu na última quinta-feira vítima de câncer. Em abril, os jogadores do Bahia passaram a faixa de capitão e fizeram com que ele levantasse a taça de campeão baiano. A foto daquele dia foi estampa de uma camiseta branca com que o time entrou em campo hoje. Além desta ação, o nome de Adherbal foi estampado abaixo dos números na parte de trás da camisa de jogo e houve um minuto de silêncio antes de a bola rolar (compartilhado com Renato Moreira da Silva, pai de Leonardo Gaciba, chefe do departamento de arbitragem da CBF).

Aos 38 minutos do primeiro tempo, o estreante Henrique Almeida balançou as redes de Douglas após escanteio cobrado por Camilo e saiu comemorando. O árbitro Dewson Fernando Freitas se absteve de tomar uma decisão: nem apontou para o meio-campo para marcar o gol e nem marcou falta no goleiro do Bahia, que caiu no chão após trombar com jogadores da Chape. O árbitro simplesmente se omitiu do lance aguardando determinação do árbitro de vídeo. Depois, após consultar as imagens, deu falta em Douglas e anulou o gol que teria aberto o placar.

Apesar de não ter sido um espetáculo tecnicamente, a partida teve alguns destaques individuais. Do lado da Chapecoense, Camilo exigiu ótima defesa de Douglas em uma falta cobrada logo aos três minutos de bola rolando. O meia ainda circulou pela intermediária e por mais que tenha preferido chutar a gol do que manter a posse de bola para encontrar chances mais claras, conseguiu levar certo perigo. Pelo Bahia, Artur foi o grande nome ao puxar jogadas sozinho, carregar a bola e tentar infiltrações. Ele até sofreu uma falta cobrada por Moisés que fez Tiepo fazer uma defesa. Nada brilhantes, mas ambos acima da média do jogo.

Apesar de a Chape não ter sofrido gols pela primeira vez desde a estreia no Brasileirão, o volante Márcio Araújo não teve uma de suas jornadas mais felizes à frente da zaga. Foi dele, por exemplo, a falta cometida em Artur que fez Moisés levar perigo ao gol de Tiepo. Ele também falhou em alguns botes e precisou ser compensado. Campanharo, um pouco à frente, foi outro que não teve uma manhã feliz. Do lado do Bahia, apesar da falta bem cobrada, o lateral-esquerdo Moisés teve muitos problemas com erros de passe e posicionamento. Lucca, que estreou como titular, também não teve atuação inspirada. O goleiro Douglas, com várias saídas atrapalhadas do gol, também deu sustos na torcida baiana.

Mesmo diante de um adversário que errou muitos passes à frente da área e deu chances, a Chapecoense sofreu para criar por conta da má forma técnica de seus jogadores. Além de Camilo, só o estreante Henrique Almeida arriscou, saindo da área para criar e tentando associações com Campanharo. Ele até deu um passe bonito enganando a marcação como se fosse com um pé, mas acabou sendo com o outro. Foi ele quem fez o gol anulado pela arbitragem de vídeo também. Fora isso, muita briga e pouca inspiração.

O Bahia manteve maior posse de bola durante a partida, mas foi um domínio improdutivo por conta de erros de passe em momentos importantes. O time de Roger Machado sofreu na saída de bola ao perder pelo menos três vezes a posse e dar possibilidades de chegada à Chape. Além disso, o fato de a equipe ter sido escalada com três jogadores mais afeitos à posição de volante e três atacantes diminuiu o poder de articulação de jogadas do Bahia. Por isso as melhores chances só pintaram no segundo tempo, com movimentações mais agudas de Artur. Antes dos acréscimos o time chegou a ter duas boas chances, mas não converteu.

São Paulo goleia a Chapecoense e salta na tabela

O São Paulo venceu a Chapecoense por 4 a 0 em jogo pela 11ª rodada do Brasileirão, no Morumbi, nesta segunda-feira (22). Foram três gols em dez minutos e o último a dois minutos do fim da partida. O jogo teve também polêmica, com um gol anulado da Chape.

Depois de um primeiro tempo sem gols de nenhum dos times, o São Paulo abriu o placar aos três minutos do segundo tempo, com gol de Antony. Quatro minutos depois, Toró aumentou a diferença marcando o segundo do time. Aos 10 minutos, Raniel marcou o terceiro. Aos 20 minutos, a Chapecoense teve a chance de reagir. Gum marcou o primeiro do time, mas o gol foi anulado pela arbitragem após consulta ao VAR. O quarto gol do São Paulo veio no finalzinho do jogo, aos 46 minutos, Victor Bueno garantiu a goleada.

