falta de água, curitiba, sanepar, bairros, estiagem, reservatórios, chuva

Falta de água afeta 38 bairros de Curitiba neste domingo

Falta água neste domingo (15) em 38 bairros de Curitiba, de acordo com a Sanepar. O abastecimento deve ser normalizado até o final da manhã desta segunda-feira (16). A falta de água afeta cerca de 160 mil pessoas.

De acordo com a Sanepar, o desabastecimento é causado devido ao consumo exagerado. Conforme a empresa, nos últimos dias estão sendo consumidos 1,7 milhão de litros de água por hora, muito acima da média.

Por isso, e devido ao período de estiagem, os reservatórios não conseguem recuperar os níveis de abastecimento.

A Sanepar orienta que os consumidores não desperdicem água. Os imóveis sem caixa d’água de pelo menos 500 litros podem ser os mais afetados pelo desabastecimento. Mais informações estão no site da Sanepar, ou pelo 0800 200 0115.

VEJA A LISTA DE BAIRROS ONDE FALTA ÁGUA EM CURITIBA

  • Abranches
  • Ahú
  • Atuba
  • Augusta
  • Bacacheri
  • Barrerinha
  • Bigorrilho
  • Boa Vista
  • Bom Retiro
  • Cabral
  • Cachoeira
  • Campina do Siqueira
  • Campo Comprido
  • Campo de Santana
  • Capão Raso
  • Cascatinha
  • Caximba
  • Centro Cívico
  • Cidade Industrial de Curitiba
  • Ganchinho
  • Juvevê
  • Mercês
  • Mossunguê
  • Orleans
  • Pilarzinho
  • Pinheirinho
  • Riviera
  • Santa Cândida
  • Santo Inácio
  • São Braz
  • São Francisco
  • São João
  • São Lourenço
  • Sítio Cercado
  • Tatuquara
  • Tingui
  • Umbará
  • Vista Alegre

+ Leia também: 29 linhas de ônibus de Curitiba adotam uso exclusivo do cartão-transporte

chuva, carro, vaquinha, vakinha, enxurrada, curitiba, paraná, rio belém, paraná clube, campeonato paranaense

Amigos fazem vaquinha para ajudar motorista que teve carro levado pela chuva

O motorista que perdeu o carro no temporal do último domingo, em Curitiba (9), busca reaver parte do prejuízo por meio de uma vaquinha online. Leonardo Pereira Nadolny busca arrecadar R$ 15 mil. Ele acompanhava o jogo entre Paraná Clube e Cianorte, na Vila Capanema, quando o Canal Belém transbordou e causou alagamentos na região.

O carro de Leonardo foi levado pela enxurrada. De acordo com ele, o veículo só foi encontrado no dia seguinte. No entanto, o carro estava completamente destruído, dentro do Rio Belém.

Conforme o motorista, o “diagnóstico” foi de perda total. Por isso, não há condições para restauração.

A ideia da vaquinha online surgiu por meio de amigos de Leonardo Nadolny, que tiveram a ideia com a intenção de ajuda-lo a comprar outro carro. Até as 16h30 desta terça-feira (11), já havia sido arrecadado R$ 3.873,00, por meio de 101 contribuintes.

A doação mínima por meio da plataforma é R$ 25,00. Para acessar a vaquinha, clique aqui.

*Com informações da BandNews FM Curitiba

chuvas - litoral do Paraná - Matinhos - Guaratuba - Pontal do Paraná

Fortes chuvas causam estragos em cidades do litoral do Paraná

A manhã deste sábado (8) ficou marcada pelas fortes chuvas no litoral do Paraná. Os municípios de Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba foram os que mais sofreram com alagamentos.

Ao todo o Corpo de Bombeiros teve que atender cinco atendimentos, sendo quatro em Matinhos e um em Guaratuba.

