Um mês após incêndio, reconstrução de casas da Vila Corbélia aguarda doações

A organização internacional TETO, que atua em favelas precárias de 19 países da América Latina e Caribe, segue arrecadando fundos para a reconstrução das moradias destruídas pelo incêndio na ocupação 29 de Março da Vila Corbélia, localizada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), no dia 7 de dezembro. Mais de 300 casas da comunidade foram incendiadas.

As famílias seguem desabrigadas, parte está em organizações sociais ou foi para a casa de parentes e amigos. Ainda em dezembro, o prefeito Rafael Greca anunciou que as famílias receberiam aluguel social por seis meses.

Antes do Natal, no dia 22 e 23 de dezembro, a TETO reconstruiu 21 residências na comunidade com mão de obra voluntária. A meta é construir 150 casas, cada uma tem o custo aproximado de R$ 5 mil. Para dar continuidade ao processo, a organização lançou uma vaquinha online que já arrecadou pouco mais de R$ 110 mil mas que ainda está longe de atingir o necessário para garantir a reconstrução de todas as moradias. A meta é R$ 775 mil.

Segundo a organização, a ação na Vila Corbélia é a maior desde o início de sua atuação no Brasil, há mais de 10 anos.

Foto: Divulgação / TETO

“Queremos dar um alento para essas famílias que perderam tudo no fogo. Muitas dessas casas destruídas pelo fogo, inclusive, tinham sido construídas pelo TETO no mês de julho de 2018. Conhecemos muito bem as famílias, o que nos deixou ainda mais chocados e preocupados com tudo o que aconteceu. Temos que agir rápido e adiantar nossos processos para que essas pessoas voltem a sorrir o quanto antes. Para isso, precisamos muito da ajuda de todos os brasileiros”, comenta Lucas Kogut, gestor da divisão paranaense do TETO.

A próxima etapa de reconstrução das casas está prevista para acontecer em fevereiro e a seleção das famílias prioritárias para construção das casas segue critérios de urgência.

Morte e incêndio

O Ministério Público do Paraná e a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa apuram as circunstâncias de dois assassinatos e de um incêndio que destruiu as casas da Vila Córbelia. Até o momento, não há qualquer confirmação sobre o motivo do incêndio e nenhuma pessoa foi responsabilizada.

O policial militar Erick Nório, do 23º Batalhão, foi atingido por tiros ao chegar na comunidade para atender uma ocorrência de perturbação de sossego. Na mesma noite, a vila foi incendiada. Moradores acusam a PM de represália. Por sua vez, a PM convocou coletiva de imprensa e atribuiu o incêndio a uma ação do “crime organizado” e rebateu a acusação.

Dias depois, após a divulgação de vídeos, a PM confirmou que os homens que aparecem atirando horas antes do início do incêndio no local pertencem à corporação. As imagens mostraram dois homens utilizando coletes à prova de bala da PM descendo de um carro branco e atirando à esmo, sem um alvo definido, em direção às casas da comunidade.

Ao Intercept, moradores relataram terem sido torturados e testemunharam policiais consumindo cocaína e espalhando gasolina sobre casas momentos antes do início do fogo.

Ex-jogador do Coritiba dá aulas de futebol para crianças carentes na CIC

Redação com BandNews FM Curitiba

Edson Maciel, de 42 anos, foi jogador da categoria de base do Coritiba na adolescência, mas teve a carreira interrompida aos 20 anos por um grave problema de saúde. Com uma uma série de convulsões, ele foi obrigado a deixar os gramados e mantém, desde 2010, um projeto social voltado para crianças carentes no bairro Sabará, na Cidade Industrial de Curitiba.

De acordo com o ex-jogador, ele soube adaptar a rotina e iniciou os trabalhos logo que voltou para a capital. “Depois que tive problema de saúde no Coritiba, eu ainda joguei por dois anos no interior. Aos 22 anos, eu retornei para Curitiba e comecei a trabalhar com iniciação esportiva. Eu comecei com 20 a 25 alunos. Se passaram quase 20 anos e hoje eu tenho 250 crianças que atendo, além de outros projetos que desenvolvo”, conta Maciel.

