carteira estudantil

Emissão da carteira estudantil do MEC é gratuita e digital

Estudantes poderão ter acesso à carteira estudantil digital e gratuita do MEC (Ministério da Educação) através das lojas Google Play e Apple Store. O objetivo é reduzir a burocracia e evitar a impressão de papel. Com o documento, que começa a ser emitido em um prazo de 90 dias, o aluno matriculado em instituição de ensino terá direito à meia-entrada em shows, teatros e outros eventos culturais.

Larissa Mesquita, estudante de Jornalismo, precisou pagar para tirar o documento e diz que a notícia vem em boa hora. “Paguei um valor absurdo e fui informada que a carteira só teria validade até março de 2019. Caso quisesse renovar, teria que pagar novamente. Essa notícia é maravilhosa! Afinal, os benefícios da carteira de estudante são diversos e devem ser bem aproveitados”.

A estudante de pós-graduação em Mídias Sociais, Bárbara Silva, compartilha a mesma opinião. “Já arcamos com muitas outras despesas durante a faculdade, inclusive com a nossa mensalidade. Na minha opinião, esse deveria ser um direito de todo estudante. Tenho certeza que a mudança vai favorecer muitos estudantes que não têm condição de pagar esse valor abusivo”, conclui.

Para a emissão gratuita da carteira estudantil física, o MEC pretende firmar uma parceria com a Caixa Econômica Federal. No entanto, ela só terá validade até 31 de março do ano seguinte. Já a carteira digital será válida enquanto o estudante estiver matriculado na instituição de ensino. Confira abaixo a lista de instituições autorizadas a emitir a carteira de identificação estudantil:

• Ministério da Educação;

• Associação Nacional de Pós-Graduandos;

• União Nacional dos Estudantes (UNE);

• União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes);

• Entidades estudantis estaduais, municipais e distritais;

• Diretórios centrais dos estudantes;

• Centros e diretórios acadêmicos;

• Outras entidades de ensino e associações representativas dos estudantes.

O Ministério da Educação pretende ainda criar um novo banco de dados, o Sistema Educacional Brasileiro. O intuito é melhorar a implementação, execução e avaliação das políticas públicas na educação.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Professores - UFPR - APUFPR - Vestibular

Professores recomendam suspensão do vestibular da UFPR neste ano

APUFPR (Associação de Professores da Universidade Federal do Paraná) recomendou em assembleia geral, nesta terça-feira (10), a suspensão do vestibular da UFPR (Universidade Federal do Paraná) neste ano. Os docentes pretendem agora levar a decisão para a diretoria da universidade.

A decisão da Associação foi motivada pelos recentes cortes de verbas realizados pelo governo federal. Os professores também pretendem levar o tema para discussão com outras instituições federais de ensino, com o objetivo de pressionar o poder público a liberar os recursos para custeio, pesquisa e extensão para o melhor funcionamento da universidade.

O vestibular da UFPR nunca deixou de ser realizado anualmente e as inscrições para a edição deste ano se encerraram nesta terça. A universidade oferece aos estudantes 5.660 vagas para 129 cursos, sendo que 1298 seleções serão feitas pelo SiSU (Sistema de Seleção Unificado), que toma como base as notas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

A primeira fase do vestibular está marcada para o dia 27 de outubro, com as provas sendo aplicadas nos municípios de Curitiba, Jandaia do Sul, Matinhos, Palotina e Toledo. Para os estudantes que conseguirem passar para a segunda etapa os dias para a realização do concurso serão em 24 e 25 de novembro.

A assessoria de imprensa da UFPR informou que ainda não há um posicionamento da universidade.

Celebrado neste domingo, dia do Estudante provoca reflexões

Em geral, os dicionários definem a palavra “estudante” como a pessoa que estuda algo em algum estabelecimento de ensino. Entretanto, os significados para a palavra não cabem na potência do ser, em prática, estudante. Comemorado neste domingo, 11, o Dia do Estudante também nos remete para a reflexão do sentido transitório de ser aluno.

“Acredito que o ser estudante não é um processo rígido, que termina com as graduações. Ele acontece no dia a dia também. O ser estudante é um estado eterno de aprendizado. Posso aprender com os meus filhos, com meus pais, com minha esposa, por exemplo”, defende o psicoterapeuta Iaroldi Bezerra, 37 anos.

Para o profissional, que ressalta o sentido primordial de ser estudante – aquele que aprende em um ambiente educacional – a ação de ser aluno transborda os limites da sala de aula, também se estabelecendo entre dois ou mais indivíduos em qualquer situação onde haja troca de saberes, costumes e tradições.

