Coritiba anuncia demissão de Eduardo Baptista

Eduardo Baptista não é mais técnico do Coritiba. No fim da noite desta sexta-feira (10), após o empate sem gols com o Sampaio Corrêa, a diretoria alviverde anunciou o desligamento do treinador e do comando de futebol do clube.

Além de Baptista, foram demitidos o diretor executivo de futebol Augusto Oliveira, o gerente de futebol Pereira e o auxiliar técnico Gustavo Bueno.

O anúncio foi feito por meio de nota no site oficial do clube. A diretoria não se manifestou na coletiva de imprensa após a partida.

Ao fim da partida desta sexta, a torcida protestou e pediu a saída do treinador.

QUATRO MESES NO COMANDO

Baptista foi contratado no dia 16 de abril, após ser demitido da Ponte Preta. Ele chegou para substituir Sandro Forner, que foi desligado logo na primeira rodada da Série B diante do mesmo Sampaio Corrêa, ao perder por 2 a 0.

O treinador veio com o seu auxiliar técnico Gustavo Bueno e estreou no dia 27 de abril, pela terceira rodada, com vitória diante do Criciúma por 2 a 1.

O técnico assumiu o alviverde na oitava posição, com seis pontos. Atualmente o Coxa tem 29 pontos, na 10ª colocação. Ao todo, foram 18 jogos, com seis vitórias, oito empates e quatro derrotas (53,7% de aproveitamento). Além disso, foram 21 gols marcados e 18 sofridos.

 

Baptista e Micale detonam políticos e defendem caminhoneiros

Os técnicos Eduardo Baptista, do Coritiba, e Rogério Micale, do Paraná Clube, soltaram o verbo após os jogos da rodada deste fim de semana, ao serem questionados sobre um possível cancelamento dos jogos por causa da greve dos caminhoneiros. O Coritiba venceu o Vila Nova, por 2 a 0, na sexta-feira (25), enquanto o Paraná Clube empatou com o Atlético-PR, sem gols, neste domingo (27).

O Coxa joga com o Londrina, no estádio do Café, nesta terça-feira (29), às 21h30. Com a falta de combustíveis nos aeroportos, a rodada corre o risco de não acontecer. Questionado sobre essa possibilidade, Baptista foi taxativo e não poupou palavras para falar sobre a situação política do país. “Se não tiver jogo não tem problema, o Campeonato Brasileiro fica em segundo plano. O país vive um caos. Hoje eu assisti o Marum (Ministro da Secretaria de Governo) falando, dando risada como se não acontecesse nada. Essa falta de honestidade, essa cara de pau. Se não tiver jogo, tudo bem. O futebol fica em segundo plano e essa desonestidade nos deixa muito triste”, disse

Após o duelo entre Paraná e Atlético, na Vila Capanema, o comandante Tricolor também desabafou. “Nós temos um país na política, extremamente corrupto. Não sou aqueles caras politicamente corretos neste tipo de assunto. Não quero ver minhas filhas, meu neto, crescendo em um país com esse tipo de gente administrando. Não vou generalizar e dizer que são todos, mas a grande maioria é. Uma lama, corrupção, gente morrendo todos os dias nos hospitais. Tem gente morrendo de fome e comida sendo jogada no lixo. E a culpa não é dos caminhoneiros, a culpa é dos políticos que não fazem absolutamente nada pelo povo brasileiro”, ressaltou.

Baptista também falou sobre o desperdício de alimento e isentou os caminhoneiros. “O país vive uma incompetência, uma falta de honestidade dos nossos políticos. Eu fiquei emocionado, eu vi o pessoal do leite jogando leite na rua e tanta gente passando fome. Onde eu moro tem tanta gente na rua pedindo dinheiro para um prato de comida e a gente tem que jogar leite fora”, lamentou.

Por fim, Baptista pediu que a população responda nas urnas em outubro. “Vamos votar certo, tirar essa cambada de corruptos que matam tanta gente. Essas pessoas não são ladrões. Essas pessoas são assassinas. Assassinas. É PT, PSDB, PMDB, UDT, PTC, todas as siglas: todos ladrões, todos sem-vergonhas, que matam crianças, mulheres, homens, brasileiros, o nosso país”, protestou.

A greve dos caminhoneiros entrou no 8º dia nesta segunda-feira (28). Ontem o presidente Michel Temer chegou a anunciar que o Governo vai atender praticamente todas as solicitações da categoria.

“Sabemos que tecnicamente não vivemos um bom momento”, diz Baptista sobre Coritiba

O Coritiba desperdiçou a chance de entrar no G4 da Série B na última rodada ao empatar em 1 a 1, com o Boa Esporte, em Varginha. Na ocasião, o time mineiro era o lanterna da competição e ainda não tinha pontuado, mesmo com esse cenário “favorável”, o alviverde não conseguiu vencer e ainda sofreu para segurar os mandantes. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (23), o técnico Eduardo Baptista admitiu que a equipe não vive um bom momento tecnicamente.

