adolescente atropelado por caminhão morre no hospittal

Adolescente que estava em carro atingido por caminhão desgovernado morre no hospital

O adolescente que estava dentro de um carro atingido por um caminhão sem freio na tarde deste domingo (3) morreu ontem à noite no Hospital do Rocio, onde estava internado.

O jovem e o pai, um homem de 58 anos, estavam dentro do veículo que foi prensado contra o muro de uma garagem em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, por um caminhão, descontrolado. O veículo ganhou velocidade na descida da rua e só parou quando acertou o carro onde estavam as vítimas e invadiu o terreno de uma residência.

Em estado grave, o menino foi reanimado ainda no local da ocorrência e levado por um helicóptero do Batalhão de Operações Aéreas da PM ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 23h30 de ontem (03).

O pai dele sofreu ferimentos moderados. Dentro da casa havia quatro pessoas, mas nenhuma delas foi ferida. O motorista do caminhão prestou depoimento ainda ontem à tarde.

O caso é investigado pela Polícia Civil, que vai verificar a situação do caminhão no momento da ocorrência.

Operação Calvário mira corrupção e lavagem de dinheiro na grande Curitiba; Operação é do MP da Paraíba

O GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), cumpriu nesta quarta-feira (9) cinco mandados de busca e apreensão em cidades da Região Metropolitana de Curitiba.

A ação é realizada dentro da Operação Calvário, do Ministério Público da Paraíba, que trata de desvios de recursos públicos em contratos firmados com unidades de saúde e educação, corrupção e lavagem de dinheiro.

Foram feitas buscas em duas residências e três endereços de uma mesma empresa em Curitiba, Colombo e Campina Grande do Sul.

Foram apreendidos documentos, computadores, celulares e dinheiro em espécie. Segundo a investigação do MPPB, a organização criminosa investigada tem atuação em diversos estados brasileiros.

As ordens judiciais foram expedidas pelo Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba.

OPERAÇÃO CALVÁRIO

Foi deflagrada, na manhã desta quarta-feira (09/10), a quinta fase da Operação Calvário, para combater desvio de recursos públicos estaduais, corrupção e lavagem de dinheiro, em três cidades paraibanas (João Pessoa, Santa Rita e Mataraca) e em mais quatro Estados (São Paulo, Alagoas, Paraná e Rio de Janeiro). Na Paraíba, a ação foi desenvolvida pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) e a Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e à Improbidade Administrativa (Ccrimp), órgãos do Ministério Público da Paraíba, juntamente com a Controladoria-Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF). O objetivo foi cumprir três mandados de prisão e 25 de busca e apreensão.

Esta etapa da operação contou com o apoio operacional dos órgãos do Ministério Público dos estados de São Paulo, Alagoas e Paraná, por meio de seus respectivos Gaecos, e do Rio de Janeiro, por intermédio do Grupo de Segurança e inteligência (CSI) e do Gaocrim, e da auditoria do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

De acordo com a investigação em curso, a Operação Calvário, na Paraíba, tem o objetivo de investigar e desarticular uma organização criminosa (Orcrim) que, por seus agentes e núcleos de atuação, foi responsável pela prática de atos de corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos em contratos firmados com unidades de saúde e educação do Estado e cujos valores ultrapassam o montante de R$ 1 bilhão. Ainda segundo a apuração, essa organização atuou também em outras unidades da federação, a exemplo do Estado do Rio de Janeiro.

A primeira fase da Operação Calvário foi desencadeada em dezembro de 2018. À medida que as investigações avançaram, novas fases foram deflagradas e denúncias oferecidas à Justiça. Esta quinta fase teve o objetivo de cumprir ordens emitidas pelo desembargador relator do processo em curso no Tribunal de Justiça da Paraíba, Ricardo Vital de Almeida, atendendo a requerimento do Ministério Público da Paraíba. A Justiça determinou a expedição de três mandados de prisão preventiva em desfavor de Ivan Burity de Almeida, Jardel Aderico da Silva e Eduardo Simões Coutinho.

Os 25 mandados de busca e apreensão foram em desfavor de Aléssio Trindade de Barros, José Arthur Viana Teixeira, Ivan Burity de Almeida, Pousada Potiguara/Camaratuba, Conesul Compercial e Tecnologia Educacional Eireli, Márcio Nogueira Vignoli, Hilário Ananias Queiroz Nogueira, Editora Grafset, Vladimir dos Santos Neiva, J.R. Araújo Desenvolvimento Humano Eireli/Editora Inteligência Relacional (este com localizações em Ribeirão Preto/SP e Maceió/AL), Jardel da Silva Aderico, Antônio Carlos de Souza Rangel, Henaldo Vieira da Silva, Giovana Araújo Vieira, Mário Sérgio Santa Fé da Cruz, Eduardo Simões Coutinho, José Aledson de Moura, Instituto de Psicologia Clínica Educacional e Profissional (IPCEP) e Brink Mobil Equipamentos Educacionais (este último estabelecido em Colombo/PR, Curitiba/PR, Campina Grande do Sul/PR e São Paulo/SP).

