Copa do Mundo - Refugiados - Migrante - Curitiba

Curitiba irá receber Copa do Mundo dos Refugiados em setembro

Nos dias 28 e 29 de setembro, Curitiba irá receber a Copa do Mundo dos Refugiados. A competição ocorre desde 2014 no Brasil e tem o objetivo de integrar socialmente migrantes e refugiados que buscaram em terras brasileiras uma oportunidade para reconstruir suas vidas.

A Copa do Mundo dos Refugiados é promovida pela ONG África do Coração, com apoio da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, da Acnur (Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados) e OIM (Organização Internacional para as Migrações).

Farão parte do torneio equipes formadas por imigrantes e refugiados da Argentina, Bolívia, Colômbia, Congo, Haiti, Nigéria, Peru e Venezuela. A seleção campeã terá o direito de participar da final da competição, que será realizada no Rio de Janeiro, em novembro.

As fases preliminares da competição serão realizadas no dia 28 (sábado), no CED (Centro de Educação Física e Desporto) da UFPR (Universidade Federal do Paraná). As disputas de terceiro e quarto lugar, além da final vão ter como palco o Estádio do Pinhão, em São José dos Pinhais, no dia 29 (domingo).

“O Governo do Paraná é parceiro no combate ao racismo e à xenofobia. E esta Copa é uma excelente oportunidade de integração e de congraçamento para essas pessoas que escolheram Curitiba para viver”, disse o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

A etapa conta ainda com apoio e da Superintendência de Esporte do Paraná, Caritas Regional, UFPR, OAB-PR (Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Paraná), FPF (Federação Paranaense de Futebol) e da Prefeitura de São José dos Pinhais.

Jorge Kajuru - CPI do Esporte - STF - Senado - Davi Alcolumbre

Jorge Kajuru vai ao STF por abertura de CPI do Esporte

O senador Jorge Kajuru (PSB-GO) entrou com pedido de mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para que o presidente da casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), abra imediatamente a CPI (comissão parlamentar de inquérito) do Esporte.

O caso ainda não tem um relator, será definido por sorteio a partir da segunda (9). O ministro poderá negar o pedido ou determinar que Alcolumbre instale a CPI.

O advogado do senador, Rogério Paz Lima, protocolou o pedido na tarde desta sexta (6) – um mês depois que o senador havia conseguido assinatura de 50 senadores para criação da CPI do Esporte. Lima escreve que o senador, juntamente de outros 41 parlamentares, solicitou que Alcolumbre instalasse a comissão para investigar a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

No requerimento, Kajuru pediu que seja criado uma CPI de 11 titulares e 7 senadores “para investigar a prestação de contas referente ao período de 2008 a 2018, de convênios, contratos, patrocínios e parcerias firmados entre a Administração Pública Federal, direta e indireta” com as entidades.

O trabalho terá duração de 180 dias e um orçamento de R$ 110 mil. O senador afirma que, apesar de a organização do esporte começar de forma privada, por meio de clubes e associações, o Estado acaba concedendo benesses a alguns e se furtou do dever de fiscalizar gestões.

Essa seria a segunda CPI no esporte realizada nos últimos cinco anos. Em 2015 houve a do Futebol, do senador Romário (PSB-RJ), com o objetivo de apurar denúncias sobre a CBF e o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL). Mas, segundo Kajuru, “a bancada da bola agiu e nenhum esclarecimento real foi dado à sociedade brasileira.”

Dessa vez, o senador acusa Alcolumbre de ceder aos ‘lobistas da CBF’. Apesar de o requerimento ter colhido assinatura da maioria no Senado, a CPI precisa ser acatada pelo presidente.

“Dias depois que conseguimos assinaturas para pedir a CPI, o Senado recebeu uns seis lobistas da CBF. O Davi me chamou, pediu sigilo e disse para eu deixar a investigação sobre a CBF para depois. Pediu para começar pelo COB [Comitê Olímpico Brasileiro]”, disse o senador à reportagem.