“O espaço acadêmico é importante porque ele é o começo. É o começo da troca, onde hierarquicamente tem o professor e outra pessoa está ali para absorver. No entanto, não é uma nomenclatura habitual nas relações pessoais, neste ponto fica implícito. Então, ser estudante fora da escola é um conceito “invisível”, comenta Iaroldi.

Nesse sentido, pode-se compreender a vida como palco de significantes aprendizados constantes. A auxiliar administrativa Célia Benildes, de 58 anos, frequentou um ambiente de ensino somente até a quarta série. Mas, como ela mesmo diz não parou de aprender e, também, de ensinar. “A gente também aprende muito com a vida, não é? Eu creio que o conhecimento também é dar e receber aquilo que vivenciamos e colocamos em prática no dia a dia com as nossas experiências. Acho que na vida tudo é um aprendizado”, opina Célia.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

F

Fies: pré-selecionados têm até esta sexta para complementar inscrição

Os candidatos pré-selecionados no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) têm até as 23h59 desta sexta-feira (12), para complementar a inscrição no site do programa na internet.

Para garantir a vaga, o candidato deve prestar informações como nome do fiador, caso seja necessário, e o percentual de financiamento.

A relação com os pré-selecionados já está disponível no site do Fies. Ela foi divulgada na última terça-feira (9).

Caso o candidato perca o prazo, as vagas ficarão disponíveis na lista de espera, para todos os candidatos não contemplados na primeira fase.

A lista serve para que esses estudantes tenham a oportunidade de preencher vagas que não forem ocupadas. Essa etapa ocorre de 15 de julho a 23 de agosto.

Para a segunda edição do ano, 46,6 mil vagas foram ofertadas em 1.756 instituições de ensino privadas de todo país.

Com financiamento a juros zero, o Fies é voltado para estudantes com renda familiar mensal bruta por pessoa de até três salários mínimos.

Para concorrer ao financiamento, o candidato precisa ter feito qualquer uma das últimas dez edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ter alcançado média igual ou superior a 450 pontos nas questões e não ter zerado a redação.

P-Fies

Saiu também o resultado para o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies). Diferentemente do Fies, no P-Fies os juros são variáveis e as condições são definidas pela instituição de ensino e pelo banco. Para participar, o estudante precisa ter renda familiar mensal bruta por pessoa até cinco salários mínimos.

Os aprovados no P-Fies devem comparecer à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição com a qual fechará o contrato para validar suas informações. O P-Fies é por chamada única, sem lista de espera.

F

Inscrições para o Fies do segundo semestre terminam nesta segunda

As inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) do segundo semestre de 2019 terminam nesta segunda-feira (1º) . Elas podem ser feitas pela internet, no site do programa. Nesta edição, serão ofertadas 46,6 mil vagas a juros zero.

O Fies concede financiamento a estudantes em cursos superiores de instituições privadas com avaliação positiva pelo Ministério da Educação.

Pode concorrer quem fez uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos, e obtido nota maior que zero na redação.

Modalidades

O novo Fies tem modalidades de acordo com a renda familiar. A modalidade com juro zero é para os candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários-mínimos. O aluno começará a pagar as prestações respeitando o seu limite de renda.

A modalidade chamada de P-Fies é para candidatos com renda familiar per capita entre 3 e 5 salários-mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito que pode ser um banco privado ou Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento.

O resultado da pré-seleção referente ao processo seletivo do segundo semestre de 2019 para as modalidades Fies e P-Fies será divulgado no dia 9 de julho.

STF mantém condenação de vigilante pela morte do estudante Bruno Strobel

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, negou um habeas corpus impetrado pela defesa do vigilante Ricardo Cordeiro Reysel, condenado a 19 anos de prisão por homicídio qualificado e tortura do estudante Bruno Strobel Coelho, de 19 anos. O crime aconteceu em 2007, em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), após o jovem ter sido flagrado pichando o muro de uma clínica atendida pela empresa que Reysel trabalhava. A defesa pedia a restauração da sentença do primeiro Tribunal do Júri, que condenou o vigilante apenas por tortura.

Segundo a investigação, Reysel, junto com outros funcionários da empresa de segurança, torturou e assassinou o estudante. No primeiro julgamento, o réu foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão em regime semiaberto. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) recorreu e o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) anulou a decisão, por entender que o veredicto era contrário à prova dos autos.

O TJ-PR determinou novo julgamento pelo Júri, no qual Reysel foi condenado a 17 anos de prisão em regime fechado. Após isso, o TJ-PR elevou a pena para 19 anos e quatro meses.

O processo foi parar no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que rejeito o habeas corpus impetrado pela defesa. E, posteriormente, no STF. No recurso ao Supremo, a defesa alegava, entre outros pontos, que a primeira decisão dos jurados estava em harmonia com as provas e que o veredito do conselho de sentença deveria ser respeitado.