Na Paraíba, estão sendo cumpridos, de forma simultânea, 13 mandados judiciais, sendo dois de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão, mais precisamente nos municípios de João Pessoa, Santa Rita e Mataraca. Outros mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos no Estado do Rio de Janeiro (quatro), em São Paulo (três) e no Paraná (cinco). Em Alagoas, são três mandados (um de prisão preventiva e dois de busca e apreensão).

cobras aranhas coruja apreendida curitiba

Cinco cobras, três aranhas e uma coruja são apreendidas em casa no PR

Cinco cobras, três aranhas e uma coruja foram capturadas pela Polícia Civil (PC-PR) nesta segunda-feira (26) em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. A presença dos animais em uma casa no bairro São Gabriel foi descoberta por uma denúncia anônima, resultando na prisão em flagrante de um homem de 21 anos.

As três aranhas eram tarântulas, enquanto as cinco cobras eram de três tipos. Duas píton, duas Corallus Batesi e uma Corallus Hortulanus (veja imagens de todos os animais abaixo). Eles serão encaminhados ao Cafs (Centro de Apoio à Fauna Silvestre), da prefeitura de Curitiba, e devem ficar no Passeio Público da capital paranaense.

“A denúncia foi feita semana passada, que teríamos animais silvestres sem autorização do Ibama. Os policias foram lá e a suspeita se confirmou. Questionado sobre a documentação, o homem disse que não tinha nenhuma. Para ele ter os animais, precisaria ter uma estrutura física e a autorização”, conta o delegado Matheus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA).

O homem detido vai responder pela manutenção de animais silvestres em cativeiro. Se condenado, ele pode pegar, no máximo, um ano de prisão.

COBRAS DEVEM SER DA AMAZÔNIA

Rodolfo Corrêa, doutor em Zoologia e professor do curso de Ciências Biológicas da Universidade Positivo, atendeu a reportagem para falar dos animais capturados. Segundo ele, a coruja e as aranhas pode ter sido capturadas pelo suspeito aqui no Paraná, ou até na Mata Atlântica. Entretanto, as cobras devem ter vindo de outro estado ou até mesmo de outro país.

“Não são animais daqui. As Corallus só ocorrem na floresta tropical equatorial, ou seja, lá na bacia do Amazonas. Com certeza foram animais capturados lá e trazidos para cá. Já Piton é uma denominação inglesa para jiboia ou sucuri”, diz Corrêa.

Além disso, o especialista ainda ressalta que a legislação não permite ter cobras, aranhas ou corujas como animal de estimação, salvo raras exceções. Entre diversos problemas, um é que as cobras e aranhas se alimentam de animais vivos. Em casos assim, são dados vários ratos.

Para fechar, Rodolfo ainda destacou a periculosidade desses animais soltos e perto de pessoas.

“São cobras que não tem veneno, mas isso não quer dizer que não tenha risco para a população se elas fugirem. Elas usam as presas para segurar as presas e enrolam em torno delas para quebrar os ossos. Isso se chama constricção, ou seja, elas matam por asfixia”, finaliza Rodolfo.

Confira as imagens dos animais apreendidos.

aranhas coruja apreendida curitiba
Fotos dos animais apreendidos pela polícia em Colombo. Divulgação / Polícia Civil
cobras aranhas coruja apreendida curitiba
Fotos dos animais apreendidos pela polícia em Colombo. Divulgação / Polícia Civil
cobras aranhas coruja apreendida curitiba
Fotos dos animais apreendidos pela polícia em Colombo. Divulgação / Polícia Civil
cobras aranhas coruja apreendida curitiba
Fotos dos animais apreendidos pela polícia em Colombo. Divulgação / Polícia Civil
aranhas coruja apreendida curitiba
Fotos dos animais apreendidos pela polícia em Colombo. Divulgação / Polícia Civil
mulher suspeita de tráfico de drogas presa colombo R$ 47 mil foto pcpr

Mulher suspeita de tráfico de drogas é presa com R$ 47 mil

Uma mulher suspeita de tráfico de drogas foi presa em flagrante, nesta terça-feira (22), em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. Com ela, a PCPR (Polícia Civil do Paraná) encontrou R$ 47 mil em dinheiro e 90 gramas de crack.

A prisão aconteceu no Jardim Abgail, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão. Segundo a Polícia Civil, a mulher de 36 anos distribuía drogas para outros traficantes menores da região.

