Caetano Marchesini dá dicas para aproveitar a Páscoa sem sair da dieta

Nesta edição do Medicina e Saúde, o médico e cirurgião bariátrico Caetano Marchesini dá dicas para aproveitar a Páscoa e não sair da dieta.

Lembre-se também de algumas dicas, como:

1 – Quebrar em pedaços e comer pequenas porções durante a semana. O consumo diário de pequenas quantidades é bom para a saúde.
2 – Opte por chocolates mais cacau. O ideal é consumir chocolates com no mínimo 50% de cacau.
3 – Procure chocolates com baixo índice de açúcar – os lights – e com menos gordura hidrogenada.
4 – Aproveite a data para consumir peixes de água salgada. São mais saudáveis e menos gordurosos do que os de água doce.

Dicas para não sabotar a dieta nas festas de fim de ano

Final de ano é um período de festas e jantares e confraternizações. Tudo normal, anual e inevitável. No entanto, é importante seguir algumas dicas para que todo o seu planejamento alimentar, em que você se dedicou bastante, não vá por água abaixo.

De acordo com o especialista em obesidade, o cirurgião bariátrico, Caetano Marchesini, é possível ter uma ceia saudável, equilibrada e gostosa seguindo algumas estratégias. Para melhor explicar, vamos separar o evento em três fases.

Antes da festa

É importante lembrar que deve-se manter a regularidade do plano alimentar. “Não pule uma refeição para compensar a outra e nunca chegue com fome a uma festividade. Sempre faça um pequeno lanche antes de ir e procure hidratar-se mais”, explicou o especialista. O lanche pode ser o mesmo que está em sua dieta rotineira.

Durante a festa

Quando chegar ao evento, faça o reconhecimento do local e veja o que será servido para poder fazer escolhas saudáveis. “Se necessário, informe as pessoas que está passando por um processo de reeducação alimentar. Se for jantar, evite os petiscos e monte um prato saudável”, afirma Marchesini.

Para montar um prato saudável o ideal é que comece o dividindo em duas partes. “Na metade direita coloque saladas à base de folhas verdes e frutas, evitando molhos gordurosos. Prefira os molhos a base de azeite de oliva, limão, vinagre, cebola, ou pimenta”, diz.

A metade do prato que sobrou deve ser dividida novamente em duas partes. “Em uma coloque uma porção de proteína, que pode ser uma fatia do tamanho da palma da sua mão, sem os dedos. Opte sempre por carnes magras”, orientou. “Na outra parte coloque uma porção de carboidrato, do tamanho do punho da sua mão fechada”.

Ainda de acordo com o especialista, é necessário ter cuidado com as oleaginosas. “Embora sejam gorduras saudáveis, também são calóricas. Se optar por comê-las use o espaço reservado para o carboidrato”, alerta Marchesini.

As bebidas alcoólicas também são muito calóricas e devem ser evitadas. “Lembre-se que cada grama tem 7 calorias. Nunca beba de estômago vazio e para cada copo de bebida alcoólica é necessário um d’água para ir hidratando e desintoxicando”.

Ainda de acordo com o cirurgião, há alertas comportamentais importantes. “Coma devagar e comece pelas saladas e frutas. Mantenha seu copo sempre cheio de uma bebida menos calórica e opte pelo prato menor”, explicou o cirurgião.

Depois da festa

Se você exagerou na comilança o seu organismo vai pedir socorro, a famosa ressaca. “O aparelho digestivo, com certeza, não vai gostar nem um pouco do trabalho extra. O estômago precisa fabricar mais suco gástrico, o fígado mais bile, enquanto o intestino precisa produzir mais suco entérico e fica mais lento”, explica o especialista.

Ajude o seu corpo a se recuperar. “Tome muita água pura e chás, como camomila e erva cidreira. Coma frutas com casco e sem bagaço, tome muito suco de fruta e evite o café. Aposte nas saladas de folhas diversas e fique longe de comidas pesadas ou calóricas e de leites e derivados”, orienta

Entenda as vantagens e diferenças entre jejum intermitente e dieta cetogênica

O verão está chegando e com ele a vontade de perder peso rapidamente. As dietas da moda precisam de cuidados especiais. Na coluna desta semana, o Dr. Caetano Marchesini convida a nutricionista Tamires Precybelovicz para conversar sobre o Jejum Intermitente e a Dieta Cetogênica. Confira:

Dr. Caetano Marchesini é médico cirurgião, especialista em cirurgia bariátrica e atual presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

Dr. Caetano Marchesini │ CRM/PR 11.211 / CRM/SP 182.066

Dietas sem carboidrato podem fazer mal à saúde

Dietas que cortam o carboidrato da alimentação restringem o acesso a componentes essenciais para o bom funcionamento do organismo, de acordo com o Ministério da Saúde. Dessa forma, regimes extremamente restritivos, como a dieta sem carboidrato, podem causar danos à saúde.

