enem

Resultados da solicitação de reaplicação do Enem foram liberados

Os resultados dos pedidos de reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já podem ser consultados na página do Participante do Enem. Os estudantes cujos pedidos foram aprovados poderão refazer as provas do Enem nos dias 10 e 11 dezembro. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os locais de prova ainda serão divulgados.

No total, 3,9 milhões de estudantes compareceram a pelo menos um dia de prova do exame, realizado nos dias 03 e 10 de novembro. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foram registradas 76 ocorrências, incluindo queda de energia, desastres naturais, entre outros problemas que acabaram prejudicando alguns candidatos.

Têm direito à reaplicação os participantes que foram prejudicados por problemas logísticos como: desastres naturais que tenham atrapalhado a aplicação devido ao comprometimento da infraestrutura do local; falta de energia elétrica que tenha comprometido a visibilidade da prova pela ausência de luz natural; e erro de execução de procedimento de aplicação pelo aplicador que tenha levado ao comprovado prejuízo do participante. Os estudantes que sentiram alguma indisposição ou tiveram algum problema de saúde e saíram da sala onde estava sendo aplicada a prova não terão direito à reaplicação, segundo as regras do edital.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

enem

Enem Portugal: cinco novas instituições portuguesas assinam convênio com o Inep

Candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que desejam ingressar em instituições de ensino superior portuguesas têm mais cinco opções para estudar em Portugal, sendo agora 47 universidades portuguesas que passaram a utilizar o exame como critério para admissão de estudantes. Os novos convênios foram assinados na última terça-feira (19).

Para o presidente do Inep, Alexandre Lopes, a adesão das novas instituições portuguesas amplia o leque de oportunidades para os brasileiros que desejam estudar fora do país. “Toda a oportunidade que a gente possa dar ao estudante brasileiro, dele se abrir para o mundo, buscar conhecimentos novos, é enriquecedora, e este é um trabalho muito importante para o Inep”, afirmou.

Entram agora para a lista do Enem Portugal o Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (Ismat), em Portimão; Instituto Superior Dom Dinis (Isdom), em Marinha Grande; Instituto Superior de Gestão (ISG), em Lisboa; Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém (Isla Santarém), em Santarém; e Instituto Superior de Gestão e Administração de Gaia (Isla Gaia), em Vila Nova de Gaia.

COMO FUNCIONA O ENEM PORTUGAL?

Para conseguir estudar em terras portuguesas com o Enem é preciso tirar uma boa nota na avaliação e já ter concluído o ensino médio. Todos os trâmites devem ser feitos diretamente com a instituição de escolha. No geral, as informações estão concentradas nos sites das universidades, como datas de inscrição, cursos ofertados e valor das mensalidades ou anuidade. O governo do Brasil não repassa nenhum tipo de verba para custear a estadia e estudos dos aprovados.

Apesar das universidades serem públicas, elas são pagas, por isso é preciso saber qual é o valor do curso, da taxa de candidatura (se for o caso) e as formas de pagamento aceitas. Além disso, é importante ficar atento quanto a escala de classificação por nota, já que a do Enem é 0-1000 e a maioria em Portugal é 0-200, sendo necessário dividir a nota por cinco. Abaixo, você pode conferir a lista completa.

Universidades de Portugal que aceitam o Enem

1. Universidade de Coimbra (UC)

2. Universidade do Algarve (UAlg)

3. Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria )

4. Instituto Politécnico de Beja (IPBeja)

5. Instituto Politécnico do Porto (P.Porto)

6. Instituto Politécnico Portalegre (IPP)

7. Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA)

8. Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)

9. Universidade de Aveiro (UA)

10. Instituto Politécnico da Guarda (IPG)

11. Universidade de Lisboa (ULisboa)

12. Universidade do Porto (U.Porto)

13. Universidade da Madeira (UMa)

14. Instituto Politécnico de Viseu (IPV)

15. Instituto Politécnico de Santarém (IPSantarem)

16. Universidade dos Açores (UAc)

17. Universidade da Beira Interior (UBI)

18. Universidade do Minho

19. Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (Cespu)

20. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Universidade Lusófona)

21. Instituto Politécnico de Setúbal (IPS)

22. Instituto Politécnico de Bragança (IPB)

23. Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB)

24. Universidade Lusófona do Porto (ULP)

25. Universidade Portucalense (UPT)

26. Instituto Universitário da Maia (Ismai)

27. Instituto Politécnico da Maia (Ipmaia)

28. Universidade Católica Portuguesa (UCP)

29. Universidade Fernando Pessoa (UFP)

30. Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida (ISPA)

31. Instituto Leonardo da Vinci (ILV)

32. Escola Superior de Saúde do Alcoitão (Essa)

33. Universidade Lusíada – Norte

34. Universidade Lusíada

35. Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC)

36. Escola Superior Artística do Porto (Esap)

37. Universidade Europeia

38. Instituto Universitário de Lisboa (Iscte-IUL

39. Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa (ESSNorteCVP)

40. Universidade Autônoma de Lisboa (UAL)

41. Instituto Politécnico da Lusofonia (Ipluso)

42. Instituto de Estudos Superiores de Fafe (IESFafe)

43. Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (Ismat)

44. Instituto Superior Dom Dinis (Isdom)

45. Instituto Superior de Gestão (ISG)

46. Instituto Superior de Gestão e Administração de Santarém

47. Instituto Superior de Gestão e Administração de Gaia

*Com informações da Agência Brasil

Agência Educa Mais Brasil

pretos e pardos - ensino superior público - Brasil

Pela primeira vez, negros são maioria no ensino superior público

A proporção de pessoas pretas ou pardas (que compõem a população negra) cursando o ensino superior em instituições públicas brasileiras chegou a 50,3% em 2018. Apesar desta parcela da população representar 55,8% dos brasileiros, é a primeira vez que os pretos e pardos ultrapassam a metade das matrículas em universidades e faculdades públicas.

Os dados estão no informativo Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil, divulgado hoje (13), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A comparação foi feita com as informações do suplemento de educação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio – Contínua (Pnad Contínua), que começou a ser aplicado em 2016.

A pesquisa mostra que a população negra está melhorando seus índices educacionais, tanto de acesso como de permanência, apesar de ainda se manter bem atrás dos índices medidos entre as pessoas brancas.

A proporção de jovens de 18 a 24 anos pretos ou pardos no ensino superior passou de 50,5% em 2016 para 55,6% em 2018. Entre os brancos, a proporção é de 78,8%. Na mesma faixa etária, o número de pretos e pardos com menos de 11 anos de estudo e que não estavam frequentando a escola caiu de 30,8% em 2016 para 28,8% em 2018, enquanto o indicador para a população branca é de 17,4%.

OUTROS PERCENTUAIS

Os que já haviam concluído o ensino superior somavam 36,1% dos brancos e 18,3% dos pretos e pardos, enquanto a taxa de ingresso no terceiro grau é de 53,2% entre os brancos e de 35,4% entre pretos e pardos. Na faixa de 18 a 24 anos que concluiu o ensino médio, mas que não estava estudando por trabalhar ou precisar procurar trabalho, 61,8% eram pretos ou pardos.

A taxa de analfabetismo para pessoas acima de 15 anos, entre pretos e pardos caiu de 9,8% em 2016 para 9,1% em 2018. Entre os brancos, a taxa é de 3,9%. Na frequência à creche ou escola, crianças pretas ou pardas de até 5 anos passaram de 49,1% para 53%, enquanto 55,8% das crianças brancas estão nessa etapa da educação. Nos anos iniciais do ensino fundamental, para crianças de 6 a 10 anos, não há diferença significativa, com 96,5% das brancas e 95,8% das pretas ou pardas frequentando a escola.

A analista de indicadores sociais do IBGE Luanda Botelho disse que a melhora das estatísticas é reflexo de políticas públicas que proporcionaram o acesso e permanências da população preta e parda na rede de ensino.