Ele também dá aulas de futebol para 60 jovens carentes do bairro Orleans. Ele acredita que a principal contribuição que traz para a vida dos adolescentes não é a técnica do futebol e sim a saúde e a convivência com outras pessoas. “A gente atende tantas crianças e jovens e sabemos o meio difícil em que vivem. Muitos têm famílias destruídas. Eu não sou um treinador de futebol, eu procuro trazer alegria e paz naquele momento em que estão comigo para que eles tenham uma referência”, diz.

O esporte transformou a vida de Edson, mesmo que de uma forma inesperada e não planejada. O ex-jogador e educador social tem certeza de que o futebol também traz uma nova perspectiva de futuro para os jovens atendidos nos projetos. “Claro que eles tem o sonho de serem atletas. Esse sonho é importante para a formação humana e dessa criança. Com isso, ele vai estar longe das más companhias e das drogas. Para a gente que tem essa experiencia de vida, a gente tem certeza que o sonho é o que alimenta nossa alma”, afirma Maciel.

Estado extingue de vez dívida da Cidade Industrial de Curitiba

Da AEN

O governador Beto Richa sancionou nesta quarta-feira (12) a lei que põe fim à questão da dívida da Curitiba S/A com o Estado e que tinha a Prefeitura de Curitiba como fiadora. A dívida original, de R$ 1 bilhão, foi perdoada em 2015, porém os impostos federais, no valor de R$ 70 milhões, ainda eram devidos. A medida altera a Lei Estadual 16.348, que passa classificar a antiga dívida como uma subvenção de investimentos, o que não gera tributos.

“Hoje colocamos fim em uma longa novela e fazemos justiça. Curitiba deu grandes contribuições ao Paraná, em especial a Cidade Industrial, com as riquezas que foram proporcionadas pelas indústrias e, principalmente, pela geração de muitos empregos”, declarou o governador Beto Richa.

BENFEITORIAS – O prefeito de Curitiba, Rafael Greca afirmou que, com a remissão final da dívida, o valor que seria empregado no pagamento dos impostos será aplicado em benfeitorias para a população. “O dinheiro vai ficar no Paraná. Vamos empregar na saúde, em pavimentação e em melhorias para as pessoas”, disse. “Agora a Cidade Industrial é de fato uma realidade econômica geradora de empregos e rendas”, completou.

A proposta de alteração da lei é de autoria dos deputados Alexandre Curi e Luiz Cláudio Romanelli que acompanharam a assinatura da sanção. O documento também foi assinado pelo chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni.

ACORDO – O acordo para anistia da dívida começou a ser negociado em 2009, quando o governador Beto Richa era prefeito de Curitiba, e foi baseado em lei estadual que extinguiu a dívida das companhias municipais de desenvolvimento com o Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE) e com os ativos provenientes do processo de saneamento e privatização do Banestado. Tanto o FDE como os ativos remanescentes do Banestado pertencem ao Estado do Paraná.

PM realiza operação na Cidade Industrial de Curitiba

A polícia militar realizou uma operação de abordagem e patrulhamento na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) entre quarta-feira (30) e sexta-feira (2). Foram realizadas 147 abordagens a pedestres, 50 veículos foram vistoriados e cinco pessoas foram encaminhadas por tráfico de drogas.

Entre a noite de quarta-feira e a madrugada de quinta-feira (1º), os militares estaduais fizeram 28 abordagens a pessoas, seis vistorias em automóveis e motos e lavraram um auto de infração. Durante o a sexta, a Rocam abordou mais 45 pedestres, um carro e sete motocicletas, além de emitir duas infrações de trânsito.

Durante as atividades, dois adultos foram encaminhados ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (CIAC/Sul) ao serem flagrados com 25 gramas de maconha, 13 gramas de crack e dinheiro trocado.

As ações ostensivas continuaram e resultaram em mais 74 abordagens a pessoas e 36 veículos vistoriados, sendo que 12 motos foram recolhidas, dois automóveis apreendidos e 22 autos de infração lavrados. Numa das abordagens foram identificados dois adolescentes que portavam 12 pedras de crack e 14 buchas de cocaína. Eles foram entregues na Delegacia do Adolescente (DA).

As ações foram realizadas pelo 23º Batalhão de Polícia Militar (23º BPM), pertencente ao 1º Comando Regional da PM (1º CRPM), por meio das equipes da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM) e da Rondas Ostensivas Tático (ROTAM).

