acidente, vítima, estado grave, carro capota, capotamento, br-116, contorno, contorno leste, são josé dos pinhais, curitiba, paraná, hospital, hospital do trabalhador

Carro capota na BR-116, bloqueia Contorno e vítima é levada a hospital em estado grave

Uma pessoa ficou ferida após capotar o carro na tarde desta sexta-feira (15), na BR-116. O acidente aconteceu em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. A vítima foi levada em estado grave ao Hospital do Trabalhador, na capital do Paraná.

Conforme a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o acidente aconteceu no Contorno Leste, trecho urbano da BR-116, na altura do km 103.

Ainda de acordo com as informações da PRF do Paraná, o trânsito precisou ser bloqueado até que as equipes de resgate prestassem os primeiros socorros à vítima em estado grave.

Conforme o relato, uma das faixas foi liberada pouco antes das 15h. Isso aconteceu após um guincho ser acionado para remover o carro capotado da pista.

Médico - Maringá - Reutilização de equipamentos

Médico de Maringá é desligado após reutilizar material cirúrgico

Um médico urologista do HM (Hospital Municipal de Maringá) foi flagrado pela vigilância sanitária com equipamento reutilizado durante procedimento cirúrgico. Logo após a verificação, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) e o Ministério Público foram acionados para verificar a denúncia.

“Os materiais que são comprados pelo hospital municipal são comprados por licitação, tem todo o processo de rastreabilidade e eles não são reutilizados. Agora, o instrumental cirúrgico específico do profissional médico, fica sob responsabilidade dele”, explicou o secretário Municipal de Saúde, Jair Biatto, na manhã desta terça-feira (22).

Como resposta, o HM abriu procedimento interno para apurar todos os passos destes tipos de materiais, além de já ter desligado o médico de seu cargo no hospital. O urologista já prestava atendimento há duas gestões municipais e, ainda segundo a secretaria, nunca havia recebido reclamações de pacientes ou supervisores durante o período. O médico prestava serviço de maneira terceirizada ao município.

Biatto enfatizou que o posicionamento adotado pelo HM, referente à liberdade dada para que os médicos tragam seus próprios equipamentos, sobretudo em casos de utilização mais específica, é recorrente e ocorre também em outros hospitais.

“Isso acontece também em alguns outros hospitais, inclusive, da iniciativa privada. Onde há cirurgias muito específicas, o médico acaba levando seu próprio material cirúrgico”, destacou o secretário.

AUTOCLAVE

A operação Policial “Autoclave” deflagrou nas cidades de Maringá, Mandaguaçu e Sarandi, um esquema de vendas de materiais médicos de urologia reutilizados, no final do mês de setembro. No dia 24, cinco pessoas foram presas, sendo três mandados de prisão preventiva e dois de prisão temporária.

Segundo a investigação, três integrantes principais eram empregados de empresas que trabalhavam no setor de distribuição de materiais para cirurgias. Posteriormente, desviavam os materiais que tinham sido utilizados na cirurgia, levavam para esterilizar e depois revendiam. O esquema rendia aos participantes cerca de R$ 3 mil por procedimento.

wesley-pontes-athleticano - torcedor - athletico

Torcedor do Athletico que perdeu a mão pede título da Copa do Brasil

Wesley Pontes, o torcedor athleticano que perdeu a mão em um acidente com um rojão no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, pediu ao Furacão que vença a Copa do Brasil, em vídeo divulgado por Bruna Sgarzela, torcedora do Internacional e organizador da “vaquinha” para Pontes.

“Só traz a taça para nós. Hoje à noite eu quero ver todo mundo cantando”, disse Pontes. O torcedor está internado no hospital São José, em São José dos Pinhais e terá que passar por um novo procedimento cirúrgico nesta quinta-feira (19), para tentar reparar a mão e o antebraço.