Nenhuma das ocorrências precisou ser encaminhada para hospitais da região, com as pessoas sendo encaminhadas para casas de familiares. Destaque para o resgate de uma idosa com a perna quebrada, que ficou ilhada em sua residência e precisou ser auxiliada pelos bombeiros.

Segundo o Instituto Somar Meteorologia, somente em Guaratuba, foi registrado cerca de 250mm de chuva nos primeiros oito dias de fevereiro. A média histórica mensal fica na casa dos 319,4 mm de precipitação, ou seja, 77% da previsão para o mês já caiu na cidade.

Já em Morretes os números são ainda mais impressionantes. São 256,8 mm de chuva neste início de fevereiro, 90% do esperado para todo mês.

Com essa situação, a Prefeitura de Guaratuba já emitiu alerta para toda sua população. A cidade ainda enfrenta problema com a maré alta, que deve se normalizar apenas no final da tarde deste sábado.

chuvas alagamentos Santa Catarina Balneário Camburiú

Homem usa caiaque para andar em Balneário Camboriú após alagamento; veja o vídeo

Balneário Camboriú e Itajaí ficaram alagadas pelas fortes chuvas atingiram Santa Catarina nesta quinta-feira (6), mas um homem chamou a atenção por andar de caiaque na Avenida Atlântica.

A cena foi flagrada por um funcionário de um dos postos de serviço da praia. O rapaz usa o acostamento da via, disponibilizada para bicicletas, patinetes e outros, para passear na chuva.

Assista o vídeo:

DEFESA CIVIL E INMET ALERTAM PARA O PERIGO DAS CHUVAS

De acordo com a Defesa Civil de Santa Catarina, Balneário Camboriú registrou quatro quedas de árvores e diversos pontos alagamentos. A água entra em comércios – inundou o estacionamento de um dos shoppings da cidade – e residências, além de causar pane em carros nas ruas.

Além disso, as autoridades relatam dificuldades para as equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Samu se deslocarem.

Outras cidades também sofrem com dificuldades por causa das chuvas. Garuva, por exemplo, registra 307 milímetros de chuva acumulados nas últimas 72 horas e está com alerta vermelho para deslizamentos, assim Ilhota.

Na SC-108, no município de Guaramirim, obras foram interrompidas. Contudo, o último boletim emitido pela Defesa Civil, às 19h17, ressalta que houveram instabilidades apenas nas áreas adjacentes.

Tabela divulgada pela Defesa Civil de Santa Catarina. (Reprodução)

Já o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) também emitiu um alerta de perigo válido para o litoral de Santa Catarina até às 23h59 desta sexta-feira (6).

O aviso prevê chuvas entre 30 a 60 mm/h, com risco de alagamentos, deslizamentos e transbordamentos de rios.

A orientação é avisar a Defesa Civil, pelo 199, ou Corpo de Bombeiros, pelo 193. Além disso, é recomendado enfrentar o mau tempo e, em casos de inundações, proteger os pertences da água envolvendo-os em sacos plásticos. Por fim, caso possível, desligar aparelhos elétricos e o quadro geral de energia.

FOTOS E VÍDEOS DA CHUVA EM SANTA CATARINA

Confira registros, compartilhados nas redes sociais, das chuvas em Santa Catarina.

 

 

Balneário Camburiú

 

previsão do tempo, curitiba, paraná, alerta, chuva, chuvas, temporal, temporais, curitiba, litoral, paraná, simepar, inmet, geraldo bubniak

Paraná em alerta para chuvas e temporais até sexta-feira

O Paraná está em alerta para chuvas e temporais até sexta-feira (07). O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu um alerta de perigo válido para o litoral, Serra do Mar e parte da região metropolitana de Curitiba.

Conforme o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), há possibilidade de chuva forte em  Guaratuba, em grande parte da Serra do Mar e em cidades ao sul de Curitiba. Além disso, estão previstos temporais distribuídos de forma irregular no interior. Chove forte, por exemplo, em municípios como Apucarana, Telêmaco Borba e Arapoti.

