operação quadro negro, ministério público do paraná, mppr, ághora engenharia ltda, acordo, leniência, obras, reforma, escola

Quadro Negro: novo acordo de leniência vai devolver R$ 1,4 milhão aos cofres do estado

Foi homologado nesta terça-feira (10) um novo acordo de leniência no âmbito da Operação Quadro Negro, do MP-PR (Ministério Público do Paraná). A construtora Ághora Engenharia Ltda vai devolver R$ 1,4 milhão aos cofres do estado, conforme o pacto assinado pela empresa com o Gepatria (Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa ).

A construtora é uma das empresas investigadas na Operação Quadro Negro. O Ministério Público do Paraná investiga um esquema que desviou dinheiro que deveria ser usado na construção e reformas de escolas.

De acordo com o MP-PR, este é o segundo maior acordo de leniência assinado no âmbito da Operação Quadro Negro. Ao todo, foram cinco pactos assinados entre Gepatria e construtoras desde o início das investigações. A Ághora Engenharia Ltda assinou o acordo mais recente (R$ 1.408.000,00).

ACORDOS DE LENIÊNCIA DA OPERAÇÃO QUADRO NEGRO

  1. Village Construções Ltda. (R$ 1.807.336,04)
  2. Ághora Ltda. (R$ 1.408.000,00)
  3. TS Construção Civil (R$ 1.234.107,62)
  4. Atro Construção Civil (R$ 391.738,69)
  5. MI Construtora de Obras (R$ 90.000,00)

A acordo de leniência da Ághora Engenharia Ltda foi homologado na terça-feira (10) após a chancela do Conselho Superior do MP-PR. O valor de R$ 1.408.000,00 corresponde à multa estipulada pela Lei de Improbidade Administrativa.

Com curso de medicina mais barato, Rússia atrai estudantes brasileiros

Estudar do outro lado do mundo tem sido a opção de muitos brasileiros que buscam o curso de medicina. Um dos destinos mais procurados é a Rússia, por ter um dos custos mais baratos, já que aqui no Brasil, se o estudante não tem a felicidade de ser aprovado em uma instituição pública, precisa desembolsar um bom dinheiro.

Em Curitiba, por exemplo, a mensalidade mais barata numa instituição privada custa quase R$ 6,7 mil.

Essa situação fez a curitibana Helena Coelho Oda, de 19 anos, procurar uma instituição no exterior. Antes de ir para a Rússia, ela chegou a começar o curso de Educação Física na Universidade Federal do Paraná (UFPR), mas percebeu que queria mesmo era ser médica. Há quase dois anos ela estuda medicina na Universidade Médica Estatal de Kursk, cidade localizada a aproximadamente 500 quilômetros de Moscou.

Divulgação / Kursk State Medical University

“É bem mais barato. Comparando com uma universidade particular brasileira, que a mensalidade seja em torno de R$ 7 mil a R$ 8 mil, aqui a mensalidade é de R$ 1.800 a R$ 1.900 dependendo da cotação do dólar. Fica bem mais em conta uma formação assim, do que R$ 8 mil por mês, que é bastante pesado”, destaca.

A estudante conta que o material emprestado pela universidade russa também é vasto, poucos itens precisam ser custeados pelo aluno.”Tem bastante coisa da universidade que a gente recebe e tem os outros livros que são próprios para cada matéria, que aí é por conta própria”, conta.

Carolina Tellez é diretora do Aliança Russa, empresa responsável por administrar a graduação e pós-graduação de brasileiros no país do leste europeu. Ela conta que o custo de vida de um estudante em Kursk também é barato, gira em torno de R$ 800.

Estudar na Rússia tem atraído cada vez mais brasileiros (Acervo Pessoal)

Segundo Carolina, a instituição atua como facilitadora do processo de intercâmbio. “Muito difícil hoje em dia falar para um pai de família ou uma mãe que deixe seu filho de 17, 18 a 19 anos ir para o outro lado do mundo sem referência nenhuma. Embora muitos brasileiros estudem na Rússia, não é um destino muito comum. Então eles ficam receosos. A Aliança Russa também faz a parte de verificar a veracidade dos documentos, de saber se os pais estão apoiando os meninos, de saber se os pais tem recursos econômicos para isso”, disse.