Com o resultado, o São Paulo salta da décima segunda para a quinta colocação na tabela, agora com 18 pontos. Já a Chapecoense segue com oito pontos na décima oitava posição.

Próximos jogos

São Paulo joga contra o Fluminense no s;abado (27), às 19h, no Maracanã. O Chape joga contra o Bahia no domingo (28), na Arena Condá, às 11h.

são paulo x chapecoense onde assistir

São Paulo enfrenta Chapecoense para encerrar a 11.ª rodada do Brasileirão 2019

São Paulo x Chapecoense se enfrentam nesta segunda-feira (21) para completar a 11.ª rodada do Brasileirão 2019. O jogo está marcado para às 20h, no estádio Morumbi. Confira o que vale a partida para as equipes, onde assistir e as prováveis escalações!

O Tricolor não vence há seis jogos na Série A. São cinco empates e uma derrota nos últimos confrontos. Além disso, o técnico Cuca não terá o atacante Pablo. Apesar de ter marcado gol contra o Palmeiras na última rodada, o jogador sofreu uma entorse no tornozelo e é desfalque. Com isso, Raniel ganha a vaga de titular. A notícia boa é que o atacante Éverton está relacionado e deve ficar no banco de reservas.

Com 12 pontos conquistados, o São Paulo está em 15.º lugar.

Do outro lado, a Chape luta para encerrar um jejum que dura mais de dois meses. A equipe não triunfa desde o dia 26 de maio, quando bateu o Cruzeiro no Mineirão. Caso vença, a Chapecoense sai da 18.ª posição para a 16.ª, empurrando justamente a Raposa para a zona de rebaixamento. Ou seja, além da confiança, os três pontos significam alívio para o técnico Ney Franco.

A tendência é que os reforços do time catarinense não atuem. O zagueiro Maurício Ramos deve ficar no banco de reservas, enquanto o atacante Henrique Almeida ainda não está regularizado.

chapecoense
Ney Franco em conversa com os jogadores durante o treino. Foto: Márcio Cunha/ACF

ONDE ASSISTIR

O jogo será transmitido apenas pelo Premiere, com narração de Odinei Ribeiro e comentários de Wagner Vilaron.

FICHA TÉCNICA

São Paulo x Chapecoense

Data, hora e local: segunda-feira (22?07/2019), às 20h, no Morumbi.

São Paulo: Tiago Volpi, Hudson, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan, Tchê Tchê e Hernanes; Antony, Pato e Raniel. Técnico: Cuca.

Chapecoense:  Tiepo; Eduardo, Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Camilo e Diego Torres; Alan Ruschel e Everaldo. Técnico: Ney Franco.

Arbitragem: Sávio Pereira Sampaio apita o jogo. Ele será auxiliado por Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Junior. Todos são do Distrito Federal.

Atlético-MG leva gol relâmpago, perde pênalti, mas vira no fim contra Chape

No apagar das luzes, o Atlético-MG virou a partida contra a Chapecoense e venceu por 2 a 1 na Arena Condá, fechando os jogos de domingo (14) pelo Brasileirão. O time da casa abriu o placar com um gol relâmpago aos 20 segundos. Melhor durante quase todo o jogo, o Galo reagiu no segundo tempo com Iago Maidana. Antes disso, Ricardo Oliveira teve a chance de marcar, mas teve seu pênalti defendido pelo goleiro Tiepo. Mas aos 54 minutos do segundo tempo, Vinícius invadiu a área e virou a partida para o Galo.

Com o resultado, o Atlético foi aos 19 pontos, ultrapassou o Internacional e sobe para o quarto lugar. Já a Chapecoense permanece com oito e segue na zona de rebaixamento, no 18º lugar.

O melhor momento da Chapecoense veio no primeiro ataque, com o oportunismo do artilheiro Everaldo, tocando de cabeça e tirando do goleiro Cleiton. Após o gol relâmpago, o time da casa se fechou em campo. Inferior tecnicamente, ficou pouco com a bola, passou a ser dominada pelo Galo e priorizou a marcação. Limitada, a equipe catarinense apresentou muitos problemas na hora de tentar algo a mais e só se arriscou ao ataque pouco antes do intervalo.

Com o gol cedo, o Galo passou a ter que lidar com a forte retranca da Chape. Com mais bola, o Atlético criou mais e levou perigo em mais de uma vez, mas pecou em alguns pontos. Um deles foi a ligação direta em excesso, além das várias tentativas de chegar ao gol pelo meio, sem abrir o jogo para as laterais. Na região central, Otero, Vinícius e Geuvânio se embolaram algumas vezes, tornando confusas algumas ações da equipe.