“O estudo mostra para a gente que para todos os indicadores educacionais há uma trajetória de melhora desde 2016. Isso se reflete em menor atraso escolar, mais pessoas pretas ou pardas frequentando a escola na etapa de ensino adequada para a idade, menor abandono escolar, mais pessoas pretas ou pardas concluindo o ensino médio e ingressando no ensino superior”, afirmou.

Os rendimentos de pretos e pardos se mantêm abaixo do segmento de brancos. O rendimento médio mensal entre brancos é de R$ 2.796 e entre pretos e pardos cai para R$ 1.608, uma diferença de 73,9%. Na comparação apenas entre quem tem curso superior, os bancos ganhavam por hora 45% a mais do que os pretos e pardos.

Para o pesquisador do IBGE Claudio Crespo, a melhora nos indicadores dos negros é relevante, mas como a desigualdade é histórica e estrutural, os ganhos para a população preta ou parda só aparecem com organização e mobilização social e políticas públicas direcionadas.

“A intervenção de políticas públicas é um fator essencial para a redução dessa desigualdade. Onde há avanços percebidos, apesar da distância que ainda reside, são espaços em que houve intervenção de políticas públicas e também organização do movimento social para a conquista de uma sociedade mais igualitária. Como as cotas para acesso ao nível superior”, explicou.

REPRESENTAÇÃO POLÍTICA

Na representação política, os pretos e pardos também ficam muito atrás dos brancos, com apenas 24,4% dos deputados federais eleitos em 2018 tendo se declarado negros. Entre os deputados estaduais, o número sobe para 28,9% e, entre os vereadores eleitos em 2016, o índice sobe, com 42,1% tendo se declarado preto ou pardo.

Segundo o estudo do IBGE, a sub-representação começa nas candidaturas, com a autodeclaração de pessoas pretas e pardas totalizando 41,8% dos candidatos a deputado federal, 49,6% dos que tentam uma vaga nas assembleias estaduais e 48,7% dos que querem ser eleitos vereadores.

No recorte de verbas utilizadas nas campanhas, 9,7% dos candidatos brancos a deputado federal tiveram receitas superiores a R$ 1 milhão e, entre pretos ou pardos, o índice ficou em 2,7%. A representação das mulheres pretas ou pardas chega a apenas 2,5% dos deputados federais, 4,8% dos deputados estaduais e 5% dos vereadores.

Considerando todas as mulheres, elas representam 16,9% da Câmara dos Deputados, 31,1% das assembleias estaduais e 36,8% das câmaras municipais.

Os dados de cor ou raça só começaram a ser coletados pela Justiça Eleitoral em 2014, com a pergunta inserida na inscrição da candidatura.

Inep divulga nesta quarta-feira gabaritos oficiais do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulga hoje (13) os gabaritos oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Também serão divulgados os Cadernos de Questões, em todas as suas versões.

No total, serão seis gabaritos para cada dia de aplicação e seis Cadernos de Questões, de acordo com as cores da prova e opções acessíveis. Os participantes podem acessar os gabaritos pelo portal do Inep, na página do Enem ou pelo aplicativo do Enem.

Os participantes deverão ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor de prova que fez em cada domingo de aplicação.

Mesmo com o gabarito em mãos, os participantes ainda não poderão saber qual nota tiraram no exame, isso porque o Enem é corrigido pela chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Pela TRI, não há um valor fixo para cada questão. A pontuação varia conforme o percentual de acertos e erros naquele item entre os participantes e também de acordo com o desempenho de cada estudante na prova.

O Enem 2019 foi aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. Cerca de 3,9 milhões de estudantes de todo o país compareceram ao menos em um dia de prova.

Os resultados individuais do Enem 2019 serão divulgados na Página do Participante e no aplicativo do Enem, em janeiro de 2020, a partir de consulta com CPF e senha.