Podem participar da seleção pessoas com até 35 anos. Além disso, é necessário falar inglês, já que as aulas são ministradas neste idioma. “O aluno não precisa saber russo. E mesmo não sabendo inglês, ele consegue fazer uma faculdade preparatória, onde ele aprende inglês na área de biológicas, dentro da própria faculdade”, ressaltou.

A diretora do Aliança Russa explica que há cerca de 500 estudantes do Brasil cursando medicina em Kursk e que os resultados têm sido muito bons. “Os alunos que tem voltado para o Brasil eles tem conseguindo revalidar o diploma, homologar o diploma, trabalhar, fazer residência médica. Então, o resultado tem sido muito bom”, garantiu.

A Helena ainda não sabe se volta ao Brasil. “Se eu for pensar na parte emocional, de querer ficar perto da minha família, a resposta que vem a minha cabeça é claro, quero. Mas se eu paro para pensar mais um pouquinho, sobre a segurança que eu tenho aqui, a qualidade de vida, a resposta é não”, explicou.

Dúvidas, inscrições e informações estão disponíveis no site ou pelo WhatsApp (11) 981208208.

 

escolas, escola, educação, educa mais brasil, bolsas de estudo, ferramenta, dados, inep. escolas

Ferramenta do Inep possui dados de mais de 226 mil escolas brasileiras

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a partir de dados colhidos no último Censo Escolar, de 2018, lançou o Catálogo de Escolas da Educação Básica. A ferramenta, que pode ser usada por qualquer pessoa, permite buscar informações de mais de 226 mil escolas em todo Brasil de maneira personalizada.

No Catálogo de Escolas estão reunidos os principais dados da instituição como endereço, telefone e outros aspectos mais gerais da oferta educacional. As informações podem ser pesquisadas por região, rede de ensino (privada, estadual, federal ou municipal), porte da escola ou, ainda, pela etapa e modalidade de ensino. Há, ainda, a possibilidade de buscar uma unidade específica, através do código do centro de pesquisa ou o nome.

A ferramenta foi desenvolvida pela equipe da Diretoria de Estatísticas Educacionais do Inep, responsável por coletar e compilar as informações que são fornecidas ao Censo Escolar por cada instituição de ensino do país. De acordo com o Inep, o catálogo será atualizado anualmente, no mês de maio, seguindo o cronograma do Censo Escolar.

Outra plataforma

O Educa Mais Brasil, que há 15 anos atua no segmento educacional através do incentivo ao estudo, também disponibiliza informações de instituições de ensino de todo o país. Para acessar as informações, basta acessar o site do Educa, selecionar a opção “escolas”, escolher a região e se deseja fazer a busca por série ou através do nome da unidade.

Além de disponibilizar dados sobre estrutura e proposta pedagógica da unidade de ensino, o Educa Mais também informa se há bolsas de estudo disponíveis para a instituição desejada. São milhares de escolas parceiras e os descontos são de até 50%.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil | *com informações da Agência Brasil

Megan Fox - Filho - Bullying - Vestidos

Megan Fox diz que filho sofre bullying por usar vestidos na escola

Megan Fox, 33, revelou nesta quinta-feira (19), durante o programa norte-americano The Talk, que defende que seu filho Noah use vestidos. O menino de 6 anos já usou a peça em algumas ocasiões e recebeu críticas.

“Às vezes ele se veste sozinho, com o que ele gosta de vestir, e ele gosta de usar vestidos. Eu o coloquei em uma escola realmente liberal e hippie, mas mesmo lá, que é aqui na Califónia, ainda há meninos falando ‘meninos não usam vestidos’ ou ‘meninos não veste rosa'”, comentou.

A atriz diz que tenta fazer com que essas falas não abalem o filho ensinando-o a ser confiante, independente do que o digam.