As investigações estão relacionadas às ações contra uma quadrilha especializada em ataques a bancos. O grupo foi desarticulado em julho. A mulher presa em flagrante hoje seria a companheira de um dos integrantes desta quadrilha. Ele foi preso no mês passado portando explosivos, fuzis, pistolas e 12 quilos de crack.

De acordo com a PCPR, a suspeita teria assumido as funções do companheiro após a prisão do homem. Ao gerenciar o tráfico de drogas na região, ela atuava no abastecimento dos pontos de drogas de Colombo. Os R$ 47 mil apreendidos seriam provenientes destes crimes.

A mulher suspeita de  tráfico de drogas tem antecedentes criminais pelo mesmo crime. Presa, ela segue à disposição da Justiça.

Mulher é presa pela segunda vez em menos de 45 dias

Uma mulher foi presa pela segunda vez em menos de dois meses nesta quarta-feira (4).

Janaína Pereira Alves Buss foi detida preventivamente em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), pela Polícia Civil do Paraná (PCPR).

Ela já havia sido presa temporariamente no dia 21 de fevereiro, 42 dias atrás, pelo mesmo motivo. Entretanto, ela voltou a aplicar o mesmo golpe.

Aos 34 anos, ela se declarava como proprietária do imóvel e engenheira responsável das construções para as vítimas para tentar vender apartamentos de um conjunto habitacional em Pinhais, outro município da RMC. Com documentos falsos, ela extorquia os interessados no imóvel.

A primeira prisão foi feita após denúncias de vítimas e um contato de uma construtora de Pinhais com a PCPR. Desta vez, um advogado achou a negociação suspeita e acabou procurando a Polícia Civil depois de realizar um depósito, no valor de R$ 500, para a suspeita.

Agora, a mulher está à disposição da Justiça e vai responder pelos crimes de estelionato e falsificação de documento particular.

 

Tribunal do Júri condena três homens que participaram de execução de família em Colombo

Após sessão que durou mais de 15 horas, o Tribunal do Júri de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, condenou nesta quinta-feira (18), três homens que participaram da execução de uma família no município.

Os réus foram condenados por homicídio qualificado e porte de arma de fogo.

O crime aconteceu no centro de Colombo, no dia 11 de maio de 2015, quando a família foi atacada com disparos de arma de fogo dentro do carro em que estavam. Um bebê de um ano e meio e seu pai morreram na hora. A mãe foi socorrida e sobreviveu.

A investigação dos homicídios foi conduzia pela Delegacia de Polícia de Colombo (Centro), que esclareceu o crime em poucas semanas, identificando e prendendo os suspeitos. Foram apreendidos com os criminosos veículos com placas e chassi adulterados e arma de fogo.

O Conselho de Sentença acatou todos os termos da denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná.

Dois dos acusados receberam pena de 45 anos e 4 meses de prisão, enquanto a pena do terceiro foi de 41 anos, 9 meses e 10 dias e prisão. Todos tiveram prisão preventiva decretada ao final da sessão e já estão detidos.

Suspeitos de roubar motocicleta são presos ao tentar vendê-lá para a própria vítima

A Polícia Civil prendeu dois homens de 24 anos, suspeitos pelos crimes de roubo, receptação e adulteração de sinal identificador de veiculo automotor. Eles foram presos após tentarem vender uma motocicleta roubada para a própria vítima.

A prisão aconteceu através da delegacia de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, na quarta-feira (22).

As diligências iniciaram após a vítima ter procurado a delegacia dando queixa de um roubo a uma motocicleta e de que a mesma estaria à venda pelo valor de R$ 600 em uma rede social.

A vitima passou a contatar os indivíduos que estavam em posse do veículo e marcou um local para fecharem o negócio. Ao chegar, os suspeitos foram surpreendidos pelos policiais e presos em flagrante. Eles afirmaram que a motocicleta estaria escondida e indicaram uma residência, onde os policiais a localizaram.

Segundo a polícia, os suspeitos foram reconhecidos como autores do roubo e “outra motocicleta em que eles estavam no momento da prisão tinha indícios de adulteração em seu chassi”, revela o delegado responsável pelo caso, Erineu Sebastião Portes.

Os suspeitos foram encaminhados ao setor de carceragem da Delegacia de Colombo e permanecem à disposição da Justiça.

Perícia deve apurar causa do acidente que matou criança em Colombo

Uma perícia deve ser feita no caminhão que derrubou a tampa de uma caçamba e matou uma criança em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. O motorista prestou depoimento hoje de manhã (terça) na delegacia da região. A menina tinha dois anos. Ela chegou a ser encaminhada ao Hospital do Trabalhador, mas não resistiu aos ferimentos.  A tia dela, de 15 anos, ficou ferida, mas sem gravidade.