“O Coritiba precisa subir. É lógico que a gente quer fazer um bom futebol, um futebol vistoso. Mas se não tiver resultado, não adianta. Nós sabemos que tecnicamente não vivemos um bom momento, mas temos conseguido os resultados de maneira aguerrida e com o tempo conseguiremos esse nível técnico”, afirmou.

Segundo o treinador, o time tem deixado a desejar fora de casa, mas aos poucos está evoluindo. “Temos momentos de oscilação, principalmente fora de casa, mas é uma equipe que está evoluindo. Nós perdemos jogadores importantes, então vemos uma projeção importante muito breve nesses retornos. Estamos evoluindo, mas é um campeonato longo e então visualizamos um melhor momento técnico muito em breve”, explicou.

O treinador também explicou que a postura em jogos da Série B é diferente, já que os times entram sempre para o tudo ou nada. “Lógico que a gente quer um futebol bonito, um drible, mas queremos um time aguerrido. Preparado para a Série B”, destacou.

Na próxima sexta-feira (25), a equipe recebe o Vila Nova, no Couto Pereira, às 21h45 (de Brasília), pela sétima rodada da competição. O duelo é um confronto direto, já que o time goiano é o terceiro na tabela com três pontos, apenas dois pontos a mais que o Coxa.

“Esse é o famoso jogo de três pontos, porque você faz três pontos, segura seu adversário e entra no G4, independente de resultados terceiros. Esse ano teremos algumas decisões, essa é uma delas e tem que ser encarada assim”, ressaltou.

Para Baptista, o jogo será difícil, mas o Coritiba tem o fator casa a seu favor. “É um adversário difícil contra um time que vem bem na competição, organizado, vem com mesmo técnico desde o ano passado, um time consistente, perdeu a invencibilidade só agora. Mas vamos respeitar, lembrando que o Coritiba é forte em casa, temos jogadores fortes. Que bom que é dentro de casa, com apoio da torcida”, disse.

 

 

 

“Temos que fazer um jogo de construção”, diz Eduardo Baptista sobre Coritiba

Antes de comandar seu primeiro treino no estádio Couto Pereira, o treinador Eduardo Baptista concedeu uma entrevista coletiva na manhã da última quarta-feira (25), falando sobre a expectativa de sua estreia como treinador na equipe alviverde e também sobre a sequência de atividades realizadas até aqui. O Coritiba tem compromisso nesta sexta-feira (27), às 21h30 (de Brasília), contra o Criciúma, no Couto Pereira.

“A gente trabalhou bastante e a acho que a entrega dos jogadores foi muito satisfatória. A gente buscou o encaixe e uma preocupação minha era a compactação da equipe, nos treinamentos eu acho que a gente conseguiu melhorar bastante, não o ideal, ainda vai mais tempo de treinamentos, mas já conseguiu vender uma ideia para eles, de um time agressivo, aguerrido, com posse. Tudo isso funcionou bem, os atletas responderam. Mas o jogo é a prova final”, apontou.

Baptista espera inserir seu modelo de jogo no time. “A semana a gente procurou organizar a equipe de maneira que a gente entende, tanto ofensivamente, quanto defensivamente. Defensivamente para mim é mais tranquilo organizar. Ofensivamente, demanda um pouco mais de tempo, porque envolve confiança, entrosamento, e a gente tem focado mais nisso agora”, explicou.

“A gente tem colocado para os atletas a importância de vender para o torcedor uma equipe corajosa, aguerrida, humilde quando não tiver com a bola, para que todo mundo possa se ajudar e tentar retomar a bola da melhor maneira possível. Minha expectativa é grande”, destacou.

E sobre o jogo, o treinador coxa-branca analisou a postura que o Criciúma, comandado por Argel Fucks, deve ter em campo, que deve ser bem fechado e com marcação forte. “É um jogo de muita paciência, que não pode se desequilibrar. Não vamos querer resolver o jogo nos primeiros dez minutos. Embora o torcedor sempre muito exigente vá nos pressionar, mas a gente tem que estar equilibrado. Tem que fazer um jogo de construção, sabendo que podemos fazer um jogo até no último minuto e ganhar. Nós não podemos nos expor de maneira desorganizada, tomar o gol e perder o jogo. A gente tem que estar organizado, vamos agredir, vamos correr riscos equilibrados, mas vamos buscar. Esperamos um Criciúma muito fechado, e nós temos que saber jogar com isso, furar esse bloqueio sem que a gente se exponha ou ofereça os contra-ataques”, observou.