O Atlético teve um pênalti a seu favor aos 22 minutos, quando a finalização de Maicon Bolt explodiu no braço de Douglas. O árbitro Marcelo Ribeiro de Souza preferiu aguardar a revisão do VAR até anular o escanteio e marcar a penalidade. Após muita demora, Ricardo Oliveira foi para a batida quase cinco minutos depois, mas cobrou mal e viu o goleiro Tiepo fazer a defesa.

No segundo tempo, o Atlético conseguiu melhorar consideravelmente suas ações. Em poucos minutos, Maidana carimbou o travessão da Chape. Nem mesmo o pênalti desperdiçado por Ricardo Oliveira diminuiu o ímpeto do Galo. Dono das bolas paradas, Otero exigiu de Tiepo um rebote dentro da área que foi o suficiente para Maicon Bolt encontrar Maidana dentro da área. O zagueiro só completou para o gol e deixou tudo igual.

Aos 42 minutos, Everaldo chutou dentro da área, a bola bate na perna de Leonardo Silva e depois no braço. Com muita reclamação dos donos da casa, o árbitro aguardou o lance ser analisado e mandou o jogo seguir. Antes de recomeçar a partida, o juiz preferiu conferir pessoalmente o lance na cabine do VAR. Só então, recomeçou a partida. Nos dez minutos de acréscimos, o Atlético ainda encontrou forças para virar a partida com Vinícius, invadindo a área e finalizando para o gol com muita categoria. 2 a 1 placar final.

Palmeiras

Palmeiras vence a Chape e se mantém líder do Brasileiro

Na primeira partida após ter três pontos suspensos da tabela, o Palmeiras venceu a Chapecoense fora de casa, neste domingo (2), por 2 a 1.

O resultado fez a equipe de Luiz Felipe Scollari manter a ponta da tabela do Campeonato Brasileiro, agora com 16 pontos, mesmo com as vitórias de Atlético-MG e Santos (respectivamente um e dois pontos atrás na classificação).

A quinta vitória seguida em sete rodadas faz com que a equipe alviverde alcance incríveis 30 jogos sem derrota no Nacional.

Dudu abriu aos 31 minutos da primeira etapa e a Chapecoense chegou ao empate cinco minutos depois, em pênalti convertido por Everaldo.

A igualdade durou até os 44 min de jogo, quando Marcos Rocha deu números finais à partida.

Vale lembrar ainda que o jogo entre Botafogo e Palmeiras, na quinta todada do Brasileiro, foi suspenso provisoriamente, assim como os três pontos conquistados na ocasião.

Isso porque o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) analisa possível irregularidade no uso do árbitro de vídeo.

Caso o STJD conclua que não há motivo para anulação da partida, os três pontos voltam a ser computados para o Palmeiras na tabela.

Essa foi apenas a quarta vitória do Palmeiras contra a Chapecoense em 14 confrontos, cinco deles vencidos pelo time de Chapecó.

No próximo sábado (8), o Palmeiras recebe o Atlhetico-PR pela sétima rodada do Brasileiro. Já a Chapecoense volta à campo na segunda-feira (10), quando visita o Goiás.

CHAPECOENSE
Tiepo; Bryan (Diego Torres, 23’/2ºT), Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Elicarlos, Márcio Araújo, Gustavo e Campanharo (Camilo, 15’/2ºT); Arthur Gomes (Renato Kayzer, 15’/2ºT), Everaldo e Rildo.
T.: Ney Franco

PALMEIRAS
Weverton; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique, Lucas Lima (Moisés, 30’/2ºT), Zé Rafael (Hyoran, 22’/2ºT) e Dudu (Gustavo Scarpa, 41’/2ºT); Deyverson.
T.: Luiz Felipe Scolari

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR) Nota L! – 6,5 – Acertou nas marcações que tiveram auxílio do VAR
Assistentes: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
Árbitro de vídeo: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Assistentes de árbitro de vídeo: Elmo Alves Resende Cunha (GO) e Bruno Boschilia (Fifa-PR)

Público/Renda: 10.615/R$453.315,00

Cartões amarelos: Douglas, Elicarlos (CHA); Antônio Carlos, Felipe Melo, Deyverson, Zé Rafael, Gustavo Gómez (PAL)

Gols: Dudu (PAL), aos 31 minutos do primeiro tempo, Everaldo (CHA), aos 35 minutos do primeiro tempo, e Marcos Rocha (PAL), aos 44 minutos do primeiro tempo.