“A previsão para hoje (06) em Curitiba é de um acumulado de aproximadamente 10 mm. A tendência é que as pancadas de chuva aconteçam de forma isolada. Assim, a chuva deve cessar no período da noite”, explicou a meteorologista Larissa de Freitas, do Simepar.

Conforme o Simepar, a previsão do tempo para sexta-feira em Curitiba é parecida. A temperatura sobe durante a manhã e a tarde. O calor e a umidade oferecem as condições ideias para a formação de nuvens de chuva.

PREVISÃO DO TEMPO PARA SEXTA-FEIRA: CHUVA NO PARANÁ

previsão do tempo, curitiba, paraná, alerta, chuva, chuvas, temporal, temporais, curitiba, litoral, paraná, simepar, inmet
Previsão do tempo para sexta-feira (06/02/2020), conforme o Simepar. (Reprodução)

 

chuva, chuvas, temporal, temporais, mortes, mortos, minas gerais, belo horizonte, previsão do tempo, previsão, inmet, meteorologia,

Chuva em Minas Gerais já causou 50 mortes

Chega a 50 o número de mortes confirmadas por causa da chuva em Minas Gerais. Mais cinco óbitos forma confirmados nas últimas 24 horas pela Coordenadoria da Defesa Civil. O último balanço foi divulgado às 11h. Conforme o Inmet, a previsão do tempo é de mais temporais no estado.

De acordo com o governo mineiro, as primeiras mortes relacionadas à chuva ocorreram entre os dias 23 e 24 de janeiro. Assim, a média é de mais de oito mortos por dia. A principal causa, conforme a Defesa Civil, são os deslizamentos de terra. Além disso, outros fatores também tiraram a vida de vítimas no estado: desmoronamento de construções, alagamentos, transbordamento de rios e quedas de árvores.

Uma menina de apenas 2 anos foi uma das últimas vítimas a serem confirmadas. De acordo com o governo de Minas Gerais, ela morava em um acampamento de trabalhadores rurais sem terra em Olhos d’Água, a 420 km de Belo Horizonte, também atingida pela chuva forte.

Conforme o cabo José Eustáquio de Moraes, do 7º Batalhão do Corpo de Bombeiros em Montes Claros, a parede da casa desabou com a força da chuva e atingiu a menina. A vítima foi encaminhada para o Centro de Saúde de Olhos d’Água, mas não resistiu aos ferimentos.

Além disso, mortes relacionada à chuva foram registradas em Luisburgo (2), Divinópolis (1) e Pedra Bonita (1). Até agora, 101 cidades de Minas Gerais decretaram situação de emergência.

chuva, chuvas, temporal, temporais, mortes, mortos, minas gerais, belo horizonte, previsão do tempo, previsão, inmet, meteorologia,
Minas Gerais sofre com a quantidade de chuva acumulada. O mapa indica a precipitação entre os dias 23 e 27/01 (Reprodução/Inmet)

PREVISÃO DO TEMPO: MAIS CHUVA EM MINAS GERAIS

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), os temporais persistem em Minas Gerais nesta terça-feira (28). Trovoadas são esperadas nas regiões central, norte e leste do estado. Conforme a previsão do tempo, as instabilidades continuam devido a um fenômeno meteorológico que favores as pancadas de chuva (Zona de Convergência do Atlântico Sul).

Conforme o Inmet, as temperaturas variam bastante. Podem chegar a 35ºC na região norte. No sul de Minas Gerais, a mínima pode atingir os 18ºC.

chuva, chuvas, temporal, temporais, mortes, mortos, minas gerais, belo horizonte, previsão do tempo, previsão, inmet, meteorologia
Previsão do tempo para os próximos dias. (Reprodução/Inmet)
chuva, chuvas, mg, minas gerais, pessoas, mortos, mortas, desaparecidos, desaparecidas, defesa civil, mortes

Sobe para 37 número de mortes na Grande BH por causa das chuvas

O número de mortes em razão das chuvas em Minas Gerais subiu para 37. O número foi atualizado pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil neste domingo (26). Além dos óbitos, há 25 pessoas desaparecidas.

