prf drogas sintéticas correios

PF investiga tráfico internacional de drogas sintéticas no Paraná

 

A suspeita de apropriação de drogas sintéticas vindas de fora do país e que chegam nos correios do Paraná, resulta em uma nova ação PF (Polícia Federal), deflagrada nesta quarta-feira (9). São cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em Curitiba e outros dois em Piraquara, na RMC (Região Metropolitana de Curitiba).

Chamada de Operação Holanda, a ação mira uma associação entre a organização criminosa com o centro internacional de encomendas dos correios de Pinhais, local onde passam todas as encomendas internacionais, com até 2 kg, que chegam ao Brasil.

A expectativa é que a coleta de evidências possa se relacionar aos fatos investigados e seus possíveis autores, sendo dois ex-funcionários de carreira dos Correios e três ex-funcionários terceirizados.

Eles são suspeitos de se apropriar dos entorpecentes dentro do trabalho. A hipótese trabalhada pela PF é que eles identificavam a origem e as características dos objetos postais que chegavam. Se os pacotes tivessem a droga sintética, os pacotes eram interceptados para serem vendidos.

OPERAÇÃO HEXA

A ação de hoje é um desdobramento da Operação Hexa, deflagrada em fevereiro deste ano. Naquela ocasião, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão temporária que foram convertidas em prisão preventiva, pela prática de peculato e associação criminosa.

Além disso, foi identificado que a organização tinha efetivo foco no desvio, apropriação e venda de venda de drogas sintéticas oriundas de diversas cidades da Holanda ao Brasil no momento da triagem junto ao centro internacional dos Correios no Paraná

 

CORREIOS

Os Correios informam que a operação da Polícia Federal realizada nesta quarta-feira (9) consiste na segunda fase de uma investigação iniciada ao final de 2018, em uma ação conjunta entre Correios e Polícia Federal. As imagens veiculadas na mídia referem-se às prisões efetuadas pela PF no começo deste ano, ocasião em que os empregados dos Correios que participavam do ato ilícito responderam a processo administrativo e foram demitidos. As ações de busca e apreensão realizadas hoje ocorreram fora das unidades dos Correios e são resultado do desdobramento das investigações que estão sendo conduzidas pela PF. A empresa reitera que qualquer conduta por parte dos empregados, dissociadas dos padrões e valores defendidos pelos Correios, será apurada e devidamente corrigida.

Correios: servidores entram em greve por tempo indeterminado; adesão à greve é de 70% no Paraná

Servidores dos Correios do Paraná entraram em greve por tempo indeterminado, nesta quarta-feira (11).

A decisão foi referendada em assembleias realizadas em todo o Estado, nesta terça à noite (10) e a adesão à greve é de 70% em todo o Estado.

Correios lançam selos com imagens de dinossauros encontrados no Paraná

A reivindicação é por um reajuste que cubra pelo menos a inflação do período (3,25%) e contra o corte de direitos.

Segundo  o sindicato que representa a categoria, o SINTCOM-PR,  o momento exige união total da categoria para que os direitos e empregos não sejam exterminados. São ao todos 36 sindicatos envolvidos em todo o país.

O sindicato afirma ainda que, “a empresa não recebe os trabalhadores para negociar há mais de 40 dias, mas mente dizendo que compareceu a 10 reuniões, ignorando a mediação do TST. Até o momento, a única proposta para a categoria foi um reajuste de 0,8%, frente ao INPC de 3,25% acumulado no período da data-base, além da retirada de direitos históricos que vão impactar nos salários dos trabalhadores com perdas de mais de R$ 7 mil no ano”.

Com a inclusão da estatal no programa de privatizações do Governo Federal, anunciado no final do mês de agosto, os servidores entendem que este é o momento de discutir a importância dos Correios para a sociedade. “Não apenas pelos impactos causados pela paralisação, mas pela necessidade de repensar as relações de trabalho, os problemas reais do povo brasileiro como o desemprego e – principalmente – o projeto de desmonte do Estado que quer destruir o patrimônio público brasileiro”, afirma o SINTCOM-PR .

O sindicato informou que a greve afeta as atividades da Unidade de Tratamento Internacional, que trata das encomendas que vêm do exterior e são distribuídas para todo o país.

Em nota, os Correios afirmaram que a paralisação é parcial e que participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores. Nas ocasiões, foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o Acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões. Ainda segundo a nota, as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso pela empresa.

