desemprego

Pesquisa aponta que desemprego entre jovens caiu no 2º trimestre deste ano

O desemprego entre os jovens, no Brasil, apresentou maior redução em relação a outros grupos de trabalhadores, no 2º trimestre de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018. No entanto, o levantamento aponta, ainda, que apesar da diminuição do desemprego entre os mais jovens, esta é a faixa etária com a menor chance de ser contratada. Dados fazem parte de um levantamento divulgado nesse mês, pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea).

Ainda de acordo com o levantamento do Ipea, mais de três milhões de brasileiros ingressaram em cursos de graduação em 2018, o que representa um crescimento de quase 7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Para especialistas, tal explicação está no aumento de cursos de Educação a Distância (EAD). Nesse cenário, os cursos de bacharelado permanecem concentrando a maioria dos ingressantes da educação superior (58,0%), seguidos pelos cursos tecnológicos (20,9%) e os de licenciatura (20,5%).

Além de programas do governo que possibilitam acesso ao ensino de qualidade, como o financiamento do ensino superior (Fies) e o Programa Universidade para Todos (Prouni), por exemplo, o reforço vem, também, de programas privados como o Educa Mais 2020 que ofertam bolsas de estudo para cursos de ensino básico, técnico, de idiomas, graduação e pós graduação.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

estagiários

De acordo com pesquisa, bolsa-auxílio para estagiários apresenta queda

O valor da bolsa-auxílio pata estagiários apresentou uma queda entre os anos de 2010 a 2017 de acordo com um estudo realizado pelo Benefícios Econômicos e Sociais do Estágio e da Aprendizagem, do Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee), junto com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Segundo a pesquisa, o benefício era de R$883,00 em 2010 e passou a ser R$850,00 no ano de 2017. Já em 2013, foi registrado a maior remuneração para o cargo: R$1.013,00.

Um outro fator relevante apresentado no estudo é o aumento do número de estagiários no Brasil. Ao longo desses sete anos, de 339 mil em 2010 o número subiu para 497 mil em 2017, o que representa um crescimento de 47,1%. Nesse período foram gerados 181,6 mil postos de trabalho.

O estudante de Jornalismo Eduardo Dias, 24 anos, revela que já estagiou em diversos lugares e que a diferença do valor do auxílio de um lugar para o outro é grande. “Hoje recebo mais que o dobro do que recebia no meu primeiro estágio”. A bolsa-auxílio o ajuda a pagar a faculdade e as contas de casa e, por vezes, até sobra um pouco para curtir. Ainda de acordo com o levantamento, estágios de nível superior eram os melhores remunerados, com bolsa de R$942,00, seguido pelo ensino técnico, com R$631,00.

Também estudante universitária, Elis Ramos, 21 anos, revela que nos últimos estágios ganhava menos da metade do que ganha atualmente e que a bolsa a ajuda em diversos fatores. “O auxílio me dá uma certa independência financeira. Com ela consigo pagar minhas contas e realizar meus planos de viagens, além de ajudar minha mãe com as despesas domésticas e pagar minha faculdade”, conclui.

Bolsas de estudo na graduação

Uma alternativa de economia para os futuros universitários é recorrer a bolsas de estudo ofertadas pelo Educa Mais Brasil com descontos que podem chegar até a 70% da mensalidade. O portal Paraná Portal é parceiro do programa. Para ser contemplado é preciso fazer a inscrição aqui e conferir as oportunidades disponíveis.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Número de estagiários no Brasil aumenta em sete anos

Por Flavia Albuquerque

O número de estagiários no Brasil aumentou de 339 mil em 2010 para 498 mil em 2017, o que representa um crescimento de 47,1%. Já o número de bolsistas cresceu 42,2% nesse mesmo período, ao passar de 206 mil para 292 mil. Em 2017, a maior parte dos estagiários cursava o ensino superior (76,6%), seguido pelo ensino médio (19,6%), técnico (3,4%) e demais níveis (0,3%), de acordo com dados do estudo Benefícios Econômicos e Sociais do Estágio e da Aprendizagem, do Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), divulgado hoje (11).

