rafhael lucas coritiba paranaense 2020 fc cascavel

Atacante que não seria vendido ‘nem por 20 milhões de euros’ acerta com o FC Cascavel

Rafhael Lucas vai disputar o Campeonato Paranaense 2020 pelo FC Cascavel. O atacante, revelado nas categorias de base do Coritiba, foi apresentado pelo clube do interior nesta segunda-feira (9).

Contudo, o jogador de 27 anos não se transformou no que Rogério Bacellar, então presidente alviverde, esperava.

“Não vendo… Por mim, hoje não vendo nem por 20 milhões de euros”, disse Bacellar em 2015. Na época, o atleta tinha 15 gols marcados em maio e ganhava destaque.

Aquela foi sua melhor temporada – a única que balançou as redes pelo Coxa – com 17 gols em 47 jogos. Depois, foi emprestado para Goiás, Fortaleza, Mirassol, Inter de Lages e Paraná Clube, mas não brilhou em nenhuma equipe.

Em julho do ano passado, o Coritiba rescindiu o contrato (que iria até o final deste ano). A justificativa foi o alto salário do atacante para o time que estava disputando a Série B.

Desde então, Rafhael atuou pelo Jaguares de Córdoba, da Colômbia. Em sua primeira experiência fora do Brasil, anotou sete gols em 25 partidas.

Agora, Rafhael Lucas estará à disposição do técnico Marcelo Caranhato para o Estadual.

FC CASCAVEL

Neste ano, o FC Cascavel foi eliminado, nos pênaltis, pelo Coxa na semifinal da Taça Barcímio Sicupira (primeiro turno). Já na Taça Dirceu Krüger, acabou ficando na lanterna do Grupo B.

Agora, o time se prepara para disputar o Paranaense e a Série D do Campeonato Brasileiro em 2020.

Flamengo é campeão carioca sobre o Vasco e mantém tabu de 31 anos

E a história se repetiu mais uma vez. Confirmando o favoritismo que carregava pela superioridade técnica e também pela vitória por 2 a 0 no primeiro jogo da final, no estádio Nilton Santos, o Flamengo venceu o Vasco por 2 a 0,neste domingo (21) – com gols de Willian Arão e Vitinho – sagrou-se campeão carioca e manteve o longo tabu de 31 anos sem perder para o rival em decisões.

O título foi o primeiro com o Rubro-Negro sendo o gestor do Maracanã, que estava com uma ampla maioria de rubro-negros.

O elenco, porém, terá pouco tempo para comemorar, já que a delegação viaja para Quito (EQU) logo após o almoço de amanhã visando o importante compromisso desta quarta-feira (24), contra a LDU, que pode selar a classificação do Flamengo na Copa Libertadores.

]O clássico entre Flamengo e Vasco foi bem mais equilibrado que o de domingo passado, quando o Rubro-Negro venceu no estádio Nilton Santos com extrema facilidade por 2 a 0. O Cruzmaltino apresentou uma postura mais corajosa, se lançou ao ataque e criou oportunidades de gol. O time da Gávea, porém, mais uma vez demonstrou superioridade técnica.

O gol do Flamengo surgiu após um impedimento de Gabigol não marcado pela arbitragem. Na sequência da jogada, atacante sofreu falta. Na cobrança, Arrascaeta cruzou e encontrou Willian Arão, que cabeceou para o fundo da rede.

Após o gol, o Vasco pareceu sentir o baque e o Flamengo passou a chegar como queria no ataque diante de uma defesa cruzmaltina desarrumada e assustada. Por pouco o Rubro-Negro não ampliou.

O Vasco teve ao menos três boas oportunidades para empatar. A primeira com Pikachu, que chutou e Renê tirou quase em cima da linha. Em seguida, Lucas Mineiro chutou mal, da altura da marca do pênalti, após um bom passe de Lucas Santos. E o lateral esquerdo Danilo Barcelos também chegou atrasado em uma bola cruzada que levou perigo.

Aos 37 minutos do segundo tempo, Diego deu bela enfiada para Vitinho, que em velocidade sai na cara de Fernando Miguel e, com categoria, chutou para o fundo do gol, fechando o caixão e decretando o 2 a 0.

FLAMENGO

Diego Alves, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuéllar, Willian Arão, Diego, Éverton Ribeiro (Lincoln) e Arrascaeta (Vitinho); Gabigol (Ronaldo)
T.: Abel Braga

VASCO

Fernando Miguel, Raul Cáceres (Bruno Cesar), Werley, Leandro Castan e Danilo Barcelos; Raul, Lucas Mineiro e Yago Pikachu; Lucas Santos (Maxi Lopez), Marrony e Yan Sasse (Ribamar)
T.: Alberto Valenti

Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa e Luiz Cláudio Regazone
Cartões amarelos: Diego, Gabigol (FLA); Leandro Castan, Danilo Barcelos, Werley, Raul, Marrony (VAS)
Cartões vermelhos: Werley (VAS)
Gols: Willian Arão, aos 15 minutos do primeiro tempo (FLA); Vitinho, aos 37 minutos do primeiro tempo (FLA)

Toledo e Athletico se enfrentam na primeira final do Paranaense 2019

Toledo e Athletico protagonizam o primeiro jogo da final do Campeonato Paranaense 2019.