“Ele vestiu um [vestido] na escola há uns dois dias. Quando chegou em casa, eu perguntei: ‘Como foi? Algum dos colegas da escola te disse algo?’. E ele disse: ‘Todos os meninos riram quando eu entrei, mas eu não ligo, eu amo muito vestidos”, disse Fox.

A mamãe chegou a revelar que o filho gosta tanto de moda que já desenha algumas peças. “Ele faz o design, ele desenha as roupas […] Ele é muito talentoso”, diz.

drone escola

Escola de Curitiba oferece aula gratuita de drone nesta sexta

A Criares, escola de desenvolvimento pessoal em Curitiba, está oferecendo uma aula gratuita de drones para jovens nesta sexta-feira (26). As vagas são limitadas e a expectativa é que adolescentes de 12 a 17 anos compareçam.

Os interessados devem fazer inscrição pelo telefone ou de forma presencial. Com a inscrição feita, é só comparecer à escola um pouco das 14h, horário previsto para o início da aula.

A ideia foi criar algo diferente durante esse período de férias, principalmente para aqueles que se interessam em tecnologia. Quem curtir a experiência, poderá se matricular no curso de drones da escola.

drone escola
Foto: Divulgação

CURSO DE DRONE

Com 16 aulas, o objetivo é fazer com que os jovens aprofundem seus conhecimentos no equipamento tecnológico. Ao longo dos encontros, são trabalhos os princípios básicos do drone, desde sua montagem até o funcionamento. Por fim, os alunos ainda poderão montar o próprio drone para levar para casa.

O curso foi criado em parceria com a startup Drone Kids e, segundo a diretoria Jéssica Marcelino, é uma nova opção de atividade extracurricular.

“A aula de drone é um grande exemplo de autonomia e conhecimento que os nossos alunos recebem da escola, eles aprendem toda a teoria e ainda montam um drone para levar para casa e também para continuarem brincando. Teoria e prática aplicada de forma divertida”, avalia.

Por fim, a metodologia usada pela escola elenca quatro principais pilares de todo ser humano: intelectual, emocional, físico e relacional.

A Criares está localizada na Rua Belo Horizonte, número 383, no bairro Batel. Saiba mais pelo site ou ligue nos telefones: (41) 3088-1088 ou (41) 99105-1088.

Diretora de escola é afastada por agressões contra alunos e assédio a professores

A diretora de uma escola municipal em Balsa Nova, na Região Metropolitana de Curitiba, foi afastada cautelarmente do cargo pela Justiça. Ela é suspeita de agressão física e verbal contra alunos e pais, além de assédio moral a professores. O pedido de afastamento foi feito pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), após as investigações sobre negligência da profissional de educação. A decisão é da última quinta-feira (18).

Segundo o MP-PR, várias pessoas da comunidade escolar, representantes do Conselho Tutelar e até denúncias do Disque 100 relataram os casos. Além dos episódios de violência psicológica – como gritos e ameaças verbais contra alunos, pais e professores -, foram registradas quatro situações de violência física contra estudantes.

Entre os relatos, está o de uma aluna que ficou presa no portão da escola, depois que o mesmo foi fechado de maneira indevida,  e o de outro aluno que recebeu um puxão de orelha. Além disso, uma menina passou mal com vômitos após ter ser agredida verbalmente pela diretora e um grupo de alunos foi mantido de “castigo” de forma abusiva.

Conforme o MP-PR, “é imprescindível que a requerida seja proibida de ingressar nas dependências da escola ou permanecer nas suas imediações até o fim da instrução processual, visto que grande parte dos professores relataram as denúncias envolvendo a Diretora, não sendo adequado o contato da requerida com os demais funcionários, alunos e pais de alunos da referida escola, a fim que seja evitado demais situações de assédio ou mesmo retaliação.”

A Justiça estabeleceu multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento da decisão. O processo tramita sob sigilo e está em fase cautelar, com investigações em curso.

colégio curitiba bolsa

Colégio de Curitiba oferece concursos bolsa integral para 2020

O Colégio Santo Anjo, que conta com três unidades em Curitiba, está promovendo um concurso para oferecer 10 vagas com bolsas de estudo em 2020. Cinco delas abrangem totalmente os custos, ou seja, são de 100%. Já as outras cinco são bolsas parciais, mas que ajudam no desconto.