O resultado dos participantes eliminados, segundo o Inep, não será divulgado, mesmo que eles tenham feito o Enem nos dois dias de aplicação. Para os treineiros, que fazem o exame para autoavaliação de conhecimentos, a consulta só será liberada em março do ano que vem.

enem 2019

Enem 2019 registrou menor taxa de ausentes desde 2009; confira balanço

O segundo domingo de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve a menor taxa de ausentes desde 2009, quando a avaliação foi formulada para selecionar estudantes para os cursos superiores das universidades brasileiras. Ontem (10), compareceram 3,7 milhões do total de 5,1 milhões de candidatos inscritos. Os faltantes corresponderam a 27,19% do total, superando a taxa de 2015 que então era de 27,33%.

“Tivemos a menor abstenção de todos os tempos, tanto no primeiro dia, quanto hoje. Tivemos, acho que agora dá para afirmar, o melhor Enem de todos os tempos, tanto em execução, operação, logística, como também em termos de formulação”, comemorou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em coletiva realizada ontem para apresentar o balanço do Enem 2019.

Na semana passada, 3 de novembro, quando ocorreu o primeiro dia de prova, o índice de presentes ficou em 76,9%. Até então, o melhor resultado havia sido em 2018, com 75,24%. Os dados foram apresentados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame. Confira o balanço completo.

Foram dois dias de avaliações, cada prova com 90 questões de múltipla escolha. No primeiro, foram 45 sobre linguagens, códigos e suas tecnologias e 45 sobre ciências humanas e suas tecnologias, além da redação sobre democratização do acesso ao cinema no Brasil. No segundo dia de exame foram 45 sobre ciências da natureza e 45 sobre matemática. Juntando os dois dias, foram dez horas e meia de prova. O Inep vai disponibilizar o gabarito do Enem na quarta-feira, 13 de novembro.

*matéria produzida com informações do MEC

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Enem dos próximos anos será um exame técnico, diz ministro da Educação

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será, nos próximos anos, “um exame técnico e não ideológico”, afirmou neste domingo (10) o ministro da Educação, Abraham Weintraub. “O objetivo é que seja feita uma seleção justa para todos os brasileiros”, disse.

O Enem 2019 foi aplicado no dia 3 e neste domingo. Ao todo, cerca de 3,9 milhões de estudantes de todo o país participaram de pelo menos um dia de prova. Na análise de especialistas, o exame deste ano foi mais conteudista que de anos anteriores.

“[O estudante] não vai precisar mais ficar buscando nos manuais de esquerda ou de direita ou em qualquer lugar que seja, ideologias”, disse. “Como foi para a redação. [O participante] poderia escrever uma redação de esquerda, de direita ou técnica. Queremos apenas ver quem sabe elaborar uma boa redação. As questões foram feitas com esse intuito, selecionar as pessoas mais bem preparadas”. O tema da redação este ano foi Democratização do acesso ao cinema no Brasil.

Segundo o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, as questões deste ano foram todas retiradas do Banco Nacional de Itens (BNI), e já estavam elaboradas. Para integrar o BNI, as questões passam por um longo processo de aprovação e testagem.

“Não houve direcionamento para mais ou menos conteudistas”, disse Lopes. “O que houve foi a equipe buscando dentro do Banco de Itens uma prova equilibrada, que cobrisse matrizes do Enem. Para oferecer às universidades um conjunto de alunos com boas notas, para escolherem os melhores para seus cursos”.

Neste ano, o Inep criou uma comissão para definir o que não seria usado no Enem 2019. De acordo com nota técnica publicada pela autarquia, a comissão, criada no dia 20 de março deste ano, deveria “identificar abordagens controversas com teor ofensivo a segmentos e grupos sociais, símbolos, tradições e costumes nacionais” e, com base nessa análise, recomendar que tais itens não fossem usados na montagem do exame deste ano.

A comissão concluiu o trabalho no começo de abril. No entanto, pelo caráter sigiloso do BNI, o resultado não foi divulgado. O Inep esclareceu que como a elaboração de um item é um processo longo e oneroso, nenhum item será descartado. Eles poderão ser posteriormente adequados.

Enem: o que esperar do segundo dia de provas neste domingo (10)

Neste domingo (10), estudantes de todo o país farão as provas de matemática e ciências da natureza do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas do último domingo (3) podem dar indícios de como será esse segundo dia de exame, de acordo com professores entrevistados pela Agência Brasil.