“Seja em sua quantidade ou mesmo qualidade, as dietas muito restritivas deixam de fora da alimentação algum grupo de alimentos. Isso pode ser perigoso para a saúde, pois a longo prazo pode causar a deficiência de alguns nutrientes essenciais para o organismo, como vitaminas, minerais e aminoácidos”, explica a analista técnica de Políticas Sociais, Simone Costa Guadagnin, da Coordenação de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde.

De acordo com o Guia alimentar para a população brasileira, uma alimentação saudável é harmônica em quantidade e qualidade e deve atender aos princípios da variedade, equilíbrio, moderação e prazer. “Em contrapartida, as dietas da moda usualmente se limitam a considerar apenas a ingestão de nutrientes e calorias e não considera a individualidade de cada um e o contexto em que vive”, ressalta Simone.

Segundo a especialista, dietas que prometem redução de peso de forma rápida e sem sacrifícios tendem a fugir do costume alimentar das pessoas. Por isso, dificilmente conseguem ser mantidas a longo prazo. “Inicialmente pode haver resultados rápidos, especialmente na perda de peso, causados pelo entusiasmo inicial. Mas depois as chances de recuperar o peso perdido são grandes”, alerta.

Perigos das dietas da moda

O Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) repudia práticas relacionadas ao emagrecimento rápido, desintoxicação do organismo ou à “limpeza do corpo” que prometem facilidades ou benefícios baseados no senso comum, com pouca ou nenhuma evidência científica, induzindo a modismos e padrões alimentares que podem causar danos à saúde e comprometer a segurança alimentar e nutricional.

“Especialmente no verão, aumenta o número de dietas que propõem emagrecimento rápido, desintoxicação do organismo ou mesmo mais disposição e vitalidade. Isso pode colocar a sua saúde em risco. O CFN recomenda que as pessoas analisem de forma crítica as informações divulgadas e busquem acompanhamento clínico somente do profissional inscrito no Conselho Regional de Nutricionistas (CRN) com jurisdição em seu estado”, declara a autarquia.

E para evitar futuras complicações, o CFN reforça a importância da consulta presencial para a elaboração do planejamento alimentar. Cada pessoa tem necessidades nutricionais e calóricas diferentes, por isso cada caso deve ser analisado individualmente.

Para que você pense um pouco melhor antes de aderir às dietas da moda, ou qualquer tipo de proposta rápida e milagrosa, o Saúde Brasil explica alguns riscos da dieta sem carboidrato:

Diminuição da energia e do rendimento físico

O carboidrato, encontrado em maior quantidade nos pães, cereais e massas, auxilia na recuperação muscular e é a primeira fonte de energia para os músculos. Portanto, a presença de carboidratos na alimentação, nas quantidades adequadas, não provoca aumento da gordura corporal.

“O carboidrato é a principal fonte de energia para o organismo, por isso pode ser prejudicial para quem exclui da alimentação a longo prazo. No caso de praticantes de atividades físicas, a restrição do componente pode ter um impacto negativo ainda maior”, sinaliza Simone.

Desregulação do organismo

A ingestão elevada de proteínas, característica das dietas com restrição de carboidratos, pode provocar sobrecarga renal e a desregulação do organismo, além de efeitos desagradáveis como desidratação e desmaios.

Dietas restritivas podem levar ainda a à cetoacidose, caracterizada por hiperglicemia (alta taxa de glicose no sangue), vômitos, dificuldade respiratória, entre outros sintomas, informa o material de apoio para profissionais de saúde Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição.

Ganho de peso subsequente

Regimes que restringem carboidrato, além da dificuldade de serem mantidos em longo prazo, não promovem a adoção de uma alimentação adequada e saudável e a adoção de outros hábitos de vida saudáveis. Por isso, podem provocar ganho de peso subsequente.

Pesquisa com indivíduos que adotaram a dieta Dunkan (rica em proteínas, restrita em gorduras e com baixo teor de carboidratos) mostrou que, aproximadamente, 75% retornam ao peso anterior.

