professores

Estado é condenado a pagar diferença em salário de professores

A juíza Rafaela Mari Turra, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, determinou que o Governo do Paraná pague a diferença salarial, com correção monetária, para os professores do regime de PPS (Processo Seletivo Simplificado) contratados pelo edital 72/2017 para o ano letivo de 2018. A decisão atende a um pedido da APP-Sindicato, que representa a categoria.

De acordo com a entidade, o edital previa que a cada 20 horas trabalhadas, o profissional receberia R$ 1226,73 e não R$ 1415,78 conforme os editais anteriores. Segundo a APP, ao perceber a irregularidade, o sindicato notificou a Secretaria de Estado de Educação (Seed) sobre a redução dos salários desses profissionais.

No entanto, o Governo do Estado decidiu manter os critérios de contratação. Diante disso, o sindicato entrou com ação judicial.  “Após esgotar toda a tentativa de dialogo sobre a imoralidade de reduzir os menores salários do funcionalismo, decidimos entrar pela via jurídica pedindo a suspensão do edital”, afirmou o secretário de Assuntos Jurídicos da APP-Sindicato, professor Mario Sérgio de Souza.

A magistrada também determinou que as custas e despesas processuais, além dos honorários advocatícios (fixados em 15% do montante da condenação), sejam pagos pelo Poder Executivo.

O Estado ainda pode recorrer da sentença. Por meio de nota, a Procuradoria-Geral do Estado disse que, quando for intimada, analisará a decisão e a possibilidade de interposição de recurso.

Credores - Ratinho Júnior - Paraná - TJ-PR

17 mil credores do Governo do Paraná vão ganhar R$ 1,3 bi até dezembro

17 mil credores do Governo do Paraná estão perto de receberem seus valores devidos. O TJ-PR (Tribunal de Justiça do Estado do Paraná) vai intermediar o pagamento desses créditos precatórios no valor de R$ 1,3 bilhão.

Para ter acesso a esses recursos, os credores precisam realizar acordo direto com o TJ-PR, que irá realizar a antecipação de pagamento pelo Juízo de Conciliação.

Para o presidente do TJ-PR, Adalberto Xisto Pereira, o pagamento aos credores é possível graças a decisão do governador Ratinho Júnior em aumentar o escalonamento dos pedidos de descontos aos credores.

“Em um ato republicano, o governador Ratinho Júnior, conseguiu dar um desconto menor, escalonando de 10 a 40% esses valores. Isso possibilitou que sejam atingidos um número maior de credores, sendo que nenhum governador anterior havia deixado esse número menor que 40%”, explicou Xisto Pereira.

Esse pagamento irá auxiliar o Governo a ficar livre do pagamento de multas e juros com correções monetárias. Além disso, a liberação do R$ 1,3 bilhão vai possibilitar maior movimentação na economia paranaense.

“Hoje nós estamos pagando em ordem cronológica precatórios de 1998. Se o credor aderir a esse desconto ele poderá receber no máximo até dezembro desse ano e ajudar a movimentar a economia”, salientou o presidente do TJ-PR.

COMO PARTICIPAR DA CONCILIAÇÃO?

Os credores interessados precisam fazer o pedido para participar da conciliação até o próximo dia 30 de setembro junto ao Tribunal de Justiça do Paraná. O pagamento será feito por ordem do pedido no sistema, ou seja, quem requereu primeiro recebe prioritariamente.

Os precatórios são requisições de pagamento expedidas pelo Poder Judiciário para cobrar dos órgãos públicos a quitação de valores devidos em virtude de condenação judicial definitiva. O estado tem atualmente R$ 2,5 bilhões devidos nesses moldes.

apaes e outras entidades repasse governo estadual paraná Jefferson OliveiraSeds

Apaes e outras entidades receberão R$ 2,7 milhões; veja a lista

O governo do Paraná confirmou nesta segunda-feira (16) que irá repassar R$ 2,7 milhões para Apaes e outras entidades que atendem crianças, adolescentes e adultos com deficiência de vários municípios do estado. A formalização da entrega será nesta quarta-feira (18).

De acordo com a Sejuf (Secretaria da Justiça, Família e Trabalho), 31 instituições serão atendidas. As verbas de custeio e manutenção variam de R$ 21,9 mil até R$ 299 mil.