Pontes ainda revelou muito incômodo mesmo com a medicação e a primeira cirurgia. “A dor não passa nunca. Porque foi horrível o bagulho (sic). Dói demais”.

Vaquinha

Pontes era responsável pelo sustento dos pais e por isso Sgarzela e outros torcedores tiveram a ideia de organizar a “vaquinha” para auxiliar a família do rapaz.

As doações são feitas para a conta da mãe de Pontes, Ana Maria Pontes (Banco do Brasil. Agência 1863-5 / Conta Corrente 81.352-4), para auxiliar a família a conseguir pagar os gastos com medicamentos e hospital.

Confira abaixo o vídeo de Pontes no hospital:

bolsonaro

Bolsonaro: presidente reage bem à dieta cremosa

O organismo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) reagiu bem à introdução da dieta cremosa (com papinhas e sopas mais espessas) na noite de sábado (14), conforme boletim médico divulgado na manhã deste domingo (15).

Segundo o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, os médicos saíram do quarto do presidente nesta manhã “vivamente impressionados” com o quadro de evolução de Bolsonaro. À tarde, o presidente deve passar por nova avaliação e pode fazer ainda neste domingo (15) a transição de dieta cremosa para a pastosa (como purês). “Estamos bastante satisfeitos”, diz Rêgo Barros.

Passando de uma dieta para a outra e retirando a alimentação parenteral endovenosa (pelas veias), que está em processo gradual de redução, Bolsonaro estará apto a receber alta. A equipe evita prever uma data, mas a estimativa é que ela ocorra até terça-feira (17).

O presidente também tem caminhado com frequência nos corredores do hospital, o que corrobora o quadro de evolução.

No sábado (14), Bolsonaro jantou uma sopa de mandioquinha de 200 ml, após avaliação de que seu organismo estava pronto para iniciar a dieta cremosa.

Até então, Bolsonaro era alimentado apenas por nutrição pelas veias e a dieta líquida (chá, gelatina e caldo ralo). Na sexta-feira (13), os médicos retiraram a sonda nasogástrica do presidente, que ficava conectada ao seu nariz e ia até o estômago. O tubo, que tinha sido colocado na terça (10), tinha a função de ajudar na saída da grande quantidade de ar que se acumulou no estômago e no intestino do paciente.

Bolsonaro está internado no Hospital Vila Nova Star, na região sul de São Paulo, onde foi submetido no último domingo (8) à quarta cirurgia desde que sofreu uma facada durante um ato de campanha em setembro de 2018.
O presidente está acompanhado da mulher, Michele, do filho Carlos e de assessores próximos.

Segundo o porta-voz, Bolsonaro não tem conversado com ministros. No sábado (14), o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles passou pelo hospital, como já havia feito na sexta e no dia da cirurgia, mas “não esteve com o presidente”, segundo o porta-voz. A passagem do ministro durou menos de 15 minutos.

Ainda de acordo com os médicos, o paciente está sem febre e sem dor e dá sinais de melhora dos movimentos intestinais. Bolsonaro também faz sessões de fisioterapia respiratória e motora, que incluem as caminhadas no corredor do hospital.

O presidente ficará fora do cargo mais tempo do que previa, atendendo a orientações médicas. A previsão inicial era que ele reassumisse a cadeira na sexta-feira, mas a equipe sugeriu período mais longo de descanso. O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) ocupa o posto até terça.

Segundo a Presidência, Bolsonaro estará restabelecido a tempo de discursar na Assembleia Geral da ONU, em 24 de setembro, daqui a dez dias, em Nova York. Neste domingo, o general Rêgo Barros informou que a equipe médica deve avaliar o presidente novamente às vésperas da viagem.

No último domingo (8), os médicos corrigiram uma hérnia que surgiu na região do abdômen em decorrência das múltiplas incisões feitas no local nos últimos meses. A operação durou cinco horas e foi considerada bem-sucedida.
Logo após a cirurgia, Bolsonaro vestiu uma cinta elástica para pressionar o abdômen operado e ajudar no processo de recuperação.

