Campanha de vacinação para a gripe em Curitiba começará com os idosos

Idosos poderão ser vacinados contra a gripe em drive-thrus em Curitiba

A partir da próxima segunda-feira (23), 37 pontos externos e cinco drive-thrus irão dar início a campanha de vacinação contra a gripe em idosos de Curitiba.

A expectativa da Prefeitura de Curitiba é que 118 mil idosos sejam imunizados. A decisão da aplicação das vacinas em ambiente aberto visa diminuir os riscos de contágio do coronavírus.

O horário da vacinação será das 9h às 17h, sendo que os cinco drive-thrus ficam localizados nos seguintes locais:

  • Praça Afonso Botelho (também conhecida como Praça do Athletico);
  • Praça da Maternidade Bairro Novo;
  • Praça do Eucaliptos;
  • Restaurante Madalosso;
  • Paróquia Santo Antônio

“Pede-se o comparecimento à vacinação principalmente às pessoas idosas. Não queremos perder ninguém”, explicou o prefeito de Curitiba, Rafael Greca.

O local completo dos postos de vacinação podem ser encontrados neste link.

CAMPANHA DA VACINAÇÃO EM CURITIBA

A Prefeitura de Curitiba irá dividir a campanha da vacinação em três fases:

  • 1ª fase (a partir de 23/3) – Idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde;
  • 2ª fase (a partir de 16/4) – Professores das escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e doentes crônicos (que tenham prescrição médica ou sejam acompanhados por programas da unidade de saúde);
  • 3ª fase (a partir do dia 9/5) – Crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas (mães que tiveram bebês até 45 dias e apresentem algum documento que comprove a condição) e adultos de 55 a 59 anos.

“Nesse momento é de extrema importância que as pessoas do público-alvo se vacinem contra a gripe, nos ajuda a evitar que mais pessoas fiquem doentes”, afirma a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Ao todo devem ser imunizados 620 mil pessoas em Curitiba, sendo que a meta é conseguir vacinar ao menos 90% desse público-alvo definido pelo Ministério da Saúde. O órgão federal antecipou em quase um mês a aplicação das vacinas como medida para diminuir os impactos do coronavírus.

sesa cooletiva paraná descarta os dois casos de coronavirus

Paraná não tem casos suspeitos de coronavírus, confirma Secretaria de Saúde

Em coletiva na manhã desta quarta-feira (29), a SESA (Secretaria de Saúde do Paraná) descartou os dois casos suspeitos de coronavírus, em Curitiba.

As informações foram confirmadas pelo secretário estadual da Saúde, Beto Preto, a secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo a pasta, o primeiro paciente, um homem de 29 anos, estava com Gripe do subtipo Influenza B.  Mesmo com o descarte do coronavírus, o paciente segue internado em isolamento no Hospital Santa Cruz, em observação.

A outra suspeita descartada é a da paciente de 23 anos que está internada no Hospital de Clínicas do Paraná. A paciente esteve na China nos últimos e ao sentir os sintomas procurou um posto de saúde na cidade, antes de ser encaminhada ao HC.

Portanto, o Governo do Paraná confirma que não há casos suspeitos ou confirmados no Estado.

ACOMPANHE A COLETIVA

NO PAÍS

Ministério da Saúde confirmou nesta terça-feira (28) que investiga outros dois casos suspeitos de coronavírus. Além disso de Curitiba, Belo Horizonte (Minas Gerais) e Porto Alegre (Rio Grande do Sul) também têm casos em investigação.

Conforme o Ministério da Saúde, os pacientes em observação se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus) estabelecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Ou seja, os pacientes apresentam febre e, pelo menos, um sinal ou sintoma respiratório. Além disso, viajaram para área de transmissão local nos últimos 14 dias.

O QUE É CORONAVÍRUS? 

A infecção causada pelo coronavírus já matou 106 pessoas — 100 casos apenas em na província de Hubei, onde fica Wuhan, considerada o ponto de partida da epidemia. Além disso, existe até o momento 4.537 infectados na China.

Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), outros 56 casos de coronavírus foram confirmados em pelos menos 18 países distribuídos em quatro continentes.

No Brasil, o Ministério da Saúde colocou o país em alerta para o risco de transmissão, mas ainda não há casos confirmados. O Paraná também adotou medidas de prevenção.