Ontem à tarde (segunda), as duas estavam na calçada, quando foram atingidas pela tampa que se soltou do caminhão. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Irineu Portes, algumas pessoas tentaram avisar que a tampa estava solta. “Ele sentiu que algumas pessoas alertaram sobre o problema. Quando saiu do caminhão, já viu as pessoas feridas. Segundo testemunhas, a parte lateral se soltou e veio atingir as duas pessoas”, afirma o delegado.

O caminhão subia a rua e, segundo o delegado, não estava em alta velocidade. “O caminhão estava em condições perfeitas. A parte traseira da caçamba estava sem uma trava. O veículo não estava em alta velocidade”, finaliza.

O motorista tem 24 anos e o veículo é do irmão dele, com quem trabalha. Nos próximos dias a polícia deve ouvir a tia da criança e também outras testemunhas.

O motorista deve responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

IML confirma que corpo encontrado na BR-376 é de Renata Larissa

O Instituto Médico Legal (IML) confirmou que o corpo encontrado às margens da BR-376, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, é de Renata Larissa, de 22 anos.

O reconhecimento do corpo foi feito na tarde desta quinta-feira (2) pela irmã de Renata. A jovem estava desaparecida desde o dia 27 de maio. Ela saiu de casa após receber uma mensagem e ir até o carro que estava parado no lado de fora.

O policial militar Peterson da Mota Cordeiro é o suspeito do crime. Ele está preso temporariamente suspeito de estuprar pelo menos três mulheres. Durante as investigações dos estupros, a polícia encontrou pertences de Renata Larissa na casa do PM.

De acordo com a delegada Eliete Kovalhuk. “Além do mandado de prisão temporária foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência dele. A partir disso descobrimos que tem várias outras vítimas já que ele filmava os crimes. O suspeito obrigava algumas das vítimas a dizer o nome e a idade e uma das vítimas se identificou como Larissa, de 22 anos. Também encontramos as tatuagens semelhantes a de Larissa Renata nas imagens”, explicou a delegada responsável pelo caso.

Os familiares chegaram a receber uma mensagem do celular dela, mas acreditam que tenha sido enviada por outra pessoa.

De acordo com a delegada, existem apenas três vídeos e fotos dos crimes cometidos com Larissa.

“Nós fizemos um mapeamento de onde a maioria dos casos aconteceram, que foram na região do zoológico, onde ele demonstrou conhecer muito bem”, afirmou Eliete. “Nós acreditamos que ele não tinha os planos de matar Renata, já que ele deixou as outras vítimas saírem vivas. Acreditamos que ela tenha tido alguma reação e que ele tenha feito isso para ocultar o crime”, explicou.

Peterson prestou depoimento ontem e preferiu manter silêncio. Os familiares das vítimas ainda não foram ouvidas.

“Ontem outra vítima procurou a delegacia e denunciou outro caso de estupro em relação ao suspeito e afirmou que ele apresentou nervosismo e intenção de matá-la, mas resolveu poupar a vida dela”, disse.

O PM já responde a dois inquéritos por estupro e neste caso deve responder por feminicídio, homicídio qualificado e ocultação do cadáver. De acordo com a polícia, já foi feito o pedido de prisão preventiva.

“Ele acredita que tinha consentimento das mulheres, mas não aceitava o momento que elas deixavam de consentir e forçava algumas coisas com graves ameaças”, disse a delegada.

Os policiais da Delegacia da Mulher encontraram o corpo na manhã de quarta-feira (1). O corpo foi encontrado próximo ao local onde foi emitido o último sinal de GPS do celular da vítima.

 

Polícia aguarda resultados da quebra de sigilo telefônico e rastreamento do carro de gerente financeiro

A polícia já recebeu denúncias que podem ajudar a desvendar a morte do gerente financeiro Fabio Royer, de 42 anos. Ele desapareceu quando ia à farmácia no bairro Bacacheri, em Curitiba. Royer teve o corpo encontrado carbonizado dentro do próprio carro, em Colombo, na grande Curitiba, na última quinta-feira (19).

O delegado do caso, Osmar Feijó, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, aguarda o resultado das quebras de sigilo telefônico e do rastreamento do carro da vítima para avançar nas investigações.

Testemunhas já estão sendo ouvidas na delegacia. Entre elas está a esposa de Fábio, que foi ouvida durante cinco horas. A Divisão espera, ainda, por imagens que possam mostrar se Fábio realmente chegou à farmácia de destino e qual foi o trajeto dele após deixar o local.

O corpo do gerente foi encontrado na Rua José Strapasson, nas proximidades da Estrada da Ribeira, em Colombo.

A DHPP pede que qualquer informação sobre o caso seja repassada pelo telefone 0800.643.1121. As denúncias podem ser encaminhadas de forma anônima.