A reportagem entrou em contato com assessorias de imprensas de Alcolumbre e da CBF, mas não obteve resposta até a publicação deste texto.

Morre aos 80 anos Edgardo Andrada. Ex-goleiro ficou famoso por sofrer o milésimo gol de Pelé

Morreu, na última quarta-feira (4), na Argentina, o ex-goleiro Edgardo Andrada, 80. Não foi divulgada a causa da morte do ex-jogador, que defendeu Vasco e Vitória em sua passagem pelo futebol brasileiro. Ele ficou marcado por sofrer o milésimo gol de Pelé, em cobrança de pênalti, no Maracanã, em 19 de novembro de 1969.

Ficou na história a imagem do argentino socando o gramado do estádio carioca enquanto o craque celebrava o gol histórico. O guarda-metas vascaíno acertou o canto da batida do camisa 10 do Santos, mas não evitou que a rede fosse balançada nem que o campo fosse invadido na festa do rei do futebol.

Aquele era o primeiro ano de Andrada no Vasco, clube que ele defenderia até 1975, participando das campanhas vitoriosas no Campeonato Carioca de 1970 e no Campeonato Brasileiro de 1974. Ele ainda vestiu a camisa do Vitória, em 1976, antes de voltar a seu país e encerrar a carreira no Colón.

Sua trajetória foi iniciada no Rosario Central, onde ganhou o apelido El Gato e se tornou ídolo. Com 284 partidas em dez anos, ele é o atleta da posição que mais vezes jogou pelo time. Nascido em Rosário, o jogador também atuou pela seleção argentina na Copa América de 1963 -a equipe ficou na terceira colocação.

Após deixar o futebol, em 1982, Andrada contribuiu com o PCI (Pessoal Civil de Inteligência), órgão que participava da espionagem e da repressão na ditadura militar da Argentina. Foi acusado de ter participado da execução de dois militantes políticos. Ele negou e foi absolvido em julgamento no país.

Curitibanas ganham oportunidade de jogar futebol nos EUA

Com a falta de um calendário e incentivo para o futebol feminino no Brasil, muitas meninas estão buscando uma oportunidade para se tornarem jogadoras fora do país. Uma das opções é aliar a formação educacional com o futebol, como explica o diretor da Next Academy, Arthur Klas Neto, empresa que faz a ponte entre atletas e escolas e universidades americanas.

“O futebol feminino dos Estados Unidos é o mais forte do Mundo. Jogar futebol lá e ainda estudar com bolsa é uma possibilidade que agrada muitas meninas. Na Next Academy a gente as prepara com aulas de inglês, treinamentos de futebol e jogos que são editados e encaminhados às instituições de ensino nos Estados Unidos. De acordo com o nível acadêmico e de futebol elas ganham bolsas de estudo que pode chegar até a 100% do valor da universidade ou escola”, explica Klas.

Para Raquel Ferreira, 18 anos, morar fora do país é um sonho de criança. “Sempre sonhei com isso, mas não achava possível. Então surgiu a oportunidade através do futebol que é algo que eu sempre adorei”.

Aos oito anos Raquel já jogava bola numa cancha de areia na Vila Esperança. Com 11 entrou no futsal da Cancun, depois passou pelo Athlético e pelo Internacional, em Porto Alegre.

“Eu sabia que pra conseguir jogar fora precisava de vídeos, então decidi sair do Internacional porque nem todos os jogos eram filmados e não tinha a família pra me auxiliar em filmagens. Então conheci a Next Academy que foi fundamental para conseguir uma bolsa”. Raquel vai estudar na Western Nebraska Community College, em Nebraska , Scottsbluff com 75% de bolsa.

Com embarque programado para sexta-feira, 2 de agosto, Maju Valaski, 21 anos, fala da alegria em realizar o sonho de jogar nos estados Unidos.