Assim como outras viroses, o coronavírus pode ser transmitido entre seres humanos pelo ar (tosses e espirros) ou pelo contato com objetos contaminados. O vírus pode se disseminar pelo ar e coloca em risco pessoas imunidade debilitada. Ainda não há um remédio específico para combater o vírus.

coronavírus tem período de incubação entre dois e sete dias, podendo chegar a 14 em alguns casos. Os sintomas se parecem com os da gripe ou resfriado comum: tosse, febre e dificuldade para respirar. Nos casos mais graves, a doença pode evoluir para pneumonia ou síndrome respiratória aguda grave.

coronavírus, novo vírus da china, china, wuhan, gov.cn2

Curitiba descarta um dos casos suspeitos de Coronavírus

A Secretaria de Saúde do Paraná descartou, na manhã desta quarta-feira (29), um caso suspeito de coronavírus em Curitiba. Até ontem, dois pacientes estavam internados em hospitais da capital paranaense com a suspeita de terem contraído a doença.

Segundo a pasta, o paciente estava com Gripe do subtipo Influenza B, que foi detectado em exames. Mesmo com o descarte do coronavírus, o paciente segue internado em isolamento no Hospital Santa Cruz, em observação.

Por meio de nota, o Hospital Santa Cruz disse que após a divulgação do caso, informou que “o paciente está em observação e isolado. A equipe médica está tomando todos os cuidados indicados pelo protocolo do Ministério da Saúde”.

CASO EM INVESTIGAÇÃO

O segundo caso de coronavírus ainda segue em investigação em Curitiba. É uma mulher, de 23 anos, que está no Hospital das Clínicas, após dar entrada em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Ela viajou para China nos últimos dias.

O internamento segue protocolo do Ministério da Saúde, em isolamento e com acompanhamento médico para a realização de exames clínicos para confirmar a presença da doença.

“Paciente com quadro de infecção respiratória leve, que se encaixa nos critérios de definição da OMS para casos suspeitos de coronavírus. Neste momento, está em avaliação a história epidemiológica da viagem”, diz a nota da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba.

NO PAÍS

Ministério da Saúde confirmou nesta terça-feira (28) que investiga outros dois casos suspeitos de coronavírus. Além disso de Curitiba, Belo Horizonte (Minas Gerais) e Porto Alegre (Rio Grande do Sul) também têm casos em investigação.

Conforme o Ministério da Saúde, os pacientes em observação se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus) estabelecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Ou seja, os pacientes apresentam febre e, pelo menos, um sinal ou sintoma respiratório. Além disso, viajaram para área de transmissão local nos últimos 14 dias.

O QUE É CORONAVÍRUS? 

A infecção causada pelo coronavírus já matou 106 pessoas — 100 casos apenas em na província de Hubei, onde fica Wuhan, considerada o ponto de partida da epidemia. Além disso, existe até o momento 4.537 infectados na China.

Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), outros 56 casos de coronavírus foram confirmados em pelos menos 18 países distribuídos em quatro continentes.

No Brasil, o Ministério da Saúde colocou o país em alerta para o risco de transmissão, mas ainda não há casos confirmados. O Paraná também adotou medidas de prevenção.

Assim como outras viroses, o coronavírus pode ser transmitido entre seres humanos pelo ar (tosses e espirros) ou pelo contato com objetos contaminados. O vírus pode se disseminar pelo ar e coloca em risco pessoas imunidade debilitada. Ainda não há um remédio específico para combater o vírus.

coronavírus tem período de incubação entre dois e sete dias, podendo chegar a 14 em alguns casos. Os sintomas se parecem com os da gripe ou resfriado comum: tosse, febre e dificuldade para respirar. Nos casos mais graves, a doença pode evoluir para pneumonia ou síndrome respiratória aguda grave.

gripe casos paraná

Gripe mata criança de um ano no Paraná; número de casos sobe para 672

Uma menina, com apenas um ano de vida, morreu por causa de gripe em Mandaguari, na região Norte do Paraná. Além dela, uma mulher de 29 anos, em Marilândia do Sul, também morreu por causa do vírus Influenza. Os casos foram divulgados pela Secretaria da Saúde hoje (18), junto com o boletim sobre a gripe no estado.