Mirian adianta regularização na CIC

Com Metro Jornal Curitiba

No cargo até domingo, a prefeita Mirian Gonçalves (PT), assinou três decretos que devem ser publicados até a próxima semana pela prefeitura. Entre eles está a declaração de utilidade pública de uma área de 210 mil metros quadrados na CIC (Cidade Industrial de Curitiba), onde estão morando 1,2 mil famílias.

O terreno foi ocupado em 2012 e deu origem às ocupações Nova Primeira, Tiradentes e Dona Cida. Os moradores enfrentam um processo judicial de despejo, mas a expectativa de Mirian é de que o decreto traga segurança jurídica para que eles permaneçam. “É o primeiro passo para a resolução de um problema habitacional complexo”, diz.

Segundo a prefeita, depois que o decreto for publicado será aberto um prazo de cinco anos para que as próximas gestões providenciem a desapropriação.

“Não estou deixando uma bomba relógio para o governo Greca, pelo contrário, estamos pacificando uma situação que é de conflito”, explica, lembrando que os moradores do local já chegaram a invadir a sede da prefeitura. “São pessoas de renda muito baixa e há um interesse social alto. Se elas saírem de lá, vão vagar pela cidade”, diz.

O decreto está pronto, mas ainda aguarda sua publicação, pela Secretaria de Governo da prefeitura. Outras medidas Outros dois decretos assinados por Mirian já estão numerados e devem ser publicados hoje. O primeiro determina a colocação de um busto lembrando Édesio Passos na praça Santos Andrade.Morto em agosto, o advogado foi um dos fundadores do PT no Paraná e deputado federal entre 1991 e 1994.

Ele destacou pela atuação trabalhista e resistência à ditadura militar. “No decreto estamos prevendo que, caso a prefeitura não possa bancar com os custos do busto, isso pode ser delegado à sociedade civil. Não tenho dúvidas que os recursos seriam arrecadados rapidamente”, diz Mirian. Por fim, um último decreto retira das fichas funcionais dos servidores as anotações por faltas em greves. A medida serve para evitar futuros danos nas progressões de carreiras. Entre 2014 e 2015, ocorreram só nove dias de greve, de guardas municipais, professores e servidores da saúde.

UPA da Cidade Industrial fecha para reforma nesta quinta-feira

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) será fechada para reforma a partir desta quinta-feira (10), durante 120 dias.

A prefeitura de Curitiba orienta aos pacientes com situações de saúde não consideradas urgentes serão acolhidas pela unidade básica de saúde em que o usuário é cadastrado. Atendimentos de urgência e emergência serão absorvidos pelas UPAs Fazendinha, Campo Comprido e Pinheirinho.

A UPA CIC realiza uma média de 400 atendimentos diários, dos quais cerca de 80% poderiam ser atendidos nas unidades básicas de saúde. Assim como em outras unidades já reformadas, a UPA CIC receberá melhorias estruturais que garantirão melhores condições de fluxo de atendimento e mais segurança aos servidores e aos usuários. O investimento previsto para a obra é de cerca de R$ 300 mil.

Esta é a quarta unidade a entrar em reforma neste ano – Fazendinha e Campo Comprido já foram concluídas e Boqueirão será finalizada em dezembro. As UPAs Pinheirinho e Sítio Cercado também foram reformadas na gestão Gustavo Fruet, passando por obras menos complexas, sem necessidade de serem fechadas para o atendimento ao público.

De acordo com o secretário municipal da Saúde, César Monte Serrat Titton, a época do ano com maior busca de atendimento nas UPAs já passou. “A demanda da UPA CIC será absorvida pelos outros equipamentos. Precisamos que todas as unidades estejam em funcionamento entre fevereiro e março, quando devemos ter um pico de atendimentos relacionados a doenças transmitidas pelo Aedes aegypti”, explica Titton.

As UPAs mais próximas da unidade do CIC são:

 UPA 24 Horas Fazendinha
(Rua Carlos Klemtz, 1.883 – Fazendinha | 41 3314-5112 / 3314-5110)
 UPA 24 Horas Campo Comprido
(Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, 3.495 – Campo Comprido | 41 3373-4955)
 UPA 24 Horas Pinheirinho
(Rua Leon Nicolas, 2.081 – Capão Raso | 41 3212-1472 / 3212-1468)