A nota diz ainda que não há suspensão de nenhum serviço da empresa.

Correios lançam selos com imagens de dinossauros encontrados no Paraná

Os Correios vão lançar nesta quarta-feira (28) selos com figuras dos dinossauros encontrados no sítio arqueológico de Cruzeiro do Oeste. Os dinossauros retratados são o Vespersaurus paranaensis e Caiuajara dobruskii.

O Vespersaurus é uma espécie endêmica do Paraná e sua descoberta foi divulgada neste ano. O fóssil tem mais de 90 milhões de anos e seu nome vem do latim vesper, que significa oeste, em alusão ao local onde o animal foi encontrado.

O Caiuajara dobruskii é outro dinossauro que vai virar selo por ter sido o primeiro pterosauro encontrado no estado. Seu fóssil tem mais de 80 milhões de anos e não é o único da espécie encontrado no sítio. Nesta segunda-feira (26) foi anunciado a descoberta de mais um pterosauro no sítio, o “Keresdrakon vilsoni”.

O lançamento vai ocorrer às 15h no Museu Paleontológico de Cruzeiro do Oeste e será uma das festividades do aniversário de 67 anos do município.

anabolizantes esteroides correios guarapuava curitiba paraguai foto prf

Homem é preso com 1,2 mil anabolizantes que seriam distribuídos pelos Correios

Um homem de 21 anos foi preso em flagrante, nesta sexta-feira (16), por transportar mais de 1,2 mil esteroides anabolizantes importados ilegalmente do Paraguai. O suspeito retornava para Curitiba e pretendia distribuir os produtos pelos Correios.

A apreensão aconteceu na BR-277, em Laranjeiras do Sul, no centro-sul do Paraná. O município fica a pouco mais de 350 km da capital paranaense.

Aos agentes da PRF (Polícia Rodoviária Federal), ele informou que os medicamentos ilegais abasteceriam várias regiões do Brasil. Por isso, e pela suspeita envolver os Correios, o caso foi repassado à Delegacia da PF (Polícia Federal) de Guarapuava, no centro-sul do Paraná.

Detido em flagrante, o suspeito deve ser indiciado pela importação ilegal de medicamentos. O crime tem pena prevista de 10 a 15 anos de prisão.

Ao todo, a PRF encontrou 1.253 unidades de esteroides anabolizantes. A droga apreendida também foi encaminhada à PF de Guarapuava.

Novo presidente dos Correios fala em fortalecimento da instituição

O novo presidente dos Correios, Floriano Peixoto Vieira Neto, assume o comando da estatal apontando como foco da sua gestão o fortalecimento da instituição. Ele foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro hoje (21), substituindo Juarez Cunha, nomeado no início do ano.

“Minha missão é resgatar a credibilidade e fortalecer o desenvolvimento financeiro da instituição, que tem quase a idade de vida do Brasil, criada em 1663. A empresa tem capilaridade enorme, com 120 mil funcionários. Somente estes dados me trazem motivação”, afirmou, em entrevista a jornalistas.

Vieira Neto destacou a importância da empresa pelo seu tamanho e pelo fato de estar presente em todos os municípios do país. Frente a perguntas de jornalistas sobre uma possível privatização, reafirmou que sua prioridade é o resgate da estatal e que a decisão sobre este tema ficará para o presidente Bolsonaro.

Secretaria-Geral

Floriano Peixoto ocupava até então a Secretaria-Geral da Presidência da República. Em seu lugar, foi nomeado o advogado e major da Polícia Militar do Distrito Federal Jorge Antônio de Oliveira Francisco, que ocupava a Subchefia de Assuntos Jurídicos da Casa Civil. A área passará a integrar a Secretaria-Geral.

“Numa reavaliação o presidente entendeu a Casa Civil como coordenação do governo para dentro, a Secretaria de Governo como coordenação do governo para fora e a secretaria-geral como órgão de gestão e que trata da parte de compliance. A subchefia jurídica, que não interfere no mérito, deslocou-se para a Secretaria-Geral”, explicou.

bolsonaro correios atitude sindicalista Antonio CruzArquivoAgência Brasil

Bolsonaro diz que vai demitir presidente dos Correios por ‘comportamento de sindicalista’

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta sexta-feira (14) que vai demitir o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por ele ter se comportado como “sindicalista”.