De acordo com o relatório, o número de casos subiu para 672 – 12 a mais desde o último boletim.

São 129 mortes por causa da doença neste ano, sendo 109 causadas pelo vírus influenza da gripe H1N1, conhecida como gripe suína.

CASOS POR CIDADE DO PARANÁ

De acordo com o boletim, os casos de gripe são registrados em todas as regiões do Paraná.

Curitiba, com 157 casos, lidera o ranking das cidades que apresentam maior ocorrência. Foz do Iguaçu, com 76, aparece em segundo lugar e Ponta Grossa, com 38, fecha o pódio.

São José dos Pinhais, com 31, e Maringá, com 28 casos, completam os cinco municípios.

PREVENÇÃO DA GRIPE

As medidas de prevenção à gripe devem ser mantidas, mesmo no verão. A principal delas é a vacinação anual, capaz de promover imunidade e redução do agravamento da doença.

Além disso, também é aconselhada a frequente higienização das mãos – com água, sabão ou álcool gel – antes de consumir algum alimento e após tossir ou espirrar. Evitar aglomerações e ambientes fechados e não compartilhar objetos pessoais também fazem parte das recomendações.

Por fim, caso você esteja com algum sintoma – como calafrios, mal-estar, dores musculares, dor de cabeça, dor de garganta, tosse seca, diarreia, vômito, fadiga, rouquidão e hiperemia conjuntival – é de extrema importância procurar atendimento médico.

gripe - óbitos - paraná

127 pessoas morreram em decorrência de gripe neste ano no Paraná

A gripe continua a vitimar pessoas no Paraná. Segundo dados da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) divulgados no boletim epidemiológico desta quarta-feira (27), 127 pessoas faleceram em decorrência da doença neste ano, sendo cinco somente entre outubro e novembro.

Dentro das 127 mortes, 109 foram causados pelo vírus influenza na gripe H1N1, também conhecida como gripe suína.

Outro crescimento registrado foi no número de casos no Paraná. Dos 588 registros no boletim anterior, o indicativo atual demonstrou 35 novos casos, totalizando 623 ocorrências no estado.

Todos óbitos registrados foram em pessoas que não haviam se vacinado e que apresentavam fatores de risco. Uma mulher de 52 anos com cardiopatia e diabetes em Cianorte, uma senhora de 82 anos com diabetes em Maringá, uma idosa de 94 anos e portadora de doença neurológica, pneumonia e cardiopatia em Curitiba, um menino de cinco anos com cardiopatia em Curitiba, além de uma mulher de 73 anos em Foz do Iguaçu.

CUIDADOS PARA EVITAR A GRIPE

Entre as principais medidas preventivas estão a higienização frequente das mãos, principalmente antes das refeições, e a ventilação constante dos ambientes.

“Os casos de gripe atingem com maior gravidade os maiores de 60 anos, os adultos na faixa dos 50 a 59 anos e os menores de seis anos. As pessoas nestas faixas devem estar atentas às infecções por Influenza. A idade, associada a outros fatores de risco como, por exemplo, doenças neurológicas, renais e do coração, pode levar ao óbito”, destaca o chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da Secretaria da Saúde, Renato Lopes.

Os principais sintomas da gripe são febre alta, acima de 38 graus, com início repentino, além de dor de garganta e de cabeça, calafrios, sensação de cansaço e tosse seca. Diante dos sintomas a recomendação a busca de atendimento médico nas unidades de saúde.

“A oscilação da temperatura, com dias frios e de muito calor, ajuda provocar a gripe. Por isso, a prevenção deve ocorrer durante todo o ano”, finaliza Lopes.

influenza gripe mortes paraná Daniel CastellanoSMCS

Mais duas pessoas morrem vítimas da gripe no Paraná

Mais duas pessoas morreram por gripe no Paraná, de acordo com o boletim da doença, divulgado nesta quarta-feira (30), pela Secretaria de Estado da Saúde. Ao todo, já são 122 mortes por Influenza A (H1N1) desde o início do ano.

Segundo o boletim, as vítimas são: um homem, de 57 anos, morador de Curitiba, que tinha como fator de risco a obesidade; e uma mulher, de 57 anos, moradora de Ivaiporã, com diabetes, cardiopatias e obesidade. Ambos não tinham tomado a vacina contra a doença.