O dinheiro a ser repassados às Apaes e outras entidades vem do FIA (Fundo da Infância e Adolescência) e do Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente.

Segundo o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, o objetivo do repasse é permitir que as instituições mantenham o funcionamento e atendimento à população, “em especial aos que pertencem às camadas com menor renda ou em situação de pobreza”.

Confira a lista de Apaes e outras entidades beneficiadas

  • Associação Batista de Ação Social de Curitiba (R$ 79,9 mil)
  • União dos Deficientes Físicos de Cambé (R$ 78,8 mil)
  • Aldeias Infantis SOS Brasil de Goioerê (R$ 100 mil)
  • Associação de Apoio e Desenvolvimento Integral de Curitiba (R$ 60 mil)
  • Vida Promocional Social de Curitiba (R$ 150 mil)
  • Apae de Planalto (R$ 60 mil)
  • Apae de Ibaiti (R$ 80 mil)
  • Centro de Apoio Social ao Adolescente de Apucarana (R$ 128,8 mil)
  • Apae de Jaboti (R$ 60 mil)
  • Associação de Educação Familiar do Paraná – Curitiba (R$ 149,7 mil)
  • Apae de Ortigueira (R$ 50,5 mil)
  • Apae de Lobato (R$ 28,3 mil)
  • Apae de Santa Mônica (R$ 30 mil)
  • Associação Norte Paranaense de Reabilitação – Maringá (R$ 60,1 mil)
  • Associação de Atendimento Especializado e Reabilitação de Medianeira (R$ 75,7 mil)
  • Pequeno Cotolengo do Paraná – Curitiba (R$ 29,4 mil)
  • Associação Iniciativa Cultural – Curitiba (R$80,6 mil)
  • Apae de Terra Rica (R$ 40 mil)
  • Apae Santa Fé (R$ 39,9 mil)
  • Apae São João do Caiuá (R$ 60 mil)
  • Apae de Alto Paraná (R$ 56,4 mil)
  • Apae de Tibagi (R$ 80 mil)
  • Apae de Pinhal de São Bento (R$ 30 mil)
  • Apae de Reserva (R$ 80 mil)
  • Apae Coronel Vivida (R$ 21,9 mil)
  • Escola de Guardas Mirins Tenente Antônio João (R$ 150 mil)
  • Aldeia Espírita da Criança dr. David Federmann – Ponta Grossa (R$ 150 mil)
  • Casa da Criança e do Adolescente Padre Marcelo Quilici – Castro (R$ 150 mil)
  • Escola de Futebol de Pais e Amigos de Santa Fé (R$ 150 mil)
  • Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente – Piraquara (R$ 299,6 mil)
  • Abec Marista (R$ 100 mil)
paraná avião passagens curitiba

Paraná anuncia novos voos em 12 cidades, mas valores das passagens surpreendem

O governo do Paraná anunciou o novo pacote aéreo do programa Voe Paraná nesta quarta-feira (5). Com isso, 12 cidades do estado ganham a opção de viajar de avião com maior facilidade para – ou de – Curitiba. Entretanto, os valores das passagens ainda estão um pouco salgadas (veja exemplos abaixo). Com isso, vale mais a pena viajar para outros pontos turísticos, como é o caso do Rio de Janeiro.

As aeronaves que percorrem esses trechos terão até nove lugares, com média de três a quatro voos por semana.

“É o maior projeto de voo regional da história do Estado. Nosso planejamento sempre foi fazer com que a capital e o interior fiquem mais próximos, desenvolvendo e gerando mais emprego. Muitas vezes o empresariado quer se instalar no Interior, mas não tinha uma ligação fácil com a capital. Esse programa encurta as distâncias”, declarou o governador Ratinho Junior no Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba.

Segundo a Gol, os bilhetes começaram a ser vendidos na última segunda-feira (2/9) e os voos regulares a partir de 22 ou 23 de outubro.

Entretanto, o estado também fechou parcerias com a Latam e Azul, que devem trazer novas operações em breve. Ou seja, há expectativa para que outras cidades entrem no programa durante os próximos meses. Porém, isso ainda depende de liberação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e da demanda estudada pelo governo.

AS 12 CIDADES

Os municípios beneficiados tem população entre 32 mil e 155 mil habitantes.

Entretanto, ainda não é possível comprar passagens para Apucarana. A liberação do aeroporto da cidade depende de uma vistoria técnica. Contudo, de acordo com o governo do Paraná, ela deve ser feita nesta sexta-feira (6).