As inscrições para o concurso estão abertas até às 18h do dia 14 de agosto. As provas vão acontecer no dia 17 do mesmo mês, na unidade do Barigui, localizada na BR-277, número 1115.

As provas vão ser compostas por 50 questões e uma redação. Além disso, serão cobrados os seguintes conteúdos: Língua Portuguesa, Matemática, Química, Física, Biologia, Geografia, História e Língua Inglesa.

LEIA TAMBÉM:

 

30,7% dos brasileiros entre 15 e 17 anos estão atrasados ou fora da escola

Um levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que 30,7% dos jovens de 15 a 17 anos estão atrasados ou fora da escola no Brasil. O índice diminuiu em relação a 2017 quando 31,5% dos brasileiros nessa faixa etária estava nessa situação. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

Embora esse problema se manifeste com maior gravidade no ensino médio, é possível perceber que ele começa a se acentuar a partir dos anos finais do ensino fundamental. Em nota, Marina Aguas, responsável pelo suplemento de Educação da Pnad, informou que “aluno atrasado tem uma probabilidade maior de continuar atrasado ou acabar saindo do sistema de ensino”.

Outro ponto destacado foi a relação entre o Ensino Fundamental e Médio e o quanto os rendimentos do aluno interferem na aprendizagem. “Acabamos colocando peso maior sobre o ensino médio, falando sobre a questão de torná-lo atrativo e a disputa no mercado de trabalho mas, se o estudante já chega do fundamental atrasado, a chance de sair do sistema e estar desanimado com o estudo é muito maior”, destacou a gestora.

A partir dos dados revelados, o Plano Nacional de Educação (PNE) definiu como uma de suas metas que o Brasil alcance o índice de 85% dos jovens de 15 a 17 anos matriculados no Ensino Médio em 2024. Atualmente, o percentual equivale a 69,3%.

Educação de Jovens e Adultos

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) é uma opção para os estudantes atrasados na escolarização. Essa modalidade tem, atualmente, 831 mil alunos cursando o ensino fundamental e 833 mil estudantes no ensino médio. Os interessados em ingressar no EJA, podem contar com ajuda do Educa Mais Brasil. O programa tem 15 anos de atuação no mercado e já beneficiou mais de 1 milhão de estudantes. Acesse o site do programa e confira as oportunidades disponíveis na sua região, é possível encontrar bolsas de estudo de até 70% de desconto.

Agência Educa Mais Brasil

Projeto mobiliza município sobre cuidados com o Sol

A exposição excessiva ao Sol e em horários não recomendados, apesar de nocivo, é um comportamento comum. Nas atividades agrícolas, muitas vezes é inviável para o agricultor não trabalhar nesses momentos. Por isso que a proteção se torna tão importante. Ainda que no dia a dia não estejamos expostos no mesmo nível, o uso do rotetor solar continua sendo obrigatório.

Foi pensando nisso que as professoras Sandra Lúcia Foletto Kalschne e Terezinha Fiorese Wais, de Serranópolis do Iguaçu, na região Oeste do Paraná, desenvolveram o projeto “Sol + Verão + Proteção = Trabalho Escolar em Ação”, durante o Programa Agrinho, realizado em 2012. O trabalho foi motivado pela preocupação com a saúde, principalmente pelo município ter na agricultura sua base cultural e econômica. “Toda a comunidade se envolveu e isso veio para concretizar o trabalho com as crianças em sala de aula”, conta a professora Sandra, cuja iniciativa também recebeu apoio das secretarias municipais de Educação, Saúde e Agricultura.

O projeto, realizado com os alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Serranópolis do Iguaçu, ficou classificado em primeiro lugar na categoria “Experiência Pedagógica” do Agrinho. Além das atividades em sala de aula, palestras e visitas a propriedades rurais, as professoras também levavam as crianças aos eventos do município para propagar a importância do que estavam aprendendo.