Chapecoense bate o Cruzeiro e conquista primeiro triunfo fora de casa

A Chapecoense fez bonito e venceu o Cruzeiro por 2 a 1 na noite deste domingo (26), no estádio Independência. Rildo abriu o placar, Thiago Neves igualou e Diego Torres garantiu o resultado para o visitante na partida válida pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro 2019.

Com o resultado, a Raposa cai para a 16ª colocação do torneio nacional, com seis pontos conquistados em seis partidas. A Chape é a 12ª da competição, com sete.

Os mineiros voltam a campo em 2 de junho para enfrentar o São Paulo no Morumbi. Os catarinenses jogarão contra o Palmeiras, na Arena Condá.

No primeiro tempo, o Cruzeiro foi quem mais criou chances. O mandante, no entanto, não deu nem um chute sequer na direção do gol defendido por Tiepo. A Chapecoense, por sua vez, acertou a trave de Fábio com o atacante Rildo, logo no início desta etapa. Na volta do intervalo, o jogo se modificou. Rildo aproveitou erro de Fábio em rebote e mandou para o fundo da rede aos 6 minutos do segundo tempo. Aos 11 minutos, Thiago Neves deixou a sua marca em um golaço. Diego Torres aproveitou sobra em drible de Aylon sobre Dedé para deixar a sua marca aos 39 minutos da etapa final.

O Cruzeiro teve mais posse de bola durante toda a partida. A equipe comandada por Mano Menezes utilizou as linhas altas e pressionou a saída da equipe adversária. Por isso, acabou ficando por mais tempo com a bola que o visitante. O problema era o erro na hora de finalizar. O Cruzeiro tentou 15 chutes a gol, sendo dez para fora. Um número muito elevado. Fred foi quem mais vacilou na hora de concluir. O atleta, inclusive, acertou a trave de Tiepo em uma das jogadas.

A Chapecoense chegou à Arena Independência bastante fechada e apostando em contra-ataques. A velocidade dos homens de frente – Rildo e Everaldo – é o que fez o técnico Ney Franco acreditar neste estilo de jogo. Em tese, a escolha do treinador foi correta, já que os catarinenses criaram boas oportunidades desta forma. Em uma delas, Rildo aproveitou um raro erro de Fábio e mandou para o fundo da rede no rebote do goleiro cruzeirense. Já nos minutos finais, Diego Torres recebeu de Aylon e cabeceou para o fundo da rede de Fábio em mais uma jogada de contragolpe.

Fortaleza segura Chape, vence a 1ª fora de casa e sobe na tabela

O Fortaleza ganhou a segunda no Campeonato Brasileiro, a primeira fora de casa. Atuando como visitante na Arena Condá, em Chapecó (SC), na tarde deste domingo (19), a equipe de Rogério Ceni aproveitou os espaços, foi precisa nos contra-ataques e segurou a Chapecoense para vencer por 3 a 1. A partida foi válida pela quinta rodada da competição.

Com a vitória, o Leão do Pici chega a seis pontos e sobe para a 13ª posição na tabela. Já a Chape desperdiça a chance de somar pontos em casa e fica com apenas três, na 15ª colocação.

Rildo abriu o placar aos 12 minutos do primeiro tempo, nas costas do zagueiro Quintero, após passe na medida de Everaldo. Também em cruzamento por trás da zaga veio o empate do Fortaleza, com Marcinho, aos 38 minutos. Na etapa final, os visitantes foram cirúrgicos: marcaram com Marcinho  Osvaldo, aos 18 e 19 minutos, respectivamente, e liquidaram o placar.

As principais jogadas de perigo da equipe de Ney Franco foram construídas em lances individuais. O gol anotado por Rildo, por exemplo, contou com lindo passe de Everaldo. O camisa 77, por sinal, assustou em jogada de velocidade: ele arrancou e chutou de esquerda, mas parou em Felipe Alves. Pelo lado direito, Augusto teve uma chance. O volante driblou a marcação e mandou uma bomba, novamente defendida pelo goleiro do Leão.

No começo da etapa final, foi a vez de Arthur Gomes. O atacante partiu em velocidade, livrou-se de dois marcadores de uma vez e carimbou a trave.

O Leão do Pici foi com uma proposta bem definida para Chapecó: marcar do meio-campo, com paciência, e apostar nos contra-ataques. Deu certo. Foi em contra-ataques que o time tricolor chegou ao segundo e terceiro gols.

Lorenzo, filho do ex-goleiro Danilo, uma das vítimas do acidente aéreo que atingiu a delegação da Chape, entrou em campo de mãos dadas com Tiepo, atual goleiro do clube catarinense. O garoto, inclusive, já havia tido um encontro especial no fim de semana: ele visitou Rogério Ceni no último treino do Leão antes da partida.