Enem, Enem 2019, Exame Nacional do Ensino Médio, Educação, Educa Mais Brasil

Aplicativo gratuito do Enem disponibiliza conteúdo exclusivo para participantes do exame

Participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem contar com mais um recurso para se prepararem para a prova. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibilizou aplicativo reunindo tanto informações importantes sobre o exame, quanto conteúdos exclusivos com material de estudo para os candidatos. Gratuito, o app pode ser baixado na App Store (IOS) quanto na Play Store (Android).

Na ferramenta, podem ser acessados: cronograma do Enem, mural de avisos, edital, vídeo do edital em Libras, notícias, o programa Hora do Enem, da TV Escola, uma lista das perguntas mais frequentes que ajudam a esclarecer as principais dúvidas sobre o exame, entre outras informações.

Após o exame, o participante poderá consultar no aplicativo o gabarito e o resultado final, conforme cronograma de divulgação. Mais de 2,5 milhões de pessoas já baixaram o aplicativo desde seu lançamento.

Outra funcionalidade é a possibilidade de conferir as informações pessoais. Nesta seção, estão os dados pessoais do participante, como nome, número de CPF, o número de inscrição e o Cartão de Confirmação da Inscrição, divulgado no dia 16 de outubro.

O Enem 2019 será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro em todos os estados e no Distrito Federal. O resultado será divulgado em janeiro de 2020 e, com ele em mãos, é possível pleitear uma vaga no ensino superior. A principal forma é por meio dos programas estudantis do governo federal: Sistema de Seleção Unificada (Sisu); Programa Universidade para Todos (Prouni); Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) além de Universidades Portuguesas.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil – com informações do Inep

ENEM: Candidatos podem consultar os locais de prova a partir desta quarta (16)

A partir de amanhã (16), os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) poderão acessar o Cartão de Confirmação da Inscrição e saberão o local onde farão o exame. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro. Cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos no Enem 2019.

O cartão, que poderá ser consultado na Página do Participante, na internet, ou pelo aplicativo do Enem, disponível para download nas plataformas Apple Store Google Play.

Além do local de prova, os participantes poderão conferir, no Cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados; entre outras informações.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame, recomenda que os participantes, assim que souberem onde farão o exame, façam o trajeto até o local de prova para verificar a distância, o tempo gasto e a melhor forma de chegar ao local de prova, evitando atrasos no dia da aplicação.

No dia do Enem, a dica é chegar no local com antecedência. Os portões abrirão às 12h, pelo horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h. O Inep recomenda que os participantes levem o Cartão de Confirmação da Inscrição impresso nos dois dias de aplicação do exame e alerta para que não deixem para acessar o documento somente na véspera da prova.

APLICATIVO ENEM

Segundo o Inep, mais de 2,5 milhões de pessoas já baixaram o aplicativo desde seu lançamento, em setembro de 2016. O dispositivo é gratuito e oferece acesso a diversas informações do Enem.

O usuário tem acesso, por exemplo, ao cronograma do exame, mural de avisos, edital, vídeo do edital em Língua brasileira de sinais (Libras), notícias, o programa Hora do Enem, da TV Escola, entre outras informações. O local de prova também estará disponível no aplicativo.

Após as provas, o participante poderá consultar no aplicativo o gabarito e o resultado final, conforme cronograma de divulgação.

O Enem 2019 será realizado em 1.727 municípios brasileiros. Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada, que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil.

enem 2019, enem, exame nacional do ensino médio, revisão, revisão final, provas, estudos, redes sociais, dicas, educa mais brasil

Revisão do Enem: confira perfis nas redes sociais que podem auxiliar nos estudos

Em algumas semanas, os mais de cinco milhões de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 realizarão a primeira rodada de provas, marcada para o dia 3 de novembro. O exame será em 10.134 locais diferentes, nas 27 unidades da Federação. As redes sociais podem ser aliadas na hora da revisão final dos estudos.

Até lá, os estudantes seguem na rotina de estudos para a preparação da prova, com o objetivo de sair na frente e conquistar a tão sonhada vaga na faculdade. Até mesmo redes sociais – como YouTube e Instagram –, que podem ser considerados por muitos como vilões dos estudos, contribuem para a revisão dos conteúdos que caem na prova do Enem. Confira, abaixo, algumas opções.