Confira a lista:

  1. Paranaguá
  2. Arapongas
  3. Apucarana* – liberação do aeroporto ainda depende de vistoria técnica.
  4. Guarapuava
  5. Campo Mourão
  6. Francisco Beltrão
  7. Paranavaí
  8. Cianorte
  9. Telêmaco Borba
  10. Cornélio Procópio
  11. União da Vitória 
  12. Guaíra

VALORES DOS VOOS NO PARANÁ

Apesar da novas opções para se viajar de avião, alguns destinos surpreendem pelo preço.

É o caso do voo entre Curitiba e Paranaguá, que começa a operar no dia 22 de outubro. O preço da passagem gira em torno de R$ 300 e tem duração de 25 minutos. Há voos disponíveis de segunda a sexta-feira saindo às 9h30. Contudo, na mesma data, é possível adquirir um voo da mesma companhia por R$ 226 para o Rio de Janeiro.

Segundo o levantamento feito pela rádio CBN Curitiba, a maioria das passagens gira em torno de R$ 500.

Entre as 12 cidades, o voo mais caro é de Curitiba a Guaíra, na região oeste. O trecho custa R$ 722, com saídas as terças, quintas e domingos às 12h15. O trajeto dura em média 2h, sem escalas.

De Curitiba a Cianorte, no noroeste, os usuários encontram passagens por R$ 607. As saídas as sextas, domingo e quartas, às 20h10. O trajeto tem duração de 1h45, sem escalas.

Já o voo de Curitiba a Cornélio Procópio, no norte do estado, custa a partir de R$ 434. As saídas são nas segundas, quartas e sextas-feiras, às 12h15. O trajeto dura em média 2h, com escala em Telêmaco Borba.

Por fim, a viagem de Curitiba a Francisco Beltrão, no sudoeste, as passagens custam R$ 434. As saídas dos aviões acontecem nas terças e quintas, às 12h15. A viagem tem duração de 2h e ainda tem escala em União da Vitória.

Governo do Paraná - concurso - vagas - área ambiental

Governo do Paraná abre 220 vagas na área ambiental

O Governo do Paraná abriu 220 vagas para residência técnica para atuação na área ambiental. As inscrições serão abertas nesta quinta-feira (5) e vão até 25 de setembro. O edital do processo seletivo está disponível no site da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

A taxa de inscrição tem o valor de R$ 120 e a prova pode ser feita nas cidades de Curitiba, Cascavel, Guarapuava, Londrina, Maringá e Ponta Grossa. As vagas são para atuação na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo e no Instituto Água e Terra.

Para o secretario do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, a contratação de novos funcionários é importante para o cumprimento das atividades do órgão.

“O objetivo da residência é expandir o corpo técnico para auxílio nas atividades da Secretaria, de forma a aumentar as emissões de licenças e outorgas, a fiscalização e receita e dar mais agilidade administrativa e modernização dos órgãos ambientais”, afirmou Nunes.

Áreas de atuação

Os candidatos devem ter concluído sua graduação entre outubro de 2016 a outubro de 2019 nas seguintes áreas: Engenheiro Ambiental, Engenheiro da Pesca, Engenheiro Florestal, Engenheiro Agrônomo, Engenheiro Químico, Engenheiro Cartógrafo, Engenheiro Civil, Analista de Sistemas, Arquiteto, Geógrafo, Médico Veterinário, Biólogo, Geólogo e Advogado.

O candidato poderá escolher o local de atuação no momento da inscrição, tendo a opção dos seguintes municípios: 97 vagas em Curitiba, dez em Campo Mourão, 12 em Cascavel, dez em Cianorte, oito em Cornélio Procópio, 12 em Foz do Iguaçu, dez em Francisco Beltrão, dez em Guarapuava, 12 em Irati, dez em Ivaiporã, 12 Jacarezinho, 11 em Londrina, 11 Maringá, seis em Paranaguá, 11 em Paranavaí, 13 em Pato Branco, nove em Pitanga, 13 em Ponta Grossa, 13 em Toledo, dez em Umuarama e 11 em União da Vitória.