Para o duelo com o Criciúma o alviverde apostou em promoções para atrair o torcedor.

 

Ex-Atlético, Eduardo Baptista reassume a Ponte Preta

Sem trabalhar desde julho, quando foi demitido pelo Atlético-PR, Eduardo Baptista assinou, nesta quarta-feira, com a Ponte Preta, clube pelo qual teve ótima passagem no ano passado e de onde só saiu para assumir o Palmeiras, no início desta temporada. Baptista foi anunciado nesta quarta, horas antes da partida da Ponte contra o Sport, pela Sul Americana, para o lugar de Gilson Kleina, demitido no final de semana, após a derrota da equipe campineira para o Atlético-GO.

Eduardo Baptista chega com a missão de livrar a Ponte Preta do rebaixamento. O time – que não vence há três rodadas no Brasileiro – soma apenas 28 pontos em 24 jogos e está a apenas um ponto do 17º colocado, que hoje é o São Paulo. O primeiro compromisso de Eduardo Baptista em sua volta à Ponte Preta será no próximo domingo (24), em jogo contra a Chapecoense, na Arena Condá, pela 25ª rodada do Brasileiro.

Após sequência de derrotas, Atlético-PR demite técnico Eduardo Baptista

O técnico do Atlético-PR Eduardo Baptista, foi demitido nesta segunda-feira (10), um dia após o empate com a Chapecoense pelo Campeonato Brasileiro. O clube está há quatro jogos sem vencer. Baptista comandou o rubro-negro por 48 dias, em 13 partidas, conquistou cinco vitórias, teve três empates e amargou cinco derrotas, com 46,1% de aproveitamento dos pontos. A informação de bastidores é de que o treinador estava tendo dificuldades com alguns atletas. O auxiliar Bruno Pivetti deve comandar a equipe na partida contra o Cruzeiro, na quarta-feira.

O treinador foi comunicado pela diretoria na manhã desta segunda-feira, porém a diretoria já estava decidida após a derrota para o Santos pela Copa Libertadores, na última quarta-feira. Segundo informações quem tentou “segurar” Eduardo no clube foi o agora supervisor Paulo Autuori, responsável pela chegada do ex-treinador do Palmeiras. Fontes garantem que Autuori também deve deixar o clube.

A passagem de Eduardo não começou muito bem e a equipe amargou a última colocação no brasileiro por algumas rodadas. Porém, a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil e uma sequência de quatro vitórias no brasileiro “maquiou” a situação da equipe, que não desempenhava um bom futebol.

Mas a série de derrotas que começou com a “quase” eliminação para o Grêmio na derrota por 4 a 0 na Copa do Brasil, somada com a derrota dentro de casa para o Santos na Libertadores culminaram com sua demissão, que no período de quatro jogos ainda perdeu para o Sport e empatou com a Chapecoense.

A diretoria não confirmou oficialmente, mas o próprio treinador confirmou a repórteres na manhã de hoje. Eduardo não quis gravar entrevista.

Lembre quais foram os últimos jogos:

  • Grêmio 4 a 0, pela Copa do Brasil
  • Sport 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro
  • Santos 3 a 2, pela Libertadores
  • Chapecoense 1 a 1, pelo Brasileiro

Entre os jogos dois são de campeonatos mata-mata, pela Copa do Brasil e pela Libertadores. Ainda há jogo de volta para decidir o futuro do time nas competições. Nos primeiros quatro jogos no comando do rubro-negro Baptista conseguiu uma sequência de quatro vitórias pelo brasileirão, mas o rendimento voltou a cair.

 

Com Leopoldo Scremin

Especial para o Paraná Portal

 

 

Eduardo Baptista não é mais o treinador do Palmeiras

O “maleável” Eduardo Baptista já não está mais no comando técnico do Palmeiras. Um dia após a derrota do Palmeiras para o Jorge Wilstermann, em Cochabamba (Bolívia) por 3 a 2. O técnico campeão nacional à frente do Palmeiras, Cuca, é o mais cotado para assumir o cargo, mas Jorginho, ex-Vasco, também corre por fora.

O diretor executivo, Alexandre Mattos e o presidente, Maurício Galiotte, chegaram em São Paulo e já se reuniram com o treinador. Baptista era contestado desde sua chegada e a eliminação para a Ponte Preta no Paulistão e a derrota para os bolivianos selaram sua passagem pelo clube.

Após a demissão, tanto o presidente quanto Mattos não quiseram se pronunciar sobre a demissão. Já o técnico Cuca disse, em entrevista à Fox, afirmou que está voltando ao futebol chinês. “Não sabia da demissão do Eduardo, não tive contato algum com o Palmeiras”, comentou.