Descomplica (YouTube)

A plataforma de estudos Descomplica disponibiliza aulas diariamente sobre todas as matérias que caem nos vestibulares. São vídeos curtos com resumos e, também, transmissões ao vivo de aulas mais aprofundadas com mais de uma hora de duração. Anualmente, às vésperas da prova do Enem, os professores do canal ainda se reúnem para revisão no Aulão Relashow, uma live que mistura dicas e lembretes de última hora com entretenimento.

Professora Carol Mendonça (Instagram)

O perfil da professora Carol Mendonça no Instagram se propõe a ensinar gramática de forma leve, dinâmica e divertida. Carol é conhecida por suas paródias e pelos vídeos que usam músicas sertanejas e funks para ensinar as regras gramaticais. É uma boa opção para auxiliar na revisão para o Enem.

Me Salva (YouTube)

A plataforma disponibiliza parte do seu material gratuitamente no YouTube. São vídeos aprofundados, resolução de exercícios, transmissões ao vivo e simulados. Estão disponíveis, também, vídeos de resumos curtos, mais sucintos, além do quadro Corretor Sincerão, no qual o professor Henrique Araújo corrige textos que foram escritos por usuários da plataforma e dá dicas para a prova de redação do Enem.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

enem 2019, enem, exame nacional do ensino médio, podcasts, streaming, maratona, estudos, preparação, estudantes, candidatos, educa mais brasil

Enem 2019: podcasts podem ajudar na maratona final dos estudos

Com a reta final  e maratona dos estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019, é importante agora que os estudantes sejam estratégicos, aproveitando o tempo de estudo para revisar o conteúdo aprendido durante todo o ano. Com isso, os podcasts podem funcionar para o candidato como uma boa alternativa para driblar o tempo e, assim, conseguir revisar o máximo dos conteúdos.

Disponíveis nas principais plataformas de streaming de música, existem podcasts para todos os tipos de gosto. Em resumo, eles podem até se parecer com programas de rádio. A diferença é que além de oferecerem a vantagem de os ouvintes escutarem ou baixarem os episódios, isso pode ser feito a qualquer momento.

Confira uma lista com podcasts para ajudar na revisão e maratona do Enem 2019

Hoy Hablamos: totalmente em espanhol, o Hoy Hablamos é um podcast diário para quem deseja aprender o idioma. Bom para o candidato que vai fazer prova de espanhol. Além de melhorar o vocabulário, o estudante aprende expressões próprias da língua, além de escutar como os nativos pronunciam as palavras.

Inglês Nu e Cru Rádio: no Inglês Nu e Cru os apresentadores, um americano e uma brasileira, conversam em inglês durante todo o programa. Bom para o candidato que vai fazer prova de inglês. Os temas são tratados de forma descontraída porque o lema do podcast é aprender a falar inglês sem vergonha de errar.

Salvo Melhor Juízo: dedicado a falar sobre Direito, o objetivo do podcast Salvo Melhor Juízo é mostrar que é possível conversar sobre o ramo sem formalismo, vocabulários técnicos inacessíveis ou de forma enfadonha. Pode ser útil na preparação para o Enem 2019.

Serendip – Cientistas Infalíveis: o Serendip fala sobre as coincidências, os erros e os acidentes que fazem a ciência. Nesse podcast é mostrado como algumas descobertas foram por acaso, além de mostrar como erros praticados por cientistas podem se transformar em boas invenções.

Resumov: os áudios contam com dicas de como estudar para passar nos vestibulares mais concorridos do Brasil, como ITA e medicina na USP. Aprovados e professores abordam sobre técnicas de estudo, quais materiais usar, além de dicas sobre maratona de estudos e sobre como aproveitar melhor o tempo para ter uma preparação eficiente.

Educacast: com os mais variados conteúdos que caem no vestibular, o Educacast trata os assuntos com uma dose de humor para deixá-los mais descontraídos. Esse podcast também ajuda na escolha da carreira.