“Meu sonho desde pequena é estudar nos EUA. Com 17 anos tentei mas não tinha vídeos para enviar e não foi possível conseguir bolsa atleta. Então me inscrevi numa faculdade de engenharia na França onde fui aceita graças às minhas notas escolares. Lá jogava no time da faculdade porém, diferente dos EUA, o esporte não era tão incentivado. Dois anos e meio depois eu decidi voltar pois não queria seguir a carreira de engenharia. Quando cheguei no Brasil meu sonho de garota voltou à tona. Porém ainda tinha o mesmo problema de antes, a falta de material para enviar. Foi aí que conhecia a Next Academy que fez um trabalho super profissional e me ajudou a conseguir a bolsa”, disse Maju que já planeja o futuro.

Além de Raquel e Maju, outras quatro meninas de Curitiba foram encaminhas para jogar nos EUA, Karolym Cardoso, que embarca dia 28 de agosto, Isabela, Julia e Emanuely que já estão estudando por lá.

O objetivo de todas é semelhante ao que ocorreu com Kathellen Sousa que foi para os Estados Unidos aos 18 anos por intermédio da Next Academy de Santos-SP e esse ano disputou a Copa do Mundo pela Seleção Brasileira. Atualmente ele joga em Bourdeaux, na França.

“Minha ideia é treinar o máximo que eu puder para seguir a carreira de jogadora profissional. Nada melhor do que um dos melhores centros de treinamento para isso. Estou indo com a intenção de estar em uma vitrine para que clubes possam me ver jogar e para conseguir seguir carreira”, finalizou Maju.

Paraná promove segunda edição da Taça das Favelas

O maior torneio de futebol entre favelas do mundo, a Taça das Favelas, terá início neste sábado (20), em Curitiba. O evento, que neste ano terá sua 2ª edição no Paraná, é organizado pela Central Única das Favelas (CUFA), com apoio do Governo do Estado, por meio da Esporte Paraná.

A abertura será no estádio Vila Olímpica, do Paraná Clube, às 9h, com diversas atrações. Neste primeiro dia também serão realizados quatro jogos masculinos e um feminino. A final está programada para o dia 20 de agosto.

Vão participar 16 equipes masculinas e 4 femininas, com disputas no formato mata-mata. As equipes masculinas estão divididas entre Curitiba e Colombo, com oito times de cada cidade. São formados quatro grupos de quatro times cada. As equipes femininas, por sua vez, jogam entre si para decidir a grande a campeã.

A primeira edição do campeonato, em 2018, foi vencida no naipe masculino pelo União de Guaraituba, de Colombo.

Em atividade desde 2012, a Taça das Favelas tem edições anuais e reúne jovens nascidos entre 2002 e 2005 nesta temporada, com idade entre 14 e 17 anos. A última etapa antes da competição oficial aconteceu em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, e reuniu mais de 300 pessoas, entre meninos e meninas, para uma peneira com jogos curtos de 15 minutos. Antes disso, o torneio teve mais de 2.500 inscrições.

A competição visa contribuir para a promoção da inclusão social através do esporte, influenciando positivamente a realidade de crianças e jovens brasileiros. Uma oportunidade de promover a integração das comunidades, a ressignificação do território e o fortalecimento da autoestima da juventude das favelas.

“Sem dúvida nenhuma o esporte é o principal agente transformador na vida de milhares de crianças e jovens. Integra, educa e promove o desenvolvimento social. Por isso, o Governo do Paraná apoia iniciativas como essa, que promovem a inclusão e apresentam novos caminhos de vida”, disse o diretor-presidente da Esporte Paraná, Helio Wirbiski.

Confira a programação

20 de julho – Abertura e Primeira Rodada

Local: Estádio Vila Olímpica – Paraná Clube
Endereço: R. Pastor Antônio Pólito, 956 – Alto Boqueirão, Curitiba
Horários:
8h – 8h30: Recepção das seleções, imprensa, torcidas e convidados
9h: Cerimônia de abertura com perfilhamento das seleções, apresentação de maracatu, samba e hino nacional
9h30: Início dos jogos dos Grupos A e B de ambas as categorias (Masculino e Feminino)