Segundo a tendência do primeiro dia de exame, “a prova está prometendo ser um pouco menor, com textos mais enxutos”, diz o professor de física Leonardo Gomes, do curso online Descomplica. Mas isso não pode fazer com que os estudantes descuidem da interpretação de texto. “É importante buscar nos textos partes que importam [para a resolução da questão] e não sejam levados por palavras que não servem para nada”, acrescenta.

No segundo dia de aplicação, os estudantes terão meia hora a menos, ou seja, cinco horas para resolver todas as questões da prova. Isso significa, de acordo com Gomes, que terão, em média, três minutos para cada questão.

“O desperdício de tempo é um grave problema. A cada 30 minutos, quando o fiscal tirar o papelzinho do tempo, o candidato tem que ter marcado 10 questões”, recomenda o professor. Para isso, a dica é buscar sempre as questões mais fáceis e, depois, voltar nas questões difíceis.

No segundo dia de prova, é importante também repetir o que funcionou no primeiro, segundo o professor. “Distribuição do tempo de prova, chegada ao local do exame. Fazer do mesmo jeito para não ter problema e não chegar atrasado. Ir com calma, que vai dar tudo certo”, sugere o professor de matemática do colégio Marista João Paulo II, em Brasília, Leonardo Simões.

Nessa reta final, a recomendação de Simões é que os estudantes façam o que os deixar mais tranquilos. “Cada estudante tem um método. Alguns relaxam estudando e alguns saindo. Tem que identificar o que mais satisfaz para a realização do exame no domingo”, diz. Para quem se sente melhor preparado estudando, uma dica é fazer questões de provas antigas. O professor recomenda a revisão dos seguintes conteúdos: razão, proporção, porcentagem, geometria plana – áreas de figuras planas, geometria espacial – volume dos sólidos geométricos, probabilidade, estatística e funções.

NA HORA DA PROVA

Na hora da prova, de acordo com o professor de química Allan Rodriges, do Descomplica, para quem estiver nervoso, exercícios de respiração podem ajudar. “A minha dica inicial, de cara, para controlar o emocional na prova, é a respiração. A respiração oxigena o cérebro e faz com que o estudante fique mais tranquilo. Se se sentir nervoso, pare, feche os olhos, respire fundo. Isso reduz os batimentos cardíacos. Se estiver muito abalado, tome água, vá ao banheiro”, diz.

“É um dia de muita conta, com matemática, física, química, biologia. Então, as pessoas têm que ir preparadas para fazer contas. E, com isso, acho que a grande estratégia é pensar que já que vai fazer muita conta, tentar dissolver as questões que envolvem mais números com questões teóricas, de biologia, por exemplo”, recomenda.

Aos estudantes que estão ainda nervosos com o desempenho no primeiro dia, Rodrigues reforça: “O que passou, passou. Não tem como prever a nota”.

ENEM 2019

O Enem começou a ser aplicado no último domingo (3), quando 3,9 milhões de participantes fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. Aqueles que faltaram no primeiro dia, podem fazer o exame neste domingo, mas a prova servirá apenas para autoavaliação.

As regras do exame são as mesmas do último domingo. Os portões abrirão às 12h e fecharão às 13h, no horário de Brasília. O gabarito oficial do Enem será divulgado no dia 13 de novembro.

RETA FINAL

Para se preparar para o Enem, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) disponibiliza, gratuitamente, o portal Questões Enem. Lá os estudantes têm acesso a questões que foram aplicadas no Enem de 2009 a 2018.

O candidato faz um cadastro e pode escolher inclusive a área de conhecimento que deseja treinar. O site então sorteia as questões e o estudante recebe depois um gabarito online para avaliar o desempenho.

ônibus curitiba tarifa reduzida enem

Enem: Saiba qual linha de ônibus pegar para seu local de prova em Curitiba

A segunda prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será aplicada neste domingo (10), em todo Brasil. Se contar os números da primeira fase, Curitiba terá cerca de 48 mil estudantes realizando o concurso.