De acordo com a Defesa Civil, há risco grande de deslizamento em nove cidades da região metropolitana de Belo Horizonte: Sabará, Rio Acima, Brumadinho, Contagem, Nova Lima, Betim, Ribeirão das Neves e Ibirité, além da própria capital.

Entre a quinta e a sexta-feira, o volume foi o maior registrado desde que teve início o monitoramento, no ano de 1910. A previsão é que a intensidade das chuvas reduza-se a partir deste domingo (26).

A Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar continuam trabalhando no atendimento de ocorrências tanto de risco geológico (como deslizamentos e soterramentos) quanto de risco hidrológico (como alagamentos e inundações).

MORTES CAUSADAS PELAS CHUVAS LEVAM À SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

O governo federal decretou, de forma sumária, situação de emergência em Belo Horizonte e Contagem, Minas Gerais, e também em quatro cidades capixabas..

Equipe do Ministério do Desenvolvimento Regional atua em apoio aos trabalhos de resposta às fortes chuvas que atingiram a região metropolitana de Belo Horizonte e o Espírito Santo. Profissionais da Defesa Civil Nacional estão em ambas as localidades para auxiliar na mitigação dos danos humanos e materiais causados pelos desastres.

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério do Desenvolvimento Regional, elevou o status de operação do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) para alerta máximo.

Neste sábado (25), o governo realizou reunião com representantes de diversos órgãos para traçar um plano de ação nos municípios mais afetados pelas chuvas.

chuva, chuvas, mg, minas gerais, pessoas, mortos, mortas, desaparecidos, desaparecidas, defesa civil, mortes

Chuva em Minas Gerais matou 12 pessoas e 16 estão desaparecidas

O número de mortes em razão da chuva em Minas Gerais subiu para 12. O número foi atualizado pela Defesa Civil neste sábado (25). Além disso, há 16 pessoas desaparecidas, o que pode elevar as perdas.

Os temporais castigaram 36 municípios do estado, atingindo 3.375 pessoas. Conforme o último balanço das autoridades estaduais, sete pessoas ficaram feridas, 2.554 estão desalojadas e 751 desabrigados.

De acordo com a Defesa Civil, há risco grande de deslizamento em nove cidades da região metropolitana de Belo Horizonte: Sabará, Rio Acima, Brumadinho, Contagem, Nova Lima, Betim, Ribeirão das Neves e Ibirité, além da própria capital. Em Belo Horizonte, somente ontem (24) foram registradas 72 ocorrências desse tipo.

Entre a quinta e a sexta-feira, o volume foi o maior registrado desde que teve início o monitoramento, no ano de 1910.

A previsão é que a intensidade da chuva reduza-se amanhã (26). A Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar continuam trabalhando no atendimento de ocorrências tanto de risco geológico (como deslizamentos e soterramentos) quanto de risco hidrológico (como alagamentos e inundações).

*Com informações de Priscila Mazenotti, repórter da Rádio Nacional

paraná, alerta, alerta laranja, chuva forte, chuvas, temporal, temporais, simepar, inmet, previsão do tempo, curitiba

Chuva deixa 6 mil domicílios sem energia em Maringá e gera transtornos em Curitiba

As fortes tempestades que atingem o Paraná nesta quinta-feira (16) vão causando diversos transtornos no estado. Em Curitiba, a Defesa Civil informou que registrou 27 solicitações para retirada de árvores e galhos após a chuva, enquanto Maringá, na região norte, está com cerca de seis mil domicílios sem energia elétrica.

A informação foi confirmada pela Copel (Companhia Paranaense de Energia), que ainda informou que 127 pontos diferentes da região sofreram estragos por causa dos fortes bentos e das quedas de árvores.