As demais 14 vagas serão destinadas para atuação nas Universidades Estaduais. Além da residência técnica, o programa também oferece um curso de ensino a distância de especialização na UEPG em Engenharia e Gestão Ambiental. A bolsa-auxílio para as vagas é no valor de R$ 1,9 mil com direito a vale-transporte e vale-alimentação.

ratinho junior concurso polícia civil militar do paraná

Governo do Paraná autoriza concurso para Polícia Civil, Militar e Depen

O governo do Paraná autorizou o concurso para a Polícia Militar, Civil e Depen (Departamento Penitenciário) nesta quarta-feira (4). Ao todo, são 3.038 vagas ofertadas. O edital ainda está sendo elaborado, mas a expectativa é que o concurso seja realizado ainda neste ano.

Serão 2 mil policiais militares e 400 bombeiros. Já na Polícia Civil, serão 50 delegados, 300 investigadores e 50 papiloscopistas. Por fim, 238 agentes penitenciários vão fechar essa ampliação da segurança pública do estado.

“Segurança é prioridade número 1 e para isso precisamos de novos contingentes e equipamentos. Também passamos a prender mais, o que obriga a abertura de mais espaço no sistema prisional. O planejamento de contratações é nesse sentido, aliado a construção de novas casas de custódia para atender toda essa demanda”, avaliou o governador Ratinho Junior.

Além do pessoal, também são esperados novos investimentos nas viaturas e em helicópteros. Por fim, Ratinho Junior também assinou um decreto que autoriza as progressões de 143 policiais militares. Em julho, foram outros 1.582 policiais, civis e militares, que foram beneficiados com os avanços de carreiras.

OUTRO CONCURSO

Em agosto, foram abertas as inscrições de outro concurso público, mas o período de inscrição vai até às 17h da próxima terça-feira (10). Para se inscrever, é preciso acessar o site do Núcleo de Concursos da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e pagar a taxa de R$ 155.

O Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar oferta 90 vagas para cadete da Polícia Militar e 20 para bombeiros, com subsídios entre e R$ 3.213,61 e R$ 4.139,14. Com a conclusão do curso e promoção ao posto de segundo tenente, o valor pode chegar a R$ 9.544,44.

AGENTES PENITENCIÁRIOS

Em nota, o SINDARSPEN (Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná) destaca a importância do reforço dos 238 agentes de cadeia para atuar no estado. Entretanto, o sindicato revela que a quantidade está aquém da necessidade para suprir a falta de servidores no sistema penitenciário do Paraná.

O sindicato ainda revela que não existe um concurso público para agente penitenciário no estado há seis anos. Segundo o SINDARSPEN, desde 2010, o número de agentes caiu. Por outro lado, o número de presos no Paraná subiu de 14 mil para 22 mil. Dessa forma, o SINDARSPEN diz que há necessidade de contratação imediata de 4.300 agentes e de mais 2.100 para trabalharem nas unidades previstas para serem inauguradas pelo governo.

Para fechar, o sindicato disse que continuará lutando pela implantação de um Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS). “Esperamos que a mesma atenção dispensada pelo governador às Polícias Civil e Militar seja dada também aos servidores penitenciários”, diz o texto.

ELOGIOS A RATINHO JUNIOR

A abertura do concurso caiu bem no Paraná. Para o deputado Hussein Bakri, líder do Governo na Assembleia Legislativa, os concursos públicos vão na contramão do que acontece nos outros estados.

“Vivemos um cenário nacional incerto. Recai sempre na caneta do administrador qualquer sobressalto na folha de pagamento, mas o governador Ratinho Junior tem feito esse esforço”, disse.

Já o coronel Péricles de Matos, comandante-geral da Polícia Militar, também elogiou a ação. “É um momento restaurador para a segurança pública. Isso demonstra o interesse do Estado em fazer com que as ações sejam práticas”, completou.

Por fim, o delegado-geral Silvio Rochemback, da Polícia Civil, também entoou o discurso. “É o compromisso do governador em ter a melhor segurança pública do País. Não adianta ter a melhor tecnologia sem recursos humanos bem qualificados e capacitados”.

ratinho junior paraná alimentação orgânica

Escolas do Paraná terão alimentação 100% orgânica até 2030

O governador Ratinho Junior assinou um decreto nesta terça-feira (3) que determina que toda a alimentação do sistema estadual de ensino do Paraná deve ser orgânica. O objetivo é incluir os alimentos gradualmente em todas as mais de 2 mil escolas estaduais. Com isso, a previsão para que 100% da merenda seja orgânica é no ano de 2030.