Dieta saudável para o dia a dia

A adoção de uma alimentação adequada e saudável, a prática regular de atividade física e a adoção de outros hábitos de vida saudáveis são sempre as melhores escolhas”, destaca Simone. “Apenas uma alimentação variada, baseada em alimentos in natura e minimamente processados, adequada em qualidade e quantidade e que respeite nossas tradições e cultura pode promover a saúde. É o que preconiza o Guia alimentar para a população brasileira.” O cardiologista Fausto Stauffer, titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), acrescenta que restrição de carboidrato de forma moderada e “não tão extremada” pode trazer benefícios para a saúde como o controle de peso e das taxas de açúcar, além de redução no nível triglicerídeos, medidas que em conjunto melhoram o perfil cardiovascular a longo prazo.

“Você não precisa fazer o extremo de ir para uma dieta cetogênica, que corta praticamente todo o carboidrato, mas reduzir o carboidrato na dieta tem mais benefícios que, por exemplo, fazer uma dieta com baixa gordura. Em termos de controle de peso, as dietas com baixo carboidrato se mostram mais eficazes que as com baixa gordura – portanto, a gordura não é a vilã”, observa o cardiologista.

Low Carb, a dieta poderosa

Será possível emagrecer, ter saúde e ainda equilibrar o organismo? É o que promete a dieta “low carb”, que propõe a redução do consumo de carboidratos.

Em uma dieta convencional, geralmente o consumo de carboidratos fica, em média, de 50% a 65% do total de nutrientes ingeridos diariamente.

Na dieta low carb, os carboidratos geralmente ficam de 40% a 5% do total de nutrientes ingeridos, o que não significa cortar totalmente, mas sim, consumir carboidratos de baixo índice glicêmico. “Se esta troca for feita cuidadosamente e com acompanhamento profissional, este tipo de dieta tem a capacidade de transformar gordura armazenada em energia e, assim, melhorar de vez o excesso de peso”, afirma Elaine Cristina Schopping Imbiriba, sócia-proprietária da Vida Leve.,

Pensando na necessidade cada vez mais crescente das pessoas em perder peso com saúde, a dieta low car da Vida leve foi elaborada após muitos estudos, com nutrientes que, em conjunto, possuem ações efetivas para proporcionar perda de peso. “O cardápio varia a cada semana, de acordo com necessidade nutricional, sendo um parâmetro que poderá ser alterado sempre que necessário, visando melhor resultado”, afirma Elaine.

Para tanto, o cliente recebe a dieta completa, desde o desjejum até o jantar. Parte do cardápio é fresco, e parte ultracongelada, com uma tecnologia que preserva os nutrientes, sabor e textura. “Todas as refeições vêm com informações de como preparar e conservar até a hora de ser consumida”, explica a empresária, frisando que é uma dieta rica em gorduras do bem, baixo carboidrato e rica em proteínas magras de fonte animal e vegetal.

Comida de Verdade

A dieta low carb da Vida Leve é 100% elaborada com comida de verdade, com cardápio elaborado por chef de cousine e nutricionistas. “Não servimos nada industrializado”, acrescenta Elaine, complementando que todos os nutrientes necessários para um emagrecimento saudável estão em forma de comida muito saborosa.

Perfeita para reduzir peso e mudar a composição corporal, a dieta em questão, quando aliada à atividade física, promove aumento da musculatura, com a possibilidade de reduzir até 10 quilos em 28 dias. “É um resultado rápido e efetivo, além de melhorar a qualidade do sono, disposição, reduzir níveis de colesterol e glicemia”, elenca.

Elaine Cristina Schopping Imbiriba, sócia-proprietária da Vida Leve.
Elaine Cristina Schopping Imbiriba, sócia-proprietária da Vida Leve.

 

Vida Leve

Unidade Água Verde –  Avenida Água Verde, 198

Tel. (41) 3013-4323

Unidade Bigorrilho – Rua Capitão Souza Franco, 606

Tel. (41) 3023-4313

Unidade Alto da Glória – Rua Augusto Severo, 381

Tel. (41) 3022-4313

Fábrica – R. Abel Scuissiato, 96

www.lojavidaleve.com.br

 

 

Médico ensina truques para dieta mais eficiente

O médico e cirurgião bariátrico Dr. Caetano Marchesini fala na coluna desta semana, sobre hábitos comuns que atrapalham as dietas. Ele também explica que não existem dietas milagrosas e que nenhum ser humano consegue manter-se sempre em dieta, apontando quando a mudança nos hábitos alimentares traz benefícios. ??

https://www.youtube.com/watch?v=JcjLHYDvICQ