Nerd Cursos: nesse podcast é possível acessar informações e estudos sobre Geografia, Física, Química, Português, História e Biologia. Entre os episódios disponíveis que podem ser úteis no Enem 2019 estão: a evolução molecular da vida; a reprodução das bactérias; o mundo grego: Atenas; a água e a sua importância para a vida; os sais minerais; a teoria celular, entre outros.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

enem, enem 2019, exame nacional do ensino médio, provas, inep, impressão, remessa

Primeira remessa de provas do Enem 2019 já saiu para distribuição

Começou a ser distribuída nessa quinta (3), em direção à Bahia e ao Pará, a primeira remessa das 10,2 milhões de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Segundo o Inep, do total de provas, 408 mil impressões pertencem ao primeiro malote que saiu do 4º Batalhão de Infantaria Leve do Exército, em Osasco (SP), com a escolta da Polícia Militar.

A logística das provas conta com reforço de diversas equipes de segurança, conforme reforça o diretor de Gestão e Planejamento do Inep, Murillo Gameiro: “destaco o papel da Polícia Militar de São Paulo que, durante todo o período de impressão dos cadernos das provas, fez o acompanhamento das provas na gráfica”.

O exame está previsto para ocorrer nos dias 3 e 10 de novembro deste ano em 1.727 municípios brasileiros. O Enem avalia o desempenho do estudante e viabiliza o acesso à educação superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e instituições portuguesas. O exame também possibilita o financiamento e apoio estudantil, através do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Fonte: Agência Educa Mais Brasil*Com informações do Inep

enem

Ministro diz que Enem terá como foco conhecimentos objetivos

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano terá como foco conhecimentos objetivos. Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a preocupação do Ministério da Educação (MEC) será selecionar os melhores alunos para ocupar as vagas no ensino superior.

“Não vai cair ideologia, a gente quer saber de conhecimento científico, técnico, de capacidade de leitura, de fazer contas, de conhecimentos objetivos”, afirmou o ministro que participou ontem (24) do programa Brasil em Pauta, da TV Brasil, da EBC.

Ele acrescentou que o interesse do MEC é “simplesmente selecionar as melhores pessoas para ocupar as vagas nas faculdades. A nossa preocupação é mérito, só”.

Após polêmica envolvendo questões do Enem no ano passado, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação, criou, no início deste ano, um grupo responsável por “identificar abordagens controversas com teor ofensivo a segmentos e grupos sociais, símbolos, tradições e costumes nacionais” e, com base nessa análise, recomendar que tais itens não fossem usados na montagem do Enem 2019.

O ministro ressaltou, na entrevista, que a aplicação do exame este ano está garantida.

CARTEIRA ESTUDANTIL SERÁ DIGITALIZADA

Ele falou ainda sobre a digitalização do MEC, que lançou, este ano, a carteirinha de estudante digital. A ID Estudantil começará a ser emitida em dezembro.

A digitalização também chegará ao Enem, que, ano que vem, terá aplicação por computador realizada de forma piloto.

O Enem 2019 será realizado nos dias 3 e 10 de novembro, em 1.727 municípios brasileiros. Mais de 5 milhões de pessoas farão o exame em 14 mil locais de aplicação de provas.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e podendo ser beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Enem 2019: Inep divulgou o perfil dos inscritos; confira

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou essa semana o perfil dos candidatos que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Os dados mostram que entre os mais de 5 milhões de inscritos deste ano, um perfil se destaca: mulheres (59,5%), pardas ou negras (59,1%) e com idades de 21 a 30 anos (26,07).

E mais próximo cada vez mais, o exame, que acontecerá nos dias 3 e 10 de novembro, também contará com a participação de 616.673, que equivalem a 12,1% dos inscritos como treineiros. São estudantes que não irão concluir o ensino médio em 2019, mas que fazem o Enem para experimentar a rotina de candidato, conhecer o formato do conteúdo cobrado no exame.

Enem 2019

Focados na maratona dos estudos, a única certeza que os estudantes podem ter é que, se preparando, tudo pode se tornar mais “fácil”. E para essa etapa, é possível contar com o apoio do Educa Mais Brasil. O programa oferece cursinho preparatórios para o Enem como até 50% de desconto. Não perca essa oportunidade, acesse o site do programa e confira.