Segundo os defensores, a condenação não pode se fundamentar exclusivamente nos elementos informativos colhidos na investigação, e o TJ-PR anulou o primeiro julgamento com base apenas em depoimentos de corréus.

Diante dos fatos, o ministro Luiz Fux não encontrou, na decisão do STJ, anormalidade, flagrante ilegalidade ou abuso de poder que permita a concessão do habeas corpus, e assinalou que a anulação do segundo julgamento demandaria, necessariamente, análise dos fatos e provas dos autos, o que não é admitido na via do habeas corpus.

Suposta estudante da UFPR desaparece e suspeita é de sequestro

Uma suposta estudante da Universidade Federal do Paraná desapareceu no fim da tarde desta terça-feira (12) e ainda não foi encontrada até o início da manhã desta quarta (13). A suspeita é que a aluna foi sequestrada. O caso passou a ter grande repercussão das redes sociais por causa do alto número de compartilhamento de informações dos estudantes.

Ainda não identificada, a descrição da menina é que ela teria cabelo preto, com traços orientais e que estava usando uma calça legging.

Segundo o relato do porteiro, ela teria solicitado um carro por aplicativo por volta das 18h30, saindo do Departamento de Educação Física (DEF). Apesar de estar localizado no Campus do Jardim Botânico, o DEF fica mais afastado do que outros departamentos e tem a marginal da Linha Verde como sua saída principal.

Porém, a menina teve a corrida cancelada (não se sabe se por opção dela ou do motorista) e ido em direção à Linha Verde.

No meio do trajeto, já na Rua Coração de Maria, ela teria sido abordada. O suspeito, de calça marrom, camisa regata e mochila, a segurou pela cintura como se fossem um casal e a fez entrar novamente na UFPR.

A menina, esboçando preocupação, conseguiu sinalizar duas vezes ao porteiro que o homem estaria armado. Ao chamar os seguranças pela rádio, perdeu ambos de vista.

>>> Facebook, Instagram, WhatsApp vão tendo problemas de instabilidade nesta quarta

A partir daí, foi criada uma mobilização. Um segurança relatou o caso para outros alunos e o episódio começou a ganhar força entre os estudantes nas redes sociais.

O chefe do DEF, Ricardo Sonoda, e a professora Lucélia Borges se reuniram e acionaram a Polícia Militar do Paraná (PM-PR). De acordo com Sonoda, uma equipe da PM chegou ao local por volta das 19h, registrou boletim de ocorrência e fez uma busca pelo local junto com os vigilantes, mas não obtiveram sucesso pela área ser bastante extensa.

“Primeiro de tudo, estamos tentando identificar quem é a pessoa. Se era nossa estudante ou de outro departamento. Estamos pedindo nos grupos para as pessoas manterem a calma e tentarem identificar quem estava aqui por volta das 18h30”, declarou Sonora em um dos áudios que circulou nas redes sociais. Ele saiu do DEF após 1h da madrugada desta quarta.

O curso de Educação Física não tem aulas no período noturno, justamente pelo perigo da região. Diariamente, as aulas da graduação acabam 17h. Depois disso, só permanece no local quem é de alguma equipe esportiva da UFPR.

Reunião dos alunos

Assustados com o caso, os estudantes marcaram uma reunião na quadra do DEF, às 11h da manhã de hoje (13). O intuito é viabilizar pedidos, à Reitoria da UFPR, de maior segurança no Campus do Jardim Botânico, com maior efetividade dos seguranças internos, câmeras de vigilância, bem como ronda e patrulha nos arredores do DEF.

Estudantes têm até hoje para participar da lista de espera do ProUni

Hoje (8) é o último dia para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). Aqueles que se inscreveram no programa, mas ainda não garantiram uma bolsa de estudo nas instituições particulares de ensino, podem  manifestar interesse, na página do programa.

A lista de espera vale apenas para os cursos indicados na hora da inscrição. Cada participante pôde escolher até duas opções.

Podem participar da lista de espera, apenas para a primeira indicação de curso, aqueles estudantes que não foram selecionados nem na primeira, nem na segunda chamada regular do programa. Aqueles que foram selecionados na segunda opção, mas cuja turma não foi formada, podem também se inscrever apenas para a primeira opção.

Para a segunda indicação de curso podem participar da lista de espera apenas aqueles cuja turma da primeira opção não foi formada, independentemente de terem sido selecionados nas chamadas regulares.

Próximos passos

No dia 11 de março, a relação dos candidatos participantes da lista de espera será disponibilizada para consulta pelas instituições de ensino superior.