O duelo acontece neste domingo (14), às 16h, no Estádio 14 de Dezembro, no interior do estado.

>>>  Com gol no final, Toledo abre vantagem sobre o Athletico na final do Paranaense 2019 

TOLEDO

O Porco foi campeão da Taça Barcímio Sicupira, o primeiro turno do Estadual. Porém, perdeu a competitividade no segundo turno e acabou somando dois empates e três derrotas, terminando em 11.º lugar na classificação geral. Já que levantou o caneco, conseguiu escapar do rebaixamento para a Divisão de Acesso.

De quebra, o Toledo ainda tenta “dar o troco” no Athletico. O Rubro-Negro ganhou confiança após a goleada por 8 a 2 na primeira rodada da Taça Dirceu Krüger.

A equipe treinada por Agenor Piccinin teve 13 dias para se preparar para o confronto – inédito em sua história. Já é certo que o comandante terá o zagueiro João Neto, volante Guilherme Rend e o meia Marcelinho à sua disposição. Os três estão emprestados pelo Athletico, mas foram autorizados pelo clube a jogar.

Já a notícia ruim é que o meia Eduardinho, com uma lesão muscular, fica de fora.

ATHLETICO

Já o Furacão conquistou o título do returno com uma campanha praticamente impecável. Foram cinco vitórias, um empate e uma derrota (para o Londrina, quando já estava classificado).

Para melhorar, o time de aspirantes do Athletico ainda vem da vitória, nos pênaltis, sobre o rival Coritiba na decisão da Taça Krüger.

O técnico Rafael Guanaes não poderá contar com o experiente zagueiro Paulo André, um dos líderes desse grupo. Ele será poupado neste jogo e deve ser substituído por Robson Bambu, apesar de Zé Ivaldo também concorrer pela vaga.

VEJA TAMBÉM: Paulo André diz que vai se aposentar no Athletico em junho

De resto, é esperado que o Furacão seja o mesmo dos últimos jogos, atuando com três defensores, Khelven e Vitinho aberto pelas pontas e Bergson sendo a referência do ataque.

ESCALAÇÕES

Data, horário e local: domingo (14/04/2019), às 16h, no Estádio 14 de Dezembro, em Toledo.

Arbitragem:Leonardo Sígari Zanon, auxiliado por João Fábio Machado Brischiliari e Felipe Gustavo Schmidt.

Toledo: Andre Luiz; Everton, Fandinho, Eduardo Dalagnol, Matheus; Jonathan, Revson, Khevin, Julio Pacato; Marcelinho e Wayni. Técnico: Agenor Piccinin.

Athletico: Léo; Lucas Halter, Robson Bambu e Éder; Khellven, Erick, Christian e Vitinho; Marquinho, Jáderson e Bergson. Técnico: Rafael Guanaes.

Taça Dirceu Krüger tem os cinco piores públicos do Campeonato Paranaense 2019

A Taça Dirceu Krüger, o segundo turno do Campeonato Paranaense 2019, vai tendo os piores públicos do Estadual. Dos seis jogos que tiveram o menor número de pessoas pagantes, cinco foram nesse returno.

Além disso, Cascavel CR e o Foz do Iguaçu estiveram envolvidos nos seis jogos que tiveram o menor número de pagantes do torneio, sendo que o confronto entre ambos fica justamente como o sexto pior público do campeonato.

Vale ressaltar que 12 partidas da Taça Barcímio Sicupira, o primeiro turno, tiveram menos de 1.000 pessoas nos estádios. Ou seja, 1/3 dos duelos da fase de grupos da Taça Sicupira tiveram arquibancadas vazias.

Mesmo com a melhor média de público por jogo da competição (6.168 pagantes), o Athletico também não consegue preencher nem metade da Arena da Baixada.

Segundo o site do Furacão, o estádio tem capacidade para 43 mil pessoas em jogos, mas o maior público do Rubro-Negro foi de apenas 8.891 pagantes no clássico contra o Coritiba, válido pela quarta rodada da Taça Sicupira. Vale lembrar que o clube vem do título da Copa Sul-Americana no ano passado, mas utiliza o time de aspirantes no Estadual.

Veja os piores públicos do Paranaense 2019:

1.o lugar:

Cascavel CR 1 x 0 Rio Branco, pela primeira rodada da Taça Dirceu Krüger – 110 pagantes.

2.o lugar:

Foz 0 x 0 Toledo, pela terceira rodada da Taça Dirceu Krüger – 129 pagantes. 

3.o lugar:

Cascavel CR 1 x 0 Coritiba – 3.a rodada da Taça Dirceu Krüger – 130 pagantes.

4o lugar:

Foz 1 x 0 Maringá, pela primeira rodada da Taça Dirceu Krüger – 220 pagantes.