O surgimento da chamada hérnia incisional já era esperado pelos médicos que atendem o presidente, em razão da série de intervenções feitas na região da barriga do paciente para tratar os danos provocados pelo ataque.

O então presidenciável foi esfaqueado por Adélio Bispo de Oliveira em 6 de setembro de 2018. O autor do crime está preso desde então.

A hérnia ocorreu porque, em virtude do enfraquecimento da parede muscular do abdômen, uma parte do intestino passou por uma cavidade desse tecido. As sucessivas incisões (cortes) na barriga fragilizaram o músculo, o que fez com que a porção do órgão e uma camada de gordura rompessem a membrana, criando uma saliência sob a pele.

edison lobão propina uti hospital henrique valladares odebrecht energia márcio lobão lava jato 65ª fase galeria Marcelo Camargo Agência Brasil

Por propina de Belo Monte, Edison Lobão fez cobranças até em UTI

Alvo de investigação na 65ª fase da Lava Jato, o ex-senador Edison Lobão (MDB) é acusado de cobrar propina até mesmo na UTI de um hospital. Segundo a força-tarefa Lava Jato em Curitiba, o ex-ministro de Minas e Energia aproveitou uma “visita de cortesia” ao então presidente da Odebrecht Energia, Henrique Valladares, para solicitar vantagens indevidas em contratos para as obras de construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

O caso foi relatado pelo próprio ex-executivo da Odebrecht, que se tornou delator da Operação Lava Jato. De acordo com Valladares, a situação ocorreu em 2012, quando ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro (RJ). Edison Lobão, então ministro de Minas e Energia, usou a visita na UTI para reforçar o pedido de propina pela participação da Odebrecht no Consórcio Construtor Belo Monte.

O MPF-PR (Ministério Público Federal no Paraná) sustenta que, “diante do delicado estado de saúde de Henrique Valladares”, Edison Lobão solicitou ao então presidente da Odebrecht Energia que este indicasse um interlocutor para intermediar a propina. Em contrapartida, o ex-senador prometeu aditivos contratuais que beneficiariam o grupo empresarial.

“Chamou muito a atenção a audácia do ex-ministro de Minas e Energia”, comentou o procurador da República Athayde Ribeiro Costa, em coletiva de imprensa referente à Operação Galeria, a 65ª fase da Lava Jato, desencadeada nesta terça-feira (10).

Ainda segundo o MPF-PR, Henrique Valladares acabou por indicar o então diretor de relações institucionais da Odebrecht Energia, Ailton Reis, para tratar dos pagamentos de propina com Edison Lobão.

Não demorou para que eles chegassem a um acordo. Segundo a força-tarefa Lava Jato em Curitiba, os pagamentos indevidos – que haviam sido suspensos pelo ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, que considerava a propina excessiva – foram retomados. E os aditivos contratuais prometidos por Edison Lobão também se concretizaram, formando o ciclo completo da corrupção.

Edison Lobão na mira da Lava Jato

A 65ª fase da Operação Lava Jato investiga cerca de 40 contratos em dois núcleos de corrupção. Um deles está ligado aos acordos da Transpetro, subsidiária da Petrobras, com o Grupo Estre. Outro núcleo concentra os contratos e aditivos relacionados à construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, cujas propinas foram pagas pelo Grupo Odebrecht.

Somados, os contratos chegam a R$ 1 bilhão. O ex-senador é suspeito de solicitar e receber cerca de R$ 50 milhões em propina. No período das supostas fraudes — ou seja, entre 2008 e 2014 — o patrimônio do filho de Edison Lobão, Márcio Lobão, saltou de R$ 8,9 milhões para R$ 44 milhões.