A Urbs (Urbanização de Curitiba) irá providenciar um aumento no efetivo das linhas de ônibus para melhor atender os estudantes que vão prestar o concurso na cidade.

Serão colocados linhas de ônibus especiais, além da atividade de alguns destinos que não são disponibilizados usualmente aos domingos.

Exemplos dessas linhas especiais são as que terão como destino as universidades Positivo e Tuiuti, que terão carros saindo dos terminais do Campo Comprido e do Campina do Siqueira, respectivamente.

Outro local de prova que irá contar com linhas especiais é a Faculdade Santa Cruz, em sua sede no bairro Novo Mundo. O destino terá uma linha especial que fará o caminho entre o Terminal Capão Raso e a faculdade, com início de circulação às 10h45, tendo como foco a chegada dos estudantes e também uma operação de volta a partir das 17h30, com a saída dos alunos.

Para consultar todos as linhas disponíveis para os locais de prova clique neste link.

enem - gabaritos

Gabaritos do Enem serão divulgados no dia 13 de novembro

Os gabaritos do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) serão divulgado no dia 13 de novembro, de acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Texeira). Os participantes fizeram neste domingo (3) as provas de redação, linguagens e ciências humanas. No dia 10, fazem as provas de matemática e ciências da natureza.

Desde as 18h30 deste domingo, os estudantes já podiam sair dos locais de prova com os Cadernos de Questões do Enem, o que ajuda na hora de conferir os gabaritos.

No dia 13, os participantes poderão acessar os gabaritos pelo portal do Inep ou pelo aplicativo do Enem. No total, são seis gabaritos para cada dia e seis Cadernos de Questões, de acordo com as cores da prova e opções acessíveis.

Segundo o Inep, os candidatos deverão ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor de prova que fez em cada domingo de aplicação.

Mesmo com o gabarito em mãos, não será possível saber a nota final do Enem. Isso por que o sistema de correção da prova, que segue a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI), não atribui um valor fixo para cada questão.

Os resultados individuais do Enem 2019 serão divulgados também na Página do Participante ou no aplicativo do Enem, em data a ser anunciada, a partir de consulta com CPF e senha. A previsão é de que ocorra em janeiro.

De acordo com o Inep, o resultado dos participantes eliminados não será divulgado, mesmo que eles tenham realizado o Enem nos dois dias de aplicação. Para os treineiros, que fazem o exame para autoavaliação de conhecimentos, a consulta só será liberada 60 dias após a divulgação dos resultados.

Enem - vazamento da prova - Pernambuco - Abraham Weintraub

Vazamento da prova do Enem “aparentemente” foi em Pernambuco

O MEC (Ministério da Educação) trabalha com a possibilidade de que o vazamento de uma imagem da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorreu em Pernambuco, segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Uma foto da prova foi publicada na internet e circula nas redes sociais.

“Isso aparentemente aconteceu em Pernambuco e a gente já está chegando ao nome da pessoa”, disse o ministro em vídeo publicado no Twitter. Segundo ele, o caso está sendo investigado pela Polícia Federal.

Em nota, o Inep confirmou que a imagem é real, mas afirmou que ela foi divulgada após a realização dos procedimentos de segurança, quando os estudantes já estavam todos nas salas de aplicação. Portanto, não haverá prejuízo aos participantes.

“Todos os procedimentos de segurança já haviam sido realizados, a prova já havia sido distribuída para todo mundo e alguém titou uma foto e colocou nas redes. Isso não compromete em nada tudo, segue normal”, disse o ministro.

Pelas regras do exame, é proibido o uso de aparelhos eletrônicos no local de aplicação do Enem, como celulares. Eles devem ser desligados e colocados dentro do envelope porta-objetos que cada candidato recebe. O uso desses objetos leva à eliminação do candidato.

Cerca de 5,1 milhões de candidatos estão inscritos no Enem. Hoje (3), eles fazem provas de redação, linguagens e ciências humanas. No próximo domingo (10), os participantes fazem provas de matemática e ciências da natureza.