O estudo mostra que, em termos percentuais, a proporção de estagiários que recebiam bolsa-auxílio no país teve queda de 60,7% em 2010 para 58,7% em 2017, sendo que em 2016 esse percentual era de 66,4%. A maior parte dos estagiários cursava o ensino superior em 2017 (76,5%), seguido por bolsistas do ensino médio (20,1%) e ensino técnico (3,4%).

De acordo com os dados, a bolsa-auxílio recebida pelos estagiários apresentou queda entre 2010, quando era de R$ 883,00, para 2017, quando passou a ser de R$ 850,00. O nível mais elevado de valores foi registrado em 2013, com R$ 1.013,00. A bolsa-auxílio recebida por estagiários que estavam cursando o nível superior era a mais elevada, de R$ 942,00, seguida pelo ensino técnico, de R$ 631,00.

Segundo a pesquisa, a maior parte de estagiários em 2007 era do sexo feminino (59,8%). O número maior se repete em todos os níveis de estágio. Os estagiários do sexo masculino com bolsa-auxílio em 2017 eram 59,2% enquanto os de sexo feminino eram 58,3%. Quando se trata do valor recebido pelos estagiários, as mulheres ganhavam menos em todos os anos e níveis educacionais. Para os estagiários do nível superior, a diferença média, em 2017, era de R$ 1.001,00, o que indica que os homens recebiam uma bolsa 8,9% maior do que as mulheres.

Aprendizes

A pesquisa também registrou que o número de aprendizes no Brasil teve aumento de 100,2%, de 2010, quando eram 193 mil, para 2017, quando o número passou a ser de 386 mil. A remuneração média dos aprendizes nesse período passou de R$ 395,00 para R$ 634,00 (60,6%) em termos nominais ou de R$ 600,00 para R$ 634,00 (5,7%) em termos reais.

Em 2017, o setor que mais concentrava aprendizes era o de comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (26,7%); indústrias de transformação (20,7%); saúde humana e serviços sociais (13,9%).

Segundo o estudo, a remuneração total dos estagiários e aprendizes chegou a R$ 6,246 bilhões em 2017. Com isso o valor adicionado ao Produto Interno Bruto (PIB) foi de R5 15,1 bilhões, o que gerou um impacto direto e indireto de R$ 10,7 bilhões. O impacto induzido (aumento da renda dos agentes da economia) foi de R$ 4,4 bilhões. Foram gerados 181,6 mil postos de trabalho.

Oportunidades de estágio estão disponíveis para trabalhar em órgãos públicos do Estado

Vários órgãos do Governo do Paraná estão com inscrições abertas para contratar estagiários em todo o Estado. São oportunidades para estudantes de ensino médio, técnico e superior. O número exato de vagas não foi divulgado, já que são ofertadas conforme a necessidade de cada um dos 81 órgãos responsáveis pelo processo.

Além de bolsa-auxílio, os estagiários do Poder Executivo recebem vale-transporte. Em alguns órgãos que não são da administração direta, recebem também vale-alimentação. Os estudantes interessados em concorrer a uma das vagas precisam se cadastrar na Central de Estágios através do site http://www4.pr.gov.br.

Tempo de estágio pode contar para aposentadoria, prevê projeto

O período de realização de estágio profissional pode passar a ser incluído no sistema de Previdência Social, como parte do regime especial de contribuições e benefícios, de acordo com o projeto de lei (PLS 93/2017).

O projeto está na pauta da reunião de quarta-feira (14) da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), no Senado.

A autora do projeto, Rose de Freitas (PMDB-ES), alega que é comum o uso de estagiários por parte de empresas em todo o país como mão de obra barata, atuando nas mesmas condições de profissionais já formados, porém sem acesso aos mesmos direitos.