27 de julho – Segunda Rodada

Local: Campo União Guaraituba
Endereço: R. Pedro do Rosário, 673 – Guaraituba, Colombo
Horários:
8h30 – 8h50: Recepção das seleções, imprensa, torcidas e convidados
9h: Início dos jogos dos Grupos C e D da categoria Masculino

3 de agosto – Terceira Rodada

Local: Operário Pilarzinho Esporte Clube
Endereço: R. Amauri Lange Silvério, 1141 – Pilarzinho, Curitiba
Horários:
8h – 8h45: Recepção das seleções, imprensa, torcidas e convidados
9h: Início dos jogos da categoria Masculino

10 de agosto | FINAL

Local: Estádio Vila Olímpica – Paraná Clube
Endereço: R. Pastor Antônio Pólito, 956 – Alto Boqueirão, Curitiba
Horário a confirmar.
Jogos das categorias Masculino e Feminino.

Cerca de 450 mil ingressos para a Copa América já foram vendidos

A um mês do início da Copa América, cerca de 450 mil ingressos para os 26 jogos da competição já foram vendidos, segundo o comitê organizador. Alegando questões de segurança, o órgão não divulga o número de entradas comercializadas em cada uma das cinco sedes e nem a carga total de ingressos. As partidas vão acontecer em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador.

O penúltimo lote de ingressos foi colocado à venda na semana passada e cerca de 100 mil já foram vendidos. A avaliação dos organizadores da competição é de que a venda tem sido bem-sucedida, com compradores de 99 países. Cinco partidas já estão esgotadas, entre elas os três jogos do Brasil na fase de grupos.

Os torcedores que já adquiriram os bilhetes pela internet podem retirar as entradas em centros de ingressos instalados nas cidades que vão sediar a competição. Nestes locais também é possível fazer a compra direta dos bilhetes.

Até o início do torneio, um último lote ainda será colocado à venda, mas o comitê organizador ainda não divulgou em qual data. O primeiro lote teve 350 mil ingressos negociados.
Seis estádios vão receber os jogos da competição: Arena Corinthians e Morumbi, em São Paulo, Mineirão, em Belo Horizonte, Arena do Grêmio, em Porto Alegre, Fonte Nova, em Salvador, e Maracanã, no Rio de Janeiro. O jogo de abertura será no estádio do Morumbi.

RETIRADA DE INGRESSOS
Para retirar os ingressos comprados pela internet, o torcedor precisa levar o voucher recebido no ato da compra, um documento de identificação com foto e o cartão de crédito usado no pagamento. Em caso de meia-entrada, também é preciso apresentar documento que comprove o direito. Somente o titular da compra pode retirar os bilhetes. Centros de ingressos Cada uma das seis sedes do torneio tem um centro de ingresso. O torcedor pode comprar até 5 bilhetes para cada partida.

O Coritiba foi campeão brasileiro há 34 anos

.

Veja no vídeo abaixo um fato histórico do futebol paranaense. Em 1985 o Coritiba foi campeão brasileiro. Foi a primeira vez que um time do estado conquistou o título. E se você se interessa pelo tema,  clique aqui para abrir o grupo “Memória do Futebol no Brasil”. E aqui está o grupo “Futebol Paranaense Memória”. Ao abrir a página clique em “participar do grupo”.

 

.

.

Clique aqui  para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Clique aqui  para abrir a nossa outra coluna, “Sua Comunicação”  neste portal.

 

Contato com José Wille.

 

Clube italiano de futebol proíbe fotos dos jogadores com rapper Drake por ‘dar azar’

Existe uma teoria entre os atletas que diz que o rapper Drake, 32, dá azar ao jogador com quem é fotografado, ou amaldiçoa times que apoia.

Pensando nisso, o clube de futebol italiano Associazione Sportiva Roma chegou a proibir seus jogadores de conversarem com o rapper, já que disputam a próxima temporada da UEFA Champions League (ou Liga dos Campeões da UEFA), o maior torneio de futebol da Europa. A proibição foi divulgada através de um tuíte na conta oficial do time.

“Todos os jogadores do Roma estão proibidos de tirar fotos com Drake até o final da temporada”, diz a mensagem.