De acordo com a Lava Jato, Edison Lobão não foi alvo de buscas e apreensões nesta terça-feira (10). O filho dele, Márcio Lobão, foi preso preventivamente no Rio de Janeiro (RJ) e trazido ainda ontem para Curitiba. A força-tarefa pretende avançar nas investigações a partir das provas coletadas nos procedimentos contra o filho do ex-ministro e operadores ligados à família.

Mãe dá a luz em Uber na porta de hospital em Curitiba

A operadora de máquinas Daniela Maria Gonçalves deu à luz ao seu terceiro filho dentro de um Uber. Com quase 39 semanas de gestação, Daniela se dirigia ao Hospital Santa Cruz, em Curitiba (PR), após sentir cólicas. Mas o trabalho de parto se iniciou ainda no estacionamento do local e Hellena veio ao mundo dentro de um carro, no dia 15 de julho.

O trajeto entre a casa de Daniela e o hospital é de apenas 17 minutos e a operadora de máquinas não imaginava que entraria em trabalho de parto naquele dia. “Antes de chamar o Uber, deixei as bolsas arrumadas para o caso de precisar ficar internada, assim alguém poderia levar até o hospital depois. Na metade do caminho, comecei a sentir as dores mais fortes”, explicou.

Logo que chegou no hospital, Daniela já estava em trabalho de parto. “Não deu nem tempo do motorista do Uber pegar o comprovante do estacionamento, passou reto pela guarita. Assim que ele parou o carro, a Hellena começou a coroar”, contou a mãe. Logo em sequência uma equipe médica do hospital se deslocou até o estacionamento e realizou o procedimento no local.

“Quando cheguei ao estacionamento, a mãe já estava em posição ginecológica no banco de trás do carro, com o bebê já com a cabeça para fora. Tive tempo de calçar as luvas e conversar rapidamente com a mãe sobre a gestação e fazer o parto. A equipe estava de prontidão e o parto foi rápido”, detalhou a ginecologista e obstetra do Hospital Santa Cruz, Flávia Vieira.

Hellena pode ficar em contato com a mãe após o parto, mas devido a noite fria em Curitiba naquela data, a menina precisou ficar internada na UTI Neonatal do hospital. Daniela e a filha não precisaram passar por mais nenhum procedimento e em dois dias receberam alta e puderam voltar para casa.

Tribunal concede pensão para criança que teve a perna amputada em hospital no PR

A 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Paraná concedeu o benefício de um salário mínimo por mês para a mãe de uma criança que, em 2017, então com seis meses de idade, teve parte da perna direita amputada em um hospital municipal de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, por possível erro médico.

A amputação ocorreu após o bebê sofrer complicações decorrentes da aplicação de medicamento pelo método de punção intraóssea. Na época, a técnica teria sido utilizada porque não foi possível aplicar a medicação por via intravenosa.

A mãe da criança buscou a Justiça para que o município fosse obrigado a fornecer prótese ortopédica, tratamento médico e pensão mensal no valor de um salário mínimo em favor da filha. A decisão de 1º grau obrigou a Administração Pública a conceder a prótese solicitada, mas negou o pedido de pensão. Devido às dificuldades econômicas enfrentadas pela família, a mãe da criança recorreu ao 2º grau de jurisdição. Durante a sustentação oral no TJPR, o advogado da causa disse que o valor pleiteado significa a devolução de um pouco mais de dignidade para a criança.

O Tribunal concedeu, por unanimidade, o pagamento de um salário mínimo por mês, em caráter liminar, até o julgamento final da demanda que envolve um pedido de indenização por danos morais e estéticos.

“É inegável que uma criança, atualmente com aproximadamente três anos de idade, que teve seu membro inferior amputado em decorrência de possível erro médico almeje cuidados diários por tempo integral, não tendo como desconsiderar a importância da pensão mensal à criança para garantir a sua sobrevivência e cuidados essenciais com sua saúde”, argumentou o Desembargador relator José Sebastião Fagundes Cunha no acórdão.

devolução dinheiro lava jato braskem petrobras união

Investigado na Lava Jato, herdeiro da OAS passa mal durante o interrogatório

O empresário Cesar Mata Pires Filho passou mal durante seu interrogatório na 13ª Vara Federal, em Curitiba, e precisou ser levado ao hospital.