Ao final de um café da manhã com jornalistas, o presidente comentou que deve exonerar Juarez nos próximos dias por seus gestos durante audiência pública na Câmara.

Desagradou o presidente o fato de o general ter tirado foto com parlamentares de esquerda e de ter dito que não haverá privatização dos Correios, como é planejado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Ele disse ainda que está estudando um substituto para o cargo.

Bolsonaro recebeu jornalistas que cobrem o Palácio do Planalto para um café da manhã nesta sexta.

A declaração sobre o presidente da estatal se deu quando ele comentava sobre a saída do general Carlos Alberto dos Santos Cruz da Secretaria de Governo, formalizada na quinta (13).

DEMISSÃO DE GENERAL

O presidente Bolsonaro demitiu na quinta-feira o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, da Secretaria de Governo da Presidência da República.

A queda do ministro, antecipada pelo jornal Folha de S.Paulo, foi a terceira no primeiro escalão em menos de seis meses de mandato.

O porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, confirmou que Santos Cruz será substituído pelo general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, que é comandante militar do Sudeste.

Desde que chegou ao Planalto, em janeiro, Santos Cruz se envolveu em seguidas crises com os filhos do presidente, além de um embate com o escritor Olavo de Carvalho, guru de Bolsonaro. A comunicação de governo era um dos principais pontos de disputa.

Santos Cruz foi avisado de sua demissão em reunião com o presidente e com o ministro Augusto Heleno, chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), que ocorreu 12h20 no Palácio do Planalto, pouco antes de Bolsonaro decolar para Belém para uma agenda de governo.

Bolsonaro autoriza estudo para privatização dos Correios

O presidente Jair Bolsonaro autorizou a realização de estudos para a privatização dos Correios. A informação foi confirmada em publicação no Twitter. Bolsonaro lembrou ainda os casos e as suspeitas de irregularidades que envolveram a estatal.

“Demos OK para estudo da privatização dos Correios. Temos que rememorar para a população o seu fundo de pensão. A empresa foi o início do foco de corrupção com o mensalão, deflagrando o governo mais corrupto da história. Com o Foro de SP destruíram tudo nome da Pátria Bolivariana”, escreveu o presidente.

Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro já sinalizava que a empresa poderia ser privatizada devido aos prejuízos.

Com 356 anos de existência, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos é subordinada hoje ao Ministério das Comunicações, Ciência, Tecnologia e Inovação. Após prejuízos registrados entre 2103 e 2016, a estatal registrou lucro de R$ 161 milhões em 2018 e de R$ 667,3 milhões em 2017.

A recuperação financeira ocorreu após lançamento de ações da empresa como renegociação de dívidas, revisão de contratos, redução de custos com pessoal, mudanças na rede de atendimento e cobrança de novas taxas.

 

Correios planejam entrar na briga com Uber, Rappi e iFood

Em busca de ampliar o leque de atividades, os Correios planejam entrar no mercado de entregas compartilhadas, serviço em franco crescimento disputado hoje por empresas de tecnologia como Uber, Rappi e iFood.

Pelo projeto em elaboração, ainda encoberto pelo sigilo de um termo de confidencialidade, a estatal faria uma parceria societária com o setor privado para criar uma espécie de “Uber das encomendas”.

Na entrega compartilhada presente no mercado, o usuário acessa um aplicativo de celular e faz o pedido por um alimento ou produto. A entrega é feita por colaboradores definidos pelo sistema.

Fontes que participam da elaboração do projeto relataram à Folha de S.Paulo que a estatal avalia se fará uma parceria com uma dessas companhias que já atuam no mercado ou se o negócio pode ser feito com uma empresa de tecnologia para criar um serviço novo.

Hoje, a pessoa que deseja enviar uma encomenda pelos Correios precisa ir a um ponto de atendimento e fazer uma postagem convencional. O produto passa por uma extensa logística interna na companhia até chegar às mãos do carteiro e ao destino final.

Com o novo modelo, etapas do processo poderiam ser eliminadas e isso poderia gerar uma redução de custos.

Inicialmente, o projeto em estudo não prevê a contratação de colaboradores sem vínculo aos Correios. A medida, segundo dirigentes, não vai promover uma “terceirização branca” dos serviços, e sim a otimização da atual estrutura da companhia.

Segundo os relatos, os estudos caminham para a criação de um modelo híbrido, que carrega a simplificação da entrega compartilhada ao mesmo tempo que se beneficia com o uso da força de trabalho, da estrutura e da capilaridade dos Correios.