Confira outros dados:

Estados com maior porcentual de participantes

São Paulo – 16%

Minas – 10,5%

Bahia – 7.8%

Sexo dos candidatos

Mulheres – 59,5%

Homens – 40,5%

Faixa etária

Menor que 16 – 2,2%

Igual a 16 – 7,5%

Igual a 17 – 17,8%

Igual a 18 – 15,9%

Igual a 19 – 10,8%

Igual a 20 – 7,6%

De 21 a 30 – 26,7%

De 31 a 59 – 11,4%

Maior ou igual a 60 – 0.2%

Cor/Raça

Amarela – 2,3%

Branca – 36%

Indígena – 0,6%

Não declarada – 2%

Parda – 46,4%

Preta – 12,7%

Agência Educa Mais Brasil

enem digital

Enem Digital levanta questões sobre o acesso à internet entre participantes

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por meio da Sinopse Estatística do Enem 2018, relativa ao Exame Nacional do Ensino Médio aplicado no último ano, apontam que sete entre dez participantes não tinham acesso à internet nas próprias casas. E, entre os 5,5 milhões de inscritos na respectiva edição, 2,3 milhões afirmaram não ter nenhum computador na residência.

Se o número de participantes que não dispõem de conexão nas respectivas residências chega a 70% do total, vale levantar um questionamento: não ter acesso à internet em casa poderá prejudicar os futuros inscritos? A questão é importante porque, na última quarta-feira (3), o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) realizaram uma coletiva de imprensa para anunciar o Enem Digital, que será implementado em caráter de teste já na edição 2020 para 50 mil pessoas em 15 capitais do Brasil.

Aspirante a graduanda em Odontologia, Camila Amorim tem 17 anos e já está se informando sobre as mudanças que devem ocorrer com o Enem Digital. Apesar de achar a proposta interessante, considera alguns pontos. “É necessário entender primeiro de que forma vai ser esse Enem Digital”, avalia a estudante, sinalizando que é preciso discutir um pouco mais a questão com os estudantes.

Camila realizará o Enem 2019, mas se fosse participante do exame aplicado em 2018, seria uma das 3,2 milhões de pessoas que afirmaram ter pelo menos um computador em casa no Questionário Socioeconômico. Mesmo tendo o equipamento e o acesso à internet garantidos, Camila destaca que quem não vive na mesma realidade pode sair em desvantagem. “O uso da tecnologia influencia nos estudos e, de uma forma geral, na aprendizagem”, pontua.

O Enem Digital será implementado em fase de teste no próximo ano, juntamente com as provas em papel (embora, em dias diferentes). A meta do Ministério da Educação (MEC) é que até 2026 a versão “analógica” seja totalmente abandonada para que as avaliações digitais sejam aplicadas integralmente para todos os participantes.

Presidente do Inep, Alexandre Lopes sinalizou na coletiva de imprensa que “no futuro, o estudante vai escolher a cidade e a escola onde fará a prova, o dia e irá marcar onde irá fazer a prova”. Alinhado com a fala de Lopes, o gestor do MEC, Abraham Weintraub, destacou que a empresa contratada para a aplicação do exame será também responsável pela infraestrutura, que inclui os locais de prova, fiscais de sala e computadores. Com isso, em tese, não será necessário a existência de um computador em casa para a realização da prova.

Agência Educa Mais Brasil – Tunísia Cores

Enem 2020: participantes poderão responder provas digitais

A próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio, que será aplicado em 2020, terá mais novidades para os participantes. Isto porque o projeto piloto Enem Digital foi anunciado nesta quarta-feira (3), em coletiva de imprensa realizada em Brasília pelo Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com a presença dos respectivos gestores, Alexandre Lopes e Abraham Weintraub.

Em 2020, a aplicação do exame digital será opcional e caberá ao estudante escolher esta modalidade no ato da inscrição. “A ideia é que a gente possa fazer, por via digital, usando computadores, a realização do Enem várias vezes ao ano, por agendamento. No futuro, o estudante vai escolher a cidade e a escola onde fará a prova, o dia e irá marcar onde irá fazer a prova”, destaca Alexandre Lopes.