Atualmente, apenas 8% da alimentação nas escolas estaduais é orgânica, enquanto 60% é proveniente da agricultura familiar.

“A meta é audaciosa, mas o apoio do estado aos pequenos agricultores que trabalham com a produção agroecológica e orgânica vai ajudar a atingir esse resultado, melhorando a qualidade da merenda de nossos aluno”, afirma Ratinho. Segundo ele, outro objetivo da sua gestão é incluir três refeições por dia nas escolas.

MAIOR PRODUTOR

O Paraná é o estado brasileiro com o maior número de propriedades rurais certificadas em agricultura orgânica. O número é do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Entre outros fatores, isso é resultado do programa Paraná Mais Orgânico, que conta com um investimento de R$ 13,5 milhões do governo. O projeto dá apoio nos processos de comercialização da produção. Além disso, ajuda os pequenos produtores orgânicos a certificarem suas propriedades.

Neste ano, o Paraná Mais Orgânico alcançou a marca de 1.127 certificações em propriedades rurais paranaenses. No total, foram mais de 2.057 visitas e 852 estudos de caso.

NOVO PROGRAMA

Ratinho Junior também lançou nesta terça-feira o Coopera Paraná. O Programa de Apoio ao Cooperativismo da Agricultura Familiar no Paraná busca o fortalecimento das micro e pequenas cooperativas agrícolas do estado.

A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento criou um grupo de trabalho com oito instituições. Elas serão responsáveis por discutir as melhores estratégias para atingir as metas de 100% de alimentação orgânica nas escolas.

Segundo o secretário Norberto Ortigara, o desafio é grande, já que ainda não há produção orgânica, principalmente de alimentos processados, para abastecer toda a rede de ensino.

“Temos um desafio enorme de suprir passo a passo, até chegar a 100% ao longo dos anos. Mas é também a oportunidade de ampliação da produção agroecológica e orgânica, que é um apelo que ganha corpo no mundo”, completa Ortigara.

fundo corrupção governo paraná

Governo do Paraná propõe criação de fundo de combate à corrupção

A proposta para criação do Fundo de Combate à Corrupção foi entregue pelo governo do Paraná à Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (3). O governador Ratinho Junior ainda determinou a rastreabilidade dos recursos, desde a entrada até sua destinação, para inibir práticas ilegais no serviço público.

“A Controladoria-Geral do Estado disponibilizará no Portal da Transparência todos os gastos e ações e necessidades de utilização. É transparência absoluta na utilização de recursos e controle social permanente. Todo recurso advindo de ações e investigações que combatam corrupção serão usados para trazer segurança de integridade e ética para a administração pública”, disse o controlador-geral do Estado, Raul Siqueira.

O Fundo de Combate à Corrupção pretende ainda melhorar dos órgãos de controle, auxiliar os municípios e treinamento constante. A proposta foi recebida pelo líder do governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri.

“É a materialização para uma política definida por esta administração. Uma das metas era implementar o programa de compliance, fortalecer a transparência e o combate à corrupção”, disse o deputado Tiago Amaral, vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa.

“Vai fazer a diferença e pode transformar o combate à corrupção e a metodologia de qualidade da gestão pública de forma única. É um divisor de águas”, definiu Amaral.

*** com informações da Agência Estadual de Notícias

licença-prêmio licenças-prêmio governo do paraná alep projeto fes fórum das entidades sindicais servidores trabalhadores

Servidores prometem ‘análise contundente’ sobre fim da licença-prêmio

Os servidores estaduais representados pelo FES (Fórum das Entidades Sindicais) prometem fazer uma “análise contundente” sobre o projeto do governador Ratinho Junior (PSD) que pretende acabar com a licença-prêmio. Os trabalhadores disseram que foram pegos de surpresa com o projeto, enviado pelo governo à Alep (Assembleia Legislativa do Paraná) nesta segunda-feira (02).

O FES alega que não houve mesa de negociação e que o assunto estava fora da pauta negociada entre o Palácio Iguaçu e o servidores. O grupo pretende levar às lideranças do governo um pedido de negociação.

“É inadmissível a proposta de mesa de negociação permanente e a mesma não acontecer. Assim que tivermos a proposta em mãos faremos uma análise contundente sobre o tema as contraposições necessárias”, disse o FES, por meio de nota.