Uma das principais preocupações do projeto, além de alertar sobre o uso do protetor solar e outros cuidados necessários, estava nas doenças causadas pelo excesso de exposição aos raios solares. De acordo com a Secretaria de Saúde do município, Serranópolis do Iguaçu possui altos índices de incidência de câncer de pele. O trabalho de divulgação feito pelas crianças ajudou a conscientizar a população de tal maneira que a frequência de consultas nos postos de saúde aumentou, sinal de que as pessoas estavam em busca de mais informações.

O projeto também ganhou marca própria, devido à mobilização que causou na comunidade. Uma empresa privada reconheceu o trabalho das professoras e patrocinou a confecção de bonés apropriados para a proteção de trabalhadores expostos diariamente ao Sol.

“Foi bem emocionante. O projeto era bom, mas a gente não esperava ir tão longe”, conta a professora Terezinha. “Foi uma coroação. Eu sempre falo que o trabalho foi finalizado em 2012, mas a conscientização é para sempre. Fica o legado”, complementa a colega Sandra.

Leia mais notícias sobre o agronegócio no Boletim Informativo.

imagem

Alunos que estudaram em escola integral têm mais chance de passar no vestibular

Pesquisa feita pelo Laboratório de Pesquisa e Avaliação em Aprendizagem da Fundação Getúlio Vargas (Learn/FGV) e pelo Instituto Sonho Grande revela que passar mais tempo na escola e participar de atividades extracurriculares aumenta a chance de estudantes do ensino médio serem aprovados no vestibular.

Além disso, o levantamento aponta que alunos formados em escolas de tempo integral têm 63% a mais de chance de ingressar no ensino superior. Em contrapartida, os de escolas de tempo parcial têm 46%. Em relação ao salário, ter cursado o ensino médio em escolas de tempo integral confere R$ 265 a mais de  rendimento, o que corresponde a 18% do salário mensal médio. Ou seja, enquanto os jovens que cursaram o ensino médio em escolas de tempo parcial ganham, em média, R$ 1.452,22, os egressos de escolas em tempo integral recebem R$ 1.717,66.

Especialistas comentam que a educação em tempo integral obedece ao currículo regular, contribui para maior disciplina e proporciona inúmeros benefícios. “Os alunos tomam banho, fazem as lições, brincam e dormem”, lista a direção da Escolinha Borboleta Pintora. Pela manhã, os estudantes são acompanhados por uma professora e, pela tarde, podem ficar mais à vontade. Além de fazer as atividades básicas que eles teriam que fazer normalmente se voltassem para casa, os estudantes ainda têm acesso a atividades extracurriculares, como ballet, capoeira e aula de música.

Aumentar o percentual de estudantes e de escolas com oferta de educação em tempo integral no Brasil é uma das metas do Plano Nacional de Educação, Lei 13.005/2014, que estabelece objetivos e estratégias para a educação até 2024.

Por proporcionar mais horas de permanência na escola, incluir outras atividades e refeições, as mensalidades das escolas integrais são mais altas, mas há retorno de tranquilidade para os pais que
trabalham, é o que explica a mãe do Gael, Isabella Nobre, “Trabalho o dia todo e não posso contar com ajuda da minha família”. A analista comercial está satisfeita pela segurança de poder deixar o filho em um ambiente seguro. “A escola é de qualidade e me oferece todo suporte em relação ao cuidado, aprendizagem e bem-estar dele. Ele ama a escola. Por ele, nem iria embora”, conclui.

Bolsas de estudo para Educação Básica

Para os pais que sonham e precisam colocar o filho em uma escola de tempo integral, há opções como o Educa Mais Brasil. O programa oferece bolsas de estudo para várias modalidades de ensino e já beneficiou mais de 1 milhão de estudantes em todo o país. Acesse o site do programa e confira todas as oportunidades. Você pode encontrar escolas de ensino integral ou parcial e ainda conseguir descontos de até 50% na mensalidade escolar.

Agência Educa Mais Brasil