O réu da 56.ª fase da Operação Lava Jato fez o primeiro atendimento com o médico cardiologista da Justiça Federal do Paraná e depois seguiu para o Hospital Santa Cruz em uma ambulância. Ainda não se sabe o estado de saúde dele.

As oitivas dos acusados neste processo seguem até pelo menos a próxima quinta-feira (11). Além de Cesar Pires, também estavam previstos os depoimentos de David Arazi e Manuel Ribeiro Filho. No entanto, a audiência foi suspensa e só retornará em setembro.

EX-PRESO

Herdeiro da empreiteira OAS, ele é investigado por envolvimento no esquema da construção da Torre Pituba, uma sede da Petrobras na Bahia. Pires chegou a ser preso em novembro do ano passado, mas acabou pagando R$ 29 milhões de fiança.

A 56.ª fase da Operação Lava Jato foi batizada de “Sem Fundos” e analisa o pagamento de pelo menos R$ 68 milhões de propina da OAS e da Odebrecht ao Partido dos Trabalhadores, agentes públicos da Petrobras e gestores do Fundo Petros. A participação desses teria resultado nos contratos superfaturados da obra da Torre Pituba.

Segundo as investigações, o valor da torre subiu de R$ 320 milhões para R$ 1 bilhão e 300 milhões.

A ação penal tem 42 réus que respondem pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, desvios de recursos de instituição financeira e organização criminosas. Entre os réus estão o ex-diretor de serviços da Petrobras, Renato Duque; o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht; o ex-dirigente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro e o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Agnaldo Timóteo tem piora no quadro infeccioso

O cantor Agnaldo Timóteo, 82 anos, internado desde o dia 21 do mês passado, no Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador, apresentou piora no quadro infeccioso. De acordo com o boletim médico divulgado nesta segunda-feira (3), o artista “apresenta quadro de desorientação flutuante compatível com delirium, confusão mental comum em idosos hospitalizados. O paciente verbaliza, mas teve discreta piora do quadro infeccioso”.

No sábado (1°), o estado clínico do cantor apresentou melhora expressiva. “Agnaldo Timóteo está respirando normalmente, verbaliza e está conversando com seus familiares”, informou o boletim médico naquela data.

A nota dizia ainda que a infecção urinária havia sido controlada e que o intestino demonstrava sinais de recuperação. “[Aguinaldo Timóteo] foi avaliado, cuidadosamente, pela equipe de nutrologia e foi liberada a ingestão de líquidos como água de coco e chás. Já consegue sentar sem apoio”.

Neste domingo (2), o boletim médico informou que Agnaldo Timóteo “não tinha tolerado a progressão da dieta via oral”.

Timóteo passou mal em Barreiras, interior da Bahia, no dia 20 de maio, com quadro de vômito, glicemia baixa e pressão alta. No dia seguinte, foi transferido para o Hospital Geral Roberto Santos, onde foi diagnosticado um princípio de acidente vascular cerebral (AVC) e um quadro de infecção urinária.

Atriz Fernanda Montenegro recebe alta de hospital no Rio

A atriz Fernanda Montenegro, de 89 anos, recebeu alta médica hoje (22) depois de passar dois dias internada no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro.

A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do hospital.

A atriz estava no sul do país gravando cenas da próxima novela das 21h da TV Globo, quando passou mal na última terça-feira (19) e foi atendida inicialmente em um hospital na cidade gaúcha de Jaguari, com um quadro de desidratação.

Fernanda Montenegro, uma das principais atrizes do Brasil, concorreu ao Oscar e ao Globo de Ouro de 1999, na categoria de melhor atriz, por sua atuação no filme Central do Brasil.