Em relação aos casos confirmados de gripe, o boletim aponta que o total chega a 639, sendo 86% deles provocados pelo vírus H1N1. Além disso, são 1.617 casos de síndromes respiratórias graves provocadas por outros vírus.

GRIPE

A gripe apresenta como sintomas febre alta, com início repentino, calafrios, tosse seca, dor de garganta e mal-estar. Ao perceber os sintomas, o indicado é procurar por atendimento médico.

Para prevenir a doença, é necessário higienizar as mãos com frequência; cobrir nariz e boca com a dobra do braço ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos como talheres, pratos e copos; e manter os ambientes ventilados.

gripe influenza mortes casos confirmados curitiba paraná 2019 foto divulgação

Com sete óbitos em duas semanas, mortes por gripe chegam a 111 no PR

Sete pessoas morreram por gripe no Paraná, nos últimos 15 dias, de acordo com o boletim periódico divulgado pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde). De janeiro até agora, 111 mortes relacionados às complicações da doença foram registrados.

Nas últimas duas semanas, as autoridades sanitárias confirmaram 53 novos casos de infecções pelo vírus Influenza, totalizando 580 desde o início do ano. O boletim anterior (3 de setembro) contabilizava 527 casos.

As sete mortes mais recentes foram confirmadas nos municípios de Castro, Guarapuava, Cianorte, São José dos Pinhais e Curitiba. Entre as vítimas estavam três crianças, dois idosos e dois adultos.

“A Influenza atinge principalmente as faixas etárias extremas, menores de 6 anos e pessoas com mais de 60 anos estão nas faixas consideradas favoráveis e preocupantes para as complicações da doença. A idade, associada a fatores como doenças cardiovasculares, renais, neurológicas e hepáticas; pneumonia, diabetes, obesidade e asma, podem levar ao óbito”, explicou o chefe da Divisão de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Renato Lopes.

De acordo com a Sesa, o subtipo viral da Influenza com maior circulação no Paraná é o A H1N1. Esse vírus causou 95 das 111 mortes registradas no Paraná, e 480 dos 580 casos de gripe.

A regional de Curitiba, que abrange os municípios da região metropolitana, lidera as confirmações, com quase metade dos casos (216).

*Com informações da Secretaria de Estado da Saúde

mortes por gripe

Paraná tem três novas mortes por gripe; já são 104 desde janeiro

O Paraná teve mais três mortes por gripe na última semana, de acordo com o Informe Influenza, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), nesta quarta-feira (4). Desde o início de janeiro, já foram 104 óbitos pela doença no estado.

Segundo a Sesa, as mortes ocorreram em Curitiba, uma mulher de 93 anos; São Mateus do Sul, uma mulher de 82 anos; e em Foz do Iguaçu, uma mulher de 78 anos. Além da idade, considerada como fator de risco, as mulheres apresentavam outras doenças crônicas e não foram vacinadas.

O Paraná tem 527 casos confirmados de Influenza. Sendo que o vírus H1N1 é o subtipo de maior circulação, com incidência de 446 casos. A Região Metropolitana de Curitiba é a área com mais casos, são 171. Na sequência aparecem Foz do Iguaçu, com 58; Ponta Grossa, com 36, e a região de Maringá, com 25 casos confirmados.

A faixa etária acima dos 60 anos é a que registra maior número de mortes por gripe, com 53,85%. Outros fatores apontados como risco para as complicações da Influenza são doenças cardiovasculares, pneumopatias, diabetes, doenças neurológicas, renais, hepáticas e hematológicas, além de obesidade e asma.

PREVENÇÃO

De acordo com a Secretaria da Saúde, todos os subtipos da gripe são transmitidos pelo contato com gotículas da saliva e secreções respiratórias de pessoas infectadas. O vírus pode ficar ativo de duas a oito horas em várias superfícies. Por isso, a recomendação para a higiene frequente das mãos ajuda a reduzir as chances de contaminação.