5o lugar:

Cianorte 1 x 0 Cascavel CR, pela segunda rodada da Taça Dirceu Krüger – 245 pagantes.

6o lugar

Foz 0 x 2 Cascavel CR, pela quarta rodada da Taça Barcímio Sicupira –251 pagantes.

Final do Estadual

A Taça Krüger se encerra neste final de semana, com os seis duelos. Todos acontecem no domingo (31), às 16h.

Pelo Grupo A, o Londrina encara o Athletico no Estádio do Café; o Foz recebe o Operário no Estádio do ABC e o Maringá recebe o Toledo no Willie Davids.

Já no Grupo B, serão dois clássicos: o Coritiba enfrenta o Paraná no estádio do Pinhão e o FC Cascavel enfrenta o Cascavel CR no Estádio Olímpico Regional. Para completar a rodada, o Rio Branco duela contra o Cianorte na Estradinha.

Zagueiro marca dois e Paraná vence FC Cascavel na estreia da Taça Krüger

O Paraná venceu o FC Cascavel por 2 a 1 neste sábado (9), na Vila Capanema. A partida deu o pontapé inicial na Taça Dirceu Krüger, o segundo turno do Campeonato Paranaense 2019.

Com um minuto de jogo, o zagueiro Rodolfo abriu o placar pelo Tricolor em cobrança de escanteio. Dez minutos depois, o atacante Tocantins igualou o placar. Quanto tudo parecia no caminho para o empate, o defensor anotou um golaço: pegou de voleio e acertou no fundo das redes.

O último gol gerou bastante polêmica por parte do time do interior. Os jogadores do Cascavel reclamaram do lance porque o zagueiro Hitalo estava caído durante o cruzamento na área.

“Foi sacanagem”, disparou o defensor do Cascavel na saída do gramado. Do outro lado, Éder Sciola falou: “felizmente para nós, fizemos o gol”, sem entra na polêmica. Após o apito final, os jogadores e comissão técnica do time visitante foram reclamar com a arbitragem.

Com o resultado, o Tricolor assume a liderança do Grupo B do torneio. CR Cascavel, Cianorte, Coritiba e Rio Branco jogam neste domingo (10) e completam a chave.

Na próxima rodada, o Paraná enfrenta o Rio Branco. O duelo está marcado para o próximo domingo (17), às 16h, na Estradinha. No mesmo dia e horário, o FC Cascavel encara o Coritiba no Couto Pereira.

 

Cachorrão marca, Paraná vira e mantém liderança. Confira a rodada

Mesmo jogando com uma equipe praticamente reserva, o Paraná foi ao Olímpico Regional, em Cascavel, e derrotou o time da casa por 2 a 1, com Nathan Cachorrão marcando e fazendo sua comemoração tradicional, imitando um cachorro até a chegar à bandeira de escanteio. O resultado deixou o Tricolor na liderança com 18 pontos, e agora a equipe se prepara para a disputa da terceira fase da Copa do Brasil, quinta-feira, em Arapiraca (AL), contra o ASA.

O Cascavel saiu na frente, com gol de Everton, aos dois minutos de jogo, mas o Paraná virou e venceu de virada por 2 a 1 com gols de Nathan, aos 35 da primeira etapa e Felipe Alves, aos 12 minutos do segundo tempo.

Os torcedores ainda chegavam ao estádio quando o Cascavel abriu o placar. Léo Maringá cobrou escanteio e Everton abriu o placar aos dois minutos. O Paraná empatou aos 35 minutos, após uma cobrança de escanteio, em que Arthur chutou, Darci espalmou e Nathan apareceu livre marcar.

Aos 12 minutos, Jonas Pessalli cruzou na área e Felipe Alves surgiu por trás da zaga para marcar.

Nas outras partidas da rodada o Foz empatou com o Cianorte por 2 a 2, o Ri Branco fez 3 a 0 no PSTC e o Prudentópolis bateu o Toledo por 1 a 0.

FICHA TÉCNICA
CASCAVEL 1X2 PARANÁ

Local: Estádio Olímpico Regional, em Cascavel (PR).
Data: 12 de março de 2017
Horário: 16 horas
Árbitro: Rogério Menon da Silva (PR)
Assistentes: Victor Hugo Imazu dos Santos (PR) e Flávio Augusto Alves (PR)
Público e renda: 3.051 pagantes – R$ 66.558,00 de renda

Cascavel: Darci, Raulen (Roncatto), Henrique, Vitor e Anderson Tasca; Sorbara, Everton Dias, Léo Maringá (Charles) e Ji Paraná (Natan); Laionel e Wesley. Técnico: Agenor Piccinin.

Paraná: Marcos; Leandro Vilela, Artur Jesus, Rayan e Kaike; Jhony, Diego Canuto (Gabriel Furtado), Renatinho e Jonas Pessalli (Bruno Cantanhede); Felipe Alves e Nathan (Rafael Furtado). Técnico: Wagner Lopes.