A definição do modelo ainda depende da conclusão de estudos técnicos e de viabilidade econômica. Encerrada essa primeira etapa, deve ser lançado um projeto-piloto em algumas cidades.

A visão dentro estatal é de que os Correios podem perder uma fatia importante do mercado se não entrarem nesse tipo de serviço, que é recente, mas apresenta forte crescimento.

O diagnóstico da necessidade de diversificação fica claro nos números registrados pela companhia nos últimos anos. As entregas da área na qual os Correios têm monopólio -envio de cartas, telegramas e outras mensagens- caíram de 8,9 bilhões de unidades em 2012 para uma estimativa de 5,7 bilhões em 2018.

Na postagem de encomendas, a estatal não conta com esse benefício e enfrenta concorrência de gigantes do setor, como DHL e UPS.

A empresa, que tem cerca de 105 mil funcionários, passa por um processo de reestruturação que inclui redução do número de agências físicas e enxugamento do quadro de empregados.

O novo serviço, que inicialmente vai dispensar entrega de comida e deve focar apenas em encomendas, entraria no portfólio da estatal para complementar o que é oferecido hoje.

Também está em estudo aliar o sistema a novas formas de coleta de encomendas. Entre os planos está a instalação de armários automatizados em shoppings e estações de trem e ônibus. Nesse caso, o usuário poderia fazer o pedido pelo aplicativo e retirar a encomenda nesses locais.

A execução do projeto será tocada pela CorreiosPar, controlada pela estatal. Esse tipo de negócio pode ser feito desde 2011, quando uma lei autorizou a empresa pública a ampliar o campo de atuação, comprar participações em companhias já estabelecidas e constituir subsidiárias.

Decretada prisão preventiva contra 3 funcionários dos Correios presos pela Polícia Federal

A justiça decretou na noite deste domingo (3) a prisão preventiva dos três funcionários dos Correios do Paraná que ja estavam presos temporariamente desde a última quinta-feira (28/02), por conta de uma Operação da Policia Federal que investiga a violação de encomendas internacionais.

Segundo a Polícia Federal, após os interrogatórios e análise do material apreendido, decidiu-se pela mudança de prisão temporária para prisão preventiva, pedido aceito pela 12a Vara da Justiça Federal. De acordo com as investigações, comprovou-se que os trabalhadores violavam as correspondências e desviaram os conteúdos, em especial drogas sintéticas enviadas ilegalmente do exterior para o Brasil.

Operação da Polícia Federal

Além dos três funcionários dos Correios do Paraná presos, foram cumpridos outros três mandados de prisão temporária e quatro mandados de busca e apreensão contra empregados e funcionários terceirizados dos Correios.

Segundo a PF, todos os suspeitos trabalhavam no setor de triagem de objetos internacionais e foram presos dentro do Centro de Encomendas Internacionais dos Correios em Curitiba, durante o expediente de trabalho.  A investigação demonstrou que no desempenho da atividade dentro da unidade, os presos agiam de forma dissimulada e promoviam a ruptura de encomendas internacionais para se apropriar dos conteúdos.

Conforme a PF, a atuação do grupo era constante.   Os suspeitos serão indiciados pelos crimes de associação criminosa e peculato, cujas penas podem chegar até 12 anos de prisão.

 

Três funcionários dos Correios do PR são presos em operação da PF

Três funcionários dos Correios do Paraná foram presos, nesta quinta-feira (28), em Curitiba, em uma operação da Polícia Federal (PF), que investiga a violação de encomendas internacionais. Além dos três mandados de prisão temporária, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão contra empregados e funcionários terceirizados dos Correios.

Segundo a PF, todos os suspeitos trabalhavam no setor de triagem de objetos internacionais e foram presos dentro do Centro de Encomendas Internacionais dos Correios em Curitiba, durante o expediente de trabalho.  A investigação demonstrou que no desempenho da atividade dentro da unidade, os presos agiam de forma dissimulada e promoviam a ruptura de encomendas internacionais para se apropriar dos conteúdos.

Conforme a PF, a atuação do grupo era constante. Eles se apropriavam de diversos objetos, inclusive drogas sintéticas que são ilegalmente enviadas para o Brasil.

Os suspeitos serão indiciados pelos crimes de associação criminosa e peculato, cujas penas podem chegar até 12 anos de prisão.