O grupo que representa os servidores estaduais rebateu em sete pontos as informações confirmadas pelo governo do Paraná sobre o projeto que pretende acabar com a licença-prêmio.

O benefício se trata de um afastamento remunerado. As licenças-prêmio funcionam da seguinte forma: a cada cinco anos de trabalho, os servidores públicos estaduais recebem uma licença remunerada de três meses. Os militares usufruem de uma licença de seis meses a cada 10 anos de serviço.

Fim da licença-prêmio

O Palácio Iguaçu enviou para a Alep um projeto que pretende, “em longo prazo”, zerar o passivo das licenças-prêmio e dar fim ao benefício. Segundo cálculos da Secretaria da Fazenda, o Paraná deve R$ 3 bilhões aos servidores.

Ainda segundo os estudo do governo, o afastamento remunerado dos servidores aumenta o passivo trabalhista em mais de R$ 385 milhões ao ano. Por meio de nota, o Fórum das Entidades Sindicais esclarece que só existe um passivo por os dois governos mais recentes deixaram de pagar este benefício dos trabalhadores em dia.

O Palácio Iguaçu, por sua vez, defende que o projeto reconhece a dívida com os trabalhadores. Em caso de aposentadoria, os servidores não precisariam mais entrar na Justiça para requerer o direito, segundo o governo.

O governo também argumenta que as licenças-prêmio afastam professores e trabalhadores das escolas, aumentando os custos com o contrações PSS (Processo Seletivo Simplificado).

Os servidores argumentam que isso só acontece porque há uma defasagem de 20 mil professores e 11 mil funcionários no estado. A categoria luta pela abertura de concursos públicos para o preenchimento das vagas.

Os trabalhadores ainda defendem a licença-prêmio argumentando que este direito é concedido para que os servidores tenham tempo de estudo. Além disso, a maioria exerce atividades penosas (saúde, educação e segurança pública).

Ainda segundo o FES, as licenças-prêmio compensam os trabalhos insalubres e de periculosidade, além da falta de recolhimento do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Confira a nota completa sobre o fim da licença-prêmio:

Fórum repudia Projeto de Lei que acaba com as licenças dos Servidores O FES – Fórum das Entidades Sindicais repudia a…

Publicado por FES Fórum das Entidades Sindicais do Paraná em Segunda-feira, 2 de setembro de 2019

ratinho junior data-base servidores Paraná governo

Com alteração no texto, governo protocola projeto da data-base dos servidores

O governo do Paraná protocolou o novo projeto da data-base do funcionalismo nesta sexta-feira (9), na Assembleia Legislativa. O índice do reajuste aos servidores é 5,08%, com aplicação de uma parcela de 2% em janeiro de 2020 e mais duas parcelas de 1,5% em janeiro de 2021 e janeiro de 2022.

Ou seja, a proposta altera datas e percentuais em relação ao texto original, conforme acordado com representantes dos servidores no mês passado. Entretanto, o governo afirma que a proposta é extremamente técnica e coerente com a situação econômica do estado.

Segundo a administração estadual, a data-base vai gerar um impacto de R$ 2,1 bilhões na folha do Executivo até 2022.

Além disso, o governador Ratinho Júnior ainda declarou que houve um esforço para adequar os índices aos pedidos dos servidores. As parcelas de outubro e março, indicados na proposta inicial, acabaram se tornando uma única parcela, de 2%, em janeiro.

“Constatamos que o histórico dos últimos cinco anos nos traz a obrigação de sermos guardiões rigorosos do controle e do equilíbrio das contas públicas. O governo do Paraná não pode tomar qualquer atitude ou decisão que contrarie essa necessidade”, afirmou Ratinho.

O reajuste de 2% vai representar um aumento de R$ 400 milhões na folha de pagamento do Executivo em 2020. São R$ 15 milhões a mais do que o projetado no texto anterior.

GREVE

Os servidores estaduais do Paraná entraram em greve do funcionalismo no dia 25 de junho até o dia 13 de julho. Nesse período, 400 servidores chegaram a dormar na Assembleia Legislativa do Paraná.

A proposta apresentada tinha o índice de 4,94% referente a inflação de abril de 2018 a maio de 2019. O valor seria pago 2% em janeiro de 2020, 1,5% em janeiro de 2021 e 1,5% em janeiro de 2022.