A senadora acrescenta ainda que todas as propostas de reforma da Previdência discutidas nos últimos anos aumentam o tempo mínimo de contribuição para a obtenção tanto de aposentadorias quanto de pensões, e que, portanto, incluir os estagiários virou “uma questão de justiça social”. Também afirma que uma parte dos estagiários desconheça ser possível hoje uma inscrição facultativa no sistema.

No que se refere à inscrição de todos os tempos de estágio na Carteira de Trabalho, ela acredita que terá um impacto positivo na comprovação de experiência para o mercado.

O relator, senador José Pimentel (PT-CE), apresentou parecer pela aprovação. Ele considera a medida “um grande avanço ao sistema previdenciário” e “um enorme benefício” aos próprios estagiários. Ele avalia que o ingresso precoce no sistema previdenciário é algo “reconhecidamente vantajoso para os jovens”, pois permitirá a contagem do tempo de contribuição o mais cedo possível.

Formalização

O texto determina uma inscrição menos onerosa aos estagiários e seus contratantes, como forma de incentivo à formalização deste tipo de contrato. O estagiário contribuirá na base de 5% da contraprestação que receba, ao qual serão acrescentados outros 5% de contribuição por parte do contratante. Como contrapartida, o estagiário terá direito a um rol mais restrito de benefícios: apenas os auxílios-doença e acidente.

A reunião da CAS está marcada para começar às 9h e conta ainda com outros 13 itens na pauta.

Mais de 1.700 vagas de estágio estão abertas no Paraná

Mais de 1.700 vagas de estágio estão disponíveis no Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná, o CIEE. 562 oportunidades são para Curitiba, 171 para municípios da região metropolitana e o restante para o interior do Estado.

As principais vagas são para marketing, administração, informática, publicidade e propaganda e ciências contábeis.

O candidato precisa ser maior que 16 anos e estar cursando cursos do Ensino Médio, Educação Profissional de Nível Médio (pós-médio), Educação Profissional de Nível Superior (tecnologia), Educação Superior (graduação), Pós-Graduação e Educação Especial.

Outras informações estão no site: www.cieepr.org.br

 

Vaga de estágio no governo do PR vira piada da internet

O anúncio de uma vaga de estágio na Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), ligada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano do Paraná, virou piada em uma página de humor no Facebook ao exigir conhecimento básico de seis idiomas para uma bolsa de R$ 5,29 por hora.

O estágio é para alunos de direito e exige “alemão, espanhol, francês, inglês, italiano e libras (a língua de sinais usada por surdos).

O escolhido vai fazer relatórios, acompanhar processos, auxiliar na elaboração de pareceres ambientais e de licitações e ainda dar apoio no atendimento ao público.

A publicação da imagem do anúncio na página “Vagas Arrombadas”, com  link no comentários, gerou mais de duas mil reações.

“Quem não fala 5 idiomas hoje em dia?”, ironizou um internauta. “O pessoal das colônias da RMC (Região Metropolitana de Curitiba) já aprendeu a falar português, talvez tirando algum velhinho nonagenário. E faltou polonês e ucraniano ali”, brincou outro. 

 VA

 

Com vagas em sete estados, Odebrecht abre inscrições para estágio

As inscrições abertas do programa de estágio de férias da Odebrecht vão até o dia 18 de outubro. São cerca de 50 vagas para universitários de Administração, Ciências Contábeis, Comunicação, Economia, Engenharias, Estatística, Direito e Psicologia.

As inscrições podem ser feitas no site do programa. Alunos matriculados a partir do 4.º semestre da graduação poderão participar. O estágio está previsto para início em janeiro de 2018.

As vagas oferecidas incluem diferentes áreas de atuação, entre elas Produção, Projetos, Planejamento, Equipamentos, Financeira, Logística, Recursos Humanos, e outras. As oportunidades são oferecidas pelas empresas Odebrecht Engenharia & Construção, Odebrecht Realizações Imobiliárias e Odebrecht TransPort, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná e Pernambuco.

De acordo com a assessoria, as etapas do processo seletivo são: inscrição, testes online (conhecimentos gerais, inglês, português e raciocínio lógico), atividade em vídeo, avaliação de desempenho acadêmico e entrevista final, via Skype.