“Além de lavar as mãos, principalmente, antes de consumir algum alimento, reforçamos como medidas preventivas que as pessoas cubram o nariz e a boca com a dobra do braço quando espirrar ou tossir; que não compartilhem objetos de uso pessoal e mantenham os ambientes sempre ventilados”, orienta o chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da Secretaria Estadual da Saúde, Renato Lopes.

SINTOMAS 

Os sintomas da gripe incluem febre alta (acima de 38°), dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça e tosse.

*Com informações da AEN*

Gripe: Paraná tem 101 mortes pela doença desde janeiro

O Paraná registra 101 mortes por gripe desde o início do ano. Os dados constam no boletim semanal da Influenza divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde. Na última semana, foram contabilizados mais três óbitos pela doença.

As mortes ocorreram em Foz do Iguaçu, na região oeste; Teixeira Soares, no sudeste; e Itaúna do Sul, no noroeste.

Os municípios com mais mortes são Foz do Iguaçu (18), Curitiba (16) e Cascavel (5).

CASOS 

Segundo o monitoramento da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Influenza, são 518 casos confirmados, sendo oito a mais que o último boletim. Os novos casos foram registrados nos municípios de Cambará, Foz do Iguaçu, Francisco Alves, Iporã, Itaúna do Sul, Londrina, Paranavaí e Rio Azul.

Dos casos confirmados, 27% são de pessoas acima de 60 anos, enquanto os óbitos correspondem a 52,5% nesta faixa etária. Os municípios de Cambará, Francisco Alves, Iporã e Itaúna do Sul ainda não tinham casos da doença registrados.

CUIDADOS

A Secretaria orienta que os cuidados contra a gripe precisam ser redobrados para evitar novos casos. O chefe da Divisão de Doenças Transmissíveis da secretaria, Renato Lopes, destaca que algumas medidas são indispensáveis para combater a gripe.

“Entre elas estão a higienização das mãos, principalmente antes de consumir alimentos, cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir, não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres, manter ambientes arejados e seguir hábitos saudáveis de alimentação balanceada”, diz.

SINTOMAS DA GRIPE

Conforme a Secretaria, os sintomas incluem o aparecimento súbito de febre, calafrios, mal-estar, cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dores musculares), dor de garganta, prostração, tosse seca, diarreia, vômito, fadiga, rouquidão, hiperemia conjuntival, entre outros.

A secretaria estadual da Saúde alerta que mediante qualquer sintoma deve-se procurar imediatamente uma unidade básica de saúde para o início do tratamento oportuno, não ultrapassando o prazo máximo de 48h para evitar agravamento da doença.

influenza gripe mortes paraná Daniel CastellanoSMCS

Influenza: gripe já matou 98 pessoas no PR em 2019

Novos dados divulgados nesta quarta-feira (21) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde ) confirmam mais três mortes causadas pelo Influenza no Paraná, totalizando 98 desde o início do ano. Os casos de gripe seguem avançando no Paraná. Já são 512 confirmações em 2019, sendo que 438 contaminações são por H1N1.

Os óbitos confirmados na última semana vêm de Almirante Tamandaré, na região metropolitana (uma jovem de 17 anos); de Mamborê, na região centro-oeste (um idoso de 88 anos); e de Curiúva, nos Campos Gerais (um homem de 59 anos).

De janeiro até agora, a região metropolitana de Curitiba lidera o número de casos de gripe: 201. Outras regiões do Paraná também seguem inspirando cuidados com o vírus Influenza. A região de Foz do Iguaçu tem 57 casos confirmados, Ponta Grossa registra 41, e a região de Maringá apresenta 32 confirmações de gripe.

Cuidados com a gripe

O boletim semanal divulgado pela Sesa indicam que mais da metade das contaminações pelo Influenza (53,1%) atingem pessoas com 60 anos ou mais, ou com comorbidades associadas. Por isso, os cuidados precisam ser dobrados para este grupo.

As principais recomendações incentivadas pela Secretaria Estadual da Saúde são: higienização das mãos, principalmente antes de consumir alimento; cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres, manter ambientes arejados e seguir hábitos saudáveis de alimentação balanceada.

Os sintomas mais comuns da gripe Influenza são: aparecimento súbito de calafrios, mal-estar, dores de cabeça, garganta ou articulações, coriza insistente e tosse seca. Pessoas que apresentarem estes sintomas devem procurar atendimento médico.