A previsão é que 50 mil alunos realizem o Enem Digital, em 15 capitais brasileiras. Serão 20 questões objetivas, apresentadas de forma randômica para os participantes, aplicadas nos dias 11 e 18 de outubro de 2020. Já as provas regulares do Exame Nacional do Ensino Médio, em papel, serão aplicadas em 1º e 8 e novembro.

Lopes destaca que o aluno que optar pelo modelo eletrônico não será prejudicado caso haja erros durante o processo. “Se houver algum problema de logística na realização, se o computador der problema ou ele não conseguir fazer a prova por algum motivo, ele será redirecionado para o Enem Reaplicação”, sinaliza. Neste último caso, as provas acontecem em dezembro.

A meta é que o exame seja integralmente digital até 2026, com quatro edições diferentes ao longo do ano, mas haverá a aplicação das provas regulares em papel até o final do período citado. Também será mantido o formato analógico até 2026 para as pessoas que cumprem penas privativas de liberdade (Enem PPL) e também para quem fará a reaplicação. Já em 2027, a transição estará completa e as avaliações serão feitas integralmente em caráter eletrônico.

Taxa de inscrição e segurança

O presidente do Inep sinaliza que não haverá variação no valor da inscrição entre as provas realizadas em papel e as digitais. E, assim como a aplicação, a identificação do candidato já será realizada de forma eletrônica.

Um outro ponto que pode gerar preocupação entre participantes e aplicadores é questão da segurança. Os gestores sinalizaram que há um termo de cooperação firmado com a Polícia Federal para garantir a lisura do processo. “A preocupação maior era que alguém entrasse no computador e fizesse a prova por outra pessoa. Hoje, achamos que a segurança tecnológica que o Brasil tem nos permite fazer isso [a prova digital]. E só a última etapa da aplicação é analógica”, afirma o ministro da Educação.

Redução de custo

Atualmente, são gastos R$ 500 milhões com uma única aplicação do exame. A adoção do Enem Digital já no ano que vem prevê, além disso, um gasto de R$ R$ 20 milhões em implementação e aplicação. “Com a ampliação da escala e a melhoria da infraestrutura, esse custo vai cair. A expectativa é que é que ele baixe em relação ao que é gasto hoje em papel”, destaca o presidente do Inep.

Tunísia Cores – Agência Educa Mais Brasil

Termina prazo de matrícula e de adesão à lista de espera do Sisu

Hoje (17) é o último dia para que os estudantes selecionados na chamada regular do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) façam a matrícula nas instituições de ensino superior públicas nas quais foram aprovados. Aqueles que não foram selecionados têm também até esta segunda-feira para aderir à lista de espera do programa.

Cabe aos estudantes verificar os horários e locais de atendimento definidos por cada instituição em edital próprio.

O resultado da chamada única do Sisu foi divulgado no último dia 10 e está disponível no site do programa.

Os estudantes selecionados podem pleitear auxílio para pagar transporte, moradia e outras despesas nas próprias instituições de ensino superior, de acordo com determinados critérios, como renda familiar. Os programas de assistência estudantil são implementados diretamente pelas instituições.

Lista de espera

As vagas que não forem preenchidas serão ofertadas para os estudantes em lista de espera.

Quem não foi selecionado em nenhuma das duas opções de curso. feitas na hora da inscrição, na chamada única, e quiser integrar a lista tem até hoje para fazer a adesão, no site do Sisu.

O candidato deve acessar o sistema e, em seu boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação de interesse em participar da lista de espera do Sisu.

O estudante poderá manifestar interesse para a primeira ou segunda opção de curso. Ao finalizar a manifestação, o sistema emitirá uma mensagem de confirmação.

Esses estudantes serão convocados a partir do dia 19. A convocação para a matrícula será feita pelas próprias instituições de ensino.

Nessa etapa caberá aos próprios candidatos acompanhar a convocação na instituição na qual estiverem pleiteando uma vaga.

Sisu 2019

Nesta edição, o Sisu oferece 59.028 vagas em 76 instituições públicas de ensino em todo o país.

A seleção é feita com base no desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018.

Para participar é preciso ter obtido nota acima de zero na redação. Ao todo, 640.205 estudantes se inscreveram no programa, de acordo com balanço divulgado pelo MEC.