O Programa Estágio de Férias é a principal porta de entrada da Odebrecht, já que os estudantes são avaliados para contratações futuras como estagiários regulares e trainees.

 

CIEE disponibiliza mais de 1000 vagas de estágios para estudantes do PR

Os estudantes paranaenses podem se candidatar a uma das mais de mil vagas de estágio disponíveis no Centro de Integração Empresa Escola, o CIEE do Estado. Metade das oportunidades são para a capital e Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Existem opções de estágios para quem está cursando o ensino médio, técnico ou graduação.

De acordo com a Gerente da Unidade de Curitiba do CIEE, Silmara Santos, a disponibilidade de vagas nessa época do ano é grande, no entanto, a procura por parte dos estudantes é bem pequena. “No início de janeiro os estudantes estão de férias e realmente não procuram. Em dezembro nós temos o maior número de rescisões, pois o estudante se formou e acabou o estágio, e as empresas abrem mais vagas. Então [nesta época] a demanda das empresas é maior e a procura acaba sendo menor por parte do estudante”, diz Silmara.

Para se preparar para a entrevista de estágio, os estudantes contam com cursos de oratória oferecidos gratuitamente pelo CIEE, que auxiliam aqueles que ficam muito nervosos nesse momento. As aulas tem duração de 4 a 8 horas. A Gerente da Unidade de Curitiba destaca que a principal exigência do mercado é o comprometimento. “O estágio é a primeira porta para o estudante entrar no mundo do trabalho. A empresa procura o estudante comprometido, que seja ativo e que consiga levar tudo o que ele aprende na sala de aula para a empresa”, conta.

Os estagiários possuem uma série de direitos que devem ser respeitados pelas empresas. Entre as diretrizes da Nova Lei do Estágio, de 2008, estão a carga horária máxima de seis horas diárias ou 30 horas semanais e a concessão de recesso remunerado de um mês após um ano de estágio. Para se candidatar a uma vaga é preciso ter mais de 16 anos e fazer um pré-cadastro no site: cieepr.org.br.

Depois disso, o aluno é chamado para uma entrevista em uma das 30 unidades do CIEE e o estudante recebe uma senha e login que possibilita o acesso ao banco de vagas da organização.

Concorrência para estágio com Sérgio Moro é de 286 por vaga

A Justiça Federal no Paraná recebeu 286 inscrições de estudantes de direito que desejam trabalhar com o juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal em Curitiba e responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.

Na seleção, apenas uma vaga de estágio foi ofertada. A bolsa auxílio é R$ 833.

O número de inscritos surpreendeu os organizadores. A média de inscrições para vagas de estágio em outras varas é de aproximadamente 80 inscrições.

A seleção será composta de prova escrita e oral. O exame escrito abordará questões sobre Direito Constitucional, Direito Penal e Direito Processual Penal e será aplicado no dia 20 de outubro de 2016, às 14 horas.

Na segunda fase da seleção, os oito melhores serão convocados para uma prova oral com a juíza substituta da 13ª Vara Federal, Dra. Gabriela Hardt, no dia 3 de novembro. Serão avaliados os conhecimentos específicos relacionados à matéria do Direito e o uso da língua portuguesa.

Para concorrer à vaga, o estudante deve ter cursado no mínimo dois anos do curso de direito. O estagiário vai auxiliar Moro a elaborar despachos, sentenças e nas pesquisas de jurisprudência. A jornada de trabalho é de quatro horas diárias.

As inscrições já foram encerradas.

Atividades do estagiário

Entre as responsabilidades da função, o estagiário selecionado deverá “elaborar minutas de despachos e sentenças, extrair cópias de processos, realizar pesquisas em doutrina e jurisprudência, realizar a movimentação de processos por meio de registro de fases em sistema informatizado e também por meio da movimentação física dos autos pelos diversos setores da unidade”, diz o edital.

O resultado final do concurso será publicado no dia 7 de novembro de 2016, às 14 horas.