O AS Roma é conhecido por sua comunicação inusitada nas mídias sociais, e já se tornou viral antes por brincar sobre a rotina diária do ator Mark Wahlberg. Portanto, é possível que o tuíte seja apenas uma brincadeira.

No entanto, a teoria acerca de Drake existe. O cantor famoso por “Back to Back” e “In My Feelings” foi visto com o lateral do Paris Saint-Germain, Layvin Kurzawa, na semana passada; no jogo seguinte à foto, o PSG, líder dominante do Campeonato Francês Ligue 1, sofreu uma derrota.

Drake também já prometeu apoio ao time de basquete da Universidade de Kentucky e à equipe canadense de basquete Toronto Raptors, e nenhum dos times tem tido sucesso desde então.

O rapper ainda foi fotografado segurando uma bandeira irlandesa para seu amigo, o lutador Conor McGregor, durante a pesagem de UFC na luta contra o russo Khabib Nurmagomedov, e McGregor acabou perdendo.

Brasil tem que manter atletas no país para voltar a ser grande, diz Tite

Técnico da seleção brasileira de futebol, Tite afirmou neste domingo (7) que o Brasil precisa manter seus principais jogadores em casa para que o futebol brasileiro volte a ser grande e compatível com sua história.

Durante evento nos EUA, o treinador foi perguntado sobre a receita para que o futebol nacional -que não chega a uma final de Copa do Mundo desde 2002- volte a ser “tão grande quanto a sua história”.

Segundo Tite, o roteiro envolve um “conjunto de fatores”, mas é preciso esforços econômicos para que atletas de ponta continuem jogando no país, já que, desde a década de 1990, ele diz, 80% ou mais dos jogadores brasileiros estão atuando na Europa. “Nossos campeonatos ficam restritos”, afirmou.

“Economicamente, mantermos nossos principais atletas no Brasil”, respondeu durante a Brazil Conference, evento organizado por alunos da universidade de Harvard e do MIT (Massachusetts Institute of Technology), em Boston.

Tite disse ainda que é preciso estudo e informação para melhorar o desempenho do futebol no país, além de investir nas categorias de base.

Diante de uma plateia de estudantes e pesquisadores, Tite admitiu que que tanto técnico como jogadores ficam pressionados com a alta expectativa na seleção brasileira. Para ele, o traumático 7×1 contra a Alemanha, na Copa do Mundo de 2014, foi fruto de um “desequilíbrio emocional” do time comandado à época por Felipão.

O Brasil de Tite foi eliminado da Copa do ano passado ainda nas quartas de final, pela Bélgica.
Ao final da palestra do treinador, um vídeo em homenagem ao Pelé foi exibido -o ex-jogador participaria do evento ao lado de Tite, mas cancelou sua presença.

Clubes aprovam VAR no Brasileiro e rejeitam limite de troca de técnico

Os clubes da Série A aprovaram a implantação do árbitro de vídeo (VAR) para o Brasileiro-2019. Em compensação, rejeitaram a limitação de troca de técnicos. Essa foi uma das propostas da CBF com a intenção de permitir que os times pudessem demitir apenas um treinador por campeonato.

Foi decisivo para aprovação do VAR que a CBF aceitou pagar a maior parte dos custos (tecnologia), enquanto os clubes ficarão com as despesas de pessoal de arbitragem.

No caso dos técnicos, o Flamengo levantou proposta contrária para manter sem limites. A maioria dos clubes votou juntamente com os rubro-negros, enquanto alguns poucos foram contra.

Além disso, os clubes aumentaram a limitação para jogadores no elenco. A CBF tinha proposta que fosse de 40 atletas. Os times aprovaram com 45 jogadores, mais uso livre da divisão de base.
Essas propostas foram feitas pela CBF com intenção de fazer a modificações no Brasileiro. A confederação já tinha proposto em anos anteriores essa restrição à troca de técnicos, mas os times sempre têm ser demonstrado contra a ideia. Isso se confirmou novamente na reunião desta sexta-feira.