Além disso, a Copel reitera a orientação de manter distância de fios caídos e em outras situações de risco após temporais. Em casos de falta de luz, é possível comunicar a empresa pelo aplicativo ou enviar uma mensagem de texto (SMS) para o número 28593. Na mensagem, é preciso informar as letras “SL” e a unidade consumidora.

Segundo o monitoramento do Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), os ventos chegaram a 62,3 km/h, às 13h, em Maringá. Inclusive, a vigilância aponta que as cidades de Laranjal, na região oeste, e Paranácity, no norte do Paraná, estão com grandes tempestades e incidência de raios.

“Estamos recebendo informações em todos os momentos, mas a chuva está mais moderada na maior parte do estado”, disse a meteorologista Larissa Freitas.

CHUVA EM CURITIBA

A capital paranaense teve registros em 13 bairros diferentes: Vista Alegre, Hugo Lange, Jardim Social, Água Verde, CIC, Bairro Alto, Novo Mundo, Mercês, Juvevê, Tarumã, Cajuru, Bom Retiro e Tingui.

A ocorrência com maior complicação foi a queda de uma árvore entre as Rua Belo Horizonte, no Água Verde, perto do cruzamento com a Avenida Sete de Setembro. Já na Rua Bom Jesus, no Juvevê, uma árvore caiu sobre dois carros estacionados, mas ninguém se feriu.

Por fim, na Rua Presidente Rodrigo Otávio, no Hugo Lange, uma árvore caiu e puxou os fios da rede elétrica, o que causou o bloqueio da via.

Equipes da Setran (Superintendência de Trânsito), Guarda Municipal e Secretaria Municipal de Meio Ambiente estão atendendo as ocorrências para normalizar a situação.

Por fim, a orientação Defesa Civil é evitar sair de casa durante uma tempestade em Curitiba. Caso a pessoa estiver na rua, não é recomendado se abrigar embaixo de árvores e de estruturas metálicas porque a capital tem registrado grande incidência de raios.

chuva curitiba

Chuva complica trânsito e gera transtornos em Curitiba

A chuva que atingiu Curitiba na tarde desta quinta-feira (9) gerou diversas complicações na cidade. Segundo o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná), a precipitação acumulada foi de 23,4 milímetros e as rajadas de vento chegaram a 37,1 km/h.

Apesar disso, a previsão do tempo para essa sexta (10) é esquentar. Os termômetros devem girar entre 19°C hoje e 33°C, mas a chuva deve se intensificar no final do dia.

Nos bairros Bacacheri e Boa Vista, houve registros de alagamentos, assim como em Colombo, na Região Metropolitana. Já na Rua Dr. Joaquim Ignácio Silveira da Motta, no Guabirotuba, um muro desabou com a força da chuva.

Já no Fazendinha, mais especificamente na Rua Arthur Martins Franco, foi registrada uma ocorrência de erosão.

Por fim, diversos galhos de uma árvore caíram na Rua Marechal Deodoro e bloquearam uma faixa da via entre as ruas Sete de Abril e Almirante Tamandaré. A Setran (Superintendência de Trânsito) foi acionada e solucionou o problema.

Segundo a prefeitura de Curitiba, existem equipes atendendo todas essas ocorrências.

ORIENTAÇÕES PARA A CHUVA EM CURITIBA

Chuva marcou presença na capital paranaense. (Geraldo Bubniak / AGB)

A Defesa Civil recomenda evitar sair de casa durante uma tempestade. Se a pessoa estiver na rua, não é orientado se abrigar embaixo de árvores e de estruturas metálicas, principalmente porque Curitiba tem registrado grande incidência de raios.

Já no trânsito, o motorista deve redobrar a atenção e reduzir a velocidade.

A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão) e pelo 153 (Centro de Operações da Defesa Social – Guarda Municipal).

Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193) e pela Copel.