Todos os candidatos da lista terão de comparecer às instituições nas quais estão pleiteando uma vaga, para apresentar a documentação que comprove as informações prestadas na inscrição. O prazo para que isso seja feito é de 12 a 13 de março.

ProUni

Ao todo, 946.979 candidatos se inscreveram na primeira edição do ProUni deste ano, de acordo com o Ministério da Educação. Como cada candidato podia escolher até duas opções de curso, o número de inscrições chegou a 1.820.446.

Nesta edição são ofertadas 243.888 bolsas de estudo em 1.239 instituições particulares de ensino. Do total de bolsas, 116.813 são integrais e 127.075, parciais, de 50% do valor das mensalidades.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior. Em contrapartida, o programa oferece isenção de tributos às instituições que aderem ao programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear ainda Bolsa Permanência, para ajudar nos custos dos estudos, e usar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para garantir parte da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

Sisu: aluno tem até 4 de fevereiro para comparecer à instituição

Começou hoje (30) o prazo de matrícula dos selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Os estudantes têm até o dia 4 de fevereiro para comparecerem às instituições de ensino. Os estudantes devem estar atentos aos dias, horários e locais de atendimento definidos por cada instituição em seu edital próprio.

Quem tiver o interesse e preencher os requisitos pode pleitear assistência estudantil para cobrir custos como transporte e moradia. Segundo o Ministério da Educação (MEC), os programas de assistência estudantil são implementados diretamente pelas instituições, por isso os candidatos devem buscar informações sobre os programas existentes na própria instituição de ensino.

O resultado do Sisu está disponível desde o dia 28, na página do programa.

Os estudantes que não foram aprovados em nenhuma das opções de curso podem integrar a lista de espera do programa. O prazo para que isso seja feito vai até o dia 5 de fevereiro.

A adesão pode ser feita na página do Sisu. Os candidatos podem escolher entrar na lista de espera para a primeira ou para a segunda opção de curso feita na hora da inscrição.

Os alunos na lista serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

A partir desta edição do Sisu, os estudantes que forem selecionados em qualquer uma das duas opções não poderão participar da lista de espera. Até o ano passado, aqueles que eram selecionados na segunda podiam ainda participar da lista e ter a chance de ser escolhido na primeira opção.

Ao todo, o Sisu oferece, nesta edição, 235.461 vagas em 129 instituições públicas de todo o país. Puderam se inscrever no programa os estudantes que fizeram o Enem 2018 e obtiveram nota acima de zero na prova de redação. Segundo o MEC, mais de 1,8 milhão de candidatos se inscreveram.

Estudante da UFPR com boné do MST é agredido aos gritos de ‘Aqui é Bolsonaro!’

Um estudante da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi agredido, no início da noite desta terça-feira (9), próximo à Reitoria da UFP, no Centro de Curitiba. De acordo com o Diretório Central de Estudantes (DCE), o jovem foi “brutalmente violentado” por quatro integrantes de uma torcida organizada da capital aos gritos de ‘Aqui é Bolsonaro!’.

Conforme o comunicado na página do DCE no Facebook, o estudante sofreu lesões na cabeça causadas por garrafas de vidro quebradas. Testemunhas afirmam que o ataque aconteceu porque a vítima estava com um boné do MST.

O DCE também denunciou que os agressores quebraram vidros da Casa da Estudante Universitária de Curitiba.

De acordo com informações, os autores fugiram assim que pessoas saíram em defesa da vítima. A Polícia Militar foi acionada, mas até o fechamento desta reportagem não encontrou os suspeitos.

O rapaz foi encaminhado pelo Serviço Integrado ao Trauma em Emergência (SIATE) ao Hospital Cajuru.

Em nota, a Universidade Federal do Paraná lamentou o ocorrido:

“A Universidade Federal do Paraná lamenta profundamente o ato de violência ocorrido em frente às suas dependências. Um membro da comunidade foi vítima de agressão física, aparentemente por seu posicionamento político. Ele já foi encaminhado para atendimento médico e não corre risco de morte. Vidros foram quebrados na Biblioteca Central e na Casa da estudante universitária.

A Pró-reitoria de Administração e a Superintendência de Infraestrutura prontamente foram acionadas e já tomaram as devidas providências para garantir a segurança no local e boletins de ocorrência foram registrados.

A UFPR repudia veementemente todo e qualquer ato de violência, de preconceito ou de discriminação e entende que os espaços universitários são ambientes de debate e do exercício de liberdade de opinião. Um espaço histórico e simbólico que deve se manter pleno da democracia e de continua resistência à intolerância, à violência e banidas as formas de opressão”, diz o comunicado.